Opções de creches e cuidadores de crianças na Inglaterra

6
475
Fonte: Pixabay
Advertisement

Na Inglaterra trabalhar fora e deixar o bebê aos cuidados de alguém ou alguma instituição é bem caro! Pois, é à partir dos 3 anos que a criança tem direito à 15 ou 30 horas semanais, dependendo da faixa social (podendo ser um pouco antes desta idade, pois existem programas governamentais que podem conceder alguma ajuda de custo, porém é  necessário que a família se encaixe em uma série de critérios – vide site do governo e explicações logo abaixo).

Sem contar as dúvidas para escolher a melhor opção. Logo vêm as questões: Será que estou fazendo o melhor? Como conciliar o preço com a qualidade? Meu filho vai se adaptar? Como confiar na opção escolhida?

É bem difícil mesmo esta decisão, além de ser bem impactante para os pais e para os pequenos. Aquele bebezinho que passava tanto tempo junto da família agora vai enfrentar seu primeiro desafio fora, sendo cuidado por terceiros.

Então quais são as opções e a diferença entre elas?

Nursery ou Daycare – Seria o berçário ou creche, sendo part time ou full time (parte do dia ou o dia todo). Às vezes, um dos pais trabalha por meio horário e é possível deixar o bebê durante este meio período. O preço e o estilo é bem variado, sendo que é possível escolher pela linha pedagógica: Montessori, Waldorf, Convencional ou até pelo estilo de vida: vegetariana, vegana, bilíngue e muito mais – O preço médio no caso de Londres seria algo em torno de £250 semanal, para o dia todo. Mas, em minhas pesquisas já encontrei preços bem mais altos. Os valores variam também de acordo com a região e obviamente com a qualidade, linha pedagógica oferecida, entre outros itens.  

Childminder – São pessoas devidamente regulamentadas pelo governo e inspecionadas que e podem ter cursos na área de educação e cuidam de crianças em suas casas. Para nós brasileiros pode ser algo incomum, mas aqui é muito normal e é visto como um trabalho sério. O cuidador prepara sua casa de modo a receber um número específico de crianças. Alguns dão desconto para famílias que têm dois ou mais filhos. Em geral, possuem também um horário flexível para deixar e buscar as crianças – Os valores podem ser em torno de £200 semanal (ou mais).

Tanto na Nursery, quanto na Childminder é possível levar as crianças quantas vezes necessário por semana. Considero que o ideal seja começar 2 ou 3 vezes na semana, part time, por exemplo. O que ajuda na adaptação da criança ao novo ambiente e às novas pessoas e também poupa o bolso.

É interessante também fazer uma lista e uma visita às opções existentes no bairro. No caso das escolas públicas (quando a criança tiver 3 anos), é importante fazer o registro com bastante antecedência, de 6 meses a 1 ano, pois as vagas são muito concorridas. Sugiro também, procurar o Children Centre do bairro e solicitar a lista de escolas. Alguns Children Centres oferecem um dia de tour pelas escolas ou é possível agendar a visita diretamente com a escola desejada.

Outras opções:

Nanny – A babá como opção diária e integral acaba saindo bem caro! Caso, você contrate uma na forma legal (que é o correto), você se torna um empregador e precisa pagar o imposto de renda e o National Insurance, que é similar ao INSS no Brasil, além de outros benefícios – O valor pode ser em torno de £300 a £400 por semana (ou mais)

Au Pair – É uma babá que mora na sua casa, como um membro da família. Além do salário é necessário prover um quarto, alimentação e considerar despesas gerais de energia e água, entre outros – O valor é em torno de £85 por semana (ou mais). Saídas e almoços familiares também devem ser pagos pelo empregador.

Babysitter – Seria a babá para cuidar do seu filho em momentos específicos, quando os pais precisam ir à um compromisso. O preço é combinado diretamente com a pessoa e já orcei valores bem variados, como £10, £15 ou £20 por hora. É uma boa opção, sendo bem comum por aqui, já que na maioria das vezes não temos a família perto para podermos deixar a criança nestes momentos. Obviamente é importante ter boas recomendações! Existem também aplicativos e sites que oferecem serviços de babysitter.

Mais informações:

No Gov.UK é possível encontrar orientações importantes como:

    • Como encontrar Childcare e Nursery devidamente registradas – Registred by Ofsted (Office for Standards in Education), órgão do governo britânico responsável pela qualidade de ensino na educação infantil
    • Como empregar uma Au Pair
    • Requisitos para educação gratuita infantil
    • Como é a lei sobre deixar um filho sozinho em casa
    • Como reclamar à respeito de uma Childcare ou Nursery
    • Licença parental não paga
    • Suporte financeiro para Childcare (caso a família se encaixe nos critérios de seleção)
    • Cálculo de voucher para Childcare (o voucher são créditos que o governo fornece, com por meio de abatimento no imposto de renda).
    • E um ponto muito importante: verificar junto ao Ofsted o relatório anual da instituição escolhida. De acordo com seu post code (código postal), é possível checar a lista das escolas próximas de sua casa e suas respectivas avaliações.
    • Nem sempre é possível ou viável contratar um profissional, portanto, em alguns momentos é importante podermos contar com nossa “rede de apoio” que são os amigos. Brasileiros, ingleses ou de qualquer nacionalidade são os amigos que aqui fora podem nos ajudar num momento de sufoco. Considero importante conhecer pessoas, fortalecer os laços de amizade e saber que além de nos encontrarmos para os passeios e festinhas também é importante podermos contar uns com os outros em caso de necessidade!
Fonte: Pixabay

E por último e o mais comum: A MÃE ou O PAI

Sim, um dos dois! Tem crescido o número de pais que ficam responsáveis pelos cuidados do bebê até certa idade e mãe é a provedora das finanças. Não através de uma imposição social, mas através de um comum acordo entre o casal, onde continua trabalhando fora a pessoa que tiver maior salário ou então por outros motivos como a vontade do casal em dividir estes cuidados na primeira infância. Muito louvável!

Vejo como algo muito natural aqui na Europa a mãe ou o pai que opta por ficar em casa (ou não tem outra opção) e tem um trabalhão gigantesco cuidando do bebê e do lar, cuidando da alimentação da família, administrando toda uma rotina e os afazeres domésticos, bem como provendo a educação e contribuindo para o desenvolvimento diário da cria! Definitivamnete não um trabalho fácil, requer muita logística e é um trabalho como outro qualquer, porém sem salário, apenas baseado no amor e no momento em que a vida pede um BREAK. Por isso, não se sinta culpada (o), caso este seja seu momento. Ele é reconhecido por quem mais importa, pelo seu filho!

Em muitas profissões é possível trabalhar como freelancer ou home office. Ou quem sabe até mesmo se reinventar, encontrando novos caminhos profissionais. Porém, é necessário ter organização e tempo disponível, pois geralmente o “mini-chefe” é muito exigente, e o resultado pode ser o café derramado na sua mesa de escritório ou a parede toda rabiscada em apenas um segundo de distração ou tentativa de concentração! Mas, vale a pena tentar!

E boa sorte!

Leia mais sobre a Inglaterra: Tudo o que você precisa saber para morar na Inglaterra!

6 Comentários

  1. Bem esclarecedor o post!
    E vc está certa em dizer q a nursery é mais cara mesmo… amigos meus q já tem filhos pagavam em torno de £500 part time e 3x/ semana! E nem moramos no centro de Londres! Acredito q no centro deve ser mais caro…

  2. Ola, Natalia!
    Excelente matéria. Achei esclarecedor, principalmente, para aqueles que sonham que ser mae e tocar a carreira durante o chamado Early days.
    Apenas achei que foi um tanto modesta ao falar dos valores de nanny e creches. Quase impossivel pagar apenas 200 libras por uma semana. Aqui em Londres os precos estao absurdamente caros, ridiculos.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui