O jeito é dar uma fugidinha para Bahrein

32
2161
A ponte de 25 km que liga Bahrein à Arábia Saudita - King Fahd Causeway
Advertisement

A aproximadamente 30 minutos de carro de onde moramos hoje aqui na Arábia Saudita estamos em outro território, conhecido como o Reino de Bahrein. Esse pequenino país, famoso pelo mundial de Fórmula 1 e que atrai muitos turistas e torcedores todos os anos, é a válvula de escape de vários expatriados que vivem em Saudi.

Conectando Bahrein à Arábia Saudita existe uma ponte de 25 km, chamada King Fahd Causeway. A ponte foi aberta ao público em 1986 e desde então é o destino de muitos expatriados (e Sauditas também), durante os finais de semana e feriados – ou sempre que aparece uma brechinha.

Mas o que Bahrein tem que a Arábia Saudita não tem? Hum… muita coisa. Falando por mim, vou confessar que (como boa carioca que sou…), todas as vezes que cruzo a ponte e chego em Bahrein não resisto e canto (muito animada), aquele samba enredo, merecidamente campeão de 1989 da querida Imperatriz Leopoldinense: “Liberdade, liberdade abre as asas sobre nós…” Cantar esse samba já virou até tradição quando chego em Bahrein. E assim que entro nos shoppings, a verdade é que quase entro sambando e cantando de tanta alegria… (agora imagina a cena… só imaginem mesmo, porque eu me controlo muito, ok?)

Bahrein World Trade Center - um dos símbolos do país
Bahrein World Trade Center – um dos símbolos de Bahrein

Brincadeiras à parte, a sensação que Bahrein, apesar de estar tão pertinho de onde vivemos hoje, é de muita liberdade sim. Pra começar, em Bahrein posso esquecer a abaya (aquele vestidão preto que cobre completamente os braços e as pernas, e que todas as mulheres são obrigadas a vestir aqui em Saudi). Continuamos a ver algumas mais tradicionais, com os seus cabelos e rostos totalmente cobertos, mas esse clima um pouco mais “descontraído” no visual, nos dá um certo alívio, afinal você e as outras mulheres podem vestir o que quiser – sempre respeitando a cultura local, claro.

No mais, em Bahrein podemos aproveitar atividades simples, que acredito que você mesmo pode usufruir na sua cidade, mas que na Arábia Saudita não são permitidas, ou não estão disponíveis, como por exemplo: ir ao cinema, ao teatro, tomar uma taça de vinho, beber uma cervejinha bem gelada, comer uma deliciosa costelinha de porco, assistir a um show do seu cantor preferido. É claro que eu fico muito feliz quando tenho a oportunidade de apreciar cada um desses privilégios que (a vida), e Bahrein oferecem.

Muitas famílias e também os que estão aqui sem as famílias, buscam essa liberdade, e o ambiente mais “relax” de Bahrein nos finais de semana. Temos amigos, por exemplo, que as vezes decidem ir à Bahrein somente para jantar, aproveitar a sua noite e voltar para casa em Saudi.

Outro ponto muito simples para nós, meninas, mas que em Saudi não é permitido, são os provadores de roupas nas lojas da Arábia Saudita – pasmem! Por diversas vezes tenho que comprar uma roupa, sair da loja, ir ao banheiro provar e se não ficar bom, tenho que voltar na loja para trocar, ou pedir o meu dinheiro de volta. Como na Arábia Saudita o comércio fecha 5 vezes ao dia para o cumprimento das orações muçulmanas, muitas vezes não dá tempo de ir no banheiro provar a roupa e encontrar a loja aberta, e então eu preciso levar a compra e provar quando chego em casa. Já aconteceu de eu ter que trocar uma roupa 4 vezes, porque nada serviu em mim – e precisei ir 4 vezes ao shopping. Pensa num ser humano p. da vida! Esse trabalhão não existe em Bahrein, pois assim como qualquer outro lugar no mundo, Bahrein tem provadores de roupas – onde podemos ficar horas e horas até encontrar a roupa perfeita.

E continuando com o assunto do meu último artigo aqui no Brasileiras pelo Mundo, em Bahrein as mulheres podem dirigir. Livres, leves e soltas – isso tudo apenas 30 minutos das restrições da Arábia Saudita, dá para acreditar? Me dá uma satisfação muito grande em ver não somente as expatriadas dirigindo, mas também as árabes, que independente de seus cabelos e rostos cobertos, tem o seu direito de ir e vir garantido.

Muitos expatriados trabalham na Arábia Saudita e moram em Bahrein, cruzando a ponte todos os dias. Como todo mundo quer “a liberdade” e esse monte de gente se encontra nos horários de rush (e aí também sem esquecer dos finais de semana e feriados), nesse período, se leva muito mais do que meia hora para cruzar a ponte. Eu por exemplo, já levei 4 horas dentro do carro para cruzar a ponte (que normalmente leva 30 minutos) – nada agradável, né? Mas, para os corajosos, essa liberdade que Bahrein oferece não tem preço e eles aceitam encarar o trânsito nos horários de “rush” da causaway.

Para todos que me perguntam, como é Bahrein costumo dizer que é uma “mini Dubai”. Tem de tudo, bem tranquilo: grandes empresas, lojas, hospitais, escolas, museus, ótimos restaurantes, belas praias e lazer para todos os gostos. O Bahrenis são muito acolhedores e simpáticos (quando sabem que somos Brasileiros sempre brincam com o nosso futebol).

E você, tem vontade de conhecer Bahrein? Já visitou ou morou em Bahrein? Tem perguntas ou dicas para dividir? Gostaria muito de ouvir a sua história, comente compartilhando conosco aqui.

32 Comentários

  1. Muito interessante seu texto, e que bom que vc descobriu uma forma de ter um pouco mais de liberdade por aí. Só fiquei pensando,c omo funciona isso na prática? Tipo, alguém (homem) dirige o carro para vc até a fronteira, e quadno vc já cruzou, vc pega a direção, tira a abaya no carro? Na volta, vc faz tudo de novo ao contrário?

  2. Carla, adorei saber sobre um pouquinho da sua rotina! Eu tenho tanta vontade de viver como você, você não faz ideia!
    Eu imagino que você deva passar por alguns perrengues as vezes mas eu adoraria ter essa experiência.
    Meu parabéns, você é uma mulher muito corajosa e eu te admiro!
    Desde de que comecei a estudar arabe, me apaixonei pela “Saudi” como você diz, apesar de tantas regras e restrições eu creio que morar aí seria uma grande aventura. Estou tentando loucamente uma bolsa de estudos em Jeddah, mas tenho muitas dificuldades falta de ajuda e informações, o que é uma pena 🙁
    Mas enfim, parabéns pelo blog, pelo texto e por tudo mais! Felicidades!!!l.

    • Oi Flavia,
      Que comentário mais bacana de se ler, muito obrigada. Uau, você estuda arábe, que barato! Não é uma lingua muito fácil de aprender, mas creio que deva abrir muitas oportunidades, uma vez que se domina o idioma. Quanto aos perrengues são muitos sim, com certeza! Lá no CariocaTravelando.com tem vários episódios com os nossos apertos, depois dá uma olhada lá. Um grande abraço 🙂

  3. Ola Carla! Voce ‘e linda e me comove ver a sua disponibilidade em aceitar as adversidades que os costumes do pais te impoe! Nao ‘e facil me convencer a ler um texto, mas o seu me cativou pelas curisosidades que tenho sobre lugares desconhecidos para mim! Gostaria muito de saber como ‘e sua rotina no dia a dia na sua casa e tambem como foi parar ai? Forte abraço! Shirlëne

    • Oi Shirlene, adorei o seu comentário, muito obrigada! Fico muito feliz que tenha curtido o texto. Quanto a rotina, eu conto mais sobre a vida por aqui lá no CariocaTravelando.com dá uma olhada lá quando puder. Um beijo grande 🙂

  4. Oi Carla,

    Adorei seu post e gostaria de acrescentar que a admiro por conseguir ver o lado bom daí.

    Confesso que não acredito que me acostumaria com tantas restrições. Porém adoraria ver de perto isso tudo, quem sabe eu não mude de ideia.

    Beijocas.

  5. Carla querida que materia show adorei …
    Realmente o bahrein e encantador me lembro quando cheguei aqui me lembrei muito de santos minha cidade natal moraria aqui toda minha vida …
    Quem sabe eu consiga!?
    Querida moro aqui no bahrein a um ano meu filho mustafa nasceu aqui sou mulcumana embora andar de hijab e abaya e comum para mim …
    Eu penso que nem td mundo e obrigado a andar assim!
    Dirrigir e um maximo aqui td de bom embora nao dirija.
    Sou enfermeira morava em sao paulo la dirigir e enviavel o transito caotico e o metro te leva para one vc quizer .
    Um amigo meu medico que nunca dirigiu em toda a vida dle!
    Me encentivou a nao dirigir e eu abraçeia a causa.!poder comer que vc quizer sair gente e tudo .
    Quando vier ao bahrein venha nos vizitar amo estar com meu povo e tao aconchegante e especial .
    Parabens linda materia millll beijinhu

  6. Tudo bem Carla li seu texto e achei super interessante as dicas sobre Barein, realmente Arabia Saudita e Irã tem regimes mais rígidos diferente de Emiratos Árabes, Qatar que são mais permissivos, digamos assim. Um abraço para você e toda sua família

  7. Alo Carla, parabéns pela tua informação sobre Bahrein, ela é muito esclarecedora e muito útil para todos que tem interesse em saber o que realmente acontece por ai!
    Que bom que não estas no Brasil, pois isto aqui não tem futuro para ninguém, e a cada dia que passa fica pior!
    Eu tenho grande interesse em saber das possibilidades de viver ai, e gostaria de trocar mais informações com você e talvez souber de você como posso viabilizar esta minha mudança radical para ai.
    Minha família é composta por cinco pessoas, eu minha esposa e três maravilhosas crianças.
    Não sei como eu deveria proceder para poder ir viver e conseguir um contrato de trabalho, sou arquiteto e tenho larga experiência em projetos e construção, aguardo teus comentários e teu apoio… best regards, Fehlberg.

    • André, a colunista autora desse texto parou de colaborar conosco. Consulte outros textos sobre países árabes e redirecione seus questionamentos para as colunistas desses países para que sua dúvida seja respondida.
      Equipe BPM

  8. Olá, Carla! Estou começando a montar um roteiro de réveillon que inclui Dubai, Doha e o Reino de Bahrein. Gostaríamos de atravessar a ponte e ficar, uns dois dias talvez, na Arábia Saudita. O que tem para se ver e fazer em Az Zahran? Vale a visita? Grande abraço!

    • Olá Mariana!
      A Carla Ferreira parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na Arábia Saudita.
      Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
      Obrigada,
      Edição BPM

  9. Eu me casei em Bahrein com um Suíço há mais de 10 anos. Ele ainda mora lá e eu no Brasil. Você sabe se é possível ele fazer nosso divórcio sem a minha presença? Será que você conseguiria me ajudar de alguma forma ou me indicar um advogado? Meu marido é presidente da Etihad AirWays

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui