Acomodações de baixo custo para estudantes na Alemanha

0
106
Fonte: pixabay.com
Advertisement

Acomodações de baixo custo para estudantes na Alemanha

Quem pretende estudar no exterior, independente do país, tem muito a pensar e considerar: língua falada, documentos necessários, as diferenças a serem enfrentadas no novo mundo acadêmico, entre outros detalhes. Quando o assunto é financiamento, uma das partes mais importantes a ser planejada é a moradia. Assim como já falamos nesse texto, o aluguel é a maior despesa dos estudantes. Por isso, é um assunto que deve ser tratado com atenção.

Diferente de alguns países, as universidades da Alemanha normalmente não auxiliam o aluno na procura de acomodação. No entanto, existem serviços de assistência (Studentenwerk) que podem servir de apoio e oferecem ajuda na candidatura aos alojamentos estudantis da cidade correspondente. Além disso, há outras opções que também podem ser consideradas. Aliás, podem e DEVEM ser consideradas, uma vez que, infelizmente, encontrar moradia por um preço acessível é cada vez mais difícil em todo país. Aqui vão quatro possibilidades:

1. Apartamento compartilhado

Essa realidade é bem diferente do Brasil. Na Alemanha, uma vez que a maioria dos jovens sai da casa dos pais ao terminar a escola, compartilhar apartamento (WG, abreviação para Wohngemeinschaft) é a opção mais comum entre os alemães. Isso vale tanto para grandes cidades como Berlim, Hamburgo e Munique quanto para municípios menores como Tübigen, Regensburg ou Greifswald. O principal problema é, claro, a concorrência. Dependendo da cidade, é normal os candidatos enviarem MUITAS candidaturas e passarem por uma espécie de “casting” até que sejam escolhidos para o quarto vago pelos outros moradores. Em uma WG, cada um paga o valor do seu quarto e todos dividem os gastos das demais contas mensais, como energia e internet.

2. Alojamentos estudantis

Os alojamentos estudantis (Studentenwohnheimen) variam muito tanto em tamanho quanto em estilo. No geral, são mobiliados, localizados perto das universidades e contam com preços acessíveis. Algumas vezes, os quartos contam com uma pequena cozinha própria; outras, os estudantes devem compartilhar a cozinha com alguns vizinhos. Tendo em vista a alta demanda, é importante tentar reservar um lugar com antecedência – geralmente através dos serviços de assistência estudantil da universidade/cidade em questão.

Fonte: pixabay.com

3. Ajuda em troca de moradia

Frente à grande dificuldade muitas vezes encontrada na procura por moradia, é necessário buscar soluções criativas e “botar a mão na massa” para não desistir dos estudos. Por exemplo, há algumas famílias que entram em contato com os Studentenwerke buscando estudantes que tomem conta de suas crianças em troca de um quarto. Outra iniciativa interessante é a Wohnen für Hilfe, que busca a solução de dois problemas de uma vez só: estudantes sem dinheiro e idosos que vivem sozinhos em grandes habitações. A regra básica é uma hora de ajuda no mês para cada metro quadrado que o estudante recebe. O “trabalho” depende da necessidade do proprietário e pode variar entre jardinagem, passeios, compras etc. Mais informações, assim como as cidades que contam com essa iniciativa, podem ser encontradas aqui.

4. Acomodação própria

Sem dúvidas, essa é a opção mais cara. Entretanto, há quem prefira/possa pagar um pouco mais em troca de viver sozinho. Nesse caso, obviamente, não há com quem dividir os custos de eletricidade, internet etc. É importante ter consciência de que a moradia é o maior peso do orçamento de um estudante, principalmente se este fizer questão de morar em um lugar central. Uma boa alternativa é, portanto, morar um pouco mais distante – claro, levando em conta uma boa ligação com o transporte público.

Dicas importantes:

  • Cuidado com as fraudes! Infelizmente, há muitas ofertas falsas por aí. O perigo é maior quando se busca à distância, pela internet. Regra de ouro: NUNCA pague nada adiantado. Desconfie se alguém quiser algum adiantamento, oferecendo enviar as chaves pelo correio ou algo assim. Isso não é normal aqui. Na Alemanha, não se paga nada antes da assinatura do contrato e da entrega das chaves.
  • Os preços do aluguel podem variar bastante dependendo da cidade que se busca acomodação. No geral, o leste da Alemanha é bem mais barato que o oeste.
  • Alguns dos websites para buscar acomodação compartilhada e/ou própria são: wg-gesucht, immobilienscout24, Immowelt.
  • Atenção com as terminologias Warmmiete (aluguel “quente”) e Kaltmiete (aluguel “frio”). O primeiro significa que o valor já abrange aquecimento e custos adicionais, como elevador, manutenção do prédio etc. Os custos de energia elétrica, telefone e internet são à parte.
  • Em relação ao item anterior: preste BEM atenção no contrato e verifique o que está, de fato, incluso no valor do aluguel e o que será pago extra.
  • No geral, a procura por acomodação é um problema em muitas cidades na Alemanha e com os estudantes isso não é diferente. Por isso, é importante começar a procura com bastante antecedência e ter (muita) paciência.

Em tempo: ao cuidar das finanças, além do aluguel, lembre-se de incluir nas contas o pagamento do seguro de saúde e das tarifas de rádio e televisão (mesmo quem não possui nenhum desses meios de comunicação). Essas duas coisas são obrigatórias na Alemanha e o não cumprimento dessa tarefa pode acarretar muitos problemas, incluindo o cancelamento da matrícula na universidade.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui