BrasileirasPeloMundo.com
Hungria

Para Sonhar: Coragem

Para Sonhar: Coragem

Em resumo, sou uma brasileira daquelas que nunca pensou em sair do país, por estar satisfeita com a cidade, amigos e família, mas que um belo dia, conheceu um húngaro que virou tudo de cabeça para baixo.

Essa história pode ser bem comum por aqui, afinal somos muitas as que estão vivendo em um país totalmente diferente do que nascemos. No entanto, tenho uma outra característica: eu gosto de escrever.

Então juntamos uma aventura amorosa maluca, com alguém que gosta de escrever e o que acontece? Um livro!

O livro, na verdade foi a junção de dois sonhos. O primeiro sonho é a história contada, o encontro com minha metade num romance cheio de emoções. O segundo ainda está para acontecer: ter meu livro publicado e poder dizer que sou escritora.

Desde que conheci meu marido, tenho a vontade de escrever nosso romance, porém, durante muito tempo eu me ocupei mais de viver o acontecimento, de curtir cada momento da incrível mudança cheia de aventura, que foi mudar de país ao lado dele, e acabei deixando para mais tarde o trabalho de escrevê-lo. Envolvi-me tanto com cada detalhe que vivia, que cheguei a esquecer de que gostava tanto de escrever. Perdi-me na confusão de onde eu termino e ele começa, de tudo o

que eu gosto de fazer por ele e do que eu faço por mim… Fiquei um tempo sem lembrar-me de mim, principalmente quando o papel de mãe e esposa entrou em ação conjunta. Foi muito fácil sentir-me feliz por fazê-los felizes e se não tivesse um marido tão observador e atencioso, estaria vivendo dessa maneira até hoje, que era gostosa, mas deixava um pequeno espaço vazio: minha realização pessoal, meu hobby e sonho íntimo de ser escritora.

Não que o sonho de ser escritora tenha sido algum dia tão forte quanto o de ser esposa amada e mãe, mas depois de se realizar os maiores, tinha que passar para o próximo e lembrar-me de seguir sonhando nessa ordem decrescente, do mais importante dos sonhos aos mais insignificantes que possam existir. Sonho é sonho, não se pode abandonar.

Com isso na cabeça, sentei-me com meu marido e replanejamos minha vida toda para que eu levasse a escrita desse livro como um trabalho sério, com horários e prazos a serem cumpridos.

No começo senti-me perdida, afinal, quem mora fora do país pode acabar deixando o português enferrujar. O meu estava horrível, mesmo tendo sido muito boa nisso um dia. Por isso, dediquei- me a ler mais na minha língua e depois fiz um blog, que serviu tanto para treinar a escrita, quanto para ver o que as pessoas pensam do que eu faço. O blog deu-me muita força, progredi, aprendi, errei muito – tem muito erro de português nos primeiros textos, que eu ainda não tive tempo de corrigir, e não me envergonho de dizer, porque essa foi sua função – e pude mergulhar no trabalho tão desejado.

Com tantos anos passados, achei que teria dificuldades para relatar os acontecimentos, mas é incrível o exercício de memória que fazemos ao colocar detalhes no papel. É como seguir um novelo de lã sem saber onde termina, uma coisa puxa a outra e você vai passando por cada pedacinho necessário. Quando vê, está lá no passada, há 13 anos, como se fosse o dia de ontem.

Escrever o livro foi uma aventura no tempo.

Assim que terminei, meu marido – que é o meu maior crítico – fez questão de ler. E lá foi ele na viagem, junto comigo. Depois de cada leitura, vinha me abraçar onde quer que eu estivesse. Foi maravilhoso reviver tudo com ele, relembrar as dificuldades, olhar para todas as vitórias… Como ele mesmo disse:  “Se todo casal fizesse um livro de sua história, as separações seriam quase inexistentes”.

O livro nasceu da vontade de imortalizar e também de dizer ao mundo o quão forte é a força de vontade para realizar um sonho, a necessidade de não desistir antes mesmo de tentar e a importância de ouvir o coração. De quebra, deixou ainda mais forte o amor que já era intenso.

Hoje estou no Brasil, terminando o trabalho de revisão e começando a fazer os contatos com editoras. Com um pouco de sorte e mais uma dose (ou várias) de persistência – eu tenho de sobra – espero poder ver o livro pelas livrarias do Brasil em breve e… Existe grande possibilidade de ser traduzido para o húngaro e lançado por uma ótima editora que tenho contato na Hungria. Mas aí estou adiantando muito os passos, vamos devagar. Próxima tarefa: achar uma boa editora.

Não sei se isso é geral, mas às vezes sinto que as pessoas veem uma brasileira como eu, morando no exterior, e pensam que foi uma sorte danada, que foi fácil e que só ganhei muita coisa da vida.

Ganhei sim muita coisa e considero-me uma pessoa com sorte, mas muito dessa sorte fui eu quem fiz, eu que plantei, mesmo com poucas esperanças de darem frutos, quando outros temiam que desse espinhos. Eu apostei alto, deixei muita coisa de lado, por outras que considerava mais importantes, fiz minhas escolhas… Assim como eu, qualquer um pode ter sorte. Acreditem, nunca ganhei nem em sorteio entre três pessoas. Minha sorte é uma sorte suada e merecida, de uma

brasileira que construiu seu lugar no mundo e o que eu ganhei é proporcional ao que doei de mim.

O tamanho da sorte e do mundo é o tamanho da coragem para sonhar.

Related posts

Quanto custa fazer supermercado em Budapeste

Mayra Di Domenico

5 motivos para não morar na Hungria

Mayra Di Domenico

Custo de vida em Budapeste

Rafaela Baena

17 comentários

Ann Março 27, 2013 at 10:36 am

Carol amada, como ja te disse, nao vejo a hora de ler teu livro rs. Tenho certeza de que sera muito sincero e delicado.
Nossos sonhos, alguns acabam ficando para tras, ainda mais na nossa situacao, como voce falou, cuidando dos filhos, marido e casa, mas sempre e bom ler casos como o teu, que mesmo depois de passado muito tempo, teve a coragem para faze-lo acontecer.
Todo sucesso do mundo! 🙂 bj

Resposta
Carol Março 27, 2013 at 11:46 am

Ann, querida,
Obrigada pela oportunidade de escrever para esse seu blog lindo! E obrigada pela paciência. 🙂
As pessoas, principalmente as mulheres, tendem a envolverem-se com a vida de tal forma que vão deixando sonhos de lado. Isso não é tão ruim, afinal é em prol de novos sonhos e escolhas devem ser feitas, mas sempre é válido rever o que foi deixado para trás, pois existem sim possibilidades de recuperá-los e fazê-los acontecer.
Se com sonhos antigos ou com novos, não importa, o importante é continuar buscando algo, continuar sonhando e realizando.
Super beijos!!!

Resposta
Tati Sato Março 27, 2013 at 10:40 am

Oi Carol,

Eu AMEI o seu texto… Primeiro porque eu quero muito escrever um livro – e não tenho a menor idéia de onde começar. Adoro escrever… Mas, de escrever à virar escritora, de escrever os meus pensamentos soltos em um papel e os juntar todos… Bem, isso é um passo grande! 😉

Mas parabéns pela realização de um sonho. É engraçado como as pessoas nos vêem, brasileiras no exterior, como “pessoas que tiveram sorte”. Tivemos sorte sim porque arriscamos tudo, porque nos jogamos, de alma e coração e realizamos um sonho. Ninguém vê o que passamos no dia-a-dia, ninguém conhece nossa história como nós mesmas… Ninguém vê o quanto lutamos e o quanto continuamos lutando.

Bem, é isso!!! Tudo de bom nessa jornada com o livro! Vou seguir seus passos, pode acreditar! 😉

Resposta
Carol Março 28, 2013 at 11:16 pm

Oi Tati!!!
Que bom que gostou do texto! E fico muito feliz por ter te encorajado.
Eu também comecei meio perdida, com receio… Mas o segredo é continuar é fazer e fazer, nem que tenha que refazer a metade depois. Indo em frente você vai abrindo caminhos, vai se descobrindo e realizando o que sonhou. Um sonho pode parecer algo grande demais, longe demais, mas passo a passo chegamos mais perto de realiza-lo. Não pense muito, faça! 🙂 Estou na torcida por você e se quiser conversar qualquer hora, pode me procurar. 😉
É bem isso sobre morar no exterior… Uau, que sorte, você mora num lugar lindo, que conto de fadas… Sim, mas a gente faz mil loucuras e enfrenta mil dragões por dia (principalmente no começo) pra ter um final feliz, não é? 🙂
O legal é que qualquer um pode fazer, se é o que realmente quer e isso serve para QUALQUER tipo de sonho.
Em frente!
Beijos!!!

Resposta
Tati Sato Abril 3, 2013 at 5:51 pm

Hahahah! Eu rio por causa da parte do conto de fadas… Ai, Carol, se você soubesse… Se matamos um dragão por dia no exterior, aqui, nas Filipinas, eu mato uma hidra (sabe o monstro mítico de Hércules de nove cabeças – e que cada vez que uma era arrancada outra nascia?)! Haha! OK, o país é lindo, mas Manila não é não… Eu escrevi bastante sobre isso no meu blog…

Nós somos guerreiras! Acho que todas as mulheres são guerreiras. Mas, como eu entendo a batalha do choque de culturas, assim como você, acho que nós somos sim guerreiras. Enfrentamos leões, dragões e hidras diariamente. E por isso vencemos!

Sobre o livro… Escrevo um pouco por semana, um pouco por dia, quando tenho inspiração!!! E tenho certeza que vai dar certo! Assim como com você!!! =)

Um beijo!

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Março 27, 2013 at 10:44 am

Uau! Adorei o seu texto.
Também sou uma amante da escrita e uma sonhadora de plantão.
Não acredito em sorte, acredito em dedicação e persistência e muita gente acha mesmo que só por morar fora tudo fica mais fácil.
Pelo contrário, são tantos conflitos culturais, sociais e até mesmo de identidade que nossos sonhos muitas vezes ficam jogados na gaveta para viver felicidades, mas também muitas dores de cabeça. Sempre é bom ver que existe mais pessoas persistentes em seus sonhos por aí!
Quanto aos erros de português, uma vez ouvi de um amigo poeta que os erros em um texto são a forma mais sincera de escrita. É o jeito mais interessante de ler um texto e achar ali o autor, exatamente naquele momento. Muitos autores não corrigem seus textos e nem por isso, são menos significantes para a literatura então, se joga sem nêuras!
Seu texto só aumentou meu desejo de realizar todos aqueles meus sonhos que estão numa lista na mesa da sala! (sim eu fiz uma lista para nunca esquecer do que eu realmente quero e aonde quero chegar).

Parabéns!

Aliás, eu conheço um site onde você pode publicar gratuitamente o seu trabalho e vende-lo como e-book. Caso te interesse entra em contato que eu te passo o endereço 😉

Boa sorte e sucesso!

Resposta
Carol Março 28, 2013 at 11:21 pm

Olá Barbara!!!
Que bom ler comentários de quem se parece com a gente na maneira de pensar!
Também tenho listas e mais listas de sonhos e pequenas vontades, não deixo passar nada! 😀 Acho importante lembrarmos do que nos faz feliz, do que queremos. Os sonhos movem as pessoas a fazerem um mundo melhor, na minha opinião, afinal, imagina como seria se todo mundo se preocupasse em ser feliz, ao invés de se incomodar com a felicidade alheia…
Sobre o site, passa sim o endereço se puder. 🙂 É sempre bom saber de todas as alternativas.
Obrigada pelo lindo comentário!
Beijos!!!

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Abril 3, 2013 at 5:20 pm

esse é o site: http://www.xinxii.com/pt
ficadica para todas vcs 😉

bjs

Resposta
Lourdes Omitto Andersson Março 27, 2013 at 11:04 am

Parabéns Carol! Li seu resumo e me encaixei em quase tudo, também deixei tudo por um grande amor e também tenho muita vontade de escrever um livro, talvez dois, rs… longa história…, vou adorar ler seu livro, nos avise quando for publicado.
Muita boa sorte!
Super abraco!

Resposta
Carol Março 28, 2013 at 11:32 pm

Lourdes, que legal!
Escreva sim!
Escrever o livro foi uma aventura e tanto, viajei no tempo e fez um bem enorme a nosso relacionamento, que já era ótimo.
Pode deixar que aviso assim que o livro estiver pronto! 😉
Meu livro tb é só a primeira parte de uma longa história… ahahaha é só o comecinho…
O mundo precisa de finais felizes, não é mesmo? Ainda mais se é veridico. 😉
Um beijão!

Resposta
Christine Marote Março 27, 2013 at 1:55 pm

Caramba… poe avisar a gente quando sair… estou morrendo de curiosidade para ler essa sua história. Deve ser, no minimo, emocionante. Parabéns pela coragem de ir atrás dos sonhos… as vezes nos acovardamos, mas depois de ler esse texto é impossível não pensar no que estamos deixando para trás. Sucesso. bj

Resposta
Carol Março 28, 2013 at 11:36 pm

Christine, que lindo esse seu comentário!
Obrigada pelo voto de confiança e pode deixar que eu escrevo um texto avisando em letras garrafais quando sair o livro. ahahah
Obrigada pelo carinho!
Beijos!

Resposta
Ana CArina Março 27, 2013 at 3:13 pm

Que lindo isso tudo que voce falou!! Sou brasileira , estilista, apenas tinha começado minha marca quando conheci o amor da minha vida, ele falou “você tem que vir pra cá, estou te esperando”larguei tudo e vim pra França, assim como você , com a cara e a coragem, e dôo todo meu coração a esta relação de amor e a cada dia sou retribuída. As vezes o que as pessoas não entendem é o quanto tudo isto é obvio pra nós todas! AMOR!

Resposta
Carol Março 29, 2013 at 12:05 am

Olá Ana Carina!
É tão bom ver mais gente fazendo loucuras por amor pelo mundo… rsrsrs
Muita gente não entendeu minha decisão, muita gente julgou como precipitada, mas quem viveu isso sabe da certeza irrevogável de estar fazendo a coisa certa.
Quem sabe com o livro, meus sentimentos expostos, ditados em minucias, as pessoas entendam a intensidade de um amor assim e com isso, talvez entendam minha decisão. 🙂
Obrigada pelo lindo comentário!
Beijos!!!

Resposta
Ana Cristina Kolb Março 27, 2013 at 10:18 pm

Querida Carol, parabens e so posso dizer que também estou louca pra ler seu livro! Precisamos de estorias de sucesso, de CORAGEM, parabens! e TE envio muita energia positiva na sua busca de editora no Brasil! Muito sucesso ! Namasté!

Resposta
Carol Março 29, 2013 at 12:08 am

Ah Ana Cristina, querida, é muito bom receber essa energia positiva sua.
Sou persistente e cedo ou tarde eu estarei escrevendo aqui sobre o lançamento do meu livro, de um jeito ou de outro… rsrsrs
Obrigada pelo carinho!
Beijos!!!

Resposta
Zsombor Março 29, 2013 at 8:59 am

Querida,
mais um texto maravilhoso! Mostrando sua historia vc acaba dando forca para os outros tambem.
Continue…sempre
Zs

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação