BrasileirasPeloMundo.com
Tailândia

Como é morar em Bangkok

Como é morar em Bangkok.

Quando eu saí de Nova Iorque, em 2005, a única coisa que sabia a respeito da Tailândia é que era a terra do sorriso. Tínhamos algumas informações dadas por pessoas da ONU (onde meu marido trabalha), de que Bangkok era um bom lugar para se viver. Eu tive receio, mas a ideia de morar em um lugar mais receptivo a crianças me encantava. Quem conhece os nova-iorquinos sabe que eles não são muito kid’s friendly; e em relação a isso, o fato é que eu não tive boas experiências por lá.

Cheguei aqui cheia de medos. Trouxe comigo uma caixa cheia de comida e remédios para meu filho – que na época tinha 2 anos – porque eu não tinha a menor ideia do que me esperava.

Confesso que a primeira semana não foi fácil. Constumo dizer que se eu só tivesse ficado aqui a primeira semana, nunca mais voltaria à Bangkok. Mau cheiro, ruas minúsculas, taxistas desonestos, prostituição, e carrinhos de comida – verdadeiros restaurantes com mesas e cadeiras no meio das calçadas – para todo lado, o caos. Mas o contato com os tailandeses logo me fez esquecer todo o resto.

Num dos primeiros restaurantes que fomos, senti que tinha escolhido o lugar certo para ter meu segundo bebê. Ao chegarmos ao local, com meu filho dormindo nos braços, todos os garçons fizeram um bercinho improvisado com cadeiras e pegaram a criança do meu colo e a colocaram ali. Todos eles olhavam para ele, encantados, e não paravam de dizer na língua deles “Narak!” (fofo). Nesse dia, comecei a cair de amores por Bangkok.

O dia a dia da cidade, curiosamente, me fez descobrir mais similaridades com Brasil que com os Estados Unidos, propriamente. Era inacreditável que, mesmo estando do outro lado do mundo, era mais fácil me sentir em casa. O tailandês é alegre como o povo brasileiro, e tranquilo – “Sabai, sabai”, como eles dizem.

Aos poucos, fui entendendo Bangkok. Dentro da bagunça das ruas há espaço para todos, e quanto ao cheiro de comida pela rua, a gente também se acostuma. Com muito “jogo de cintura”, os tailandeses vivem em harmonia. Riqueza e pobreza estão juntas, mas a violência nem passa perto. Aqui não temos com o que nos preocupar, não existe tensão social, não existe assalto, sequestro… Nada. Mesmo com os problemas políticos, e suas manifestações, me sinto muito segura em Bangkok.

A comunidade expatriada aqui é grande e, apesar de o governo proteger bem o trabalho dos tailandeses, os estrangeiros são muito bem-vindos, o que torna Bangkok uma cidade verdadeiramente cosmopolita. Aqui, nossos ouvidos se familiarizam com diversas línguas: japonês, chinês, coreano, árabe, inglês de diferentes sotaques, francês, e por aí vai.

Quanto às roupas que esse povo usa, não existe norma, cada um se veste como quiser – às vezes é até difícil saber o que está na moda, porque ninguém é igual.

Em relação à moradia, Bangkok também tem de tudo a oferecer. As escolas internacionais são de ótima qualidade. A única dificuldade é escolher uma em meio a tantas ofertas.

Hospitais são outro capítulo interessante: parecem-se tanto com hotéis que muitas vezes me engano e digo que estou indo ao hotel, quando na verdade estou indo a um hospital. E existem hospitais para todos: os mais simples para os tailandeses mais pobres e os “cinco estrelas” para os expatriados e tailandeses mais ricos, mas são todos excelentes. Num desses hospitais tive minha filha, e foi uma das melhores decisões da minha vida: ter meu segundo filho em Bangkok.

A comunidade brasileira aqui não é grande, mas é muito unida e festeira. Já o tailandês é muito simpático, porém muito reservado e demora a fazer amizade de verdade. Só com o passar dos anos é que fui me aproximando mais das minhas amigas tailandesas e hoje posso dizer que conheço bem a rotina da família thai. Orgulho-me muito do grupo de amigos que tenho aqui.

As crianças tailandesas são, geralmente, muito bem-educadas e respeitar os mais velhos aqui, ainda é norma. A educação escolar também é muito importante para os tailandeses, e não importa a classe social: toda criança thai vai à escola. Os uniformes são obrigatórios até a faculdade, e todos os alunos usam os seus com maior orgulho.

A língua tailandesa é difícil de aprender, porém é uma língua simples, não tem conjugação de verbos, e uma só palavrinha muda o tempo do verbo, se é passado ou futuro; mas o melhor lugar de se aprender é nas ruas, especialmente porque a grande dificuldade do idioma está nas entonações. Eles sempre acham que eu falo bem tailandês e eu cheguei à conclusão de que é por causa da minha facilidade com o sotaque cantado, herdado do Nordeste do Brasil, de onde venho.

Os mercados de ruas (talat) são sujos e quentes, mas são os melhores lugares para praticar a língua, e também para se conseguir uma boa barganha. O Chachuchak é o maior deles, e é necessário um mapa para se localizar entre as seções de roupas, decoração, animais, e tudo o mais que há nele.

Aqui, vejo expatriados chegarem irritados com as dificuldades iniciais, mas vejo mais gente chorando por ter que deixar esse paraíso. Liberdade, segurança, agitação, bons restaurantes, excelentes gateways, sincretismo, alegria, povo acolhedor… Essa é Bangkok!

 

Related posts

Natal em Bangkok

Bárbara Santos

Tailândia – Serviço doméstico e de babá

Jonine Brancher

Diferenças culturais na Tailândia

Dani Vidal

29 comentários

Juliana Paula Fevereiro 27, 2014 at 12:48 pm

Olá, Lea! Você descreveu de forma perfeita a vida em Bangkok e o povo local. Estive lá 3 vezes, amo a cidade e Bangok tem um significado ainda mais especial para mim, pois foi lá que eu e meu esposo nos conhecemos. Hoje estamos morando em Mumbai, mas volta e meia a saudade de Bangkok bate! Assim que pudermos, pretendemos voltar para passar mais um tempo nesta cidade tão acolhedora!
Um abraço e sucesso por aí!

Resposta
fabi Fevereiro 27, 2014 at 4:55 pm

Gente, adorei ver um texto da Lea por aqui. Ela é tudo de bom!
ótima pessoa e manja td de thailandia
sou mega fã!

Resposta
Madalena Menezes Fevereiro 27, 2014 at 7:44 pm

Em 2005 nunca tinha ouvido falar em Tailândia, muito menos em Bangok onde Lea mora, e hoje já é de vez em quando noticia no Jornal de TV, como também, já teve documentários falando da própria. Mas esse documentário que Lea descreveu ai, é bem completo, é de ficar com água na boca para conhecer a cidade. Gostei muito de saber que as crianças são educadas para respeitar os mais velhos, enfim, foi muito legal saber de seu depoimento desde quando chegou em Bangok e saber como é uma cidade que fica a quase do outro lado do mundo. Obrigada Lea por esse momento. Parabéns pela escolha e que você tenha muita mais sorte ai nessa cidade que escolheste para morar.

Resposta
Ana Cristina Kolb Fevereiro 28, 2014 at 3:37 pm

Nossa Lea, eu tive um chefe Finlandes que se apaixonou com a thailandia, aprendeu a língua e onde viajávamos ele procurava restaurantes thay. Durante a minha primeira viagem a Asia, Foi engraxado pois começamos homeopaticamente por Cingapura, passando por Hong Kong, Bali e por ultimo Bangkok. Eu como voce estranhei sempre o cheiro das ruas na Asia, tem algum tipo de tempero que o cheiro me enjoa um pouco, não consegui discernir qual, mas imagino que com o tempo o nariz se acostuma e como voce tao bem descreveu, quando as pessoas são felizes e gentis, principalmente com seu filho, voce começa a ver as coisas de forma diferente e a se apegar. A segurança, também senti muito em Bangkok., me senti super a vontade, fui ao Chachuchak a noite sozinha, falei com a guia que me acompanhou em algumas visitas que amei o guarda-chuva de papel dela e ela na hora me deu de presente, fiquei super tocada, de todos os guias locais que tivemos ela foi a mais carinhosa, ganhando inclusive dos guias da Indonesia que pensei serem os mais carinhosos. Adorei a Thailandia e quero muito ainda viajar mais pra o pais, pois sonhei somente Bangkok. Curioso voce gostar mais da Thailandia que de NYC, imagino que vc mesma não imaginaria antes da experiência. Otimo texto e me algo desde ja de seguir seus posts sobre o pais do sorriso! Namasté 🙂

Resposta
Luciano Tane Fevereiro 28, 2014 at 9:18 pm

Lea,
Show demais o seu depoimento sobre Bangkok…sinto orgulho de conhecer você e sua linda família e um felizardo por ter a oportunidade de conhecer a Tailândia.
Grande beijo para todos vocês…

Resposta
MARCIA Novembro 18, 2014 at 5:35 pm

fernanda vai ser minha primeira vez la preciso de UM GUIA FALANDO EM PORTUGUES INDICA ALGUEM ?

Resposta
dara Março 22, 2015 at 3:48 am

ola , eu sou A Dara , guia local, falo portugues.
posso acampanhar durante sua viagem Tailandia
esse email: [email protected]

Resposta
Isabel vieira Agosto 25, 2015 at 5:36 pm

Alo Dara estou a pensar ir viver para thailand tenho 60 anos gostaria de montar um negocio visto a minha filha e neta irem junto talvez uma guest house ou lanchonete tenho passaporte portugues o que precisamos vistos o dinheiro para investir tambem nao mt o que me acondelha gostei mt do que lea escreveu mt obrigada isabel

Resposta
guiadara Novembro 14, 2015 at 4:00 am

ola, isabel
voce tem whatsapp _ mais facil opra falar no whatsapp
meu whatsapp e +66 81 699 9895
posso ajudar montar passeios na tailandia

Fernanda Março 4, 2014 at 9:17 pm

Oi Lea!
Adorei ler o seu texto sobre Bangkok! Daqui a um mês estou me mudando para lá e realmente não sei mto bem o que esperar. Mas pelo que li, acho que posso esperar pelo melhor, não é verdade?!
Vou esperar por mais postagens suas e virei compartilhar minha experiência com vc também!
Um beijo

Resposta
Amanda Mendes Agosto 29, 2014 at 11:37 pm

Oi Fernanda, tenho muita vontade de ir fazer mestrado na Tailândia, queria saber como estar sendo sua estadia aí.Toda informação é bem-vinda.
bjs

Resposta
Rosana Maio 21, 2014 at 8:39 pm

Lea, muito obrigada por alguns esclarecimentos, fiz amizade com uma moça tailandesa, peela internet, ela parece ser muito legal, mora em bangkok. As vezes temos dificuldades em nos comunicarmos, pois usamos o google tradutor, kkkkk, nos tempos de hoje com tantas facilidades ainda nao fiz um curso de ingles. Mas achei unteressante saber por seu intermedio como e a cidade dela. Obrigada! As vezes pergunto algumas coisas e fico sem resposta, pois nao sei se ela nao entendeu ou tem receio de conversar com quem nao conheci. Bjim.

Resposta
Denise Agosto 19, 2014 at 11:30 pm

Oi Lea!
Também chamava o hospital de hotel,muito impressionante mesmo!
Infelizmente passei quase 1 mês no hospital com meu filho!Quero voltar agora para viver por algum tempo!
Tenho mil perguntas!

Só uma brasileira para me dar indicações seguras,morei em n.y também por 20 anos!
Te aguardo,e agradeço desde já!

Resposta
Adi Novembro 30, 2014 at 3:16 am

Oi Lea,

Achei seu texto muito positivo. Em Fevereiro de 2015, eu, como voce, também vou mudar dos Estados Unidos para Bangkok. Meu marido tampe vai trabalhar na ONU ai. Aqui moramos em Seattle. Ja mudamos muito nas nossas vidas. Ambos trabalhávamos para a ONU. Eu, mudei de carreira! Virei mae! Essa vai ser a primeira mudança de pais com a nossa pequena que tem 4 anos! E bom ouvir coisas positivas.
Se for possível para nos nos conversarmos um pouco, eu adoraria saber mais do cotidiano em Bangkok!
Obrigada pelo posting! Foi o melhor que li desde que estou pesquisando a vida em Bangkok!

Resposta
chenaokevara Dezembro 6, 2014 at 8:54 pm

Oi!
Como é a questão de migração aí?
Dá pra chegar ai e conseguir emprego sem contrato de trabalho certo?

Resposta
ira Plesnar Dezembro 18, 2014 at 5:42 pm

Bom dia Lea, parabens pelo recito da sua vivencia em Bangkok; a Tailandia é um pais realmente encantador! fiquei realmente contente em conhecer um povo agradavel e reservado; Vc escreve muito bem a realidade; Muito obrigada, Ira.

Resposta
Nuno Carvalho Janeiro 19, 2015 at 11:49 am

Oi Lea,

Existe escola portuguesas em Bangkok?
Estou me mudando para lá e uma da maior dificuldades é ter que deixar minha filha com 5 anos em Portugal.

Primeiramente vou sozinho mas ideia se a adapação for facil é levar a familia..

Obrigado

Resposta
Esposa Dezembro 5, 2015 at 3:39 am

Oi Lea,

Estou indo em abril para Tailandia pois tenho que acompanhar meu esposo que vai a trabalho por dois anos. Tenho duas filhas uma de 6 anos e outra de 10 anos, minha preocupação e que não falamos ingles. Tem escola que pode nos dar um suporte?

Resposta
Ann Moeller Dezembro 7, 2015 at 5:03 pm

Ola, a Lea não colabora mais com o blog e também não mora mais na Tailândia. No momento o BPM ainda não tem outra colunista no país. Boa sorte com a busca de informações.

Resposta
guiadara Dezembro 24, 2015 at 6:49 am

Ola Lea,
Tem varias escola que tem curso de aprender ingles,qual e cidade voces vao estara ? em bangkok o Chonburi?
se em bangkok tem escola como Bristish Council, que ensenar ingles.
qualquer duvidas poder enviar email : [email protected]
meu nome e Dara

Resposta
silma battezzati Fevereiro 28, 2016 at 9:59 pm

Meu filho e minha nora estão voando para Bangkok agora. Estou aflita pois nunca havia me preocupado em conhecer ou pesquisar sobre. Logo não conheço nada. Estou aqui a pesquisar sobre. Eles estavam morando em Dublin, por 4 anos. Vieram ao Brasil para natal e ano novo 2015/2016. Voltaram e resolveram se desligar do trabalho e sair por aí. Querem conhecer alguns lugares novos, embora já tenham viajado bastante, e encontrar um que tenha um clima mais quente e menos chuvoso que o da Irlanda. Os dois tem formação e trabalham na área de TI – O Bruno trabalha com programação java e outras. Tb tem formação em mecatrônica. A Jaque era professora de língua portuguesa no Bom Jesus e numa faculdade de ensino superior em Curitiba. Na Irlanda fez curso superior em TI e estava trabalhando com desenvolvimento de software p celular. Eles são muito lindos e muito gente boa. Como mãe fico muito aflita em saber que estarão andando por aí. Mas ao ler o depoimento da Léa, e comentários, penso q meu coração vai se acalmar um pouco. Obrigada por suas palavras. Quem sabe se encontram por aí. Abraço.

Resposta
Liz da Mata Março 8, 2016 at 5:14 pm

Olá!
Vc é do Nordeste do Brasil? Onde?
Sou da Bahia.
Seu texto me fez ter vontade de conhecer a Tailândia… me vi pelas ruas enjoando do cheiro de comida local….
Estava pesquisando sobre crianças tailandesas, para o primeiro cartaz (valendo ponto) da minha filha de 7 anos.
Usei um parágrafo de seu texto, ok?
Parabéns pelo post!

Resposta
Marialva Dias Março 26, 2016 at 2:32 am

Ola, Léa
tive a oportunidade de conhecer um pouco da Taylandia. Fiquei encantada. Na ocasião fui com meu filho que fala ingles.
Gostaria de voltar para conhecer outros lugares, Desta vez sem a companhia do meu filho.
Gostaria de saber se tem guia brasileiro na Taylandia..

Parabéns pelo blog.

Resposta
Ann Moeller Março 26, 2016 at 1:25 pm

Ola Marialva, a Lea não colabora mais com o BPM. Boa sorte! Equipe BPM

Resposta
carolina garcia Abril 25, 2016 at 9:32 pm

Oi Lea boa noite. O meu maior sonho é conhecer a Tailândia bankok e outros paises ao redor como Muammar…laias, já foi para lá?e daqui do Brasil qual o primeiro passo, depois de juntar dinheiro, para ir para Tailândia e conhece esses paraísos??? O que você me orientado a fazer? O quanto ao visto?? E última perguntinha????????..
Quanto ao mercado e trabalho para nós ai, é difícil ou como funciona??
Aguardo super ansiosa seu retorno. Beijos Beijos Namastê.

Resposta
Ann Moeller Abril 26, 2016 at 2:10 pm

Ola Carolina, a Lea não colabora mais com o BPM e no momento não temos outra colunista. Equipe BPM

Resposta
Marli Rodrigues Setembro 1, 2016 at 7:48 pm

meu sonho é morar fora do Brasil junto com minha familia. Tenho vergonha do nossos politicos e nossa corrupção. Queria muito oferecer aos meus filhos um Pais com futuro melhor. Pensei muito em mudar para Tailandia. Será que é bom lugar pra se mudar e criar nova raiz? É facil mudar legalmente? algume sabe me informar?

Resposta
Cristiane Leme Setembro 5, 2016 at 6:59 pm

Marli, a Lea parou de colaborar conosco. Para informações a respeito de leis e burocracia para morar na Tailândia nós sugerimos que você consulte o consulado do país, embaixada ou repartição de chancelaria responsável por essas informações.
Edição BPM

Resposta
maria Janeiro 22, 2017 at 1:07 pm

bom dia.
preciso saber nomes de empresa aerea local de bangkok para phuket.
e nome de Hostel???

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação