BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Turquia

Como não passar vergonha na Turquia

Como não passar vergonha na Turquia

Vai fazer dois anos da minha primeira visita a Turquia e há seis meses moro aqui, mas esse tempo não me impede de vez ou outra passar vergonha e cometer uma gafe. Viajar é lindo, conhecer outras culturas é maravilhoso e todo mundo pesquisa um pouco sobre o local que vai conhecer, mas tem coisas que simplesmente ninguém conta e são justamente essas que você vai lá e faz. Vou enumerar as pequenas vergonhas cotidianas que tenho passado para que ninguém mais passe.

1- Não dê dois beijinhos ao conhecer pessoas aqui, simplesmente aperte a mão.

Parece bobo, né? Mas, normalmente, quando nos é apresentado alguém informalmente no Brasil, você dá dois beijinhos e ok, certo? Aqui não. Beijar o rosto para cumprimentar só acontece quando você é bastante íntimo de alguém, amigo de longa data. Se você for mulher como eu e estiver conhecendo um homem, mesmo que seja amigo do seu marido ou parente, essa regra é ainda mais forte, então não beije.

Eu obviamente não fazia ideia disso e, na primeira vez na Turquia, meu marido, na época namorado, veio me apresentar aos amigos, umas dez pessoas na mesa do restaurante e, como eles se levantaram, eu fui lá dando dois beijinhos em todo mundo. Eles me acharam muito simpática, amaram a espontaneidade. Para eles eu estava sendo extremamente amigável porque cumprimentei todos com dois beijinhos e para eles não é comum. Vale dizer que eles receberam bem meu cumprimento, entretanto, pessoas mais tradicionais poderiam ser grosseiras comigo, pois isso pode ser considerado uma afronta, mostrando intimidade demais.

2- Casais não se beijam em público.

Beijo aqui, como vocês perceberam, é tratado com muita seriedade. Se dois beijinhos no rosto para cumprimentar só valem para amigos, beijo entre casal, mesmo que selinho, só em casa. Eles associam que beijar sua namorada/esposa é considerado um grande desrespeito com a mulher, como se o relacionamento não fosse sério.

Estranhei muito isso, porque imaginem, nem na boate cheia, meia luz, meu marido dava um selinho, e quando eu roubava um, ele ficava nervoso, olhando para os lados. Na nossa cerimônia de casamento, no Brasil, ele me beijou só na testa, os fotógrafos sofreram para ter uma foto de beijo a noite toda. Agora já me acostumei mais e entendo que não é só ele, é cultural. Qualquer intimidade, por menor que seja, é só dentro de casa, é como eles mostram respeito ao relacionamento, às pessoas em volta e à família.

3- Se eles te oferecerem um çay ou kahve aceite pois provavelmente eles querem tomar, mas não vão se você também não for.

Çay e Kahve são as bebidas turcas mais consumidas, e eles têm o hábito de oferecer isso o tempo todo, e não aceitar é um pouco ofensivo. Eles têm o hábito de perguntar se você aceita um Çay ou Kahve, mas, na verdade, na maioria das vezes eles que querem tomar, e se você diz que não quer, eles também não vão. Mesmo que você se ofereça para sentar na mesa junto, eles podem não tomar, pois você recusou a bebida e eles querem compartilhar não só a mesa e sua companhia, mas também a bebida.

Sim, é uma reação exagerada e não, eles não vão dizer que estão chateados ou que eles queriam beber, vai simplesmente ficar um clima estranho e você não vai entender o porquê. Pra facilitar, então, aceite a bebida, só precisa dar um golinho e tomo mundo fica feliz.

4- Se você vai a uma casa turca, se prepare pra comer muito.

A culinária turca é uma delícia e as refeições bem completas, cheias de opções diferentes, mas eles exageram na quantidade. Sabe aquela ideia de casa de vó que faz todas as melhores comidas quando o neto vai visitar? Aqui é assim todo dia. Minha dica é a seguinte: comam bem devagar, pois se eles notarem o prato vazio, vão colocar mais comida e, como eu já adiantei, recusar é ofensivo, mas dosar é possível.

Numa das minhas primeiras visitas à casa de minha sogra, havíamos passado o dia todo na rua, então jantamos fora, chegamos em casa umas 22 h, mas ela tinha feito um tipo de macarrão, comi um pouco, mas como estava cheia, meu marido comeu o restante, até aí ok. Porém, ela também tinha cozinhado uma sobremesa, sütlaç, que é tipo um arroz doce, eu recusei, mas ela insistiu. Meu marido, então, traduziu dizendo que ela tinha cozinhado porque eu perguntei o que era durante um vídeo que assistimos pela manhã, ou seja, ela fez pra me agradar. Gente, tive que comer, tava bom,  mas eu tava muito, muito, muito cheia. Resultado: não dormi porque passei muito mal, enjoada de tanta comer.

Então aí vai outra dica: se você estiver hospedada numa casa turca, não faça refeições fora, só lanchinhos pequenos, porque quando você chegar vai ter comida te esperando.

Leia também: 10 costumes turcos que podem ser estranhos para brasileiros

5- Se você está com uma faca na mão e uma pessoa te pede, você não entrega diretamente.

Se alguém te pede uma faca, você tem duas opções: põe na mesa e a pessoa pega ou você simula cuspir no cabo da faca, faz só o barulho, e então entrega a faca. É nojento? É. Tem cuspe? Não, é só o barulho. Tem que fazer sempre? Não, nem sempre. Então, qual o motivo desse costume?

Entregar uma faca de mão para mão, antigamente, simbolizava que você queria brigar com essa pessoa, quase um convite pra duelo, sabe? Algumas pessoas ainda acreditam nisso e pode trazer um certo mal presságio, que haverá uma briga no futuro. Caso você esqueça e entregue, não se espante se a pessoa simular que cuspiu no cabo da faça, é uma forma de quebrar com a possibilidade de briga. Eu opto por não fazer porque acho nojento, mesmo sendo só um som, e como nem todo mundo crê nisso, eu prefiro passar batido nessa tradição, até porque se a pessoa acreditar, ela mesma vai simular o cuspe ao pegar a faca, foi a saída que achei.

6- Quando você ganhar presentes use, ou eles acham que você não gostou.

Aqui usar jóias é bem comum, é fácil achar lojas especializadas em ouro e inclusive mais baratas que no Brasil, mas eu ainda me sinto insegura usando. Criada em Recife tendo que esconder celular, andar com pulseira de ouro em İstambul me deixa nervosa, só espero um assalto.

Ganhei algumas jóias da minha sogra, mas já não sou de usar muita coisa, ouro então? Fico com medo. Essa semana, ganhei uma pulseira dela, usei apenas um dia pelos motivos que citei. Meu marido então me disse que ela estava achando que não gostei do presente porque não usei todos os dias. Pedi pra ele explicar, mas acho que ela ainda não acreditou, ficou pensando que não gostei.

Leia também: Dicas importantes para quem estiver indo morar na Turquia

7- Tire os sapatos na entrada das casas.

TODAS as casas aqui têm uma sapateira na entrada, às vezes até do lado de fora da casa. É extremamente rude entrar calçado. O dono da casa tem sandálias para usar dentro de casa e oferece às visitas quando elas chegam.

Eu, particularmente, adoro ficar descalça em casa, no inverno, de fato, o chão fica frio e você precisa calçar algo, mas nos dias quentes eu não uso. No começo quase enlouqueci meu marido, vivia atrás de mim com um chinelo pra eu calçar, mas acabaram se acostumando.

Related posts

Palavras e expressões da Costa Rica

Jesuela Macedo

Como requerer o documento de residência na Turquia

Juliana Lima

A bruxa está solta na Páscoa finlandesa!

Evelyse Eerola

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação