Peru – Curiosidades sobre Lima

4
839
Foto: arquivo pessoal
Advertisement

 

Não chove em Lima, só garoa

Lima é um imenso deserto com umidade do ar em torno de 95%. Por isso garoa, mas não chove. Ela está entre os Andes e o frio oceano Pacífico.

É uma cidade bem contraditória. Essa umidade absurdamente alta faz as roupas apodrecerem nos armários, fazendo também com que crises de sinusite sejam constantes na vida dos moradores.

A cidade parece que tem um filtro do Instagram que a deixa toda embaçada

Lima é a cidade do Batman. Certeza, é Gotham city! Está sempre cinza e tem um céu branco que dói os olhos. A neblina aqui é muito forte. Quando tiro fotos, tenho sempre a impressão de que a lente está embaçada, mas não, é a cidade mesmo.

O bairro de San Borja parece um labirinto 

Há sempre a impressão de darmos voltas no mesmo lugar. É um bairro com avenidas imensas que cortam quase toda Lima, como a avenida Javier Prado, muitos parques e lugares interessantes para conhecer, como museus, complexos arqueológicos e a biblioteca nacional. Este bairro limenho tem ruas e quadras muito parecidas e é muito comum quem não é da região, mesmo taxistas, se perder.

É comum se deparar com sítios arqueológicos no meio da cidade

Quando se caminha pela cidade, que possui muitos prédios elegantes e construções modernas como qualquer outra, ali, logo ao lado, pode se dar de cara com uma Huaca. As Huacas são sítios arqueológicos construídos em períodos pré-inca que são investigados, restaurados e conservados pelo governo peruano.

Também se encontra construções lindas da época colonial, como os palácios e a catedral da Plaza de Armas. O novo convive com o antigo, sendo possível, inclusive, morar em casas que estão ao lado de cemitérios da época anterior aos incas. Imagine!

O abacate está em quase todos os pratos da culinária

Esse é um fato curioso para nós, brasileiros, acostumados a comer abacate com açúcar. Esqueça esse costume e abra sua cabeça para comer o abacate com pão, abacate na salada, abacate com peixe cru, abacate no sushi, abacate com feijão, abacate com arroz, abacate no café da manhã, almoço e jantar, porém nunca de sobremesa ou na sua vitamina. Aliás, é impensável comer o abacate como opção doce.

Sessão de batatas no supermercado

Uma tarefa fácil, como, por exemplo, fazer batata frita, fica complicada porque não dá para saber qual batata escolher. Dos quatro mil tipos comestíveis de batata, quase todas estão no Peru. E se encontram muitas opções de batata no supermercado. O que fazer? Perguntar para alguém? Nem sempre ajuda!

Batata no Peru é assunto sério. Parque de la Papa, nos Andes, é um lugar onde há cultivo milenar de mais de 1.400 variedades de batatas, essenciais para a preservação da biodiversidade andina. O intuito de conservação dessa região, povoada por indígenas quíchua, em uma altitude de mais de 4500m acima do nível do mar, é de proteger a sua cultura, uma vez que a batata é considerada alimento sagrado.

Existe um restaurante chinês em cada esquina

Onde há chinês, há um restaurante chinês. A colônia chinesa é imensa em Lima. Chegaram há séculos e muitos foram escravizados, como os africanos, no Brasil. Mas, chegaram para ficar: um bairro só deles, colégio chinês onde só se fala em mandarim, milhares de restaurantes, festas de ano novo chinês, horóscopo chinês. Todos aqui sabem, inclusive as crianças, qual é o animal do horóscopo chinês que corresponde ao seu ano de nascimento, assim como sabemos qual é o nosso signo do zodíaco. Esse é o resultado da assimilação da cultura chinesa pelos peruanos, estando presente em todos os lugares e contextos.

Lima tem um complexo de fontes de água gigantesco

O parque das águas é enorme, lindo, com um ingresso muito barato. As águas se movem de diversas maneiras, com a iluminação de cores e ao ritmo de música. Segundo o Guinness, é o maior complexo de fontes do mundo – tem 13 fontes -, dentro de um parque público. Fica perto do centro da cidade. Pegue o serviço de transporte Metropolitano, e desça na estação Estádio Nacional. Fica ao lado do estádio mesmo. Vale a pena conhecer!

A cidade treme bastante

Os sismos acontecem todos os dias e a cada momento. Alguns deles dão para perceber, mas a maioria não. Curiosamente, em outubro, os tremores são mais sentidos.

O Peru está localizado em uma zona sísmica e, segundo a lenda, no mês do Senhor dos Milagros, outubro, os sismos ficam mais frequentes e fortes. O tremor mais forte que vivenciei foi no ano passado, no dia do show do Guns’n’Roses. O estádio parecia que viria abaixo e foi sentido mais por quem estava na arquibancada. No entanto, pela emoção do show, quase ninguém se permitiu pensar em sair ou correr, todos só queriam curtir a música, ainda mais para os que estão acostumados a conviver com os sismos.

O verão aqui não é uma paixão nacional 

A relação do Peru com o mar e o calor é bem diferente do Brasil. Talvez, pelo risco de tsunami e pela a forte radiação existente, os peruanos não sejam tão amantes do verão, preferindo o inverno. Principalmente em Lima, com a sua costa repleta de pedras ao invés de areia, e a água do mar bem gelada, poucos vão à praia e se expõem ao sol. A maioria das pessoas que estão no mar são surfistas e estrangeiros, ou pessoas com casa em praias fora de Lima.

4 Comentários

  1. Adorei o texto é bem isso mesmo. Lima é umas das poucas cidades emblemáticas amada por uns e odiada por outros, mas com umas das melhores gastronomia do mundo. Vale apena conhecer .

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui