BrasileirasPeloMundo.com
Alasca

Auroras boreais no Alasca

Auroras boreais no Alasca

Minha maior paixão e motivo para viver nesse lugar magnífico chamado Alasca são as auroras boreais. Adoro passar as noites frias e escuras do inverno admirando e capturando imagens desse show da natureza.

Me lembro da primeira vez que vi as auroras boreais. Tinha me mudado para o Alasca em maio, no início do verão de 2001 e não possuía a menor ideia do que eram essas auroras. Uma noite, no começo de setembro, vi um show mágico e intenso. O céu se cobriu de luzes entre verde, lilás e vermelho, de leste a oeste e por todo o lado norte.

 

As luzes se moviam como cortinas, e de cortinas se modificaram, dançando pelo céu, se transformando como se fossem grandes fitas verdes, mudando de intensidade e velocidade. Eu estava embasbacada! Deitei na capota do meu carro para assistir ao show e fiquei ali, sem palavras, admirando o inexplicável. Até me esqueci do frio da noite naquele começo de outono, só fui reparar quando comecei a congelar de frio.

Daí para frente é história. Me apaixonei pelas auroras boreais e tudo o que sonhei era em poder fotografá-las e capturá-las mostrando ao mundo, e principalmente aos meus amigos no Brasil, a magia do céu noturno. Muitos anos como fotógrafa, e eu não tinha experiência com imagens noturnas e em pouca luz. Aprender novas técnicas e aperfeiçoar o meu trabalho para fotografar as auroras boreais se tornou um desafio que mudou a minha vida e o meu foco profissional.

unnamed5

Eu estou sempre à procura da imagem perfeita, e buscando por fotografar de maneira realista e da melhor forma possível a natureza sem paralelos é fascinante, porque nunca sei como será o show de luzes. As auroras boreais são sempre diferentes, nunca se apresentam da mesma forma, estão em constante mutação.

Old Barn Aurora (1)

As auroras boreais (hemisfério norte) e austrais (hemisfério sul) começam no Sol, quando uma das manchas solares explode, enviando quantidades enormes de energia em direção à Terra. Chegando aqui, o vento solar (plasma do sol) é atraído pelos pólos magnéticos. Entra na atmosfera do nosso planeta excitando as partículas de oxigênio e nitrogênio, que por sua vez criam luzes. Essas são as auroras boreais/austrais e elas acontecem em torno de 80 a 200 km de altitude. Tem muito mais ciência entre o Sol e a Terra para que as luzes aconteçam, suas cores e formas, mas vou deixar essa parte para lá.

A experiência de ver as auroras boreais é o que quero compartilhar aqui. Na tradição dos povos nativos do Alasca as auroras boreais são os espíritos dos antepassados dançando no céu da noite, celebrando nascimentos ou boas caçadas; ou após um falecimento, acompanhando um novo espírito. Para a população do Alasca em geral as auroras boreais são sempre algo maravilhoso e interessante de se ver.

As auroras boreais não acontecem todas as noites como muitos pensam, ou como eu gostaria que elas acontecessem. Muitas vezes é um exercício de paciência. Mesmo com toda a ciência nunca podemos ter certeza se as auroras boreais acontecerão ou não, ou predizer o seu horário. Por isso todas as noites de céu claro e estrelado eu estou pronta para caçar luzes. Se for preciso viajo para outras áreas do Alasca procurando por céu limpo, estrelas e esperanças de auroras boreais.

 

Meus amigos me apelidaram de Aurora Dora e eu não poderia ter um apelido melhor. As auroras boreais e o céu noturno são a minha vida. Durante o período em que temos noite no Alasca e a possibilidade de vermos as auroras, do final de Agosto ao inicio de Maio, eu durmo durante o dia para fotografar durante a noite.

Essa busca por fotografar as luzes já me levou a muitos lugares diferentes do Alasca e a vivenciar experiências incríveis. Normalmente centralizo o meu trabalho próximo da região de Talkeetna, aonde moro. Mas o Alasca é tão grande que numa mesma noite fotografando e caçando auroras boreais posso percorrer mais de 400 km de estradas.

unnamed (2)

Muitas vezes caminho por trilhas com raquetes de neve (snowshoes), outras vezes em motos de neve (snowmobile) até encontrar o lugar perfeito para compor minhas imagens. Sempre presto atenção a possíveis encontros com os animais selvagens, observando as trilhas e pegadas deixadas na neve. Pelo menos no inverno eu posso relaxar um pouco mais sabendo que os ursos estão hibernando.

Preparação é muito importante para mim. Muitos não compreendem como eu posso ficar horas e horas do lado de fora em temperaturas que chegam à 45 graus Celsius negativos. Me visto com camadas e mais camadas de roupas, que não seriam apropriadas para um desfile de moda, mas isso não me importa. Equipamento de extremo frio e preparação para mim são sinônimos de sobrevivência.

 

Há alguns anos atrás eu estava sozinha fotografando no meio de um lago, quando de repente o gelo quebrou debaixo de mim, me derrubando na água gelada. Foi um choque! Choque térmico e de adrenalina. O único pensamento na minha mente era “eu tenho que sair daqui”, “eu tenho que sair daqui”. Depois de tentar me firmar e me erguer para fora da água colocando um dos meus joelhos acima do gelo, isso não funcionou. O gelo continuou quebrando todas as vezes que eu tentava me puxar para fora da água. Era tão frio que estava se tornando difícil respirar, e ficando cada vez mais difícil de pensar. Um último “eu tenho que sair daqui” foi muito mais forte. Usei o tripé com a minha câmera ainda conectada à ele, para distribuir o meu peso e deslizar pelo topo do gelo para fora da água. Assim que saí da água minhas roupas congelaram instantaneamente se tornando sólidas como pedra. Do meio do lago, aonde estava, até a margem e segurança do solo firme não sabia se corria ou andava. Que aventura!

 

O que mais me recordo dessa noite foi esperar pelo momento perfeito para capturar uma das minhas fotos prediletas, “colourful winter night”. Cada uma das minhas imagens tem a sua história. Poderia passar dias contando todas elas. Mas escrevendo esse texto confirmei o que eu já sabia: é impossível descrever as auroras boreais. É como descrever o inexplicável acrescentando cores, energia e no meu caso amor.

Eu amo o que eu faço!

Related posts

Curiosidades sobre o Alasca

Dora Miller

Posse do Donald Trump como presidente

Lorrane Sengheiser

Coisas de mulherzinha?

Lorrane Sengheiser

18 comentários

monica Janeiro 18, 2015 at 1:13 pm

Dora! Que trabalho maravilhoso! Até me emocionei vendo suas imagens! Pretendemos ir ao Alasca em 2016 e adoraria trocar algumas ideias para pode apreciar um pouco deste céu maravilhoso! Parabéns pelo lindo trabalho!

Resposta
Dora Miller Janeiro 21, 2015 at 9:32 pm

Muito obrigada Monica! Voce vai adorar o Alaska. No que eu puder ajudar com informações daqui pode contar comigo.

Resposta
Carla - Sonhos na Itália Janeiro 18, 2015 at 1:22 pm

Meu Deus, deve ser realmente mágico presenciar esse fenômeno, que como disse e é verdade, tem muita ciência por trás! Imagino todas as aventuras que passou. E que susto cair em água congelante! Que sufoco! Toda aventura tem seus riscos. Adorei o texto! Baci

Resposta
Dora Miller Janeiro 21, 2015 at 9:39 pm

As auroras sempre me levam a novas aventuras… e riscos 😉 Obrigada pelo comentário Carla. Beijos

Resposta
Lyria Janeiro 18, 2015 at 4:36 pm

Muito obrigada por nos “presentear” com imagens tão bonitas! A natureza é mesmo fan-tás-ti-ca! 🙂

Resposta
Dora Miller Janeiro 21, 2015 at 9:42 pm

Lyria, adoro poder compartilhar as belezas das auroras. Concordo completamente com você, a natureza é fantástica!

Resposta
Joy Matta Janeiro 18, 2015 at 10:17 pm

Lindo! Assustador!! Maravilhoso!! Lindo trabalho!

Resposta
Dora Miller Janeiro 21, 2015 at 10:03 pm

Muito obrigada Joy!

Resposta
Sílvia Nogueira Janeiro 19, 2015 at 11:35 am

Vc é fantástica e suas fotos me permitem estar em contato com Vc. Bjs

Resposta
Dora Miller Janeiro 21, 2015 at 10:05 pm

Silvinha querida, muito obrigada! Beijos

Resposta
Fernanda Moura Janeiro 19, 2015 at 1:55 pm

Dora, que espetáculo suas fotos! Adorei o texto e sua paixao pela fotografia e pelas auroras boreais transbordam ao longo do texto. É muito bacana ( e raro) encontrar pessoas realmente apaixonadas pelo que fazem. Parabéns! Beijos 🙂

Resposta
Dora Miller Janeiro 21, 2015 at 10:15 pm

Bom saber que consegui transmitir a paixao pelo que faço e o meu amor pelas auroras no meu texto. Muito obrigada Fernanda. Beijos

Resposta
Simone Francisca Janeiro 20, 2015 at 6:52 pm

Que fantástico, Dora. Adorei o seu texto e é claro suas fotos que mais se parecem uma pintura em um quadro. A natureza é realmente maravilhosa. Parabéns pelo seu trabalho!! Beijo 🙂

Resposta
Dora Miller Janeiro 21, 2015 at 10:54 pm

Obrigada Simone! A natureza é o máximo e aqui no Alaska é o que não falta. Beijos

Resposta
Luciana Damasceno Janeiro 21, 2015 at 9:42 pm

Adorei, fotógrafa sensacional! Parabéns!

Resposta
Dora Miller Janeiro 21, 2015 at 10:54 pm

Obrigada Luciana!

Resposta
Juliano Março 14, 2016 at 8:25 pm

Nossa que privilegio !! , parabéns pelo seu trabalho .

Resposta
Egídio Leão Março 18, 2019 at 12:16 am

Matéria espetacular…Amo demais esse lugar magnífico da Terra chamado Alaska 😍

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação