Escolas inovadoras na Galícia

0
260
Arquivo pessoal Vanessa Tenório www.voenessa.blog.br
Advertisement

No meu último post, listei nove escolas inovadoras em Portugal que tive a oportunidade de conhecer durante a minha jornada de volta ao mundo. Neste texto vou falar sobre as escolas inovadoras que conheci enquanto estive na Galícia.

Intercalei os três primeiros meses de viagem entre os países vizinhos Espanha e Portugal, visitando projetos educacionais diferenciados que permitem a participação efetiva das crianças no processo ensino-aprendizagem. Foram 17 projetos no total, sendo 04 na região da Galícia.

Compartilho a seguir as iniciativas desta incrível rede galega focada na construção de um mundo mais solidário e autêntico:

O Pelouro – Caldelas de Tuí

Escola laica, gratuita, fundada em 1973 por um neuropsiquiatra infantil e por uma pedagoga terapeuta. É uma instituição centrada na criança cuja psicossociopedagogia estimula uma integração escolar saudável, um lugar para todas as crianças, de todas as idades, principalmente para aqueles com alterações neurocognitivas que afetam o desenvolvimento, como o espectro autista, os portadores da síndrome de Down e as crianças com dificuldades sociais cognitivas, alta capacidade de inteligência ou escolofobia.

É declarado um Centro Singular Experimental de Inovação Psicopedagógica e Integração que possui acordos de cooperação com universidades nacionais e internacionais cuja trajetória vem sendo reconhecida com diversos prêmios, sendo modelo de referência internacional no campo sócio-educacional.

Destaques:

  • Pedagogia interativa: de 80 a 100 alunos e cada aprendiz com um projeto de desenvolvimento individual. Trabalha com as estruturas de conhecimento, com a capacidade do aluno de aprender a aprender. É um bioma com uma maneira de pensar diferente: cada um com suas ideias (mesmo sendo diferentes).
  • Proposta para começar o dia: colocar a testa no joelho (e rodar) para pensar no que querem. As crianças escolhem o que desejam saber, pesquisar ou praticar. Temas que surgiram: neurônios, dinossauros, pasta italiana, flores, espaços simbólicos, romanos, matemática, animais marinhos, a história da revolução, ecologia, aviões, a física e a matemática, cavalos, insetos, o cérebro, a história da Terra, a Terra do futuro. Um parêntese para ressaltar que havia crianças de dois anos neste grupo. Um aluno de 7 anos estudou o cérebro durante 20 dias para entender porque a sua avó morreu de Alzheimer.
  • Não há aulas, há oficinas. Não há deveres, há projetos. Todos aprendem a ler com o grupo. Recursos utilizados: mapa mental, monográfico, arte, literatura, poesia, soneto, inglês, galego, tablets, TVs, revistas, microscópios, enciclopédia, mais de 22 mil livros impressos em todo o centro.
  • Trabalhos amplificados: uma aluna de 8 anos estudou o Brasil durante um mês e compartilhou o conhecimento adquirido com o grupo.
  • As emoções e os sentimentos são trabalhados através da dança (biodança inclusive). Guardo na memória e no coração a apresentação com o clássico do Pink Floyd (Another Brick In The Wall).
  • Perguntas feitas pelas crianças ao término da visita: O que mais te emocionou? Como se sente? Qual projeto mais gostou? O que viu de diferente? O que te acolheu? O que te surpreendeu?

Semente Vigo

Rede de escolas privadas de ensino Galego que preserva o direito das crianças de 2 a 6 anos de viverem experiências prazerosas. É um espaço que favorece o desenvolvimento mental, psicomotor, afetivo e sensorial por meio de atividades lúdico-educativas, dinâmicas e criativas; potencializando a integração social, igualdade de gênero, a cooperação e o conhecimento e respeito pela Natureza.

Destaques:

  • É organizada por recantos: lógica-matemática, música, leitura, experimentação, movimento e natureza, respeitando os ritmos das crianças.
  • Principais atividades: jogos cooperativos, oficinas de circo, reciclagem, compostagem, fantoches, atividades na horta (plantas aromáticas, morangos), filmes infantis, reuniões diárias com contos, canções e danças, circuitos no jardim montados pelas crianças com troncos, caixotes e pneus vindos dos hortifrútis e borracharias onde os pais trabalham, brinquedos doados ou fabricados pelas famílias de carpinteiros.
  • Lugar afetivo reservado para as crianças aprenderem a lidar com os irmãos bebês que acabaram de chegar em suas famílias.
  • Desenvolvimento da autonomia (trocam suas próprias fraldas, escovam os dentes sozinhos, pegam água quando estão com sede). Todo o espaço é adaptado para promover a independência das crianças.
  • Móveis e utensílios de escolas antigas (recolhidos dos pontos de reciclagem disponibilizados na cidade: Ponto Limpo – descarte 2 vezes ao mês).

Gándara – Gondomar

Ensino infantil privado que oferece às crianças de 3 a 6 anos um espaço de aprendizagem ativa e vivencial, onde elas possam se desenvolver integralmente e ter o ritmo individual respeitado.

Um ambiente relaxado com salas arejadas e claridade natural, no meio da natureza, onde as crianças aprendem por si mesmas a partir de materiais preparados (Montessori) e acompanhados por adultos que detectam e satisfazem suas necessidades, tanto físicas, psíquicas e emocionais.

Destaques:

  • Desenvolvimento da autonomia e responsabilidades individuais. Fizeram uma excursão com o dinheiro arrecadado no evento “Restaurante com menu para os pais”, onde as próprias crianças cozinharam e serviram as famílias. Durante a excursão, houve o estímulo da descoberta de como chegar aos lugares planejados, onde as crianças pediam orientações aos moradores locais.
  • Espaços interiores para experiências práticas e manuais para trabalhar a motricidade, arte e música, pré-matemática, contos, jogos simbólicos. Espaço exterior em um grande jardim de 1200 metros com diferentes estruturas que facilitam todos os tipos de atividades de movimento e expansão tanto em dias de chuva como em dias de sol.

CRA Antía Cal – Gondomar

Agrupamento de 5 escolas rurais públicas, vivas e ativas que escolariza crianças de 3 a 6 anos. Desenvolve a pedagogia do amor, estimulando a criança a querer para compreender, para ajudar, para respeitar e construir relações de afeto.

Diferenciais:

  • Contato com a natureza: área verde com árvores e itens não estruturados para desenvolver capacidades e estimular criatividades ao ar livre.
  • Grupos mistos: crianças de 3, 4 e 5 anos aprendendo juntas permitindo o desenvolvimento da cooperação.
  • Atividades sociais como a arrecadação de azeite para os refugiados do Saara. Apresentação da Senhora Terra através da localização da África no globo e nas fotos demostrando a cultura distinta, diferentes vestes e casas, escassez de comida. Arte pintando as mãos para confeccionar a bandeira do Saara.
Arquivo pessoal Vanessa Tenório www.voenessa.blog.br

Sinto-me privilegiada por poder seguir a minha missão e propósito de vida aprendendo algo novo todos os dias através da solidariedade, da cultura e tradição local. Estas experiências nutrem o meu desejo de contribuir para a formação de cidadãos globais que assumem a responsabilidade pelo planeta.

A educação é emoção e busca de sentido. O depoimento a seguir de um aluno da Escola O Pelouro comprova isto: “A escola é a gente. Você é que decide o que vai fazer. E quando entra, sente uma emoção enorme.”

Voe Nessa jornada comigo em benefício da Educação e da Sustentabilidade!

Compartilhe
Texto anteriorComo é estudar em uma HBCU nos EUA
Próximo textoEmpregos para estudantes na Nova Zelândia
Vanessa é carioca, viajante, amante da natureza, pesquisadora, educadora, designer de sustentabilidade e autora do blog Voe Nessa. Em fevereiro de 2017 encerrou um ciclo de 22 anos de carreira no sistema corporativo para dar volta ao mundo sozinha pesquisando e desenhando uma Nova Educação para a Sustentabilidade. Seu planejamento é explorar os cincos continentes fazendo uma nova graduação na prática através da imersão em escolas inovadoras e comunidades sustentáveis. Sonha em co-criar no Rio de Janeiro um centro de formação de cidadãos ativos, livres para explorarem suas potencialidades e conscientes do seu papel na construção de um mundo melhor através da cooperação e não da competição.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui