EUA – Entrevista com a designer de joias, Claudia Lobão

0
233
Advertisement

A Claudia Lobão é uma designer de joias em Santo Antonio, no Texas. Suas joias são vendidas em mais de 50 lojas pelos Estados Unidos e conseguiu publicidade nacional quando a atriz Eva Langoria começou a usar peças da sua coleção no show “Desperate Housewives”. Conheci a Claudia em um dos seus “trunk shows”, ou exposição, onde a Claudia vai de lugar a lugar mostrando suas coleções, em Houston e me interessei muito pelo seu sucesso. Como qualquer boa jornalista, parti para consegui a entrevista com ela! Logo, me preparei:

Aqui seguem alguns destaques da nossa entrevista:

BPM: O que te trouxe para o Estados Unidos?

Claudia – Eu vim para o Estados Unidos em 1994. Queria ter novas experiências, conhecer coisas novas. Saí do Brasil bem jovem e fui para Nova Iorque. Pensei em ficar uns três meses, mas acabei ficando. Na verdade, eu vim mais para dar um tempo e depois ir para Paris… Aquele sonho de jovem de viajar pelo mundo todo. Me mudei para San Antônio, no Texas, em 2003. Depois do 11 de Setembro de 2001, estava difícil ficar em Nova Iorque. Nessa época, eu já estava casada, com filhos. Eu queria uma qualidade de vida melhor com as crianças, escola melhor e San Antônio foi perfeito para isso.

BPM: E você sempre foi interessada em moda, design, joias?

Claudia – Sempre soube que queria trabalhar com moda. Desde pequena eu gosto de fazer minhas próprias joias. Uma vez cortei as cordas do violão do meu pai para fazer joia. Ele não achou muito legal, não! (Risos) Quando eu era adolescente, trabalhava na área de moda, em “showroom”. Em Belo Horizonte, onde cresci, o Grupo Mineiro de Moda era muito grande na década de 1980 e eu estava muito envolvida naquilo. Minha família de Nova Serrana (em Minas) também estava envolvida com moda – fabricando sapatos. Então desenvolvi aquela paixão por sapatos e todo tipo de acessórios. Quem não, né? (Mais risos). A joia sempre foi uma coisa que eu podia fazer de casa, sem ter grande espaço, ou investimento.

BPM: De onde você tira a sua inspiração para seus “designs”?

Claudia – Eu tiro inspiração de tudo – das coisas do meu dia-a-dia. Depois de lançar uma coleção eu já estou pensando na próxima. Penso no primeiro elemento da coleção, na primeira peça. Daí encontro inspiração no que vejo. Às vezes, me inspiro nas coleções passadas. Gosto muito de ver e me inspirar em joias antigas.

A minha última coleção era toda Arte Déco – que foram joias populares nas décadas de 1920 e 1930. Busquei mais inspiração em arquitetura na Europa, França – e assim surgiu a coleção. Já essa próxima coleção queria fazer uma coisa bem exótica, com bastante dourado e com peças retas.

Minhas clientes me inspiram muito também. Faço muitos “trunk shows” por todo os Estados Unidos, e essas são ótimas oportunidades de conversar com a cliente e descobrir o que cada uma está querendo. Cada dia a mulher se sente diferente, não é? Um dia você quer usar uma coisa enorme, outro dia você quer usar uma coisa mais delicada. Me inspiro nisso e tento fazer uma variedade de tamanhos, modelos e estilos numa mesma coleção.

BPM: Ser empreendedora brasileira aqui nos Estados Unidos ajuda ou complica?

Claudia – Acho que facilita muito! Minha experiência e a reação dos americanos é sempre de muita admiração pelo brasileiro. Eles curtem muito o Brasil, o povo brasileiro, aquela cultura diferente que a gente tem, o nosso carisma. Chegando as Olimpíadas no Rio, eles estavam com medo de como iria ser, se iria ter violência, coisa assim. Mas o Brasil estava tão bonito e o pessoal aqui adorou. Acho que só ajuda trazer coisas diferentes, trazer personalidade. Tudo do brasileiro eu acho muito bacana, e os americanos concordam. Vivo falando para todo mundo: “gente, o americano adora brasileiro.”

 

BPM: E quando alguma coisa não dá certo? Como você encara isso?

Claudia – Já tive muitos fracassos. Muitas peças que não foram bem recebidas, muitos produtos que deram errado, muita produção não foi do jeito que estava querendo. Tem gente que tenta me colocar para baixo, mas acredito que tudo acontece por um motivo. Cada pedra no nosso caminho é um desafio para fazer melhor ainda. Se tudo der certo sempre, a gente não tenta ser melhor e fazer melhor. Fracassos acontecem em todo negócio. Tem que enfrentar como uma oportunidade. Eu vivo a vida assim – falo que quero fazer isso ou aquilo e ouço que é impossível, que sou louca, que não vai dar certo. Eu insisto e insisto e muitas vezes não é que dá certo!? Às vezes não dá certo, mas pelo menos eu tentei.

BPM: Que dicas você daria para uma empreendedora que está começando agora?

Claudia – Nossa! Tenho muitas dicas:

  1. Pense bastante antes de investir seu dinheiro.
  2. Estude bem o mercado.
  3. Comece pequeno. Não existe começar grande.
  4. Encontre sua paixão – isso é o mais importante: ter paixão pelo que faz. Meu pai sempre fala “se você faz o que ama, não parece trabalho”.
  5. Tudo nessa vida tem momentos difíceis. Não vai ser fácil.
  6. Respeite as pessoas. Lembre-se sempre que a vida é um quebra-cabeça. E cada pessoa que você encontra é, ou pode ser, uma pecinha do seu quebra-cabeça. Cada pessoa é importante. Todo mundo é importante.

BPM: Última pergunta – Quer mandar um beijo para quem?

Claudia – (Risos) Nossa, para muitas pessoas, mas em especial para minha mãe e meu pai. (Mais Risos)

Conheça mais sobre a Claudia e seus “designs” no site dela – Cláudia Lobão.

Até a próxima, pessoal!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui