Itália – O Sistema Público

9
411
Advertisement

Funciona! Apesar de estarmos em plena crise e de um ano para cà alguns exames demorarem alguns meses para serem marcados, o sistema ainda funciona. E o que eu quero dizer com isso? Que se de emergência acontece algo grave, uma doença ou um acidente, voce terá todo o tratamento que merece nas melhores mãos e aparelhagens. Sem custo de medicinais ou médicos.

Quando voce tem um filho esse jà nasce com o direito ao pediatra de familia. Ou seja, sem custo. As consultas sao mensais durante o primeiro ano inteiro do bebe. Depois passam a ser divididas de 3 em 3 meses e mais à frente voce marca quando achar que tem necessidade.

Obviamente voce encontrarà profissionais que te agradam ou nao, aconteceu comigo e mudei 2x de pediatra até encontrar o atual. Se voce preferir existem os particulares também, que a vantagem està em poder chamà-los no final de semana, o que nao acontece com o pediatra publico, nesse caso voce se direciona ao pronto socorro ou, pode telefonar para a “Guardia Medica” (ambulatòrios abertos 24h),  que tambem oferecem a opcao  do mèdico vir atè sua casa, nao importando o horàrio!

Tudo o que falei acima é a minha experiencia, na regiao norte da Italia. Por exemplo meu parto cesàrio nao teve custo algum, nem com anestesia, mèdicos ou acomodaçao pelas 3 noites no hospital, aonde diferente do Brasil, existem horàrios para visita de 1h ao dia e somente o marido pode ficar presente, mas até as 20h da noite! Dividimos o quarto com mais 2 gestantes, o que é òtimo para companhia, porem conheco pessoas em Milao que ficaram em quartos privados, sempre sem custo algum.

Quanto à educaçao: Se voce precisa colocar seu filho na escolinha antes dos 3 anos, irà pagar por esse serviço. O valor é em base à renda de sua familia. Quanto mais se ganha, mais caro serà e vice-versa. A partir do terceiro ano de idade as escolas sao publicas e posso dizer que estou muito satisfeita com o método de ensino , a aplicaçao das atividades e principalmente, o interesse (as vezes até demais!) das “maestras” em relaçao a cada criança!

Sou representante da classe de meu filho, hoje com 5 anos e vejo a importancia e preocupaçao em manter a escola propìcia ao bom convivio entre as crianças de vàrias faixas de idade (3 a 6 anos) e ainda um bom ambiente, seja externo nos jardins da escola quanto interno, no pàtio onde brincam. Nao se usa uniforme, mas um avental para proteger a roupa da criança na hora das atividades. No caso da escola de meu filho, esse avental é a escola quem fornece e, dividi-se entre as maes o giro de lavagem (em quase 3 anos eu sò trouxe 1x para lavar na maquina em casa). Em outras escolas é necessàrio que a familia compre esse avental, que é vendido até em supermercados, com o custo de 10 euros mais ou menos.

Agora a pergunta que nao quer calar: Por que no Brasil nao poderia também funcionar? E nao falemos em salàrio pois nao pensem que aqui professores ou médicos ganham uma fortuna, estamos em plena crise! Eu acredito que a base disso tudo tenha a ver, obviamente, com a economia mas, principalmente com o que vem sendo criado no Brasil, com a diferença berrante do nivel social entre as pessoas. Por exemplo, aqui na Italia uma pessoa de classe media pode se permitir comer em um excelente restaurante, com pessoas de classe alta e, todos pagarao por um prato de carne o valor justo e nao o absurdo que seria em um restaurante fino no Brasil.

Aqui os conceitos sao antigos, as pessoas quase nao possuem ajudantes domèsticas e nem por isso “enlouquecem”. Voce se adapta depois de algum tempo.

Dependendo da forma como foi criado no Brasil voce ficara de expectador por um tempo até assimilar a nova cultura e, meu amigo, depois que voce se adaptar  se sentirà em casa, na normalidade que antes seria fora da sua realidade.

 

 

 

9 Comentários

  1. Daphne, que otimo saber que apesar da crise mundial que estamos vivendo e sentindo na pele, a Italia esta se segurando e mantendo os servicos importantes. Aqui na Inglaterra, um dos servicos que mais faz falta, falando como mae e o acompanhamento de um pediatra, simplesmente e inexistente no servico publico. Eu, como mae, gostaria muito de que meus filhos fossem acompanhados por um ao inves do medico de familia, que deixa muito a desejar…
    Quanto a nao funcionar no Brasil, acredito que estamos caminhando para la, a classe media brasileira esta comecando a ser chacoalhada, vao deixar de ter empregadas e aos poucos se acostumarao com a vida que levamos aqui fora e que os deixa surpreendidos…as futuras geracoes agradecerao, quando souberem fazer as suas proprias camas e lavar as suas proprias roupas

    🙂

  2. Oi Daphne,

    Eu li seu texto e o achei bem interessante. Vivi na Irlanda e, pelo que me falaram (porque eu nunca testei), o sistema de saúde de lá não funciona muito bem! 😉

    Bom, o que queria comentar é que acredito que essa disparidade exista em culturas sem a estrutura social como a sociedade européia. Estou de acordo 100% contigo quando você fala que qualquer pessoa, independente do que ela faça na vida (se ela é garçom, caixa de banco ou presidente de uma multinacional), tem as possibilidades de frequentar os mesmos restaurantes. Isso é, eles não são elitizados, e, porque a Europa é mais igualitária nesse sentido, adoro viver nesse continente.

    A diferença cultura aqui, nas Filipinas, é imensa. É normal e não é, ao mesmo tempo. Quero dizer, eu vivo uma vida de expatriada, tenho plano de saúde privado e sou atendida nos melhores hospitais. As meninas que trabalham na minha casa não o tem e EUR 20.00 faz muita diferença para elas quando, muitas vezes, esse é o valor que eu gasto em uma noite de sábado (ou muito mais).

    Talvez, para que a sociedade possa ser mais igualitária, a estrutura de governo tenha que ser mais social. E não quero dizer que se tenha que dar todo o dinheiro da classe média para uma população que decidiu não trabalhar, mas em oferecer a todas as pessoas da sociedade o mesmo acesso à informação E formação. E, no futuro, elas que escolham o que querem fazer da vida… E, por essa igualdade, eu ainda gosto muito da sociedade européia e a defendo, com todos os seus defeitos…

  3. Oi meninas!
    Ann : Acho que era hora de acontecer essa “chacoalhada” né. Vivemos là em um mundo quase de ficçao, aonde ,para nao sofrer de bulling as pessoas criam débitos longuissimos para TER algo quase que imposto pela sociedade, ou voce é julgado com outros olhos.
    Que pena que a pediatria nao funcione em Londres, nao imaginava! Muito bom termos a possibilidade desse site para essa troca de informaçoes e conhecimentos!

    Oi Tati! Pois é, enquanto exista essa diferença por algo que “nao se veja” a gente vai levando mas se o governo fizesse por onde dando a possibilidade a todos ,como voce falou, depois o fulano decide o que quer fazer da vida. O que eu nao concordo como filosofia de vida é , como muitos italianos comentam agora em época de crise “anos atràs nao tinhamos possibilidades, o ser humano foi colocado à prova e sobreviveu, entao que mal tem começarmos do zero”. Sei là, no meu ponto de vista seria andar para tràs, imagine uma pessoa com oportunidades mas sem capacidades pensar desse modo?O mundo nao teria evoluçoes, nao é? Mas talvez eu tenha saìdo do contexto para desabafar rs!

    Karla, é verdade, nos dà segurança saber que as coisas funcionam e, cà entre nòs, deveria ser assim desde que o mundo é mundo , nao é verdade?! Deveria ser a normalidade termos a possibilidade, igualmente (em todas as classes sociais) , de havermos direito a eduçao, saùde e sistema publico.

    Obrigada pelos comentàrios meninas!
    Bjs!

  4. Interessante, naturalmente vivendo na Suiça, a gente sempre se questiona como andam as coisas nos paises do Sul da Europa, que sao os que mais apresentam dificuldades de sair da crise mundial. A Italia, tao conhecida pela corrupçao, e mafia, eu nao imaginaria que funcionasse tao bem assim o sistema publico. Fico feliz de saber que funciona e funciona bem! Quanto as disparidades entre classes sociais de paises em desenvolvimento e paises subdesenvolvidos, é realmente um problema enorme. Mas a previsao é de que em 10 anos estaremos mais ou menos ajustados, Estava lendo o “World Competitiveness Yearbook” Summary 2013 que é feito pela IMD, uma dos top centros de estudos e top management do Mundo. Eu fico feliz de imaginar que estas diferenças sociais serao amenizadas em varios paises, mas mesmo com previsao, eu tenho la as minhas duvidas, quando ser que as pessoas que vivem bem vao aceitar ser parte da massa e ano parte de uma elite! O caminho ainda é arduo até chegarmos la! Bem otimo texto Daphne. Gostei muito! 🙂

    • Oi Ana,

      Adorei saber essa informação, que o mundo estará mais ou menos ajustado em dez anos. O problema é que sempre vão existir pessoas com pensamentos mesquinhos, de que para um ter, o outro precisa ter… Acho que, talvez, as mudanças tenham que começar com a troca de idéia (de que o universo tem recursos infinitos, para todos) e, mudar idéias, é uma coisa muito difícil… Eu vejo por mim! 😉

      Um beijo!

  5. Acabei de achar esse blog e achei muito interessante. Morei na Inglaterra por 30 anos e estou meio que morando no Brasil agora e estou estranhando muita coisa, entao adaptacao realmente e dificil, tanto em um pais novo, como voltando pro seu depois de tantos anos. Sinto uma falta imensa de minah vida na Inglaterra e do sistema de vida, incluindo o sistema de saude. Nao acho essencial uma familia ter pediatra, etc, etc desde que o clinico geral seja bom e, no caso da Inglaterra, um clinico geral e muito mais do que um simples medico porque o uso de especialistas e raro, so quando alguma doenca especifica e identificada e que ha o encaminahmento. Acho que os brasileiros que estao acostumados com planos de saude e que procuram especialistas para qualquer dor de cabeca, acham dificil se acostumar com isso. Enfim, tneho certeza de que me enquadrarei no Brasil de novo, mas, vai levar tempo.

  6. Oi Ana Cristina, entao, meu texto é a respeito da regiao aonde eu moro, norte da Italia(Mantova) ,dizem que là para o sul as coisas estao mais difìceis. A mafia diminuiu muito apòs o governo de Berlusconi(serà ele o grande mafioso?!rs). Mas realmente estou satisfeita dos serviços oferecido por aqui. Realmente a diferença nas classes sociais é o grande fator para a sociedade viver de forma mais saudàvel e nao vejo soluçao à curto prazo, infelizmente.

    Pois é Tati, o seu comentàrio acaba batendo com o comentàrio da leitora Vera, que o dificil é mudar a mentalidade, quando estamos acostumados à uma sociedade é quase regra que seja assim e acabamos aceitando por comodidade, o que é errado e gera tanta insatisfaçao. Pois como a Vera comentou, o brasileiro està acostumado aos planos de saùde, o que é uma vergonha ,pois ,se ainda funcionasse de forma decente…nem isso ultimamente funciona. A pesso se ve obrigada a fazer parte de uma empresa desse ramo para ter bom atendimento, visto que o publico ,oferecido pelo governo deixa a desejar. Mas, quando acontece algo de importante(para nao dizer grave) é como se toda a grana que voce tivesse investido no tal plano de saùde nao servisse a nada, visto que muitas vezes voce fica numa fila de espera e ainda sai com o diagnòstico errado!
    O negòcio é esperar para que as coisas mudem para melhor, um dia…quem sabe a geraçao de nossos filhos, jà que a nossa nao foi capaz?

    bjs! E Vera, obrigada por nos visitar, volte sempre , é um prazer trocar idéias com novos leitores!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui