BrasileirasPeloMundo.com
Canadá Carteiras de Motorista Pelo Mundo

Como tirar carteira de motorista em Alberta

Existem várias coisas importantes para se fazer ao se mudar de país, uma delas é tirar a carteira de motorista. Aqui no Canadá cada província tem sua legislação para o tema e as regras podem variar bastante. Tratarei neste texto sobre como tirar a carteira de motorista em Alberta. Lembrando que no Canadá é possível dirigir com a carteira de motorista do Brasil por até três meses da data de chegada, e por até um ano com visto de estudante.

Eu sou estudante e estou aqui há menos de um ano. Como tenho a carteira nacional de habilitação brasileira (CNH) há mais de 5 anos, preferi fazer a carteira de motorista de Alberta, primeiro porque o seguro do carro fica mais barato com o documento canadense e, segundo, porque ser um documento de identificação com foto muito mais fácil de carregar.

É muito simples tirar a carteira de motorista de Alberta. Tudo o que você precisa fazer é estudar esse material aqui, ir em qualquer Registy e fazer a prova. São 30 questões e você precisa acertar 25 para ser aprovado. As questões são simples e de múltipla escolha, mas aconselho que você estude bastante. O valor é de aproximadamente $18 e, caso você seja aprovado, já sairá com a sua carteira GDL-7 em mãos.

capturar
Imagem: http://www.servicealberta.gov.ab.ca/drivers-licence.cfm

A carteira GDL-7 é a carteira de aprendiz e qualquer pessoa a partir dos 14 anos de idade pode tirá-la. Para dirigir com ela, no entanto, há algumas restrições, tais como: dirigir acompanhado de alguém que possua a carteira Class 5-full (permanente), não ter nenhuma quantidade de álcool no sangue, só poder perder 8 pontos na carteira antes de ser suspenso, não dirigir entre à meia-noite e às 5 da manhã. O condutor deverá dirigir nessa classe por no mínimo um ano antes de adquirir outra permissão.

Após um ano de prática e caso a pessoa já tenha 16 anos, é possível mudar para a classe seguinte, a GDL-5 e, para isso, é preciso fazer um prova prática de 30 minutos (custo de aproximadamente $80). Nessa classe, o motorista ainda é considerado aprendiz, mas as restrições mudam: já é possível dirigir de madrugada e não é mais necessária a presença de um acompanhante.

A próxima etapa após 2 anos de experiência, caso o motorista já tenha 18 anos de idade, é uma prova prática com uma hora de duração (custo de aproximadamente $150). A partir daí é possível adquirir a permissão Class 5-Full. Com ela, é possível servir de acompanhante para um aprendiz, perder mais pontos na carteira antes de ser suspenso e existe um nível tolerado de álcool no sangue.

Mas, caso você, assim como eu, já tenha uma CNH o caminho é outro. Após fazer a prova teórica, você pode entregar a carteira de motorista brasileira – original e traduzida, sendo que a original será retida e destruída- pagar uma taxa (aproximadamente $30) e esperar a avaliação deles. Assim, será julgado se você pode adquirir a permissão GDL 5 ou Class 5-Full. Essa decisão depende totalmente deles.

A resposta geralmente sai em duas semanas e, assim, é possível fazer a prova  para a classe correspondente à sua permissão. Eu passei na prova teórica, entreguei minha CNH e recebi a resposta de que posso adquirir a carteira classe 5 de minha escolha.

Aqui não é preciso fazer aulas em auto-escola, é possível aprender a dirigir com algum familiar, amigo(a), vizinho(a) ou namorado(a), mas para não correr nenhum risco, eu decidi fazer duas aulas. Achei-as bem parecidas com as do Brasil: o instrutor me buscou em casa, dirigimos pela cidade, treinamos as balizas e ele me deixou em casa. Os valores dependem bastante de cada escola.

As regras de trânsito de Alberta são bem diferentes das do Brasil. Aqui é possível virar à direita mesmo que o semáforo esteja fechado, depois de dar preferência aos pedestres; os limites máximos de velocidade são bem baixos, geralmente 50km/h – e a fiscalização é bem severa – e ainda existem regras especiais para áreas escolares e de parquinhos (playgrounds). Além das placas de STOP, que indicam que o motorista deve parar completamente o carro antes de prosseguir, ainda existe o famoso 4-way STOP, onde em um cruzamento os motoristas dos 4 lados devem parar e, cordialmente, ceder a vez a quem chegou primeiro.

Mais um detalhe importante é que para a prova de classe 5-full é necessário fazer três tipos de baliza: a tradicional, a paralela e uma em subida (uphill) ou descida (downhill), a ser definida na hora pelo examinador.

Uma curiosidade bem interessante é que as aulas da auto-escola são feitas em carros da própria – adaptados com pedal de freio e retrovisor para o instrutor, como no Brasil -, mas a prova pode ser feita em qualquer carro, o seu, o de um amigo(a), alugado ou o da auto-escola. Outra curiosidade é que quase 100% dos carros do Canadá são automáticos, então, as aulas e a prova são feitas em carros automáticos.

Na prova prática da Class-5 full é permitido que o examinado cometa até 7 erros. Parece muito, mas é extremamente cansativo dirigir por 1 hora com uma pessoa ao seu lado te avaliando. Eu fiz a prova uma vez e, infelizmente, não passei. Eu poderia ter feito outro teste no dia seguinte, mas confesso que estou “enrolando” com medo de não passar de novo, o que não é muito vantajoso, pois o inverno está chegando e não quero nem pensar em fazer essa prova com as ruas cobertas de neve.

Tallenna

Related posts

Como é ser gay no Canadá?

Ann Moeller

Cabane à Sucre – Prenúncio de Primavera no Quebec

Ana Carolina Sommer

Vancouver e o caso de amor com a vida ao ar livre

Isabel Arruda

3 comentários

Glauciane Arcuri Outubro 31, 2017 at 11:24 pm

Boa Noite,
É possível tirar a carta de motorista em português

Resposta
Liliane Oliveira Novembro 2, 2017 at 1:00 pm

Olá Glauciane!
A Elisa Rabello parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas no Canadá.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Pedro Janeiro 10, 2018 at 7:40 pm

Criaturas humanas transvestidas de automóveis. Assunto para psicólogos e antropólogos irreverentes escumarem o canto da boca. Começa pela fraqueza humana escondida na potência forte do motor. Passa pela transmutação da imagem, da roupa de aço que confere performance, do isolamento no mundinho confortável, da preguiça orgulhosa, da glamourosa doença inconsciente, por vezes doces abobalhados, do moderno, do fascinado, do mundo da felicidade artificial, da aparência superior, do elitizado, do estratificado, do diferencial, do vencedor, do troféu, eternos agoniados consumidores de uma indústria voraz, volátil, estratégica, competente e espertíssima…:)

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação