Alemanha – Dicas para trazer o seu cachorro para a Alemanha

13
900
Advertisement

Morar aqui na Alemanha nunca foi algo que almejamos, digo nós, pois minha pequena família é formada por mim, meu marido André e nossa cachorrinha Nina ( antes chamava Nega, mas tive que mudar de nome depois que chegamos aqui, mas isso é história pra outro post!).

 A gente sempre teve vontade de morar fora sim, desbravar esse mundão de meu Deus, o destino era desconhecido, mas já sabíamos que deveria ser em algum lugar da União Européia, por eu ter cidadania Italiana e também é claro,  em função da facilidade de levar animais.

Com isso começou nossa saga, que tentarei resumir aqui pra vocês!

 Tudo começou com a decisão, ok, vamos para algum lugar da Europa, primeira coisa a se fazer, pesquisar tuuuudo sobre como levar animais, tudo mesmo, histórias de pessoas que já viajaram, empresas de transporte, sites de companhias aéreas, sites oficiais do governo como da Vigiagro, Zoones e por ai vai.

 Segunda passo, com uma certa antecedência, um ano talvez, foi castrar a Nina, depois disso, já com nosso veterinário de confiança, começamos o processo para a viagem mesmo, que se resume em algumas partes e alguns prazos que vou listar abaixo para ajudar vocês com um checklist:

– Aplicar o microchip

– – Esperar 1 ou 2 dias

– Aplicar a vacina antirrabica

– – Esperar 30 dias – –

– Fazer a coleta de sangue para sorologia

— Esperar 90 dias —

– Fazer o certificado de saúde com o veterinário

– – Depois de no máximo 72h 

– Emitir o CZI na Vigiagro

– – 10 dias no máximo —

– EMBARQUE

 Tudo começa então com a implementação do microchip e a vacina antirrábica, sempre bom lembrar que o chip deve ser implementado um ou dois dias ANTES da vacina, isso é bem importante, e já vi gente não fazer o CZI por esse pequeno detalhe.

 Após isso, tem que se esperar 30 dias, fazer a coleta e enviar uma amostra do sangue do bichinho para o Zoones de SP, que no Brasil hoje é o único lugar gratuito para se fazer. Depois uma espera de 90 dias após a retirada da amostra, com todos os documentos em mãos, é só embarcar! Parece simples falando assim, e é na verdade. O que deve ser levado em conta são os imprevistos que podem acontecer no caminho, que foi o que ocorreu conosco e vou contar minha triste ( e depois feliz!) história pra vocês.

 Começamos o processo da Nina em novembro de 2015, contando que iríamos embarcar para Alemanha em abril de 2016, teríamos mais que 5 meses para todo o processo. Fizemos tudo certinho como expliquei para vocês acima, tudo dentro dos prazos e quando estávamos lá em meados de fevereiro, e a amostra da Nina já estava na Zoones de SP, o atraso para a chegada do resultado começou a me deixar nervosa, eu ligada para o meu veterinário, para a empresa que enviou o sangue e nada de saberem. Até que resolvi ligar para a própria Zoones, e tive a pior notícia que poderia ouvir: o exame da Nina ( Nega) não tinha sido realizado, a amostra foi com um erro na escrita do nome, e eles pediram para ser trocado, só que a empresa que enviou o sangue não trocou e com isso o exame não foi feito, além disso havia acabado o reagente para fazer a sorologia e não tinham prazo para chegar esse bendito reagente.

 Imaginem como fiquei, meu mundo caiu! Todo meu planejamento foi por água abaixo, lembro que chorei como nunca, não via uma maneira daquilo dar certo novamente, e já estávamos com tudo agendado aqui na Alemanha, casa, emprego do meu marido, passagens compradas, TUDO!  Enfim, lembro que depois de algumas horas de desespero coloquei a cabeça no lugar e pensei: vamos dar um jeito, e ela vai ir de qualquer forma conosco pra lá.

 Quem tem animais e os ama como eu, sabe o desespero que é pensar em ficar longe deles, e isso nunca foi uma opção, deixar a Nina e ir em busca de uma vida nova nunca me passou pela cabeça, era toda família, ou ninguém.

 E com isso, com todo esse amor e união (hehehe sou um pouco dramática, eu sei!) que no final das contas a saga da Nina deu certo. A empresa que enviou a amostra para a Zoones e errou, se responsabilizou pelo gravíssimo erro e se dispôs as pagar o transporte na Nina sozinha depois dos 3 meses, sim, pois ela teve que começar o processo dos 90 dias novamente, tivemos que dar a antirrábica novamente, tirar o sangue, fazer a sorologia e ela teve que ficar no Brasil pela quarentena.

 No final das contas a Nina não veio conosco em abril, ela veio como carga viva, despachada por uma empresa especializada que só faz transporte de animais. Essa empresas são ótimas, eu super indico, mas para que tem grana, diferente da gente que não tinha todo esse dinheiro para desembolsar, fizemos todo o processo por nós mesmo, e se desse tudo certo ela teria vindo conosco e ok! Mas não foi o que aconteceu, a dona Nina fina e chique, embarcou com essa empresa e depois de 3 meses chegou aqui na Alemanha pra viver conosco!

 O final sempre é feliz ( ainda bem!) e deu tudo certo, como sempre dá. O que queria compartilhar é que há muitas opções para se levar os animais para outros países, e que com uma boa pesquisada, organizada e planejamento, é super possível e simples. As vezes umas pedras aparecem, mas nada que a gente, como boas brasileiras, não demos um jeito!

 Hoje a Nega Nina, Nina Nega vive feliz e faceira nas terras germânicas, anda de metrô, vai a restaurantes, shoppings, parques, bares e tudo que ela tem direito! Ah, e muito importante, assim que ela chegou aqui em Hamburgo, levamos ela ao veterinário para um check-up e para fazer o passaporte europeu (SIM!)  e é super simples, e hoje a Nina tem dupla cidadania, tem passaporte brasileiro e europeu, e é uma a vira lata muito da linda, como podem ver na fotinho.

 Mais informações:

 Ministério da Agricultura

13 Comentários

  1. Oi, você teria como passar o site da Zoones? Eu não consigo encontrar e gostaria de levar meus cachorros para Portugal.
    Muito Obrigado

    • Oi Dani! A Nina tem 8 anos, e pelo que li sobre o assunto não existe limite de idade máxima, e sim mínima, sei que babys muito novinhos não podem viajar, eu vi que existem sim muitas recomendações caso o cachorrinho sofra de alguns problemas respiratórios como, asma, ou coisas do tipo. Mas depende muito de cada companhia aerea e o ideal é sempre conversar com um veterinário e ter um de confiança para tirar todas as dúvidas! ; )

  2. Oi, Marcela!
    Adorei ler sua história, preciso ficar tranquila, pois vou levar meus três bebês (rsrsrs) , 1 Labrador, 1 Dogue alemão e 1 Schnauzer gigante para Alemanha, já fiz o microchip e a vacina no meu caso três dias depois, a Vigiagro falou que pode ser até no mesmo dia a aplicação de microchip e a vacina, mas nunca a vacina antes do microchip!
    Enfim estou com dificuldade de achar uma caixa de transporte para meu Dogue, aliás vou precisar encomendar!!
    Vou ficar atenta quando o veterinário enviar os exames de sangue para o laboratório e fazer a sorologia !! Consigo viajar só em setembro e não vejo a hora de voltar para Alemanha!!
    Qual companhia aérea Nina viajou??
    Quero relatar todo o procedimento que estou fazendo no meu caso que são cães grandes!!
    E ela se adaptou bem ao clima, digo principalmente no inverno quando neva?
    Um abraço e toda felicidade pra vcs!

  3. Olá Marcela Vieira, esse exame de sorologia pode ser feito somente no CCZ de São Paulo ou se pago posso fazer em outro local ???

  4. Marcela, obrigado por compartilhar sua experiência. Você pode citar o nome da empresa especializada em transporte de animais? Obrigado

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui