BrasileirasPeloMundo.com
Canadá

Por que morar no interior do Canadá?

Por que morar no interior do Canadá?

Quando a ideia de viver em outro país era só um desejo, eu e meu par romântico vislumbramos muitos cenários antes de tomar qualquer decisão mais objetiva. A primeira delas foi quanto à escolha do país, e me lembro com carinho que, por mais que tenhamos levado em conta vários aspectos totalmente racionais, o que prevaleceu foi nossa vontade, com base em nada mais do que apenas nossa intuição de que, o Canadá seria o lugar que chamaríamos de casa pelos próximos anos. Uma vez tomada essa decisão e nos informarmos – à exaustão – quanto aos meios cabíveis para tornar isso um planejamento concreto, nos deparamos com uma nova escolha: Em qual cidade queremos morar? Qual cidade seria melhor para nos adaptarmos inicialmente? Essa escolha foi das mais difíceis, já que nunca havíamos pisado em solo canadense. E digo “das mais difíceis” pois quem decide morar em outro país sabe que durante todo esse processo (e após também!), você toma mais decisões do que água por dia.

Levamos em conta diversos fatores importantes como nossa empregabilidade, clima, custo de vida e outras necessidades, por fim, e mais uma vez decidimos com nosso coração. E por mais que isso soe romântico, a verdade é que decidimos com nosso coração paulistano, urbano e de concreto. Um coração também cheio de medo, que apesar de estar em busca do desconhecido, receou sair da sua desconfortável, mas familiar zona de conforto – a cidade grande. Então escolhemos Toronto, por ser a mais cosmopolita cidade Canadense, assim como São Paulo no Brasil.

Entusiasmados com nosso planejamento fomos avançando em direção ao nosso objetivo pouco a pouco, e cada conquista nos aproximava da cidade que tanto pesquisamos a respeito. No entanto, penso que a vida tende a ter uma inteligência própria, quase que fluída junto às nossas necessidades, quando estamos conectados aos nossos anseios mais profundos, e nos deixamos levar por ela. E assim, tivemos uma questão crucial que nos impediu de morar em Toronto e nos trouxe à Kitchener, uma cidade considerada pequena, mas que está entre as maiores do Canadá. Apesar de sua população (cerca de 233 mil habitantes) ser muito pequena se comparada a outras cidades interioranas do nosso Brasilzão. Frustrações superadas (ou quase rs), decidimos que Kitchener não seria uma má ideia, já que fica há uma hora e meia de Toronto. Então optamos por encarar essa situação como algo quase que providencial, e que vem se confirmando a cada dia nosso aqui.

Desembarcamos em Toronto antes de vir para Kitchener, ficamos alguns dias por lá e isso tornou possível um contraste ainda maior de nossas vivências por aqui.

Estar em uma cidade na qual o ritmo de vida não se assemelha ao de uma metrópole tem suas muitas vantagens, ainda mais quando você sempre viveu em uma, e apesar de gostar muito, já estava um bocado cansada. Quando falo do ritmo de vida, não falo apenas do óbvio, o transporte público, o trânsito e as pessoas ao andar nas ruas. Qualquer um que conhece uma cidade no interior de qualquer lugar, sabe que o ritmo é mais leve e desacelerado do que em uma metrópole. No entanto quando se mora em outro país pela primeira vez, esses detalhes podem fazer uma diferença enorme, então muita coisa abarca esse tal “ritmo de vida”.

Leia também: como abrir conta bancária no Canadá

Quando você está apreendendo uma nova cultura, faz toda diferença começar devagar em um lugar que você se sinta mais acolhida, que o contato seja mais pessoal, que se torna difícil diante das tantas demandas dos grandes centros urbanos. Digo isso porque quando você começa a vida em outro lugar totalmente desconhecido, de alguma maneira você renasce e volta a ser criança em muitos aspectos, você não sabe nada a respeito de muitas coisas, como pegar um ônibus, aonde comprar certas coisas, etc, então ter um fôlego a mais antes de entrar no turbilhão da rotina da vida, pode te ajudar muito. Já que pra conhecer as linhas de ônibus da cidade, os principais bairros e centros comerciais, não vai te custar uma vida inteira.

Qualquer pessoa que deixou quase tudo pra trás sabe que recomeçar requer muitos esforços e adaptações, então quanto menos estresse você puder passar, pode ser melhor para que você coloque sua energia no que realmente é importante pra você.

Crianças se refrescando no chafariz do Victoria Park – Kitchener (arquivo pessoal)

Outra coisa importante, mas talvez óbvia, é o custo de vida. Que para moradia, por exemplo, é mais baixo que o de uma metrópole, e quando se trata de iniciar uma nova vida, muito provavelmente essa é uma parte importante. Você com certeza conseguirá morar em um local maior, com boa localização (se essa for sua vontade) por um preço menor, e sem tantas burocracias ou aluguéis adiantados. Algo que nos preocupava era principalmente a empregabilidade de uma cidade pequena, já que ambos viemos para estudar, mas também precisamos trabalhar.

Leia também: cheguei no Canadá e agora?

E para nossa surpresa, existem boas oportunidades de empregos por aqui, ou nas cidades vizinhas (que são muito próximas), e a concorrência acaba sendo menor também. A criminalidade no geral é baixa no Canadá, mas aqui é quase inexistente, e isso pra quem quase tinha um mini infarto quando via uma moto nas ruas de São Paulo, é libertador.

King Street – Centro de Kitchener (arquivo pessoal)

No fim das contas, posso dizer que em nossa experiência, não poderíamos ter começado essa enorme mudança de um jeito mais apropriado. Mudanças grandes são desafiadoras e estimulantes, quando em excesso podem gerar muito estresse e ter o efeito contrário resultando em desânimo e frustração, na tentativa de entendermos e nos adequarmos ao funcionamento de um novo mundo. E poder fazer isso com mais tranquilidade foi um dos melhores presentes que o “acaso” nos deu.

Related posts

A legalização da maconha no Canadá

Flávia Bartholo

5 coisas que recém-chegados em British Columbia no Canadá devem fazer

Priscila Carda

As melhores lojas vintages e brechós de Toronto

Lais Gonçalves

2 comentários

Yashin Santos Fevereiro 24, 2018 at 11:19 pm

Boa noite Michelle, tudo bem??

Tenho muita vontade de me mudar para o Canadá daqui a 4 anos, e gostaria de te fazer duas perguntas:

Sei que isso varia, mas no interior, quais as profissões mais solicitadas, saberia me dizer? (na sua cidade por exemplo)

Sobre criminalidade/violência, como é em relação à mulher? Abuso sexual e coisas do tipo, são coisas frequentes ou como aqui no Brasil? Pergunto isso porque li muito sobre a grande imigração de indianos, que impacta bastante a vida no Canadá, por conta da grande cultura do estupro que eles tem e acabam levando na imigração. Isso é realmente a realidade atual no Canadá ou isso é somente nos grandes centros? Isso me preocupa bastante.

Agradeço de coração se me responder, estará me ajudando a realizar um grande sonho, que é sair desse Pesadelo chamado Brasil 🙂

Pode entrar em contato comigo pelo FaceBook se achar mais viável.

Abs,

Resposta
Liliane Oliveira Fevereiro 25, 2018 at 11:13 pm

Olá Yashin,
A Michelle Marcantonio parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas no Canadá que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação