País de Gales – Como arrumar emprego?

7
444
País de Gales – Procurando emprego
Photo: pixabay
Advertisement

Quando a gente muda do nosso país e deixa para trás toda uma rotina, principalmente um emprego, é mais do que normal se sentir apreensiva e se perguntar: e agora, como vou fazer para ganhar dinheiro? Como arrumar emprego?

Pode ser que você tenha se mudado com uma bolsa de estudos, ou por uma transferência no trabalho; ótimo. Não tem com o quê se preocupar.

Mas e quando a mudança foi para acompanhar o marido, ou no meu caso, porque o marido já é do país para o qual você vai se mudar?

Antes de vir para o País de Gales eu era professora no Brasil. Dava aulas na Cultura Inglesa e trabalhava muitas horas por semana. A primeira vez que vim para cá, vim com visto de turista. Fiquei no país todos os dias permitidos com meu visto, mas não podia nem trabalhar de voluntária. Para alguém que costumava trabalhar mais de 40 horas por semana, foi um choque. Morava em um vilarejo, na casa dos meus futuros sogros, e não podia trabalhar. A sorte é que o marido (na época namorado) tinha  uma carga horária de sonho no trabalho dele e a gente passeava bastante.

Depois de casada, tirei o visto de esposa e aí sim, finalmente estava “livre” para procurar um emprego e voltar a ter minha independência e, principalmente, algo para fazer. Como era professora no Brasil, meu primeiro emprego aqui, naturalmente, foi dar aulas para estrangeiros. Havia voltado da Itália, onde dei aulas por 9 meses, e com essa experiência no currículo, lá fui eu. Trabalhei com pessoas maravilhosas (País de Gales – E, de estudar inglês), mas também com pessoas e chefes que me fizeram perder a graça de trabalhar para uma escola independente. Meu marido já trabalhava para a Universidade de Cardiff, e era tudo o que eu queria: emprego seguro, possibilidade de promoção, cursos/treinamento para funcionários, ótimos benefícios e aposentadoria.

Você deve estar se perguntando: mas existe isso? Para estrangeiro?? E eu te digo: existe sim. Contanto que você queira trabalhar na área administrativa, você pode começar como “temp” (temporário).

As universidades daqui geralmente usam agências de emprego para contratar temps. Procurei uma dessas agências, a Brookstreet. Eu sei que é bem mais fácil hoje em dia procurar online, mas a agência é bem no centrinho de Cardiff, e se você estiver por ali, recomendo ir lá pessoalmente.

Como eu já sabia que eu queria trabalhar na Cardiff University, ja fui direto ao assunto: disse que estava procurando um temp job, na universidade, e que não fosse um daqueles em que cada dia você está em um lugar. Trabalhei como professora substituta com uma agência daqui, e detestei. Além de não saber até às 7:30 do dia em questão se eu iria ter trabalho ou não, ainda tinha de ir para fora de Cardiff. Não gostei mesmo. Se você tiver carro (eu não dirigia na época) e um diploma de professora, pode ser que seja legal para você. Ao final desse post, vou listar umas agências.

Bom, voltando ao temp job. Fui a Brookstreet e disse exatamente o que eu queria. Eles me pediram meus certificados escolares (eu me formei em Letras no Brasil, e tenho mestrado em Inglês e Escrita Criativa, que fiz aqui em Cardiff), e eu tive de fazer um teste de Excel e outro de Word. Daí eles te pedem referências de empregos anteriores, e pronto. Se estiver tudo certinho, é só esperar. Dois dias depois de enviar a minha última referência, eles me ligaram com uma vaga de 6 meses na Escola de Medicina da universidade, como assistente de Comunicação e Marketing. Fui à universidade para uma entrevista informal, e já no dia seguinte comecei a trabalhar.

O salário da agência não era o mesmo de professora, claro, mas a possibilidade de um emprego fixo e seguro valeu a pena. Se não me engano, o valor pago por hora, inicialmente, é por volta de £7.60 (R$31 – valor de 02.05.17); após três meses, esse valor sobe para £10 (R$40.80) por hora (Valores de Março a Julho/2015).
Em menos de um ano, passei de um emprego temporário para um contrato permanente na universidade. Hoje trabalho na área administrativa da Escola de Ciências da Saúde, com uma carga horária de 35 horas por semana, e 32 dias de férias por ano (sem contar fins de semana e feriados bancários, porém incluindo 3 dias para o Natal), que posso tirar em qualquer época do ano.

Nada mal, eh?

Vai se mudar para Cardiff (ou outro lugar no País de Gales) com visto que te permite trabalhar? Aqui vão alguns websites onde você pode procurar emprego:

Agências:

Agências para professores:

Para empregos em colleges e universidades:

Na Internet:

Se você for aluno de alguma universidade ou college, você poderá trabalhar algumas horas por semana (de acordo com seu visto). A sua universidade tem “job shops” (lojas de empregos) onde você pode se cadastrar para empregos durante as férias.

Compartilhe
Texto anteriorFinlândia – Bibliotecas Públicas
Próximo textoPlanejamento para mudar para a Dinamarca
Daniela é nascida e “crescida” em Uberlândia, MG, e já quis ser muitas coisas na vida: arqueóloga, médica legista, diplomata, advogada penal... Se formou professora de inglês. Viveu em Napoli, Itália, e depois de um ano por lá, “fincou raízes” no País de Gales, com o marido galês, em 2009. Se apaixonou pelo país “adotivo”, pelas oportunidades de aprendizado e pela recepção calorosa dos galeses. Em Cardiff, capital do país, fez mestrado em Inglês e Escrita Criativa. Hoje trabalha na Cardiff University e facilita oficinas em escrita criativa. Publicou seu primeiro livro, Loveandpizza.it, em 2016 e adora coisas simples: viajar, cachorros, praia, chocolate, ler (principalmente chick lit e crime), fotografia, castelos, história medieval, tudo sobre reis e rainhas e acredita que música espanta qualquer tristeza. Morre de saudade da família e dos amigos que deixou no Brasil, mas diz que só sai do País de Gales se for para morar na Itália, na beira do mar. Twitter: @WritingShedMag

7 Comentários

  1. Nunca me vi identificado com uma pessoa como me identifiquei contigo. Nossa, não somente na vontade de morar em frente ao mar como também na incerteza quanto ao futuro acadêmico: médico, advogado, historiador, filósofo, matemático etc. Muitos desejos em uma só pessoa. E no fim, irei fazer Letras – Inglês, assim como você (lol). QUE MASSA!
    Muita loucura e incertezas, mas de uma coisa eu sei: irei realizar o sonho de ir morar fora do Brasil; aonde ainda não sei, mas estou em processo de busca pelo lugar perfeito.
    P.S: li a sua bio. ^^
    Muito bom o seu artigo. O medo de não encontrar emprego é o maior entre aqueles que saem de um país com a cara e a coragem, acredito eu, em busca de outra vida num lugar desconhecido. E você deu uma luz para os duvidosos, demonstrando uma ideia de como, talvez, conseguir um emprego e que caminhos seguir pra tentar ser empregado. Muito obrigado; mais um conhecimento no meu diário de informações para uma futura mudança de vida, país e história.

    • Oi Rubens!
      Que legal. É super bacana quando a gente se identifica num texto, né? Fazer Letras foi a melhor decisão que tomei em relação à minha vida acadêmica. Me abriu tantas portas, algumas que eu nunca imaginei! Uma sugestão que eu te dou, caso voce pretenda se aventurar em uma futura mudança, quando terminar o curso de Letras, faça também um curso de TEFL. O CELTA é o mais aceito, e te abre as portas para dar aulas no exterior. Depois do CELTA (já estou pensando lá longe… hehe) procura o DELTA, ou um mestrado em TEFL. Daí, “the world is your oyster”! 🙂

      Um abraço,
      Dani

  2. Oi Daniela!
    Menina, vc não tem ideia dos estragos que tem feito em minha vida hahahaha
    Não paro de pensar na possibilidade de ir conhecer esse país e a culpa é toda sua!
    Já fiquei horas fazendo simulação de cursos de inglês (adorei a CELTA), já pesquisei tanto sobre o País de Gales que já estou quase me sentindo uma Welsh (isso mesmo?)
    Torcendo muito pra que as coisas fluam por aqui e eu tenha a oportunidade de conhecer tudo por aí…
    Acho que estão me chamando pra ir.rsrsrs
    Um beijo, querida! Adoro seus posts…
    Súlia

    • Oi, Súlia! Tudo bem?
      Haha… Me desculpa, flor, pelos “estragos” que meus posts tem feito na sua vida… Mas preciso admitir que fico feliz de ser “culpada”… 😉
      Eu me tornei uma Welsh (sim, é isso mesmo) de coracao, e AMO esse país, menina! Espero que as coisas fluam pra que voce venha mesmo. E quando souber com certeza que vem, me avisa! Enquanto isso, aguarde os próximos posts, pra voce se deliciar ainda mais! Ah, e qualquer coisa que quiser saber, pode perguntar, hein?
      Abraço grande.
      Dani

  3. Olá Daniela
    Estou acompanhando suas publicações. Eu e minha família estamos nos planejando para morar em outro país.
    Ainda estamos pesquisando algumas cidades e estou declinada por Cardiff.
    Minha caçula pretende estudar arquitetura em UK. Você recomenda alguma universidade?

  4. Nossa, que postagem fantástica! Adorei sua história. Minha história é semelhante. Eu acabei de me formar em literatura inglesa na UFMG e meu namorado mora em Gales, desde quando visitei o país eu sou apaixonada pelo lugar e estou procurando formas de trabalhar e estudar aí. Sucesso para você! ^^ Abraço

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui