BrasileirasPeloMundo.com
França

Como me tornei psicóloga na França

Faz 10 anos que moro na Europa. Sou franco-brasileira, nasci na França em Marseille e morei 18 anos no Brasil no interior de São Paulo. Filha de pai brasileiro e de mãe francesa, decidi voltar para França para cursar Psicologia.

Minha aventura começa quando fui me inscrever na Universidade de Psicologia de Bordeaux. O fato de ter escolhido a cidade não foi só pelo fato dela ser muito bonita, foi também por razões familiares pois tenho uma grande parte dela que mora em Bordeaux, começando pela minha mãe, que sempre me apoiou muito nas minhas decisões.

Para se inscrever em uma universidade francesa, devemos fazer uma equivalência do BAC*. Essa equivalência pode ser feita de duas formas, a primeira é uma prova (tipo vestibular) e a segunda possibilidade seria um intercâmbio entre as universidades.  No meu caso optei para o intercâmbio.

Além da equivalência, devemos também provar que temos o nível em francês, adquirindo o diploma chamando DELF**, este diploma pode ser passado no Brasil através da Aliança Francesa.

O exame é composto de dois tipos de provas. A primeira escrita e a segunda é uma prova oral.

A prova escrita serve para avaliar toda a parte de compreensão e produção de texto, já a prova oral, servirá para avaliar a produção e a interação do candidato na língua francesa.

Os estudantes estrangeiros da Universidade me aconselharam a passar o nível B2 do teste do DELF, pois não é um nível muito difícil.

Para finalizar a inscrição, fiz uma carta para o comitê de avaliação dos psicólogos universitários contando sobre minha motivação para fazer parte do sistema acadêmico francês. Et Voila ! Alguns meses depois recebi uma carta confirmando que eu podia me inscrever na Université de Bordeaux, vocês podem imaginar minha felicidade!

Passei dois anos incríveis nesta universidade. Tive oportunidades de cursar com professores de excelência, fiz vários amigos e os estudantes franceses me ensinaram como era a vida estudante na França.

 

No terceiro ano decidi fazer o programa Erasmus e fui para Lisboa, onde pude aprender Psicologia em Português no Instituto Superior de Psicologia Aplicada. Sem duvida o melhor ano da minha vida de estudante. Lisboa é uma cidade incrível, me reaproximei muito da cultura brasileira. Foi em Lisboa que percebi o quanto as minhas raízes franco-brasileiras foram fundamentais para o amadurecimento da minha pessoa, tanto a nível profissional quanto pessoal.

Graças ao Erasmos, tive a oportunidade de viajar pela Europa, não só a lazer mais também com o objetivo adquirir mais conhecimentos na área da Psicologia através das conferências, seminários, workshop/oficinas. Uma das minha grandes curiosidades era saber quais eram os diferentes métodos utilizados na área da Psicopatologia em outros países. Sempre gostei muito de analisar os aspectos sócio-antropológicos de um país e as influências que este poderia ter na parte clínica.

Voltando de Portugal, eu havia validado minha licenciatura iniciando outra etapa importante dos meus estudos, o Mestrado.

Escolhi prestar no Laboratório de Psicanálise e Psicopatologia Clínica na Universidade de Aix-Marseille. Passei por um júri composto de membros acadêmicos da Psicologia Analítica. Morei em Marseille, no Sul da França, durante dois anos. Adoro esta região, super cosmopolita, ela tem uma beleza provinciana a qual eu me apaixonei. Durante esse dois anos de Mestrado tive que estudar MUITO mas MUITO mesmo, pois o nível exigido é bem alto. No final de cada ano devemos apresentar um “memoire”, uma mini tese.

Meu primeiro memoire foi sobre o Psicodrama Psicanalítico em Grupo e meu campo de intervenção foi o hospital psiquiátrico Montperrin da cidade de Aix-en-Provence, já o segundo foi sobre Análise de Comportamentos Grupais com uma população de 6 à 12 anos através de contos.

E por fim obtive o título de Psicóloga em 2013. Estou muito feliz com esta conquista, poder trabalhar na área que tanto amo é uma satisfação muito grande, pois não foi nada fácil.

Que conselho eu daria para quem quer fazer Psicologia na França ?

O meu conselho seria de ser paciente, a parte burocrática é longa mas a experiência é extraordinária. A Psicologia nasceu na Europa e estar aqui podendo visitar vários países e diferentes universidades onde grandes mestres da área viveram, não tem preço. Sentir toda essa herança histórica, é algo muito enriquecedor.

Outro conselho seria de fazer o máximo de contatos profissionais em quanto estudante, segundo minha experiência essa é a melhor maneira de se preparar para o mundo do trabalho. Como?

Participando de conferências, palestras e seminários.

*BAC = é o diploma que atesta validade do ensino médio.

**DELF= Diploma estudo da língua Francesa.

***Erasmus= Intercâmbio entre as universidades europeias

Related posts

Verlan, um jeitinho bem francês de falar

Rosana Alcântara

Aceitação durante o aprendizado de uma nova língua

Júlia Lainetti

Eleição presidencial na França

Amy-Carole Diene

8 comentários

Renata Julho 3, 2016 at 10:31 pm

Que legal, estou concluindo o curso de psicologia e gostaria de saber quais diferenças voce observou na pratica clinica da psicologia Brasileira com a francesa?
e tambem teho a curiosidade de saber se existem politicas publicas que utilizem-se da psicologia ou se o mercado seria a clinica

Resposta
Jessica Callian Julho 30, 2016 at 10:44 pm

Nossa que legal , Parabéns pela escolha da Profissão . Eu preciso de uma Psicologa urgente :/

Resposta
Nastasia Alves - Psychologa Setembro 28, 2016 at 11:11 am

Obrigada Jessica,

A escolha de um terapeuta é sempre um momento interessante. 3 dicas praticas “como escolher o seu terapeuta?”

1- Pergunte qual é a orientação terapêutica ! (caso não conheça PERGUNTE, se informar sobre os diferentes métodos é um ótimo começo)

2- Como é o decorrer de uma consulta ? (para muitos esta pergunta traz tranquilidade, pois permite saber exatamente como vai decorrer da consulta )

3- Individual ou em grupo ??? ( Sim as consultas podem ser individual mas também podem ser feitas em grupos …)

Resposta
Camila Agosto 2, 2017 at 10:10 pm

Boa noite Nastasia, sou psicologa a 8 anos, e na verdade estou em uma fase de desafios sabe, e em conversa com meu irmão que mora a 13 anos na França agora especificamente em Nimmes, fiquei curiosa sobre a atuação da psicologia no país, sei que o processo burocrático é grande, e necessário também. Mas quando li sua história percebi que no seu caso você estudou na França certo, e saberias me dizer como se dá o processo de quem quer realizar uma especialização no país.

Resposta
Carolina Gaspar novo Outubro 3, 2017 at 4:33 am

Bom dia, eu vivo na sua zona em França, e precisava de uma psicóloga, como ainda não me adaptei muito bem à língua precisava que as consultas fossem em português, por acaso não tem disponibilidade, como posso entrar em contacto consigo?

Resposta
Liliane Oliveira Outubro 10, 2017 at 3:55 pm

Olá Carolina!
A Natasia Souza parou de colaborar conosco, mas temos sugiro que procure em nosso próprio site uma área chamada Psicólogas Pelo Mundo. Lá, você poderá encontrar o contato de psicólogas brasileiras que realizam inclusive, atendimento online.
Boa sorte!
Edição BPM.

Resposta
Gabrielle Março 14, 2019 at 12:08 am

Oi Natasia, vou passar um período em Paris e sou Psicóloga no Brasil. Gostaria de fazer algum curso livre no período em que estiver por lá. Você indica algum site ou caminho para que eu possa ter acesso a programação nesse primeiro semestre? Agradeço também se me passear seu e-mail para informação. Abraço

Resposta
Liliane Oliveira Março 14, 2019 at 1:56 pm

Olá Gabrielle,
A Natasia Souza, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação