Portugal – Vai morar fora do Brasil? Leia estas dicas!

0
956
Fonte: Pixabay
Advertisement

Neste texto decidi que não vou falar especialmente sobre como é viver em Portugal, mas sobre o que você precisa saber antes de ir morar fora do Brasil. Completei 7 meses morando em Lisboa e, embora não seja uma expert na vida de imigrante, já tenho um bocadinho de vivências e pensamentos para compartilhar com as minhas leitoras.

Gostaria de deixar claro que o relato abaixo é a minha vivência pessoal e de alguns outros imigrantes com os quais convivo. Pode ser que outras pessoas venham a discordar do meu relato afinal, cada experiência é única e ninguém é dono da verdade.

Momentos que deixamos de viver e dói pacas:

Nunca havia me deparado com esta situação até sentir na pele… Casamento do melhor amigo, aniversário do sobrinho, almoço de domingo na casa da mãe, jantar no meio da semana na casa da sogra… Você irá perder muitos momentos. Está preparado?

Pesa e muito na vida de um imigrante. É um chororô danado quando você recebe as fotos, por WhatsApp, da formatura do seu sobrinho e se lembra que não estava lá para curtir com ele.

Esta, é sem dúvida, uma das maiores perdas e mais difíceis de viver estando no exterior, e o motivo pelo qual muitas pessoas decidem retornar.

A dúvida será sua eterna companheira:

Será que fiz a escolha certa? O que estou fazendo aqui mesmo? O que eu quero mais para minha vida? Será que vale mesmo a pena?

Sim, estas perguntas são frequentes! Em alguns momentos viram um mantra em nossa mente… A comparação é inevitável. Isso não quer dizer que é ruim porque, definitivamente, nos tira de nossa zona de conforto. Nos faz pensar e muito em nossas escolhas.

Quando moramos fora acabamos criando laços com outras culturas, estilos de vida e muitas vezes, inevitavelmente distanciamos de nossa cultura e tudo aquilo que um dia estávamos acostumados. Em alguns momentos nos deixa sem identidade, porque não somos considerados pessoas daquele local, mesmo que vivemos anos luz naquele lugar. E quer saber mais, também já não somos considerados pessoas do nosso país. Viramos nômades.

Nem tudo funciona perfeitamente:

Não ache que, porque você vive em outro país, tudo funciona perfeitamente e não existem problemas. Contos de fadas e mundo perfeito só existem nas histórias de ficção. Existem muitos problemas em qualquer lugar do mundo e muitos deles se repetem…

O médico que falta e você fica sem consulta, a fila de espera para ser atendida em órgãos públicos, horas na emergência de um hospital esperando atendimento, o motorista de ônibus que dirige como um louco e não está nem aí que você está com um bebê no colo, a pessoa que fura a fila, a burocracia tremenda para resolver temas que parecem tão simples… e tantas outras coisas que poderia passar o dia aqui relatando.

Pessoas não são perfeitas e por isso nada funciona perfeitamente em nenhum lugar do mundo.

País de primeiro mundo não significa que todas as pessoas são educadas e gentis:

Isso mesmo: país de primeiro mundo não significa que todas as pessoas são educadas e gentis!

Quando eu morava no Brasil, e me empurravam para entrar no vagão do metrô, por exemplo, sempre repetia a famosa frase: “Êta povinho, viu!”

Pois descobri que povinho tem em todo canto do mundo! Por exemplo, trabalho em uma empresa francesa e o que mais tem aqui são franceses, italianos e portugueses, claro. Deixo meus iogurtes na geladeira e, acreditem, não passa uma bendita semana sem que alguém me furte meus iogurtes, gelatinas, etc.

No metrô, passo pelos mesmos problemas que passava no Brasil, ouso a comentar que aqui até mais: gente que te empurra, gente que finge estar dormindo para não dar lugar porque você está com criança de colo, gente que fica na porta mesmo com um espaço tremendo nos corredores e assim vai…

Então, não acredite que na Europa todas as pessoas são super educadas, gentis e sabem conviver lindamente em sociedade porque é uma grande mentira.

País rico não significa que as pessoas são ricas:

Ainda tem gente que acredita que as pessoas que vivem na Europa nadam em euros. É importante entender que morar em país rico não tem absolutamente nada a ver com sinônimo de pessoas ricas.

Aqui é comum as pessoas não terem empregadas domésticas e lavarem suas privadas – aliás, o que é bastante incomum é ter uma empregada doméstica –, fazerem suas próprias unhas e alguns se arriscam até a cortar o próprio cabelo. Não tem gente para empacotar suas compras no supermercado, levar seu carrinho até seu porta-malas, porteiro, e tantas outras mordomias.

Se você é classe média no Brasil, muito provavelmente, usufrui de muitos serviços de “luxo” que não terá acesso em países considerados primeiro mundo. País desenvolvido não significa riqueza e luxo para todas as pessoas, significa um país onde toda ou grande parte da população tem acesso a serviços básicos como educação, saúde, comida e moradia.

Os europeus, em geral, vivem de maneira muito simples, não são pessoas de ostentar carros da moda, roupas de grife e 100 pares de sapatos. Em sua maioria, não fazem festas em buffet para seus filhos, não usufruem de piscinas com sauna em condomínios fechados, etc.

Se você é uma pessoa que gosta de luxos e muitas mordomias, recomendo repensar sobre viver na Europa, pois irá se decepcionar.

A solidão vai te acompanhar em diversos momentos:

No dia do seu aniversário, no Natal, na virada de ano e em tantos outros momentos você vai se sentir sozinho, mesmo que esteja rodeado de novos amigos.

Sabe aquela sensação de não estar na sua casa? Será comum! Sabe o abraço apertado da sua mãe te recebendo no seu aniversário com o sabor de seu bolo preferido? Ou aquela comida caseira da vovó?

Você vai precisar engolir o choro muitas vezes, especialmente de saudades. Vai ter que relembrar sempre os motivos pelo qual te fizeram mudar de país e focar nos seus objetivos, para que possa seguir o seu dia-a-dia, distraindo a saudades que vai insistir em ter cadeira cativa no seu coração. Vai ter que saber conquistar seu novo espaço, sua nova vida, seus novos amigos e encarar que a solidão será presente em alguns momentos.

A tua maneira de encarar a vida definitivamente vai mudar:

Tudo muda: o lugar muda, as paisagens mudam, a casa muda, as pessoas mudam e você muda junto. Não tem como ser a mesma pessoa depois de vivenciar a experiência de ser um imigrante.

Cada pequena conquista do dia-a-dia é valorizada e você percebe o quanto é forte e guerreiro pelo simples e complexo fato de mudar de país, abrindo mão de todas as suas raízes, do seu lar e de tudo o que você conhecia e considerava seu ou parte de você.

Hoje me sinto mais preparada para encarar os desafios e superar os vales da vida. Definitivamente viver em outro país é uma experiência única e extremamente enriquecedora.

Você não faz mais parte nem de lá e nem de cá. O mundo é seu lar! 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here