Os primeiros passos e costumes morando na Nova Zelândia

2
796
Nova Zelândia Primeiros Passos
Foto: Brian Mann para o Unsplash
Advertisement

Os primeiros passos e costumes morando na Nova Zelândia

Quando a gente muda de país, perdemos muitas referências e os primeiros passos podem ser muito desafiadores (pra não dizer “cheios de micos”). É como se tudo (ou quase tudo) aquilo que passamos a vida inteira aprendendo, incorporando, replicando, de repente não fizesse mais sentido. Recomeçar a vida em um novo lugar – para mim – representou muita mudança, muitas novidades e reaprender muita coisa que já fazia no meu dia a dia até mesmo sem pensar.

Hoje dou risada de muitas situações pelas quais passei no início, e vejo muitas pessoas estranhando coisas que para mim já se tornaram “normais”. O dia 1 por aqui é cheio de novidades e descobertas (e muitos micos). Por isso achei interessante listar algumas das primeiras coisas que estranhei porque eram muito diferentes de tudo o que eu estava acostumada no Brasil. Talvez para algumas pessoas sejam coisas tolas, mas quando a gente se dá conta, elas mudam muita coisa em nosso comportamento e na maneira de lidar com a rotina.

Tirar os Sapatos nas Casas

No Brasil não tinha este costume, mas na Nova Zelândia é muito comum as pessoas retirarem os sapatos e entrarem de meias ou descalços nas casas das outras pessoas (é até esperado que você faça isso). Eu estranhei no começo, mas depois achei ótima a ideia, já que ajuda a manter a casa limpa por mais tempo.

Em alguns estabelecimentos, como supermercados e padarias, por exemplo, dependendo do quanto estão sujos os seus sapatos (por exemplo, se estiver vestindo botas e trabalhar na construção civil), haverá placas solicitando para que retire seus sapatos antes de entrar. E não é incomum você encontrar adultos andando descalços ou de meias nestes lugares.

Aliás, tirar os sapatos Sempre!

Er… bem… na verdade depois de um tempo a gente percebe que além de tirar os sapatos para entrar nas casas, os kiwis (como os neozelandeses se chamam) também gostam muito de tirar os sapatos, sempre, e andar descalços (barefoot) por aí.

Não se trata de falta de dinheiro para comprar calçados, nem da inexistência de chinelos (ou jandals como dizem por aqui), mas sim um estilo de vida. Obviamente as pessoas não irão a um casamento descalços (ou sim?), mas às vezes acho que a inspiração dos pés dos hobbits veio mesmo do estilo de vida dos kiwis. Não acredita? Veja só estas imagens no google.

Vivemos no Futuro

A Nova Zelândia não é o primeiro, mas um dos primeiros países a comemorar o ano novo, isso significa que vivemos no “futuro” em relação a outras zonas horárias do planeta (afinal são cerca de 15 horas a mais de diferença do Brasil).

Enquanto as pessoas estão no trabalho na sexta-feira, a gente já está aqui em pleno sábado curtindo uma praia. Isso parece algo simples e fácil de absorver, mas nossos amigos e parentes demoram muito a entender.

O site World Time Buddy é uma “mão na roda” para ajudar a organizar os horários e conseguir marcar conversas por skype com a família e os amigos.

Inglês com Sotaque Kiwi

Mesmo que você tenha estudado muito e aprimorado o seu inglês em escolas de inglês no Brasil ou até mesmo em intercâmbios para outros países, prepare-se para ter que se acostumar com o sotaque local e adaptar as suas gírias quando conversar por aqui.

Algumas palavras chegam a ser muito engraçadas (assista aos vídeos da Kirsty ou veja aqui um dicionário de gírias kiwi) e até nativos de língua inglesa brincam que precisaram reaprender o idioma para conseguir se comunicar por aqui (veja este blog de uma canadense na parte que ela comenta sobre “Kiwi Slang”). Já os kiwis, sortudos, estes conseguem entender a maioria dos sotaques.

Outro ponto importante a chamar a atenção é que o país foi inicialmente colonizado pelos maoris, e possui oficialmente duas línguas, o inglês e o maori. Portanto será invevitável que você aprenda também algumas palavras maoris para se virar por aqui (“Kia Ora”, “Aotearoa”, “Waitemata Harbour”, “Whangaparaoa”, “Pohutukawa” e por aí vai, felizmente o google tradutor tem um dicionário maori).

Dirigir do lado Esquerdo

Como se não bastasse estar no futuro, perder um dia na vida (durante a viagem), não entender o sotaque daqui, ler muitas palavras em maori nas placas, ainda você vai dar um nó no cérebro quando se der conta de que aqui eles dirigem na mão esquerda. Oi?

Por conta disso, eu acabei esperando um tempão para me acostumar (porque até para andar a pé e olhar para atravessar a rua), e tomar coragem para – finalmente – dirigir por aqui. Sério, a rotatória é de dar medo.

Perda de referências

Tenho uma amiga que fala muito bem desta perda de referência. Crescemos aprendendo tudo, onde ir, como ir, como voltar, onde procurar o que não sabemos, com quem falar, com quem não falar, e sobretudo, que marcas e produtos escolher para comprar e preparar nossas refeições.

Pois quando a gente muda de país, ainda que a ideia de ter um “supermercado de produtos importados” a nosso dispor seja deliciosa num primeiro momento, você pode ter certeza de que irá cometer muitas gafes e, no caso da minha amiga, até sofrer com a perda das suas referências. Isso porque de repente você terá que fazer escolhas e comprar coisa que não faz ideia do que sejam (um exemplo: “tomato souce”, “molho de tomate” em tradução literal, aqui é o “catchup” e não são raras as histórias de pessoas que compraram latas e latas de tomato sauce e só descobriram em casa que estavam colocando “catchup” no macarrão).

Estilo de vida “relaxado”

Mas o melhor de tudo é se dar conta do estilo de vida relaxado que os neozelandeses seguem por aqui. É contagiante de uma maneira muito positiva. De uma maneira geral, você irá encontrar pessoas muito amigáveis, pacientes e hospitaleiras, e isso tem a ver com o estilo de vida descontraído que eles levam, incorporando simplicidade, qualidade de vida e dando muito espaço para atividades de lazer.

É muito comum encontrá-los saindo e um horário cedo para os padrões brasileiros, com seus caiaques e barcos engatados em seus carros, e se dirigir para uma praia para nadar, praticar esportes, pescar ou relaxar.

Eles adoram fazer um churrasco na praia (ou ainda no quintal de casa ou no parque). Assista a este vídeo, ele diz muito a respeito do estilo de vida local e você poderá conhecer um pouco mais sobre o kiwi accent (sotaque neozelandês).

Apaixone-se pela Nova Zelândia

Se você está planejando uma viagem para a Nova Zelândia, seja para turismo, estudo ou para morar, não deixe de ler todos estes posts do Brasileiras pelo Mundo sobre a Nova Zelândia, tenho certeza de que você se sentirá muito mais preparada para dar os primeiros passos e vai se apaixonar por aqui!

Se você passou ou estiver passando por isso, conte aqui as suas impressões (e micos).

Em tempo: caso não encontre todas as respostas que procura no link acima, por favor deixe aqui suas dúvidas e eu e as demais editoras vamos tentar fazer novos posts para abordar os principais assuntos e tirar todas as dúvidas.

2 Comentários

  1. Mas que texto mais lindo, Gabi. Realmente é isso que acontece conosco quando vamos para algum lugar (seja a passeio, seja para morar). Estive na NZ por 17 dias e pude sentir um pouco disso. Em Novembro/18 estarei voltando (se Deus quiser) para sentir isso mais de perto! Parabéns pelo texto.:)

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui