Festas de aniversário infantis na Escócia

10
1595
Advertisement

Os escoceses são um povo de hábitos simples. Até um tempo atrás, festas de aniversários infantis nem eram comuns. Comemorava-se com um bolo depois do jantar, e olhe lá! Mas, hoje em dia, elas são bastante populares, e toda criança espera ter algum tipo de festinha em seu aniversário. As coisas continuam simples (ao menos quando se compara ao que estamos acostumados no Brasil), mas existem uma série de “regrinhas” de etiqueta que todo mundo espera que sejam cumpridas.

No Brasil, é muito comum que se faça uma festa no primeiro aniversário da criança. E, geralmente, acaba sendo um evento para adultos, porque a criança ainda não tem amigos próprios, e fica ali sem entender nada do que está acontecendo. Aqui na Escócia, as pessoas não veem muito sentido nisso. O mais comum é que se convide os avós, tios e primos (no máximo, mas muitas vezes nem isso) para um jantar ou almoço com um bolinho simples depois, em casa ou em um restaurante. E costuma ser assim até que a criança comece a frequentar a nursery, geralmente aos 3 anos de idade. Então, as primeiras “festas” mesmo acontecem depois dos 4 anos de idade, quando a criança já está na fase de ter amigos.

É possível fazer algo na escola, também. A mãe do aniversariante leva um bolo simples ou alguns cupcakes (que geralmente ela mesma fez, com a ajuda da criança) e, depois do lanchinho rotineiro, as professoras colocam uma velinha no bolo, todo mundo canta parabéns (sem bater palmas!) e pronto. As outras mães nem ficam sabendo, ninguém leva presentes, não há decoração, lembrancinhas, nada mais. A maioria dos aniversariantes também gosta de passar o dia com um “botton” de aniversário.

As festas de aniversário podem ser feitas em casa, em salões de igrejas, parques infantis (de soft play, por exemplo), em restaurantes, cafés, etc. Quase todos os locais frequentados por crianças possuem disponibilidade para festas. Mas a maioria comemora em casa mesmo.

Geralmente, os pais perguntam para a criança quem ela quer convidar, ou convidam só os amiguinhos mais próximos. Já ouvi falar de uma regrinha que diz que o número de convidados deve ser a idade da criança +1, mas nem todo mundo segue isso. Nada de convidar a turma toda da escola, mas cuidam para não excluir apenas alguns, ou seja, convidam menos da metade da turma. Ou se faz uma festa conjunta, quando os aniversários são próximos e as crianças são amigas e, aí sim, podem convidar toda a turma.

Os convites são enviados com pelo menos um mês de antecedência, e é fundamental (quase obrigatório) confirmar presença. Dependendo da festa, o convite avisa como a criança deve se vestir (fantasia, roupa de chuva, etcs). As horas de início e fim são cumpridos à risca: geralmente são duas horas de festinha, e apenas para as crianças. Os pais dos convidados não ficam, e voltam só para buscá-los (pontualmente!) ou, como já vi muito por aqui, chegam nos 15 minutos finais, para a hora do bolo e parabéns (mas só se isso estiver escrito no convite).

Entrega-se, junto com o presente (que não é aberto na hora) um cartão de aniversário. Os escoceses/britânicos amam cartões, e os enviam o tempo todo e em todas as ocasiões possíveis. A decoração costuma ser bem simples (alguns balões e uma faixa de Happy Birthday), mas as mães capricham nas brincadeiras para manter as crianças entretidas. Depois de brincarem, é servido um lanchinho. Ou seja, diferente do costume brasileiro de ter mesas de doces e salgados sempre à disposição. O menu pode variar, mas costuma ser sanduichinhos, palitos de vegetais, coisas saudáveis e simples. Depois, chega a hora de cantar parabéns. A maioria faz o bolo em casa, ou compra um decorado nos supermercados, onde há várias opções de bolos para festas infantis, nos mais variados temas. Canta-se parabéns, sem palmas e sem gritaria, o aniversariante sopra a vela, e aí vem a parte que brasileiros mais estranham: nada de servir o bolo para os convidados. Ele é levado para a cozinha, cortado, e os pedaços são embrulhados em papel-alumínio. A criança leva o bolo, embrulhadinho, para comer em casa. Não tem aquela imensidão de docinhos que esperamos ver em aniversários. Aliás, muitas vezes, o único doce é o bolo mesmo.

Uma coisa que não existia muito por aqui, mas que anda na moda é a tal sacolinha de lembrancinhas, que vem cheia de doces e brinquedinhos baratos. As mães com quem já conversei sobre o assunto não gostam desse novo costume, mas se sentem obrigadas a segui-lo porque as crianças acabam esperando por isso nas festas. Claro que a lembrancinha pode ser outra coisa, vai da criatividade de cada um.

Um tempo depois, o aniversariante deve enviar um cartão de Thank you, agradecendo cada presente. E é preciso especificar o presente, por ex: “Evan, muito obrigado pelo Lego que você me deu. Eu gostei muito. Com carinho, Isaac.” No último aniversário que fomos, junto com o cartão, também recebemos uma foto da hora do parabéns, com todas as crianças, para guardarmos de lembrança.

E é assim o “esqueleto” de uma festa de aniversário, que cada um adapta ao seu estilo mas sem esquecer das pequenas regras de etiqueta.

E vocês, o que acharam? Melhor ou pior que nossas festas brasileiras? E o brigadeiro? Dá pra passar sem?

10 Comentários

  1. Adorei o post!! E sinceramente achei bem legal esses costumes… tenho achado as festas infantis brasileiras um pouco exageradas, perdendo o sentido… mas o brigadeiro faz falta … hahaha… Beijos

  2. Nossa, achei perfeito. Estou com um filho de três meses e desde a gravidez falo que ele só terá festa de aniversário quando tiver idade para curtir a festa e ter amiguinhos. Acho absurdo o quanto se gasta em festas para crianças que as vezes passam a festa toda dormindo.
    E adorei o fato de não ter as comidas o tempo todo disponíveis. Sempre achei feio em festas as pessoas que atacam os doces antes mesmo do salgado e do parabéns. Haha
    Acho que já nasci com um pézinho no Reino Unido! Hahaha
    Vou super trazer essa cultuta pra minha casa. Adorei! 😍
    Parabéns pelo blog, adoro seus posts!

    😘

  3. Acho que ambas tem o seu lado positivo e negativo. No Brasil na minha opinião gasta-se muito com decoração acho que não é necessário tanto afinal depois vai tudo pro lixo, uma decoração simples é o suficiente sem grandes exageros. Lado positivo muita alegria, palmas 👏 e muita comida e brigadeiro bom demais.
    Na Escócia o importante é fazer uma festinha para o seu filho ou filha e não dar importância em decoração e sim a presença dos amigos e familiares. Lado negativo não acho que tem só há falta do brigadeiro kkkk

  4. Ameiiii acho que nós brasileiros somos muito exagerados, salões cheios de coisas que a criança não compreende.
    Mas acho que eles deveriam conhecer os brigadeiros!!!! 😉

  5. Gostei muito dessa naneira escocesa de comemorar os aniversarios de crianças.Fiquei com a impressáo que a idéia é que as crianças brinquem muito.Como médica acho ideal essa preocupaçáo com comidinhas saudáveis , em menores quantidades e sem muita decoraçáo. Criança gosta é de brincar!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui