O monstro do Lago Ness na Escócia

2
818
Advertisement

Milhares de turistas visitam a Escócia todos os anos, e grande parte deles faz questão de ir até o Lago Ness para, quem sabe, avistar algo suspeito nadando em suas águas. Anualmente, são computados centenas de novos avistamentos. Muitos deles são facilmente identificáveis como sendo focas, troncos ou ondas – as águas do Ness possuem uma corrente interna que às vezes se move na direção contrária da externa, criando uma ilusão de ótica bastante convincente de “corcundas”. Mas muitos outros ficam sem explicação.

Os avistamentos mais convincentes costumam aparecer nos jornais daqui. Lembro de ter achado graça do último que li, um relato de um sujeito que trabalha em uma destilaria de whisky ali perto e, quando estava voltando para casa, diz ter visto o monstro, e bateu uma foto estranha de movimento nas águas. Lembrei, na hora, do guia da excursão que fiz a primeira vez que fui ao Lago Ness, e da resposta que ele me deu quando perguntei o que ele achava da lenda: “Bem, muita gente de confiança relata ter visto algo estranho….mas, você sabe, gente de confiança também bebe whisky….” E a maioria dos escoceses com quem converso sobre o assunto parece ter essa mesma opinião: acreditam desacreditando….

Aliás, para os escoceses, não existe um “monstro” no Lago Ness, e sim uma “monstra”, carinhosamente apelidada de Nessie. Meu filho, de 4 anos, aprendeu na pré-escola do nosso vilarejo que Nessie é muito tímida, e por isso se esconde das pessoas. As professoras mostraram fotos e contaram histórias dos avistamentos mais famosos. Nessie é tão popular que já virou protagonista de filmes, livros, e até de um curta metragem da Disney intitulado “A Balada de Nessie”.

O início da lenda data do século XI, quando São Columba relatou ter salvo um local do monstro, ordenando que ele voltasse às profundezas do Ness. Mas o primeiro relato autenticado de avistamento oficial é de 1880. Um mergulhador profissional foi contratado por uma seguradora para localizar um barco que havia naufragado no lago, e relatou ter visto uma criatura gigante que se assemelhava a um réptil marinho. Ele voltou à superfície branco e apavorado, segundo contam, e ficou tão assustado que se recusou a continuar o trabalho, e nunca mais mergulhou em lugar algum.

Daí em diante os relatos se multiplicaram, e muita gente passou a ir ao Lago procurar Nessie. Muita gente acredita que o monstro seja, na verdade, um plesiossauro, e que os avistamentos ao longo dos anos não são do mesmo monstro, mas dos descendentes do monstro original. Eles teriam escapado da extinção dos dinossauros por serem animais de águas muito profundas. Esse seria também o motivo de os avistamentos serem raros, pois eles viveriam escondidos em profundidades abissais.

Em 1987, foi organizada uma grande pesquisa chamada Operation Deepscan. Vinte e quatro barcos, equipados com equipamentos de sonares, fizeram uma varredura pelo Ness, enviando ondas acústicas até o fundo. No primeiro dia, os cientistas encontraram três objetos estranhos não-identificados, um deles se movendo a uma profundidade de 180 metros. Eles acompanharam esse objeto por cerca de dois minutos, e então ele se moveu para fora do sonar. Todos os três objetos eram maiores que um tubarão mas menores que uma baleia, segundo dados dos sonares. No segundo dia, retomaram a varredura de onde pararam no dia anterior, mas não encontraram nada diferente. Eles voltaram e reescanearam as mesmas áreas onde haviam encontrado os objetos suspeitos, mas não encontraram mais nada.

Operation Deepscan, no Lago Ness. Fonte: The Telegraph.

Estima-se que a operação tenha cobrido 60% da área do Lago (a parte mais profunda), ao longo de dois dias. As pessoas tentam explicar esses três objetos, mas não existem certezas. Alguns acreditam que poderiam ser focas gigantes que teriam entrado no lago através do Canal. O Lago Ness possui ligação com o mar e com outros lagos próximos, pois faz parte do Caledonian Canal, que liga a costa oeste com a leste em uma rede de canais que vão de Fort William a Inverness. Alguns pesquisadores também acham que parte dos avistamentos podem ser salmões gigantes que sobem o Ness para desovar e depois retornam para o mar.

O naturalista Adrian Shine, organizador da Operation Deep Scan e diretor do Projeto Loch Ness & Morar, se dedica, há décadas, a solucionar o mistério, e acredita que o “monstro” possa ser um esturjão do Atlântico, que atingiria um tamanho de até 4 metros de comprimento e poderia, ocasionalmente, vir parar no Ness através dos canais. Mas ele não se arrisca a palpitar sobre os objetos da Operação, pois eram maiores e estavam a uma profundidade superior à da maioria dos habitantes usuais do lago.

É possível que as pesquisas continuem inconclusivas, e parte do encanto de Nessie é justamente esse: não se pode ter certeza a menos que se esvazie o lago. E a ciência não consegue destruir uma lenda facilmente. Ainda mais uma lenda tão antiga, e tão valiosa para a Escócia.

Seja Nessie real ou não, todas essas histórias dão um ar especial ao local, e é irresistível ficar olhando para o lago em busca de algo diferente. Eu já fui várias vezes, mas nunca vi nada suspeito, apesar de ficar sempre de olho…

E você, o que acha? Nessie é real? Qual a sua teoria?

2 Comentários

  1. Oieee,
    Boa tarde,

    Gostaria de ideias marcantes da Escócia q olhe e lembre esse país lindo…e ideias q de para fazer decoração e construir em papelão…

  2. ola, boa noite! Sou Julio Andrade, representante comercial em Fortaleza, nordeste do Brasil. Sempre fui um apaixonado pela Escocia, bem como o que nela despertou minha atençao desde a infancia.
    O Lago Ness e seu famoso monstro, as gaitas de fole, as roupas em xadres vermelho em modelo de saia para os homens e agora recentemente uma mulher cantora de rua e bares em Glosgow,, Amy Belle, que cantou com Rod Stuart em um concerto recente. Foi ouvindo e vendo esse talento singular na minha vida que me aficcionei a conhecer mais sobre essa perola da voz, da presença de palco e sensualidade expressa na voz rouca e pra mim, inesquecivel cena de arte e beleza musical., chamando a conhecer mais sobre os passos, os bares, a cidade onde vive e toca esta moça incrivel que me trouxe a vontade de conhecer e falar ingles e saber mais sobre o sotaque dos moradores de Glosgow.
    Solicito que quem puder me forneça mais informaçoes. Agradeço!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui