Alemanha – A comunicação e o expatriado

0
260
Arquivo Pixabay
Advertisement

Difícil imaginar a vida de quem decidiu mudar para outro país anos atrás.  Ter que se comunicar através de cartas, telegramas ou ligação telefônica uma vez por mês porque era muito caro, devia ser muito penoso, principalmente para os recém-chegados. Poderia se passar meses sem notícias de pessoas queridas. Sem internet, sem celular, sem mídias sociais, sem redes sociais, etc., as informações eram muito mais lentas e difíceis. No mundo tão interligado e conectado de hoje, é complicado pensar que era assim há bem pouco tempo atrás. Hoje nós temos o poder de falar com quem quisermos, em qualquer lugar do mundo, e de criar e compartilhar conteúdo para o mundo inteiro num piscar de olhos.

A facilidade de comunicação hoje em dia é, sem dúvida, um dos fatores que amenizam a adaptação dos que decidem trocar de morada, seja para outra cidade, estado ou país. São tantas as opções que mesmo que você queira se isolar, é praticamente impossível! Celular, Facetime, Skype, Messenger, WhatsApp, Facebook são algumas das facilidades que temos para amenizar a saudade que sentimos da família e dos amigos. Você consegue conversar ao vivo e a cores, só fica faltando mesmo o abraço. Hoje você pode estar mais próximo das pessoas que ama mesmo estando longe. Sem falar da praticidade. Quantas questões burocráticas são resolvidas por e-mail?

Não é somente a rapidez como nos comunicamos que é importante, mas também a disponibilidade de informações que temos online é simplesmente fantástica. A internet abriu as portas do mundo apenas num click. Claro que isso é indispensável para qualquer pessoa hoje em dia, mas imagina para quem escolheu mudar para um lugar desconhecido, de cultura totalmente diferente e que a princípio não se conhece ninguém? Essa conexão é essencial.

Quando estamos nos preparando para uma mudança, a primeira coisa que fazemos são as pesquisas na internet. Temos acesso à uma infinidade de informações de praticamente todos os lugares do mundo, de uma maneira extremamente prática e rápida. O dia a dia, a cultura, as notícias, as curiosidades contadas por especialistas e também por pessoas que querem dividir suas experiências com o resto do mundo, estão diariamente atualizadas na rede. Encontramos absolutamente tudo o que precisamos, desde onde fica o supermercado local até como proceder em casos burocráticos. Além de, também, podermos encontrar pessoas na mesma situação que a nossa.

As mídias e redes sociais são parada obrigatória de quem mora fora ou de quem pretende morar. Muito antes de pensar em escrever para o “Brasileiras Pelo Mundo”, ele era fonte de inspiração e informação diária para mim. Além do conteúdo prático, que nos ensina como proceder em várias situações do dia a dia, como tirar documentos, por exemplo, os depoimentos e relatos nos deixam mais próximos da vida no país em que decidimos morar e que ainda não temos nenhuma intimidade. Poder ver com os olhos de quem está enfrentando esse novo cotidiano é muito enriquecedor. Não só para os que em breve enfrentarão a mesma realidade, mas também para os curiosos e apreciadores de boas histórias de vida.

Esse compartilhamento de informações é um grande incentivador, tanto para quem lê quanto para quem escreve. Poder falar sobre as suas vivências, com certeza, fortalece quem luta diariamente para se adaptar à uma nova realidade. A solidão talvez seja o maior mal de quem resolve mudar. Deixar família e amigos não é fácil, e até você começar a fazer parte da nova sociedade, há um longo caminho a ser percorrido.

O ser humano tem uma grande necessidade de se relacionar e se comunicar, neste quesito, as mídias e redes sociais aparecem de forma importantíssima. No Facebook, por exemplo, existem “n” grupos de brasileiros numa mesma situação e lugar. Estar conectado aproxima você de muitas pessoas. Na rede, além de poder fazer amizades, você consegue tirar dúvidas práticas do mercado de trabalho, do dia a dia da sua cidade, do seu bairro. Cada vez mais encontramos grupos de brasileiros para diversos fins, é só procurar o que você precisa que com certeza vai encontrar. Claro que precisamos nos dedicar a construir relações com as pessoas nativas do lugar que escolhemos morar, mas essa relação com brasileiros que já moram há mais tempo, nos ajuda muito na adaptação.

Aqui em Munique, por exemplo, há diversos grupos, mas existe um em especial chamado “Mulheres Brasileiras em Munique”, do qual participo, que é extremamente organizado e que presta um serviço de integração, informação e entretenimento maravilhoso para seus membros. É voltado para mulheres e sem dúvida nenhuma é uma ferramenta indispensável na vida de muitas que moram aqui. A troca de informações é preciosa demais, desde uma indicação médica até uma discussão de assuntos relacionados à mulher como cidadã e profissional em outro país. Porém o mais importante, talvez, sejam as relações, pois a partir dele amizades foram construídas.

Sem dúvida nenhuma a comunicação evoluiu muito e hoje seria impensável se comunicar apenas através de cartas. Morando tão longe da minha terra natal, não me imagino sem a possibilidade de ouvir e ver as pessoas que amo, mesmo que seja através da tela do computador.

E você? Qual o seu principal meio de comunicação?

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui