Dúvidas sobre a Argentina

2
572
Advertisement

Depois que me mudei para Buenos Aires, Argentina, comecei a receber perguntas de familiares, amigos e amigos dos amigos. Por isso, para responder a todas essas dúvidas, escrevi o post de hoje. Espero que te ajude também.

Respostas às algumas perguntas que talvez já passaram pela sua cabeça.

(1) Valores de produtos importados:

Produto importado no Brasil TAMBÉM é importado na Argentina e também é mais caro que nos EUA, ok? Por aqui produto barato é produto produzido no país, ou seja, Lacoste, Levis, Nike, etc. terão quase os mesmos preços, ou serão até mais caros que no Brasil. NÃO se iluda.

A Argentina tem uma inflação de 42% ao ano, sabe o que significa isso? Que todos os preços sobem todos os meses, ou seja, o preço que eu te disser hoje estará pelo menos 20% mais caro quando você estiver por aqui.

Outlets fora dos EUA não são iguais aos Outlets dos EUA. Os produtos que são vendidos aqui são os que sobram de coleções ou importações realizadas. O que você quer, por exemplo talvez não tenha mais.

(2) Troca de dinheiro:

O câmbio oficial está em torno de R$ 1 para AR$ 4,00 – AR$ 4,50 (varia conforme o dia) mais que isso é câmbio paralelo, ou seja, ILEGAL. Não recomendo câmbio ilegal de nenhuma maneira. Câmbio ilegal NUNCA é confiável, ou você acha que dá para agir fora da lei e ser sério?

Minha sugestão, sempre, é trocar um pouco ainda no Brasil para não chegar “desprevenida”, e depois, ou trocar por aqui, ou sacar de caixas eletrônicos direto da sua conta no Brasil pagando uma taxa menor que as das casas de câmbio. Mas para, isso antes de viajar autoriza saque internacionais na sua agência, ok?

(3) Excesso de bagagem:

A franquia de bagagem que você pode levar depende da sua companhia aérea. Cada uma estabelece sua regra e dá ao cliente (prata, outro, diamante, etc.) o benefício que quiser.

Em média, em vôos entre Brasil e Argentina é permitido despachar uma mala de até 23kg, levar uma bagagem de mão pequena (tem que ter as medidas padrão) com até 8 kg (sem líquidos, cremes, alicates, armas, pinças, etc.), e uma bolsa ou mochila.

Veja com a sua cia aérea qual é o seu caso. Passageiro frequente geralmente tem mais benefícios.

(4) Gastar até 500 USD no Free Shop:

Todo país possui uma legislação de quanto um turista está autorizado a gastar no exterior sem caráter de importação. Ou seja, os brasileiros quando viajam para fora podem fazer compras e trazer produtos num valor total de até 500 USD sem a necessidade de pagar impostos de importação. Estão isentos. Esses 500 USD são em total de compras, incluindo as compras que vocô fez na cidade, outlet, Free Shop, etc., e são por pessoa.

Mas daí o que acontece se você quiser gastar mais que esse valor? Você poderá gastar, o que vai acontecer é que sobre o valor excedido (quanto você gastou menos 500 USD que estão isentos) você deverá pagar imposto à alfândega na sua chegada ao Brasil, ainda no aeroporto.

Uma coisa é certa, gastar 500 USD já é bastante, não vejo motivo para ultrapassar esse limite, a não ser que você queira comprar eletrônicos, o que eu recomendo NÃO fazer aqui na Argentina. Os preços são maiores, você não pode pagar em parcelas, muitas vezes não encontrará o modelo mais novo (lembre-se que as portas da importação da Argentina foram fechadas em 2012), e depois não vai ter assistência técnica.

(5) Tem como pedir para colocar um preço menor na nota para evitar pagar imposto na volta ao Brasil?

Cuidado! No Brasil está nosso famoso “jeitinho” que dá tanto jeito em tanta coisa que acabamos por atuar de maneira ILEGAL e pensamos que está tudo bem. Mas fora do Brasil NÃO está!

Existem muitos países sérios onde pequenos delitos também são crimes e com punições severas.

Por isso, esqueça qualquer prática ilegal ou corrupta quando sair do Brasil, ok? Aliás, esqueça também dentro do Brasil, pois só assim faremos dele um país melhor.

(6) Arrancar etiquetas de roupas novas para parecer que são usados e evitar pagar impostos:

Os 500 USD isentos de impostos pela receita federal do Brasil são mais aplicáveis à produtos eletrônicos ou àqueles que não estão no Brasil. Se sua ideia é comprar roupas, sapatos, perfumes, bolsas, livros, cosméticos, etc, não há muito problema. Você dificilmente será parado pelo pessoal da alfândega.

Agora se você tiver comprado 10 itens iguais do mesmo produto, isso já caracteriza importação (quem vai usar sozinho 10 produtos iguais? Parece mais que alguém está comprando para revender, certo?), e vão te cobrar o imposto devido.

Como saber quantas unidades do que eu posso trazer de uma viagem? É muito simples, basta ler frente e verso do documento muitas vezes ignorados pelos viajantes: o formulário de declaração de compras da Receita Federal / Alfândega. Ele às vezes parece que morde, mas juro que não morde não!

Para saber mais leia também:

(1) Tudo o que você precisa saber sobra bagagem, compras, o que pode trazer, o que não pode, viajar de avião, viajar de barco, impostos, etc.:

(2) Fazer a Declaração de Bens de entrada ou saída pela internet (uma por família ou casal):

 

2 Comentários

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui