Custo de vida em Madri

Parte I – Regiões onde morar

7
333
Advertisement

Uma das coisas que mais pesquisamos quando vamos nos mudar de país é o custo de vida, afinal de contas, precisaremos de um lugar para morar e teremos gastos básicos (comida, água, luz, internet, etc). Hoje vou falar sobre o custo de vida em Madri.

Eu mesma estou na minha 3ª casa aqui em Madri, e as 3 experiências foram bem diferentes em termos de preço, acessibilidade e coisas para fazer. É claro que tudo depende do que você fará aqui em Madri; se vem para trabalhar, estudar ou simplesmente ter uma experiência de vida sem nada programado com antecipação.

Como contei antes no meu primeiro texto, vim para a Espanha a princípio para estudar, mas cheguei com uns bons meses de antecedência. Nessa época morava no centro de Madri, mais especificamente no bairro La Latina. Então vou contar um pouquinho como é viver bem no centro de Madri:

Preços – o aluguel em Madri já é caro por natureza; a cidade recebe muita gente, e então os preços são bem salgados para alugar um apartamento por aqui. Morava em um estúdio, ou seja, não tínhamos divisão de cômodos no apê: a cozinha era uma bancada, integrada com a sala (que se resumia a um sofá), e tínhamos um móvel que separava a sala do “quarto”, que se caracterizava pela cama e duas mesinhas de cabeceira. O único cômodo fechado era o banheiro. Estávamos em um apartamento interior, ou seja, não tínhamos vista exterior e me lembro que a internet ali era horrível, porque o sinal não chegava bem e não tinha internet em fibra ainda. Pagávamos cerca de 800 euros pelo aluguel, o que é bem caro para o que nos oferecia o apartamento. Entretanto, estávamos ao lado das ruas “Calle Cava Alta” e “Calle Cava Baja”, que são as duas ruas mais movimentadas deste bairro, com uma vida noturna super agitada e muitos turistas. Os preços de coisas para fazer pelo centro sempre vão ser mais elevados que os preços dos bairros menos cêntricos, e a qualidade geralmente “turística”, por isso a minha sugestão é que se evitem os restaurantes perto dos monumentos importantes, porque você vai com certeza pagar mais caro por uma qualidade não tão boa – eu, por exemplo, no meu primeiro dia sozinha em Madri, almocei um “menu do dia” num restaurante da Plaza Mayor. Não estava ruim, mas depois de 2 anos de Madri posso dizer que já comi muito melhor por muito menos do que paguei naquele dia.

Mobilidade: morar no centro de Madri é maravilhoso quando pensamos em acessibilidade. Tem muitas estações de metrô, muitas lojinhas e supermercados e tudo é perto a pé. Aliás, Madri é uma cidade onde é possível fazer muita coisa a pé, principalmente porque é um cidade plana, então não cansa muito.

Coisas para fazer: Madri é uma cidade com muita vida; aqui as pessoas gostam muito de sair, tanto durante o dia quanto durante a noite, e tem muita opção de coisas pra fazer. Pela região do centro, predominam os restaurantes e bares com terraços,  e tudo está sempre cheio de gente, turistas ou não, o que dá um ar de vida para a cidade. Pelo centro há museus (os mais famosos são o do Prado e o Reina Sofia), o Parque do Retiro, que é um parque enorme e maravilhoso para se caminhar, correr ou simplesmente sentar para ler um livro, o Palácio Real, a Plaza Mayor, e milhares de lojinhas com coisas bacanas para se ver.  Tudo muito acessível para que mora no centro, tanto andando como de metrô.

Prós e contras: morar no centro foi muito bacana pra mim na época porque eu ainda não trabalhava e nem estudava, então tinha bastante lugar para ver, e com bastante movimento. Meu marido, por outro lado, sofria um pouco, porque como ele trabalha em outra cidade ele tinha que sair muito cedo de casa pela quantidade de baldeação que ele tinha que fazer. Outra coisa é o movimento: eu prefiro morar perto do “barulho”, mas sabendo que vou voltar pra minha casa e ter silêncio e tranquilidade, mas isso vai de cada um. O centro está sempre cheio e o problema é a sujeira que fica quando o pessoal vai embora: você sai da sua casa de manhã e os cheiros da noite anterior não te deixam esquecer a quantidade de gente que passa por ali diariamente.

Depois do centro, mudamos para um apartamento um pouco mais afastado, num bairro que se chamava Legazpi, em frente à estação de ônibus, trem e metrô Mendez Álvaro, na linha cinza do metrô (linha 6). É uma região bem afastada do centro, mas melhor conectada com as estradas que levam para as cidades mais próximas de Madri.

Preços – para que vocês tenham uma ideia, morávamos num apartamento de um quarto, mas com uma cozinha fechada, uma lavanderia separada da cozinha (que é algo muito raro em Madri), um banheiro, uma sala e um quarto. O prédio tinha porteiro (que também é algo super mega raro), piscina, academia, e pagávamos mais ou menos 900 euros de aluguel. Era uma boa relação custo-benefício para o que tínhamos, mas ainda assim é caro para um aluguel, na minha opinião.

Mobilidade: o problema de depender de apenas uma estação de metrô (ou trem, ou ônibus) é que você fica um pouco limitado se não tem carro. Eu ia para a minha aula de espanhol a pé porque era uma distração para mim ir caminhando, mas em geral a linha 6 (que se chama circular) é muito bem comunicada. A única coisa é que você terá que fazer mais baldeações, mas se você tiver carro, está na saída da M-30, que é uma das principais estradas de Madri.

Coisas para fazer: Nessa região isso já era bem mais complicado; quando morava por ali não tinha nada para fazer que fosse perto – tínhamos alguns restaurantes de fast food no quarteirão, e só. Para sair tínhamos que ir de metrô ou de carro.

Prós e contras: morar mais longe do centro é bom porque você pode encontrar um apartamento com melhor custo benefício, geralmente mais espaçosos ou com melhor infraestrutura por um aluguel um pouco mais justo. O contra é definitivamente a falta de opções em termos de supermercados, lojinhas e restaurantes, que em geral estão mais afastados.

O apartamento que moramos atualmente está numa zona mais cêntrica, porém fora do coração do centro. Estamos bem comunicados com a rede de metrô e com um terminal de ônibus importante (o Avenida de América) a 3 minutos de caminhada. É um bairro que se chama Guindalera, que está colado ao bairro de Salamanca, onde estão muitas lojas de grifes famosas e muitos barzinhos e restaurantes.

 

Preços – os preços de aluguel nessa região vão de 700 a 1400 euros, mais ou menos (enquanto escrevia este texto, encontrei 2 preços super díspares – 500 e 2400 euros, mas são totalmente fora da curva). Por aqui os prédios sao todos sem porteiro e é uma zona muito tranquila, apesar de estar perto de uma avenida grande (a Francisco Silvela) e o terminal Avenida de América, como omentei acima.

Mobilidade: nessa zona em específico, que no caso do meu apartamento concretamente está do lado da estação Diego de León do metrô, estou conectada com 3 linhas de metrô: a marrom (4), a verde (5) e a cinza (6). O terminal Avenida de América tem ônibus que saem para toda Madri, e também faz parte da linha 6 do metrô, que é a linha circular que comentei antes – ela literamente dá a volta em Madri. Tem muitos pontos de ônibus na Avenida Francisco Silvela e também na Calle Cartagena, que também é bem conhecida. A EMT, que é a empresa de transportes de Madri, tem um aplicativo bem bacana que mostra quanto tempo o ônibus levará para chegar e funciona super bem!

Coisas para fazer: Por aqui é muito tranquilo, mas em 10 minutos de caminhada você estará na Calle Conde de Peñalver, que tem vários restaurantes e bares com terraças, ou então em 10 minutos também, mas para outra direção, pela Calle de Diego de León, também tem muita opção de bares e restaurantes. Há muitas opções de supermercados por aqui e de lojas, das de grife às mais simplezinhas.

Prós e contras: sou suspeita para falar porque amo essa região e o motivo é simples: tenho fácil acesso a 3 linhas de metrô, uma infinidade de linhas de ônibus e um terminal de ônibus, estou em uma região que é muito tranquila, silenciosa, porém a 10 minutos de caminhada de uma zona muito bacana para sair à noite (e de dia também, por que não?).

No geral, a luz em Madri é bem cara; é uma das contas de luz mais caras da Europa, então é importante verificar qual a companhia de distribuição de energia para ver os planos que podem oferecer (há opções de tarifas reduzidas em alguns momentos do dia, mas cada caso é um caso e é importante ver com cada empresa). A água costuma ser um preço acessível, até porque em geral a água é uma coisa muito barata em Madri (um galão de 5 litros custa 60 centavos de euro, mas falaremos mais disso no próximo texto). Internet também varia muito da empresa (Orange, Vodafone, etc.), e se é fibra ou não. Mas tudo isso são detalhes que são mais personalizados, então é importante ver cada caso separadamente.

Links úteis:

Se precisar de qualquer dica mais específica, fique à vontade para perguntar nos comentários!

Compartilhe
Texto anteriorSaudades da Grécia
Próximo textoDiscriminação racial na França

Denise é paulistana, ex-consultora tributária formada em Administração de Empresas pela Fecap, em São Paulo. Deixou sua carreira no Brasil em 2015 para vir à Espanha com seu marido, e aproveitou para fazer um MBA em Negócios Internacionais em Madri e dar um restart generalizado em sua vida. Completou recentemente dois anos de Espanha, e descobriu neste período que é apaixonada por viajar pelo país, conhecendo também seus lugares não-turísticos, e ama provar comidas típicas e conhecer os costumes das cidades por onde viaja. Com a qualidade de vida que essa mudança lhe permite, pode dedicar-se aos seus outros dois hobbies preferidos além de viajar e comer: cozinhar e receber livros para resenhar e publicar em seu blog pessoal, My Paper Trips.

7 Comentários

    • Oi, Ana! Tudo bem? Muito obrigada! Então, aqui em Madri tem bastante salão de manicures ou de beleza de chinesas. Também tem outros salões, na verdade a oferta é bem ampla. Não sei qual é a sua especialidade, mas tem um aplicativo aqui que se chama Treatwell, onde você pode encontrar a oferta filtrando por tipo de tratamento (acho que eles tem uma página web também). Talvez te ajude! Um abraço e boa sorte! Denise

    • Oi Eliane, como vai? Você gostaria de fazer intercâmbio em Madri ou outra cidade? No texto http://www.brasileiraspelomundo.com/visto-de-estudante-na-espanha-431660277 explicamos como tirar o visto para estudar na Espanha, pode te ajudar. Se Madri é seu destino pretendido, posso recomendar a escola onde eu estudei, que se chama Cronopios. Eu gostei muito da metodologia, e os professores são ótimos – no curso de verão que eu fiz, com duração de 1 mês, eu tinha aulas de conversação à tarde, aula de cultura espanhola e visitas a lugares importantes; eu realmente recomendo com muita sinceridade. Entretanto, na página web do Instituto Cervantes eles tem muitas dicas de escolas para você buscar. Espero ter ajudado! Um abraço, Denise

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui