Portugal – 5 coisas em Portugal que me dão saudade do Brasil

12
2297
Fonte: pixabay.com
Advertisement

Com a crise econômica e a violência no Brasil, Portugal passou a ser uma opção para quem procura ter uma vida mais tranquila. Tudo aqui parece perfeito, grande parte é realmente muito boa, porém (sempre existe um porém) existem coisas que a gente só encontra no nosso País, tem a ver com cultura, com o nosso jeito de ser, enfim, com a nossa casa. Lógico, que nesse post não vou nem comentar a saudade dos pais, dos amigos, dos parentes, porque isso já esta implicito e é algo que a gente tem que aprender a conviver diariamente. Porém existe alguns pontos que são pequenas coisas do dia-a-dia, que não chegam a  atrapalhar muito a vida, mas quando a gente compara com o Brasil,  da um aperto no coração de saudade. Por isso resolvi escrever sobre 5 pontos que no Brasil são bem bacanas e da aquela pontinha de saudade de casa.

1 – Cigarro

No Brasil, estamos acostumados a regras rígidas em relação ao cigarro. Nosso país conseguiu reduzir com sucesso o número de fumantes, tirar propagandas dos meios de comunicação, reduzir o número de fumantes pelas ruas, enfim, deu certo. E esse foi meu primeiro baque quando cheguei em Portugal. Por aqui as pessoas fumam muito, em qualquer lugar (em bares, na casa de show, etc). E eu nem te conto das guimbas de cigarro no chão que acabam parecendo um tapete. Para se ter uma ideia aqui em Portugal a inclusão de “imagens de choque” nos maços de cigarro só começaram a ser feitas no início do ano passado. A situação do cigarro é tão importante que um dia desses estava havendo uma votação para que fosse proibido fumar a menos de 5 metros das escolas e como você pode imaginar, não deu absolutamente em nada!  Na primeira vez que estava no ponto de ônibus para ir ao trabalho e uma senhora sentou do meu lado, acendeu um cigarro e jogava a fumaça para o meu rosto,pensei que quase não percebia, mas no Brasil isso não acontecia.

2 – ÔNIBUS

Eu  sei o que eu vou falar  é contra todo o esquema de melhoria do trânsito e leva à confusão na cidade, engarramento e caos … mas adorava a cumplicidade do motorista de ônibus com o passageiro. Aquela coisa de pedir para o motorista te deixar na esquina da rua tal, ou abrir no meio do engarrafamento facilita muito a vida. Mas aqui isso não acontece. Se esta um mega engarrafamento e seu ponto esta a 1 metro de distância, pode ser que você fique 30 min detro do ônibus, porque regras são regras. E se você vê seu ônibus saindo do ponto e sair correndo para pegar, só vai servir para ter feito um “jogging”, porque por aqui eles não vão abrir a porta. Mas essa questão eu entendo, porque por outro lado seu ônibus passa na hora planilhada e também é um bom adianto.

3 – Praia

Pode estar um sol daqueles, as praias do Porto ventam demais … a tática dos Portuenses ? Ficarem perto das pedras, que seguram o vento e facilitam a estadia na praia. Até aí ok. No Brasil, as pessoas tem guarda-sol, mas por aqui a moda é outra. Os portugueses tem uma espécie de barreira de pano, na forma de um cercado para evitar o vento. O problema não é ter uma barreirinha de pano, o problema é que mesmo em dia de praia (sem vento), você vê todo mundo no seu cercadinho. A sensação que dá é que estão todos demarcando território. Bem estranho, sem contar que atrapalha a paisagem.

4 – Cachorro

Por aqui há muitos cachorros, todo mundo tem um pet, mas a questão do abandono de animais também é muito grande. A situação é tão complicada que a maior rede de TV de Portugal fez uma série de reportagens sobre este assunto no horário nobre na tentativa de conscientizar a população. Mas enfim, além desse ponto, os portugueses deixam as necessidades do seu pet ali na rua mesmo… e por mais que nas praças e ruas tenham saquinhos para a coleta do dejeto, muita gente finge que não vê. Você pode pensar “ah, mas aqui no Brasil é igual”, te digo que não. Haja cuidado para andar pelas ruas!

5 – Amigos

Esse é a principal diferença. Por isso que deixei por último. Lembro que quando eu morava no Rio, no lugar que eu estudava chegou um francês para passar uns meses de intercâmbio. Em um mês, o rapaz ja tinha sido levado à vários pontos da cidade e feito amizade com Deus e o mundo. Mas aqui não é desse jeito. As pessoas são muito solicitas, colegas, mas nada de amizade. Um exemplo, é que eu almoço todo dia com um português, e para se ter uma ideia ele só começou a contar questões de  família (quantos irmãos tinha, nome da mãe, essas coisas) depois de uns 6 meses de almoço diário. É estranho, porque no Brasil,  em uma semana aquele novo colega de trabalho já sabe de quase toda a nossa vida, e há uma grande cumplicidade. Outra questão é que eles são muito caseiros. Uma vez escutei de um amigo brasileiro, que nos churrascos que ele marcava com o pessoal da universidade, somente os brasileiros apareciam. No dia que eu fizer meu primeiro amigo português, prometo que escrevo aqui.

Se você lembrar de mais alguma coisa no seu país que da uma saudade do Brasil, comenta aqui !

12 Comentários

  1. Olá Priscila! Quando visitei Portugal, percebi que os portugueses eram bastante discretos. É estranho que o país que colonizou o Brasil tenha tantas diferenças. Eu até entendo que isso faz parte da cultura deles, mas os brasileiros mais desatentos podem achar que eles são meio antipáticos e frios, sem terem aquela gentileza e simpatia do brasileiro que todos nós conhecemos (apenas são cordiais, em geral). Só que nessa mesma viagem eu fui para a Espanha, e achei os espanhóis muito mais parecidos com os brasileiros do que os portugueses. Me senti até mais a vontade ao comunicar e interagir com eles. Mas os portugueses são pessoas boas, apesar de serem difíceis de fazer amizade.

  2. Li a matéria fiquei chocada com o cigarro e o sobre o côco dos cachorros q nojoooo eu me mudei do brasil a dez anos q vivo nos Estados Unidos sinto falta do Brasil como vc disse família amigos isso em qq lugar q eu vá sempre vou sentir falta.Sinto falta de conversar com os vizinhos q eu como uma garota do interior de São Paulo nossa isso era normal aqui nos states a dez anos moro na mesma casa não sei o nome da minha vizinha de frente a minha casa :/ mas fiz vários amigos aqui e honestamente amooo meus amigos americanos q são ótimos comigo e tenho amigos brasileiros tbem :).Hoje peso na balança e vejo q já me acostumei tanto com a privacidade e uma vida mais tranquila e reservada q qd vou ao Brasil me sinto sufocada com as pessoas querendo saber tudo de mim e ficam encima demais acho q o brasileiro e muito entrao já não gosto disso.Mas nunca vamos encontrar em lugar algum no mundo um povo q sabe festar e sorrir como nos brasileiros:).

  3. Bom dia Priscila , por casualidade li este artigo sobre a comparação que fez entre o Brasil e Portugal ,mais concretamente o Porto ,que é a cidade onde nasci e vivo.
    Como é lógico encontrou diferenças entre Europa e América (sul) pois as culturas são extremamente opostas mas nem tudo é como diz..talvez tenha saltado a vista os problemas comuns dos animais de estimação os cigarros e os transportes públicos ,mas no que diz respeito ao “ônibus” voçe pode pedir ao motorista esses simples gestos de largar antes da paragem que vão aceder ao pedido com certeza a não ser que represente perigo para a sua circulação na via ou pelo simples motivo de o motorista poder ser multado pelo facto de estar a largar passageiros fora do local adequado , pois isso funciona assim porque já houve casos em que os passageiros por descuido tiveram acidentes ao sair fora desses locais ao quais damos o nome de paragens.
    Quanto ás amizades ,só posso concluir que não teve sorte nas amizades que fez com certeza porque o Português ,aliás , o Portuense é um povo amistoso e bastante sociável pelo que não entendi essa de saber o numero de familiares do seu companheiro de almoço, passado tanto tempo de convívio kkkkkkk
    No entanto espero que tenha encontrado mais prós que contras pois está a viver numa das cidades com mais historia de luta deste país..Foi daqui que nasceu Portugal e temos de tudo entre praias ,mar ,rio, monte museus ,sítios históricos ,monumentos ,gastronomia festas populares etc…
    Por falar nisso ,aconselho a desfrutar do S.João que esta a chegar e mostra muito do que é este povo ,uma festa onde todos andam pelas ruas de “martelo de S.João” e “Alho porro” ,para comer sardinhas na brasa broa e bom vinho e que é muito nossa devido á tradição que tem nesta cidade..incomparável.

    As saudades vão estar sempre consigo onde for ,pra isso não há solução.

    Beijos e continue por aqui 🙂

    • Sim Sergio, gosto muito do Porto, meu marido é português e acho todo o povo português muito amistoso, principalmente os portuenses. Infelizmente, amizade é algo dificil, e leva tempo. Mas quero lembrar que esses 5 tópicos são opiniões que me chamaram mais atenção em relação ao Brasil. Um abraço, e com certeza continuo por cá!

  4. Existem aí pontos que são totalmente ”ofensivos” para os portugueses. Uns até poderão ser verdade mas outros sinto que por dentro quer ridicularizar um povo que dá entrada e oportunidades a muita gente oriunda do Brasil.

    ” E eu nem te conto das guimbas de cigarro no chão que acabam parecendo um tapete.” – Isso é totalmente falso. Poderá haver muitas biatas (guimbas) no chão é verdade, mas parecendo tapete? Enfim. Isso existe em todo o mundo, existem cidades mais limpas que outras mas parecendo tapete nunca foi nem nunca será.

    ”Aquela coisa de pedir para o motorista te deixar na esquina da rua tal, ou abrir no meio do engarrafamento facilita muito a vida. Mas aqui isso não acontece. Se esta um mega engarrafamento e seu ponto esta a 1 metro de distância, pode ser que você fique 30 min detro do ônibus, porque regras são regras.” – Totalmente falso. Se alguém tiver que sair e estiverem nem que seja a 10 metros da paragem, o motorista abre sim a porta se estiverem num engarrafamento. O segredo aqui é ser simpático coisa que não é difícil. E como é óbvio ninguém pode deixar as pessoas onde querem e lhes apetece pois assim as pessoas diziam para lhes deixar na porta do trabalho ou de casa.

    ”O problema não é ter uma barreirinha de pano, o problema é que mesmo em dia de praia (sem vento), você vê todo mundo no seu cercadinho. A sensação que dá é que estão todos demarcando território. Bem estranho, sem contar que atrapalha a paisagem.” – Meio-falso. Nem toda a gente usa a ”barreirinha”. E além do mais isso serve para que os meninos que muitas vezes jogam à bola ou outro tipo de actividade não lhes acerte com a bola ou com areia no corpo ou na cara. E além do mais apesar da praia ser um lugar público toda gente gosta de ter o seu espaço e ter a sua privacidade ou gostava que eu fosse ao pé de si lhe chatear?

    E relativamente aos amigos, ninguém é obrigado a falar da sua vida para um estranho, aliás é desaconselhável pois ninguém sabe quem é a dita pessoa. Uma amizade forma-se com o passar do tempo e não passado 1 dia ou uma semana. Temos que conhecer primeiro a pessoa (tipo um namoro). Quantas e quantas vezes aconteceu e acontece pensarmos que uma pessoa é amiga depois de 2 ou 3 anos de festas, de passeios, etc e no fim nos fazem mal de variadíssimas formas. Uma amizade, volto a relembrar, é um relacionamento que se constrói ao longo do tempo e não passado 1 dia ou 1 semana. Não é por se ser brasileiro ou português ou francês ou chinês.

    • Lourenço, nunca quis ofender o povo português. Meu marido é português e não há motivos para fazer isso com um povo que nós brasileiros gostamos tanto. A intenção era mostrar algumas coisas que me chamam mais atenção. Como você pode chegar na praia de ipanema e achar muito estranho tudo desde as pessoas, até a roupa de banho e não será nenhuma ofensa descrever sobre isso, apenas sua percepção. Peço desculpas se algo lhe pareceu ofensivo.

  5. Olá Priscila! Tenho uma dúvida bastante curiosa: sei que em Portugal, a “Câmara Municipal” é o equivalente as prefeituras no Brasil. Mas e a câmara de vereadores, como nós brasileiros conhecemos, existe em Portugal?

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui