Como é morar em Budapeste?

3
1180
Advertisement

Como é morar em Budapeste?

Budapeste, que até 1873 era formada por duas cidades divididas pelo Rio Danúbio, Buda e Peste, é um lugar encantador que impressiona qualquer visitante.

Ao chegar, logo notam-se algumas características que são bem diferentes do Brasil. Talvez certos comportamentos também possam ser observados em outros países, mas reparei aqui por ser meu atual lar. Seguem alguns exemplos:

a) No supermercado, você se sente em uma linha de produção. A caixa é muito rápida ao passar as compras e enquanto isso você já deve guardar as coisas e com o dinheiro em mãos (já esqueci de pegar a carteira e levei uma bronca!).

b) A sustentabilidade é levada a sério: existe o hábito de separar o lixo e descartá-lo corretamente. As ruas são limpas e eu particularmente nunca vi ninguém jogando nada na rua.

c) Outro ponto positivo é que se você não levar sua própria ecobag (sacola ecológica) ou mochila, precisará pagar pela sacola plástica (evita o desperdício de maneira consciente e logo acostuma).

d) Apesar de estar na União Europeia, a Hungria não adotou o euro. Sua moeda é o forint húngaro, o que torna o destino bem vantajoso e com baixo custo.

e) Diferente de outros países, é acessível alimentar-se fora de casa sem que isso prejudique consideravelmente o orçamento.

f) Bebidas em geral também são baratas, uma pint (quase meio litro de cerveja) pode sair por 1 euro. É garantia de diversão gastando pouco!

g) Atrás apenas do britânico, Budapeste tem o segundo maior Parlamento do mundo, são 700 salas e 27 entradas.

h) Possui o metrô mais antigo da Europa Continental. Existem opções de transporte público desde 1866, através de bondes puxados por cavalos.

i) O transporte é excelente e variado, possui trens, metrô, ônibus e uma espécie de VLT (veículo leve sobre trilhos), com opções que cobrem a cidade 24 horas por dia e com um valor único você pode utilizar à vontade.

j) Em várias rotas de trem, até 26 anos o preço é mais em conta, o que certamente incentiva o turismo e atrai mochileiros.

k) O idioma é considerado o 3º mais difícil do mundo. Felizmente, grande parte da população fala inglês, principalmente os jovens.

l) Budapeste possui o maior sistema de águas termais do mundo. Além disso, é mundialmente conhecida pelas propriedades curativas de sua água.

m) Aqui você encontrará a maior sinagoga da Europa, perde o título mundial apenas para a Emanu-El, encontrada em Nova York.

n) O cubo mágico foi inventado aqui.

o) É um país sem litoral, no entanto, 7 países fazem fronteira com a Hungria, facilitando a vida de viajantes que gostam de explorar o Leste Europeu e economizar.

p) É comum utilizar primeiro o sobrenome e depois o nome, não apenas em casos formais, mas no dia-a- dia.

q) O tempero mais comum é a páprica, uma espécie de pimentão húngaro. Pode ser encontrada em diversos tipos de comida e produtos no supermercado.

q) É palco de diversos festivais culturais.

r) Possui muitas oportunidades de trabalho, tem-se destacado como um importante centro de terceirização que atrai muitas multinacionais e fortalece a economia.

A tranquilidade aqui é claramente percebida, mesmo sendo uma grande capital e importante centro econômico. A qualidade de vida é alta, está se tornando um destino cada vez mais desejado para turistas e, principalmente, pessoas que buscam trabalho no exterior. A segurança é um dos aspectos que mais valorizo, poder andar nas ruas sem preocupação era uma sensação que não sentia há anos, já que vivia com medo de alguém me assaltar durante o dia ou noite em qualquer lugar.

Outra coisa que me deixa realmente satisfeita aqui é ninguém mexer com você na rua, no Brasil isso me incomodava diariamente, essa abordagem me deixava nervosa e infelizmente nós mulheres sofremos muito e não reagia pensando em uma possível retaliação que poderia sofrer. Se resolver sair a noite e voltar de madrugada, tudo bem também, muitas mulheres voltam sozinhas com o transporte público sem nenhum problema. É claro que não devemos nos descuidar, ficar atenta pode evitar que algo de ruim aconteça, todos estamos sujeitos, não é verdade? O fato é que aqui a probabilidade é pequena, pode até ser que como em outras grandes capitais da Europa você seja roubado, só que os assaltantes vão aproveitar da sua distração e é bem diferente de estar sendo ameaçada, com certeza a maioria da população já sentiu isso pelo menos uma vez (lamentável que seja “comum”).

O custo de vida baixo é um atrativo para quem gosta de viver em uma cidade grande sem um gasto mensal equivalente a São Paulo por exemplo. Itens como comida, aluguel, roupas, transporte e entretenimento variam de 27 a 65% menos que a maior cidade do Brasil.

Diferente da realidade que tinha na minha cidade, com o meu salário consigo arcar com aluguel, supermercado, lazer e transporte. Por ser em forint, é comum comparar com o euro e parecer pouco, mas garanto que o salário é justo, dá pra pagar contas, aproveitar e viajar!

Recomendo a todos que explorem esse país cheio de cultura, história e traga sapatos confortáveis, a melhor forma de curtir as cidades é andando a pé.

3 Comentários

  1. Show parabéns pro texto, bem explicativo e de fácil leitura e entendimento. Abordou vários aspectos com os detalhes sem ser cansativo.

  2. Ola, Mayra.

    Me encantei mais ainda por essas suas aventuras. Um dia vou seguir seu exemplo, conhecer vários países e adquirir diversas culturas.

  3. […] Mayra é de Santos, litoral de São Paulo. É formada em MBA de Negócios e já viajou para mais de 15 países. Entrou em um avião pela primeira vez com 6 meses e não parou mais. Atualmente vive em Budapeste, na Hungria. Ela é uma jovem que serve de exemplo, para muitos que desejam viajar, conhecer o mundo, estudar no exterior, buscar novas experiências fora do seu país de origem. Confira seu artigo, publicado no site www.brasileiraspelomundo.com […]

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui