Peru – Cinco razões para viver em Lima

3
1427
O lindo pôr-do-sol visto do Parque Maria Reiche.
Advertisement

Quando decidi escrever esse post, achei que seria super fácil eleger as razões principais para gostar do lugar onde eu vivo, mas não foi. Depois de um certo tempo fora, a vida cotidiana do país que me abriga passou a ser comum aos meus olhos e julgá-las foi um pouco complicado para mim. Depois de muito pensar, aqui estão as 5 melhores razões para viver em Lima:

1º A comida

Já falei sobre a comida peruana no post anterior. É interessante, é diferente, é sensacional! Mas morar em um lugar e só comer a comida típica deste lugar é quase impossível. Em Lima, se come de tudo, a qualquer hora e praticamente em qualquer lugar. A variedade gastronômica desse lugar é completamente singular. A variedade da gastronomia que Lima oferece é tão grande que já vi muitas pessoas passarem mais de 1 semana de férias aqui sem ir a um restaurante tipicamente peruano, pois se quer provar de tudo e o típico acaba perdendo espaço no mar de sabores.

Restaurantes especializados em comida árabe, chinesa, espanhola, japonesa, ucraniana, brasileira, tailandesa, americana….e por aí vai. Em todos os lugares, com altíssima qualidade. As padarias dão um show à parte, oferecendo os melhores pães que alguém poderá comer na vida. Assumo que engordamos, meu marido e eu, muitíssimos quilos depois que viemos para cá. E também assumo que cada grama valeu a pena!

Optimized-Peru1

2º Os táxis

Elogiado por poucos, odiado pela grande maioria das pessoas, o transporte público de Lima é considerado um dos piores do mundo inteiro. Ônibus velhos (muitas vezes piratas) e lotados, linhas que dão voltas desnecessárias para ir de um ponto a outro somente para acumular passageiros, uma única linha de metrô para atender mais de 1 milhão de passageiros diários e falta de informação confiável são apenas alguns dos pontos que, quem utiliza esse transporte, cita como fatores péssimos sobre o transporte público daqui.

Seria mais horrível se os limenhos não tivessem reparado o tamanho da deficiência do transporte público numa cidade tão grande e criado um dos maiores sistemas de táxis do mundo. Aqui há táxis por todos os lados e não há nenhuma necessidade de ficar esperando. É só querer um táxi e pronto, ele está lá!

Os preços das corridas são super baixos, fazendo do táxi o principal meio de transporte, tanto para os limenhos, quanto para os turistas. Uma corrida entre San Borja ( um dos bairros que mais abrigam estrangeiros que vivem em Lima) ou Miraflores (Principal bairro turístico da cidade) e o centro da cidade sai por menos de 15 nuevos soles. O melhor disso tudo é que o preço é combinado antes de o passageiro entrar no táxi, então o caótico trânsito de Lima não vai afetar a sua carteira (pode afetar a sua paciência, mas a sua carteira não).

3º Qualidade de vida

Sim,  a qualidade de vida em alguns bairros de Lima pode ser alta, muito mais alta do que um brasileiro pode imaginar baseado na visão geral que temos do Peru no Brasil. Nesses bairros encontramos parques limpos e organizados, as melhores escolas de país, baixíssimos índices de violência, bons supermercados, ruas limpas e trânsito organizado.Obviamente, esses bairros, localizados na zona central de Lima, são os mais caros para se viver.

De acordo com o “El comercio“, um dois maiores jornais daqui, enquanto há zonas onde os índices de violência cresceram bastante nos últimos anos, como San Juan de Miraflores, Los Olivas, San Juan de Lurigancho e Puente Piedra, os bairros de Miraflores, San Isidro, San Borja e La Molina se destacaram como os mais seguros da cidade, contando com um grande número de policiais a fiscalizar as ruas e com câmeras que ajudam no patrulhamento. É como estar em uma ilha de segurança e bem-estar.É óbvio que toda essa segurança tem um preço e os serviços nesses distritos são os mais caros de toda a cidade.

4º Os parques

Já citados em textos anteriores, os parques de Lima merecem destaque também aqui. Em uma cidade tão grande e de terceiro mundo, é difícil acreditar que podemos encontrar verdadeiros oásis. Espalhados por toda a cidade (e não um benefício exclusivo de quem mora nos bairros de classe alta) os parques limenhos são bem cuidados e convidam as famílias, os casais de namorados, as babás e seus bebês e quem mais quiser a passar horas prazerosas em companhia da natureza.

Muitos desses parques são fechados, assim como o que eu moro. Isso quer dizer que em um quarteirão residencial, todos os prédios tem acesso pela parte traseira a um parque que tem horário de abertura ao público estabelecido pela municipalidade e, depois desse horário, fica acessível somente aos moradores desses prédios que o circulam. Por serem fechados, esses parques são extremamente seguros para crianças e cães.

Optimized-Peru2

Também há parques abertos em toda a cidade, fazendo com que muitos turistas e moradores possam relaxar, inclusive no horário de almoço das empresas que estão na mesma área. Alguns desses parques, como o Parque Maria Reiche, em Miraflores, tem vista para o mar e, nos finais de semana, ficam lotados de pessoas e cães se divertindo. Muitas famílias optam pelos parques fechados e pagos, como o Parque de la Reserva, que fica em Santa Beatriz, quase no centro de Lima, que alguns dias por semana oferece um espetáculo com fontes de água e luzes aos visitantes.

O lindo pôr-do-sol visto do Parque Maria Reiche.
O lindo pôr-do-sol visto do Parque Maria Reiche.

5º A calma do povo peruano

Quem já visitou o Peru pode achar que estou maluca. Para um brasileiro típico das cidades grandes, a calma do povo peruano pode ser irritante. Sim, eu assumo que quando cheguei essa “calmaria” toda me irritava bastante. As caixas do supermercado demoravam séculos para passar cada um dos produtos e esperar naquelas filas com o som da caixa registradora era praticamente a morte pra mim. Até que eu comecei a precisar dos mais variados serviços (cabeleireiros, mecânicos, bancos,creches, técnicos em refrigeração, empregadas, etc.), principalmente quando minha filha chegou e vi que essa calma vem junto com um capricho que é difícil de se encontrar em qualquer lugar.

Minha mãe já dizia que a pressa é inimiga da perfeição bem antes de conhecer o Peru e ela estava completamente certa. Se você quer um serviço bem feito, provavelmente terá que esperar um certo tempo para que ele fique pronto e esse “tempo” é a especialidade do peruano. Tudo aqui demora, mas, provavelmente, sairá melhor do que se esperava. O povo peruano é, por natureza, calmo, devagar. Já me perguntei muitas vezes se isso tem relação com as balinhas de coca vendidas por aqui, mas creio que não! É uma característica que, para um turista, pode ser altamente irritante, mas para um morador, é sensacional.

Essa falta de pressa faz com que o povo daqui seja mais feliz do que os de outras grandes cidades, apesar de terem quase todos (e até mais, por muitas vezes) problemas. Falta dinheiro, falta saúde, segurança e educação de qualidade em muitos lugares da capital limeña, mas raramente você verá um peruano estressado ou com pressa. Ótimo, afinal, ninguém quer estar rodeado de gente estressada o dia todo, não é?

3 Comentários

  1. Olá, Rafaela
    Meu nome é Erica e estou de mudança para Lima.
    Gostaria de informação sobre documentação, se você poder ajudar te agradeço!

  2. Rafaela,
    Eu já fui para Lima viajando, me encantei e gostaria muito de viver em Lima.
    Como é a questão de emprego e documentos para mudança ?

  3. Boa tarde Rafaela!
    Estamos com uma proposta de trabalho para morar por cerca de 1 ano em Sullana (Piura). O que pode me dizer dessa cidade?
    Minha maior preocupação é quanto a saúde, pois minha esposa poderá engravidar no período em que estivermos aí.
    Nosso aceite em ir para este projeto em Sullana está diretamente ligado às condições da qualidade da saúde.
    Muito obrigado

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui