Golpes virtuais contra mulheres

6
713
Foto: pixabay
Advertisement

Como todos sabem, criminosos estão em qualquer país e em qualquer ambiente. Os tipos de crimes são vários e vítimas também. Os criminosos e vítimas às quais vou me referir nesse texto são supostos homens apaixonados e mulheres (teoricamente) vulneráveis no mundo virtual. Já ouviram falar dos “scammers”? Golpes virtuais contra mulheres? Eu não conhecia essa realidade até ter sido “escolhida” como uma potencial vítima.

Em poucas palavras, um scammer é uma pessoa que aplica golpes financeiros, nesses casos específicos, um homem que rouba mulheres. Como? Ele faz com que a mulher se apaixone perdidamente por ele até chegar ao ponto de tirar muito dinheiro dela. Tudo começa na telinha de um computador ou aplicativo…

Como isso acontece e como eu tive conhecimento de tudo? Vou descrever a realidade que descobri e, paralelamente, como uma parte disso aconteceu comigo em um período de 24 horas.

O “cara” (ainda não tinha nome de scammer pra mim) te acha no facebook ou sites de relacionamentos onde começa uma conversa super amigável, mas logo pede para ir para algum aplicativo, como whatsaap ou hangouts. Isso facilita seu “trabalho” porque corre menos riscos de depois ser identificado. O mundo virtual é perfeito pra ele porque ele pesquisa os perfis das mulheres. Não é nessas páginas que nos expomos tanto no mundo moderno?
A minha experiência começou no facebook e, em seguida, passou para o hangouts. Fui encontrada no perfil do facebook no qual divulgo meu trabalho e interajo com pessoas que estão aprendendo ou ensinam algum idioma. Costumo responder a todas as pessoas que pedem minha ajuda, querem tirar dúvidas ou conversar a respeito das aulas e o Chile, país onde moro. Com ele, minha atenção não foi diferente. Foi super simpático e aproveitei pra praticar inglês. Segundo seu perfil – falso, claro – , ele era americano.

Depois de passadas algumas informações básicas, entre elas sua descrição cheia de qualidades, ele começa a se mostrar fragilizado por alguma coisa ruim que lhe passou. No caso do “meu scammer”, seus pais tinham falecido um ano atrás e sua namorada o tinha traído pouco antes de que ele se mudara para Kabul, Afeganistão, a trabalho (exército dos EUA). Aí a estória já começou a ficar meio “hollywoodiana” pra mim.

Em seguida, começam os flertes por parte do scammer. Minhas fotos do facebook são elogiadas, assim como minha pessoa, mesmo sem nunca ter me visto na vida ou saber nada a meu respeito, porque não lhe contei NADA pessoal. Felizmente, o meu facebook revela o suficiente para qualquer um que o visite; profissão, cidade onde moro e algumas coisas da minha rotina que não me comprometem.

Próximo passo é usar palavras doces e frases poéticas. Ele começou a revezar entre uma conversa normal e parágrafos com declarações de um homem apaixonado. Disse que queria uma relação seria quando voltasse para os EUA e que tinha certeza que eu era a mulher que ele estava buscando. Sim! Em menos de 24 horas eu já tinha me tornado a mãe dos seus filhos!!! Comecei a ser irônica, a questioná-lo, alfinetá-lo, pressioná-lo, mas ele não desistia.

Como descobri o scammer

Felizmente, por falar mais de um idioma, por ler muito e escrever, consigo reconhecer uma escrita falsa. Joguei algumas linhas escritas por ele no google e …”bingo”. As frases românticas já tinham sido escritas por outros scammers. Joguei seu nome no google e era o mesmo nome de alguns famosos. Os lindos versos que me escreveu me levaram diretamente a um site que desmascara esses bandidos. Foi exatamente quando descobri essa “profissão”. Sim, são verdadeiros profissionais. É um emprego em várias partes do mundo. A Nigéria, inclusive, é conhecida por ter scammers muito bem de vida e vistos com respeito. Antes já era óbvio pra mim que aquilo não era real, mas eu não tinha certeza do objetivo dele, da razão que o fazia mentir tanto. Um sádico? Um psicopata? Simplesmente um retardado querendo me fazer de idiota?

Depois de ter encontrado essa primeira referência, continuei pesquisando muito.
Aquela situação me irritou e me instigou de tal forma que ainda troquei mais algumas palavras com o cidadão pra ver até onde ele iria, que golpe tentaria aplicar. Eu tinha a consciência que estava lidando com um bandido, mas, também, que ele não teria como me fazer nada porque nunca saberia mais a meu respeito do que todo mundo já sabe pelas redes sociais. Por alguns minutos baixou o Sherlock Homes em mim. Em seguida, baixou algum espírito justiceiro quase assassino, porque a raiva me possuiu. Finalmente, baixou a colunista do BPM consciente que o único que poderia fazer diante dessa situação era informar e, consequentemente, alertar o máximo de mulheres que eu pudesse. Então, bloqueei a pessoa no facebook e hangouts e comecei a escrever esse texto.

Como me senti? Extremamente invadida e uma idiota. Invadida porque tive uma pessoa fuçando meu facebook “me escolhendo” como vítima. Idiota porque fui atenciosa e amigável como costumo ser com qualquer pessoa que me procura de forma educada e também amigável. Me senti muito mal descobrindo outra classe de gente ruim no mundo.

Afinal, qual é o golpe?

Scammer e vítima se tornam namorados apaixonados virtuais, e existe tamanha intimidade e confiança entre eles que a mulher, em algum momento, chega a abrir a carteira ou sua conta bancária pra ele; lhe envia muito dinheiro pra alguma necessidade ou compra algo de muito valor pra ele.

O mais aterrorizante é que o golpe não é só no bolso, é na alma. Essas mulheres já estão completamente apaixonadas no momento que descobrem que foram enganadas. Acredito, inclusive, que o rombo financeiro deixe uma marca menos grave que a psicológica. Eu fui apenas uma escolhida, mas a grande maioria é, de fato, vítima. O mundo virtual é uma arma potente no mundo atual, mas é uma faca de dois gumes.

Mulheres, perfis de facebook de homens perfeitos e sem interação de outras pessoas são falsos, com identidades roubadas de outras pessoas. Tenham muito cuidado com os sites de relacionamento, investiguem a pessoa. Google é aliado dos bandidos quando nos encontram, mas também é nosso para pesquisar. Esses são os dois lugares preferidos dos scammers porque, supostamente, estão as mulheres carentes e, por isso, vulneráveis. O assunto é seríssimo, mas rindo da minha própria desgraça… tenho cara de mulher carente pra ter sido escolhida como vítima do golpe? Fiquei preocupada…

VÍTIMAS

É certo que bandidos agem em qualquer lugar e atacam qualquer pessoa, mas as mulheres ainda são as maiores vítimas de crimes virtuais – scammers – e físicos – roubos , estupros ou qualquer tipo de violência física.

Meu tipo de trabalho me possibilita ter um bom faro. Tenho certas iniciativas que a maioria não teria, como fuçar perfil, desconfiar da forma de se comunicar, desconfiar do idioma nativo que diz ter, reconhecer textos escritos por outras pessoas ou, pelo menos, desconfiar que sejam. Mas não julguemos com crueldade as mulheres que caem nesses golpes, porque a realidade em que cada uma vive é diferente da minha e da sua, caso ache que nunca seria vítima. Eu, pelas razões já citadas, fui capaz de desconfiar, encontrar todos os indícios e ter a certeza de um golpe, mas nem todas podem. Ninguém é vítima de um crime porque quer. Julgar não ajuda ninguém, por isso, nos cabe disseminar a verdade para alertar. Nos cabe, caso não seja possível evitar, dar suporte. Esse é o nosso papel.

Páginas com informações a respeito:
ScamWarners (inglês)
Histórias de vítimas (inglês)
Mais informações (português)

Compartilhe
Texto anteriorCasamento civil na Bélgica
Próximo textoCinco motivos para NÃO morar no Quênia

Gislaine é natural de Santos, mas com sangue nordestino na veia, região calorosa onde morou quase metade da sua vida. Professora de inglês desde sempre, de espanhol para brasileiros e português para estrangeiros desde que chegou em Santiago do Chile, onde mora há 6 anos. Amante dos idiomas e diversidades culturais, tem como objetivo de vida compartilhar conhecimento e aprender todos os dias. Além dos idiomas que ensina, estudou italiano (louca para conhecer a Itália) e quer estudar mais línguas e conhecer outros países. Recentemente, teve algumas paixões despertadas; a leitura e a escrita. Paralelamente, duas
qualidades reacendidas; criatividade e desprendimento. Daí surgiu a iniciativa de criar seu próprio blog, canal e lançar-se no BPM.

6 Comentários

  1. Ouvi dizer que há pouco tempo tinha um scammer brasileiro em Santiago aplicando vários golpes. Também escolhia mulheres, saía com elas, mostrava-se rico e buena onda. Criava uma confiança para depois inventar uma história e tirar dinheiro delas.
    Essas coisas acontecem mais do que a gente imagina.

    • Oi, Nathalia. Também ouvi algo a respeito de um bandido desses que andava rondando por aqui. Pela internet é ainda mais impressionante porque a vítima se sente ainda mais a vontade pra se abrir e o bandido pra ser outra pessoa. Assustador! Realmente me coloco no lugar das mulheres que caem nos golpes. É um estrago financeiro e emocional gigante.

  2. Olá Gislaine, sou sua colega do BPM. Parabéns pelo texto e pela inteligência emocional que demonstrou. Utilizou-se de uma má experiência e a transformou em algo positivo como um texto destes de alerta para outras mulheres (e homens). Os golpistas estão à solta e na internet se escondem feito ratos.

    • Oi, Karina. Confesso que minha inteligencia emocional levou uns dois dias pra me visitar kkkkk me senti muito mal, muito invadida. Foi tanta a energia ruim que captei que cheguei a me sentir mal fisicamente. A maravilha de escrever é poder botar a boca no trombone. Me surpeendi com o fato de que eu, macaca velha, dei trela no inicio por acreditar que era um ser humano normal do outro lado. Em seguida, me horrorizou ter conhecimento de que taaaaaaantas mulheres realmente seguem adiante e são vítimas. Muito assustador e triste.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui