BrasileirasPeloMundo.com
Armênia

Futebol na Armênia

A Armênia e o Futebol, e o Futebol na Armênia.

Estamos em plena Copa do Mundo e, embora a seleção da Armênia não tenha se classificado para a competição, o país está tomado pelo espírito futebolístico! A proximidade com a Rússia, país sede do campeonato mundial de 2018, impulsionou o turismo na Armênia, já que muitos dos torcedores que visitam a Rússia nesse período estão aproveitando a oportunidade para conhecer outros países da região.

Enquanto a bola rola na Rússia, Yerevan está em ritmo de Copa do Mundo, com muitos dos bares, cafés e restaurantes decorados com as bandeiras dos países que estão no campeonato, e muitos deles também estão transmitindo os jogos. Aqui, estamos 1 hora na frente do horário da Rússia, então a última partida do dia (que, no Brasil, acontece às 15h) começa às 22h, terminando pertinho da meia-noite. Se em outros lugares do mundo isso talvez fosse motivo para que a rua estivesse vazia, principalmente se tratando de um país que não está competindo no campeonato mundial, em Yerevan a cidade vibra e pulsa!

Leia também: Como os países vão celebrar a Copa do Mundo?

Eliminatórias da Copa

A seleção masculina da Armênia está em 100ª posição no ranking da FIFA. Nas eliminatórias para a Copa do Mundo 2018, a Armênia fez parte do Grupo E – o mesmo grupo da Dinamarca e da Polônia, que se classificaram para o mundial. Nos seus 10 jogos das eliminatórias, a Armênia somou (apenas) 7 pontos, e ficou em 5º lugar no grupo, na frente apenas do Cazaquistão. Dos 10 jogos, 5 aconteceram no Estádio Republicano (Republican Stadium) de Yerevan, e a Armênia venceu 2 destes jogos: em 11 de novembro de 2016, na partida contra Montenegro, e em 26 de março de 2017, na partida contra o Cazaquistão, que presenciei ao vivo e a cores!

Ver a seleção da Armênia jogando no Republican Stadium de Yerevan foi mais uma das experiências inesquecíveis entre as tantas que tenho vivido aqui! O jogo foi muito animado; os armênios demonstraram muita paixão pelo esporte vestindo as cores nacionais, carregando bandeiras, cantando muito durante o jogo, gritando HAYASTAN (o nome armênio da Armênia) diversas vezes e, é claro, fumando muito o tempo todo.

Henrikh Mkhitaryan, o craque que é o orgulho nacional

Durante as eliminatórias da Copa, Henrikh Mkhitaryan liderou o time, carregando a braçadeira de capitão. Ele é o grande craque armênio, e é o orgulho nacional: TODAS as camisas da seleção da Armênia que a gente encontra tem o nome dele, além dos bonecos uniformizados que homenageiam o jogador de futebol, que fazem enorme sucesso entre as crianças.

Henrikh Mkhitaryan foi para o Manchester United no meio do ano de 2016 e, em dezembro do mesmo ano, tornou-se o primeiro armênio a marcar um gol na Premier League, quando o Manchester United venceu o Tottenham por 1×0. Em janeiro de 2018, Mkhitaryan assinou com o Arsenal. O curioso é que Mkhitaryan também se tornou o primeiro jogador de futebol a marcar pelo Manchester United e contra o Manchester United numa mesma temporada!

Nascido em Yerevan em 21 de janeiro de 1989, Henrikh Mkhitaryan fez 6 gols com a camisa da seleção da Armênia durante as eliminatórias para a Copa do Mundo, mas infelizmente não conseguiu conduzir o time nacional à Copa do Mundo. A seleção da Armênia nunca jogou uma fase final de Copa do Mundo.

Salvem o futebol armênio!

Desde 2015, quando a Armênia terminou em último lugar na fase classificatória para o Campeonato Europeu, há um movimento que luta para resgatar o futebol armênio, numa tentativa de impulsionar tanto o time nacional quanto as ligas locais. Naquela época, o First Armenian Front (a maior das torcidas organizadas do país) submeteu à Football Federation of Armenia (a instituição futebolística do país) três demandas: primeiro, que um técnico internacional de alta qualidade fosse contratado para treinar a seleção armênia; segundo, que todos os candidatos ao time nacional tivessem oportunidade de jogar, sem discriminações; e, terceiro, que os preços para os jogos da seleção nacional fossem reduzidos.

com os dizeres “salve o futebol armênio!”, esta imagem pode ser vista em vários lugares / foto: acervo pessoal

O First Armenian Front, fundado em 2007, não só apoia a seleção quando joga em casa, mas também organiza viagens para que os torcedores locais tenham a oportunidade de acompanhar as partidas do time nacional, e também para reunir torcedores armênios de todo o mundo.

O então presidente da Football Federation of Armenia, Ruben Hayrapetyan, respondeu que o First Armenian Front representa um grupo pequeno de torcedores e que as suas demandas não poderiam ser consideradas como a voz de todos os torcedores do time nacional. A reação de Hayrapetyan é característica das lideranças tradicionais armênias; só agora, após a Velvet Revolution, é que começamos a ver algumas mudanças nas respostas às demandas diversas dos cidadãos (mais sobre a Velvet Revolution em breve!).

Os armênios são apaixonados por futebol, e é fácil notar que a vontade da população é de que o time nacional seja impulsionado para participar dos grandes campeonatos internacionais. Os 9 clubes armênios disputam a Copa da Armênia anualmente e, nesse ano, o clube “FC Pyunik” passará a ser chamado “FC Yerevan”, em homenagem à capital da Armênia, que é sua sede, no ano em que a cidade completa 2800 anos. Os outros clubes armênios são: FC Shirak, com sede em Gyumri; FC Lori, com sede em Vanadzor; FC Gandzasar-Kapan, com sede em Kapan; FC Banants, FC Ararat City, FC Alashkert, FC Artsakh, e FC Erebuni, todos estes com sede em Yerevan.

Muito ligados ao futebol e na história futebolística mundial, não é raro que muitos falem sobre os jogadores brasileiros com grande admiração – e não só de Neymar, Ronaldo ou Pelé, mas também Mané Garrincha, Rivaldo, Roberto Carlos, Taffarel, Romário, Bebeto e tantos outros que fizeram história no futebol brasileiro. A campanha “SAVE ARMENIAN FOOTBALL” é um manifesto real da vontade dos torcedores armênios em valorizar o esporte no país e projetar seus jogadores para o mundo, e a admiração que eles tem pelo futebol brasileiro está intimamente ligada a este anseio.

SaveSave

SaveSave

SaveSave

Related posts

Movimentos migratórios da Armênia

Leticia Tostes Ortega

Pratos típicos da Armênia

Leticia Tostes Ortega

Nove pontos negativos da vida na Armênia

Leticia Tostes Ortega

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação