EUA – Melhores de 2016

0
418
Não resisti esse boneco do Papa! (Acervo pessoal)
Advertisement

Em janeiro, como de costume na nossa empresa, fazemos uma retrospectiva das melhores e piores coisas que fizemos no ano. A finalidade é sempre fazer melhor, atrair gente boa e eliminar tarefas que tomaram nosso tempo e não geraram os resultados esperados. É sempre uma reunião descontraída e gostosa, com cada um lembrando das lições aprendidas e comemorando nossas conquistas ao longo do ano.

Você também pode fazer essa restrospectiva para qualquer área da sua vida – família, trabalho, amizades (ou inimizades), etc.

Como o jornal já está cheio das piores notícias do ano, quero atrair só positividade para 2017. Portanto, vamos falar só de algumas das melhores de 2016!

1. Olimpíadas Rio

Não posso negar que era difícil encarar a especulação e sensacionalismo da mídia quanto ao potencial das Olimpíadas no Rio. Tanta dúvida quanto a nossa habilidade de hospedar uma festança, que até eu questionei. Quando visitei o Rio em novembro de 2015, achei a cidade bonita, mais limpa, mais segura. Fiquei felizona, com o coração cheio de orgulho.

No dia da abertura, chamamos uns amigos gringos para assistirem conosco em casa. Eu estava até nervosa esse dia. Será que vamos dar vexame? Estão prontos? Vai sair legal? E então? Minha gente, que espetáculo que foi a abertura! Orgulho puro de ser brasileira. Resultado: minhas visitas gringas curtindo e eu chorando de emoção.

Depois disso, tudo parece que ocorreu relativamente bem! Adorei ver o Brasil unido e feliz. O feedback, ou os comentários, aqui nos EUA foi fantástico. Acho que tem americano que nunca tinha visto tanto do Rio. Eles ficaram impressionados com a geografia, com as praias, as comidas, cultura, as sungas, os biquínis. Tudo muito do nosso jeitinho – bem Brasil. Parabéns, Brasil! Foi lindo e vai deixar saudades.

2. Papa Francisco

Esse Papa está dando show de bola, não é? Gente, que Papa fofo. Não sou católica, fui criada na Igreja Batista – não que isso importe. Estou adorando o exemplo que ele está dando, as mensagens que dá. A impressão que deixa é que ele é um homem justo e sábio. Não é super liberal, mas também parece entender que estamos vivendo em 2017 e não na época de Cristo. Ele entende e não se acanha de falar o que pensa sobre tudo – religiões, guerra, política, sexualidade, mulheres, meio ambiente.

Aqui seguem algumas das opiniões do Papa que me fazem aplaudi-lo:

• “Na igreja, a mulher é mais importante que os bispos e os padres.”
• “Eu gosto quando alguém me diz ‘eu não concordo.’ Isso é um verdadeiro colaborador. Quando dizem ‘oh, que incrível, que incrível, que incrível,’ isso não ajuda.”
• “Um pessoa me perguntou, de forma um pouco provocativa, se aprovo homossexuais. Eu respondi com outra pergunta: ‘Diga-me: quando Deus olha para a pessoa que é gay, acha que ele aprova a existência dessa pessoa com amor, ou acha que ele rejeita e condena essa pessoa?’ Nós temos que considerar a pessoa.”
• “Clamo por um empenho responsável e corajoso para redirecionarmos nossos passos e para tentarmos desfazer os mais sérios efeitos na deterioração ambiental causados por atividades humanas.”
Confira mais opiniões legais aqui.

A compaixão dele é visível. Espero que continue por muitos anos inspirando nossa raça. Que Papa legal!

3. Imposto no saco plástico

Quem não tem 1 bilhão de sacos plásticos de supermercado enfurnado em tudo quanto é canto da sua dispensa? Vários estados e cidades do EUA adotaram e continuam adotando a proibição ou imposto nos sacos plásticos.

Em Houston, essa febre ainda não se espalhou em forma de lei. Mas, é claro, se vê o comprador mais ciente trazendo as sacolas recicláveis de casa. Já em outras cidades do Texas, como Austin, desde 2013 é completamente proibido um local de comércio dar ou vender sacolas de plástico a seus clientes. Nesse site, você consegue encontrar outros estados dos EUA e ver como a lei está se desenvolvendo por lá.

E a notícia boa, qual é? Um estudo de setembro de 2016, na Grã Bretanha, que foi organizado pelo Marine Conservation Society, prova que esse empenho está sendo bem sucedido. O estudo concluiu que desde 2011, quando eles implementaram um imposto de 5 pences por saco plástico na Grã Bretanha, nas praias foram encontrados 40% menos sacos plásticos (numa área de 100 metros quadrados). Quarenta por cento, gente, é muita coisa! Leia mais clicando aqui.

4. Gente como a gente fazendo coisa boa

E tem muita gente normal, tipo nós mesmos, fazendo coisa boa por aí. Que mais de nós sigamos os exemplos dessas crianças:

• Drew Frank, do Texas, se identifica como “sneakerhead,” uma pessoa que coleciona tênis como hobby. Em novembro de 2016, comemorou sua Bar Mitzah e, na festa, arrecadou 25 mil dólares. O que o Drew fez com esse dinheiro? Comprou tênis para 800 crianças carentes! Demais, Drew! Amei! Leia mais da história do Drew aqui.

• Kenneth Smith, do estado do Missouri, perdeu a esposa para o câncer e, por um ano, vendia galhos de árvores para começar o fogo na lareira. Jessica Pittman postou no Facebook para que moradores da redondeza apoiassem o Kenneth, comprando seu maço de galhinhos por $5 Dólares. Vendo o “post” da Jessica no Facebook, a filha do Kenneth fez uma página no site gofundme.com. Resultado: em 9 days foram doados 105 mil dólares para ajudar o Kenneth a pagar as contas médicas deixadas por Helen. Quanto amor! História completa aqui.

Eu poderia escrever um livro sobre as melhores de 2016. Tanta coisa boa aconteceu. Vamos focar no bom e no positivo em 2017!

Em 2015 fiz uma coisa muito legal – toda semana escrevia num papel um motivo por eu estar grata. Fui colocando todos os papeis numa jarrinha. No fim do ano, li todos os papeis e adorei relembrar todos aqueles momentos – grandes ou pequenos. Tente só! Não vai se arrepender depois lendo suas fofurices de 2017.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui