BrasileirasPeloMundo.com
Colômbia

Dicas para morar em Bogotá

Dicas para morar em Bogotá.

Bogotá é a capital e maior cidade da Colômbia. Cosmopolita, oferece uma grande
variedade de serviços, restaurantes, vida cultural, parques, escolas e muito mais. Se você
pensa em viver no coração da Colômbia, saiba que estará fazendo um “bom negócio”, mas
como em qualquer lugar, existem vários pontos a se considerar.

Localizada a 2.600 metros do nível do mar, a altitude pode ser um problema e a
temperatura é fria durante todo o ano, uma média de 16 graus. Como o País não apresenta
estações do ano bem definidas, eu diria que aqui se vive um eterno outono, e bem chuvoso.

A cidade é enorme e subdividida em 20 localidades que agrupam mais de 1.200 bairros
que estão na área urbana. Além disso, está categorizada por estratos socioeconômicos, sendo o estrato 1 a área com menos recursos econômicos e o 6 com mais recursos. De acordo com o estrato que escolher, pagará mais pelos serviços básicos e provavelmente por todo o resto.

O transporte é outro ponto importante. Para se locomover por aqui há poucas opções:
transporte rodoviário (Transmilênio e busetas), táxis, carros particulares, bicicletas (há muitas ciclovias pela cidade) ou a pé. As distâncias podem ser grandes e o trânsito é caótico. Inclusive há rodízio de placas durante os dias úteis (pico e placa). Por isso aconselho que, ao escolher onde vai morar, leve em conta isso e tente viver o mais perto do trabalho, da escola dos filhos e dos serviços que possa vir a precisar.

A sua qualidade de vida será um ponto fundamental para uma boa adaptação à nova
cidade e principalmente à nova cultura. Depois de avaliar esses pontos e o que mais considerar relevante, é hora de encontrar seu apartamento ou casa “dos sonhos”. Os processos para alugar ou comprar são bem semelhantes aos do Brasil. A busca se faz por anúncios nas janelas dos prédios ou por sites de compra/aluguel/venda, como o Metrocuadrado, ou ainda por corretora de imóveis como a Julio Corredor e a Engel & Voelkers.

Não há resistência em se alugar ou vender para estrangeiros, desde que se apresente vínculo empregatício, comprovação de renda e esteja legal no País (visto). Como no Brasil, há que se ter muita paciência e disposição porque os serviços e o retorno não são melhores do que os nossos.

Como alugar

Na Colômbia, os contratos de aluguel possuem a duração mínima de 12 meses. Precisa-se de fiador, comprovação de renda e/ou vínculo empregatício, o pagamento antecipado de 1 a 2 meses de aluguel (dependerá do proprietário) e das taxas administrativas do contrato. O mesmo deve ser reconhecido em cartório (Notaria) e normalmente adicionado
ao valor do aluguel do imóvel; já estão embutidos o condomínio e as taxas. É importante
confirmar com o proprietário essa informação.

Como em qualquer negócio, deve-se estar atento a todo processo, do início ao fim,
tanto com as corretoras quanto com os proprietários. Com os serviços de corretagem, busque entender como será a relação e se haverá alguma cobrança a você. Informe-se antes de alugar sobre as regras do condomínio (de preferência com a administração do edifício ou condomínio) e do proprietário antes de fechar o negócio.  Por sermos estrangeiros e muitas vezes não dominarmos a língua, podem ocorrer mal entendidos que ocasionam muita dor de cabeça.

Vale lembrar que há a possibilidade de se alugar apartamentos já mobiliados. Bogotá
possui uma boa oferta desse tipo de imóvel, principalmente apartamentos, por receber muitos estrangeiros. Ao alugar, faça junto com o proprietário a conferência de cada objeto, e ao entregar também. Na cidade, também existe o serviço de aluguel de móveis por temporada.

Leia também: vistos para morar na Colômbia

E para comprar?

Normalmente, quem decide comprar um imóvel são as pessoas que passarão um
tempo indeterminado na cidade, sabendo que poderá ser longo. Ao iniciar a busca, é
imprescindível já ter em mente o que se quer e em qual localização, pois como já foi dito
antes, Bogotá é enorme e os preços variam muito de acordo com a localização.
Se for necessário pedir crédito em um banco para a compra do imóvel, espere pelo
menos completar um ano nesta cidade. Os bancos possuem restrições ao crédito porque seu visto ainda será temporário.

Ter um contrato de trabalho e uma conta salário (e um salário no valor da faixa solicitada) são diferenciais para se conseguir o crédito, cujo tempo de aprovação e valor variam de acordo com o banco.

Tendo em mente o valor médio do imóvel que se busca, você poderá iniciar o pedido de crédito antes de escolher o imóvel. Assim, quando souber o que quer, já possuirá a carta, que demora em média três meses para sair.

Outro ponto a considerar é se você precisar trazer dinheiro do Brasil. Faça-o com
antecedência para não correr o risco de perder o imóvel. Procure saber com seu banco
colombiano e com o brasileiro como será o trâmite e quanto tempo levará. Em transferências de contas de um mesmo titular, costuma-se não pagar imposto de renda sobre a transação e as taxas são menores dependendo do tipo de conta.

Ao encontrar o imóvel, assina-se com o proprietário uma promessa de compra com o
pagamento de 10% do valor total do imóvel (negociável). Caso se desista do negócio, o
proprietário fica com essa porcentagem, como no Brasil. É importante deixar claro nessa fase o que acontecerá caso o crédito não seja aprovado, pois existe a possibilidade de devolução dessa porcentagem.

Fazer essa negociação com a ajuda de uma corretora é legal porque eles podem avaliar se o imóvel possui algum impedimento judicial registrado.

Avisa-se então ao banco sobre a escolha do imóvel para que ele associe o crédito ao
mesmo. Aqui, eles (banco) exigem uma avaliação médica do comprador (mandam um
atendimento residencial) e também realizarão uma vistoria no apartamento para comprovar se não há nenhum impedimento e se o valor condiz com sua avaliação.

O banco, a corretora e o cartório alinham uma data para a assinatura do contrato de venda (mais ou menos três semanas) e a partir da mesma, já se toma posse do seu novo lar. Os valores do cartório giram em torno de 2% do negócio.

O processo pode ser mais lento que o descrito, também como no Brasil. Tudo dependerá do que for necessário para a compra e do quanto se conseguir adiantar alguns passos.

Fazer com o auxílio de uma corretora com a qual se crie uma confiança pode ajudar em
todos os processos.

Bogotá é um ótimo lugar para se viver!

Related posts

5 motivos para morar em Bogotá

Lívia Maioli Soares

Vale a pena fazer MBA online?

Thaís Lima Galetti

A vida sem trabalho e sem filhos na Colômbia

Thaís Lima Galetti

2 comentários

Eduardo Ramirez Junho 25, 2018 at 6:48 pm

Boa tarde. Quais são os principais bairros de classe média em Bogotá? A partir da faixa de 800.000 reais se compra um apto de 3 quartos? A qualidade de vida se aproxima da qualidade de vida que se tem em bairros da zona sul do Rio de janeiro? Desde já agradeço pelas respostas 👍

Resposta
Liliane Oliveira Junho 26, 2018 at 2:30 pm

Olá Eduardo,
A Caroline Burlamaqui parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na Colômbia chamada Leticia Protector que talvez possa te ajudar.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação