MODA – Street style, a moda de rua na China

3
507
Advertisement

Se formos falar das diferenças culturais entre Brasil e China poderíamos ficar horas e horas debatendo. E estas diferenças não ficam só na questão de comportamento, hábitos, culinária, estilo de vida e tantas outras que a Christine já comentou por aqui, mas também no vestuário.

Eu sempre fui uma pessoa muito observadora. Sabe aquela frase: “Deus deu aos homens dois ouvidos, dois olhos e uma boca, que é para escutar e enxergar duas vezes mais do que falar”? Combina perfeitamente comigo. E como a moda é a minha praia, eu gosto de observar cada estilo, cada detalhe que compõe o look das pessoas do lugar onde estou.

No meu post de estreia no blog Brasileiras pelo Mundo, quero falar um pouco sobre o street style chinês, compartilhar a minha percepção da moda de rua, o estilo de se vestir que eu vejo, quase que diariamente, pelas ruas da minha cidade e que você, provavelmente, verá quando vier à China, a começar pelo o que mais me chamou a atenção quando cheguei ao país: o comprimento das saias, vestidos e shorts. Tudo mini! Mais do que isso, micro!

Tem meninas que usam roupas tão curtas, que dão a impressão de que se levantarem um pouco o braço, vão deixar a lingerie à mostra. Se isso chama a atenção? Acho que só de nós ocidentais, que não estamos acostumados. Os chineses nem olham e tampouco consideram vulgar ou sexy. O comprimento das peças é tão irrelevante, que as jovens usam roupa curta até no ambiente de trabalho. Portanto, não se assuste se você estiver em um restaurante bem conceituado e for atendido por uma garçonete chinesa de minissaia.

Em contrapartida, o colo raramente fica à mostra. Os modelos de roupa com gola arredondada e fechados até o pescoço são os favoritos das chinesas.

Reparou na gola do vestido das meninas à direita na foto abaixo? É bem assim! Algumas até “ousam” usar tomara que caia, mas é difícil ver as mulheres usando decote. Esse estilo já é considerado sexy demais para os padrões culturais chineses. Percebi isso quando saí, algumas vezes, de tomara que caia e decote (nada muito ousado, ao meu ver) e escutei algumas amigas chinesas falando “uhh, que sexy!”

 

As jovens também adoram usar saia rodada com a cintura marcada, um estilo meio anos 50, meio girlie, o que eu até acho bem fofo. E nos pés, os saltos, quase sempre, são plataforma.

estilo chinesas.

 

 

Já nos dias frios, a produção ganha toques mais elegantes (os looks de inverno sempre são mais chiques, não é!?). Os casacos de lã até podem ter uns detalhes com brilho ou plumas, mas normalmente são básicos, com corte reto, bolso nas laterais e estilo minimalista. As vezes até parece que estão usando um número maior do que o seu, mas na verdade, é o estilo largo do casaco.

Sabe aqueles modelos com cinto ou pregas na cintura que deixam a silhueta bem feminina? Dificilmente você verá por aqui, nem mesmo à venda nas lojas nacionais. E nem mesmo no inverno as chinesas abandonam os shortinhos curtos, mas agora eles são combinados com meia-calça, fina ou grossa. Aliás, tenho a impressão de que se perguntarem às chinesas o que elas preferem – saia ou calça – a resposta sempre será saia. Me parece que elas ainda não se renderam ao conforto e praticidade da boa e velha calça jeans. As mais moderninhas, de repente…

Casaco vitrine Lily China.

Casaco lã Lily China

meia longa com short.

Claro que não dá para padronizar o estilo das chinesas, afinal, estamos falando de um país super populoso, com uma enorme miscigenação de culturas, estilos e comportamentos. Aqui também tem as fashionistas, que são antenadas na moda internacional e só usam as tendências do momento. Mas certos tipos de vestuário são constantes pelas ruas da China, bem característicos e me chamam a atenção por serem muito diferentes do street style que estamos acostumados a ver no Brasil.

Para finalizar, independentemente do estilo em destaque, sinto que a moda de rua na China é multicultural, não tem certo, nem errado, não é oito, nem oitenta.

Nada de ditadura de moda. Nada de julgamentos. Você pode se sentir livre para vestir o que bem entender. E juro, é assim que me sinto toda vez que saio de casa…

Compartilhe
Texto anteriorDez curiosidades sobre a Polônia
Próximo textoO choque cultural ao contrário

Evelyn é gaúcha, formada em Publicidade e Propaganda e apaixonada por moda. Deixou o Rio Grande do Sul e o trabalho na área de Marketing de Moda para se aventurar pela China, junto com o noivo, piloto de avião. Ama viajar, conhecer novos lugares, ter a experiência de morar fora e, mais recentemente, descobriu a paixão pela escrita. Atualmente, se divide entre o blog China Chic, as aulas de mandarim e as viagens pela Ásia e mundo afora. Acompanhe suas aventuras pelo instagram @chinachic

3 Comentários

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui