BrasileirasPeloMundo.com
Austrália Leis & Advocacia Pelo Mundo

Direitos trabalhistas no Brasil e na Austrália

Direitos trabalhistas no Brasil e na Austrália.

Uma coisa que é bem diferente entre a Austrália e Brasil são os direitos trabalhistas. O Brasil é um país bem paternalista em sua legislação trabalhista. É ótimo, se você é contratado CLT, mas bem complicado e oneroso se você é uma empresa. Não é à toa que o mercado informal cresce tanto ao longo dos anos.

Um dos grandes objetivos de quem vive no Brasil é conseguir um emprego estável, com contrato de prazo indeterminado em uma empresa com diversos benefícios. Contratos com prazo determinado no Brasil normalmente são para terceirizados e consultores independentes. Aqui na Austrália a coisa é bem diferente.

Há muitas razões para tanto. Primeiro porque a Austrália inteira tem 24 milhões de habitantes e só em São Paulo são 20 milhões – no Brasil, em torno de 200 milhões. Isso no mercado de trabalho significa que se você não fizer seu trabalho direito tem 50 dispostos a fazer por 1/3 do seu salário. Essa insegurança faz o brasileiro trabalhar muito e viver tentando se qualificar mais e mais para ser um diferencial.

Enquanto isso, em terras australianas, dependendo da sua profissão não é preciso nem ensino médio. Um curso técnico te dá a qualificação necessária para ter uma profissão reconhecida e uma vida estável. Isso acaba desafogando as universidades. Aqui, nem todo mundo tem nível universitário.

Outra grande diferença: contrato por prazo indeterminado não é o objetivo maior dos australianos. Frequentemente eles preferem contrato com prazo determinado para ter liberdade de escolha. É muito mais comum você receber uma oferta de trabalho com prazo determinado, renovável no final.

Em relação a férias, depende de seu contrato. Eu tenho 20 dias úteis por ano e meu marido, também. Tenho amigos que têm 30 dias e outros, 10. Aqui você adquire direito às férias mês a mês. Se em 3 meses de trabalho você quer tirar umas miniférias, pode – não precisa trabalhar um ano para ter direito a férias como no Brasil. E se você quer tirar 30 dias em vez de 20, pode tirar os 10 restantes não remunerados, sem prejuízo ao seu trabalho.

Em geral, os benefícios dependem do seu contrato de trabalho. Muitos oferecem um dia de folga a cada mês, normalmente para quem trabalha em fábricas. Além dos 20 dias úteis de férias, é normal se ter 10 dias de personal/sick leave (licença pessoal ou doença) que, assim como as férias, se adquire mês a mês. E aí, se você não quer trabalhar um dia, pode ligar e tirar um dia livre sem justificativa nenhuma, ou pedir com antecedência um dia para estudar, prolongar um feriado ou descansar.

Seguro saúde, vale alimentação, vale transporte, vale restaurante e supermercado e FGTS não existem por aqui. As grandes empresas oferecem desconto em seguro saúde e olhe lá. Claro que a maioria das pessoas têm seguro público e esse funciona diferente do Brasil.

Vale refeição não existe. A maioria dos australianos leva almoço de casa. É super comum ir comer um sanduíche no parque.

Outro benefício brasileiro que não existe é o 13º salário. Algumas empresas dão bônus por resultados. No Brasil algumas empresas oferecem 13º salário e bônus.

A licença maternidade é paga pelo governo por 6 meses e você recebe um salário base mínimo. Não existe estabilidade para grávidas. Você pode dizer que está grávida e ser mandada embora no dia seguinte. Inclusive uma ministra acabou de ser mandada embora por estar grávida. Na entrevista, a justificativa foi que com bebê ela não teria condições de exercer com qualidade seu cargo. A propósito, não existe preferência em filas para gestantes. O que os empregadores são obrigados por lei é garantir a sua vaga de emprego por até um ano e em alguns lugares, dois anos, após você ter o bebê.

A licença paternidade é de 3 dias, podendo ser de até 5 dias,se o médico da mulher recomendar que ela precisa de ajuda, recomendação esta que a maioria dos médicos faz.

É comum as empresas pagarem o ‘Superannuation’, uma espécie de previdência.

Quando comento com as pessoas aqui a quantidade de benefícios que temos no Brasil eles fiam chocados. Minha chefe uma vez perguntou como as empresas sobrevivem tendo que gastar tanto dinheiro com os empregados.

flickr
flickr

O Brasil tem infinitamente muito mais benefícios trabalhistas do que a Austrália. Minha percepção é de que o australiano quer ser mais livre, e a relação de trabalho é bem leve mesmo. Começa com a negociação na oferta de um emprego, estendendo-se ao dia a dia até a relação com esse emprego.

Related posts

Direitos do Consumidor na Suíça

Lúcia Bastos

5 passeios imperdíveis pelos arredores de Melbourne

Sheyne Tanaka

Como alugar apartamento na Austrália

Evelyn Nigri

38 comentários

Francisco Nobre Abril 15, 2016 at 12:10 pm

Concordo que as leis trabalhistas no Brasil são paternalistas. Mas, é uma questão cultural e histórica. O empresário brasileiro talvez seja muito mais predador do que o australiano. Se no Brasil vigorasse o sistema australiano (de tradição inglesa) nenhum empresário daria férias, bônus, 13º, licenças, etc. Seria como ocorre na India, onde vigora a politica inglesa nas relações trabalhistas (ou seja, praticamente somente há a exigência legal de pagar salário, o resto é negociado entre as partes), mas os empresários são tão ou mais predadores que os brasileiros, ou seja, é o pior lugar no mundo para ser empregado. A negociação entre um empresário, mesmo pequeno empresário, e um trabalhador é sempre desigual, imagina se pensarmos entre uma gigante multinacional e um operário em inicio de carreira. Se não houver leis que o protejam, o empresário pode “pintar e bordar” e tratar o trabalhador como um semi-escravo, principalmente em momentos de crise econômica. Claro que aí entra a questão ética e cultural, que é forte entre os ingleses e os países que foram colonizados por eles. Isso é um bom atenuante da sede de lucro. Mas, o Brasil foi colonizado por portugueses, que tiveram uma outra mentalidade ao chegar por aqui (isso é fato histórico), ou seja, retirar o máximo que podiam e voltar para seu país (tanto que a palavra “brasileiro” deveria ser utilizada para profissão e não ser um gentilico, nós deveríamos ser brasilianos). Ficou por aqui muito dessa mentalidade. Mas não é só isso. As empresas sobrevivem no Brasil porque pagam salários baixos em relação a países como Austrália. Toda empresa no Brasil sabe que, para cada R$1,00 que ela paga de salário, terá que arcar com cerca de R$0,90 de encargos e benefícios obrigatórios. Assim, não dá para pagar os R$1,90 diretamente ao empregado, mas, no máximo os R$1,00 (talvez R$0,90). O resto ele receberá em benefícios se precisar. Aí na Austrália (só uma hipótese), o empregador talvez pague algo como R$1,50 ao trabalhador e R$0,30 em alguns benefícios legais obrigatórios. Os R$0,10 restantes é o que se pode chamar de Custo Brasil, ou seja, é nossa ineficiência mesmo. O trabalhador que ganha esses R$1,50 deve sabe que precisa poupar ou fazer seguro que o garanta em períodos de vacas magras ou doenças. Aqui no Brasil quase ninguém se preocupa com isso, pois tem o FGTS, que garante um pecúlio em caso de desemprego, e o INSS, que paga o salário integral do trabalhador em caso de doença ou maternidade, É paternalista, mas agora fica difícil o Brasil se lançar no modelo inglês sem a tradição inglesa, pois o que nós conseguiremos será nos transformar em algo talvez pior que a India.

Resposta
Aline Arruda Abril 16, 2016 at 7:28 am

Oi Francisco, tudo bem?
A Inglaterra fez da Australia uma colonia de exploração também, Chegou matando os nativos (Aborígenes) em busca de ouro. Acredito que com exceção dos EUA, que foram de fato colonizados, as outras ex colônias foram exploração. Vide o que fizeram na India, Africa do Sul. A joía da coroa da Rainha (aquele rubi gigante) estava no Taj Mahal.
Vale lembrar que os sindicatos surgiram na Inglaterra exatamente para proteger o empregador. Aqui Não é tão diferente. Se as empresas podem não dar benefícios, não darão. Não vejo os empresários australianos diferentes de nenhum do mundo. Todo mundo quer ganhar dinheiro, e se o custo for o empregado, que seja. Paises como India não tem leis trabalhistas, por isso exploração acontece.
Na Asutralia, se negocia o contrato com empregador. Eu não tenho quase nenhum beneficio. Até licença maternidade quem paga é o governo para não onerar as empresas. Ai tem algumas empresas que adiciona beneficios como diferencial na hora de contratar. Hoje com crise, não tanto, mas no boom da mineração, fazia a maior diferença. Se quer mais informação, pesquisa Gina rineheart, mulher mais rica da australia que disse uma vez que o salário mínimo da Australia faz as empresas não serem competitivas e que se fosse $1,00 a Australia estaria bem melhor economicamente. Ou Clive Palmer, Senador aqui.
Meu ponto, é que muito se reclama do BRasil, mas quando comento com os australianos quantos beneficios um empregador tem, ninguem acredita. Sempre falam, como as empresas sobrevivem? Muito empresário brasileiro te dirá: com caixa 2. Impossível nãi sibreviver com caixa 2 no Brasil.
Vivemos num mundo capitalista. Como se diz em inglês, money talks (o dinheiro manda).
Abraços

Resposta
Rodrigo Maio 17, 2018 at 2:22 pm

A velha visão de que o empresário é mau! rsrs o empresário quer ter lucro, e vai sempre pagar aquilo que pode, a unica diferença é que no Brasil o empresário diminui seu salário pra pagar seus benefícios, gente, é coisa muito simples, muito óbvia, ele não liga se é obrigado a pagar 50 beneficios, o que ele conta no final é que vai gastar X por mes com você, o pessoal acha que o empresário gasta mais por vc ser CLT, e se nao fosse isso que vc receberia o mesmo salario sem beneficios, pq o empresário é do mau! rsrsrsrsrsrs engano básico, todos os países bem desenvolvidos e no topo da liberdade economica nunca aplicarão uma coisa como a CLT, pois ela é ruim pra todo mundo.

Resposta
Eduardo Abril 15, 2016 at 7:30 pm

Ótima matéria. Dúvidas que sempre tive.

Uma dúvida que ficou, referente a nossa previdência social (INSS). Como funciona a aposentadoria aí?

Abraços!

Resposta
Aline Arruda Abril 16, 2016 at 7:15 am

Oi Eduardo,
Aposentaria aqui é parecido com o Brasil. Através do Superfund, o empregador que paga. Porém, a grande diferença: não é do governo, mas privado. Não é um fundo de previdência, mas encargo da empresa. Mudou há uns anos. Assim, o governo não quebra por contada previdência, a empresa que é obrigada a recolher.
Abraços

Resposta
Eduardo Abril 20, 2016 at 12:21 pm

Oi Aline, muito obrigado pela resposta.

Para um brasileiro que está migrando, já com seus 30 e poucos anos (contribuindo ao INSS nos últimos 10), qual seria a melhor forma de “aplicar” no superfund? Visto que obviamente não teremos o tempo de aplicação para uma aposentadoria tranquila.

Imagino que uma possibilidade seria, após 2 (ou 3 nao me lembro exatamente) anos sem novos depósitos no FGTS, eu posso sacar o pinheiro. Converto e aplico no superfund. É isso?

Obrigado mais uma vez.

PS: Seria legal se o site ao publicar o comentário, enviasse um email para quem escreveu. 🙂
Estou na correria da mudança e quase me esqueci que tinha deixado uma pergunta aqui.

Resposta
Aline Arruda Abril 20, 2016 at 1:01 pm

Oi Eduardo,
Então, eu não faço a menor ideia. Talvez seja legal você consultar alguma agência ou entrar em contato com o governo australiano e ver com eles. D’a uma olhada nesse site: https://www.australiansuper.com/, talavez tenha aqui. Acredito que você possa sim depositar um valor a mais e investir na aposentadoria aqui, mas dá uma confirma no site.
O INSS no BRasil vc não perde, ele fica lá. O porém é que, até onde eu sei, vc só consegue a aposentadoria se contribui os 35 anos para homem, 30 para mulher. Eu continuo constribuindo.
Boa sorte, e obrigada por ler o blog.
Aline

Resposta
Eduardo Abril 26, 2016 at 3:16 am

Ok Aline, obrigado pelas resposta e pelo link! 🙂
Abraços!

Nicomedes Abril 17, 2016 at 1:41 am

Muitas pessoas reclama do Brasil pelas leis trabalhistas e proteção ao trabalhador. Morei nos EUA, Canadá, Inglaterra, Brasil e Austrália. O trabalhador não tem direito a qse nada. São escravos dos trabalhos duros corridos 30 minutos de almoço eles te manda embora a qual quer momento e o trabalhador sai com um de pé na bunda só recebe o dias trabalhados e mais nada.
Se ele não for com sua cara te demite na mesma hora e só recebe a hora trabalhada e sem contatar que as pessoas sofrem assédio moral no trabalho e não é crime na Austrália isso quer dizer então que o cara pode te chingar e gritar com as pessoas. Kkkk E se responder o empregador sai tocado da empresa. As leis trabalhistas deles protege o empregador. São escravo do trabalho o empregado. Se eu for falar de artigo e leis súmulas etc trazer o direito para cá não vou encerrar isso. Mas essses países são fraquinhos para leis trabalhistas aliás nem existe leis coisa nenhuma.

Resposta
Aline Arruda Abril 18, 2016 at 1:53 am

Eu, pessoalmente, acho o sistema brasileiro bem paternalista. O encargo para emrpesa é imenso.
Existem leis trabalhistas, mas os benefícios nem se comparam com o Brasil. Nme preferencia para grávidas existe aqui.

Resposta
Rodrigo Maio 17, 2018 at 2:26 pm

por isso que esses paises sao desenvolvidos e as PESSOAS, tem qualidade de vida infinitamente melhor que aqui, eu duvido muito que vc tenha morado em qualquer um desses paises pra falar uma besteira dessa mas ok rsrsrs

Resposta
Julimar Domingos Abril 29, 2016 at 6:10 pm

Gostei muito do seu esclarecimento sobre alguns pontos na Austrália,Gostaria de saber como é a integração dos australianos com imigrantes?discriminação ?

Resposta
Aline Arruda Abril 30, 2016 at 9:37 am

Oi Julimar,
Eu, pessoalmente, nunca vivi nenhum tipo de descriminação. Sempre fui muito bem tratada e profissionalmente, respeita. Já ouvi casos, mas Principalmente com chineses e indianos.
Abracos

Resposta
Rafael Setembro 2, 2016 at 9:05 pm

Olá, Aline!

Pelo que escreveu a impressão que se dá é a de que é terrível trabalhar na Austrália; uma exploração desleal da mão de obra do contribuinte.

Acredito que você, morando aí, deva ter muitíssimo mais conhecimento de causa que eu. Então queria lhe questionar se, em sua opinião, é melhor ser um trabalhador australiano ou brasileiro.

Eu vejo sempre os brasileiros, quase que a maioria, ao ir para Austrália, falando dos altos salários, do respeito do patrão frente ao subalterno, das condições salubres e adequadas dos locais de labor, da jornada de trabalho que gira em torno de 7 horas em diversos lugares, além da cultura de fechar tudo muito cedo {17h}, para que os trabalhadores possam desfrutar do resto do dia e ter mais opções para qualificar a vida.

Mas queria saber de você se esse tipo de informação é tendenciosa e não reflete a verdade da vida real australiana e até aonde é verdade e até aonde é mentira.

Eu tenho muito interesse em saber mais sobre a Austrália, como um trabalhador vive, como ele consegue ter acesso a saúde, lazer, transporte, enfim… qualidade de vida. Porque penso que um país que está praticamente há uma década em segundo lugar no IDH mundial em há muuuuuuitos anos entre os 10 melhores do mundo não deve ser selvagem com aqueles que trabalham para seu crescimento.

Muito obrigado pela atenção!

Att.: Rafael

Resposta
Aline Arruda Setembro 5, 2016 at 1:42 am

Ola Rafael, tudo bem?

Olha, não foi isso que eu escrevi. O que eu enfatizei é que no Brasil se tem muito mais benefícios que aqui. Mais MUITO mais. Acho que depende. Em relação a estabilidade, a carga de trabalho, equilibrio de vida pessoal e profissional, aqui é muito melhor. Mas em relação a dirteitos trabalhistas, o Brasil é bem melhor.

Não é tendenciosa não. O post foi relacionado a direitos trabalhistas e a impressão de cada pessoa é por ai mesmo. Se ganha bem, mas gasta bem também. Você consegue pagar suas contas sendo pedreiro, por exemplo. Ter uam vida digna, condições de trabalho, EPI’s, tudo certinho. Mas não espere 13 salário, nem vale refeição. Na verdade, pedreiro ganha muito bem. Entendeu a diferença?

Morar aqui é muito bom para qualidade de vida e para equilibrio de vida pessoalXprofissional. Meu turno acaba 4pm, as 4:05 eu to no carro. Para você ter uma ideia. Dá uma olhada em meus outros posts, já escrevi sobre qualidade de vida, custo de vida, como é morar aqui, trabalho na área e em outras áreas.

Boa sorte, e qualquer dúvida, só mandar
Abraços
Aline

Resposta
Rodrigo Maio 17, 2018 at 2:28 pm

entenda também que quanto mais o empresario é prejudica influencia na qualidade de vida de todos, basta ver quais países que usam um sistema paternalista (e que na pratica, prejudica os funcionarios) igual ao Brasil.

Resposta
Eduardo Alves Setembro 8, 2016 at 3:22 am

Desejo que um dia o Brasil terá a mesma legislação trabalhista de países como Austrália, USA, entre outros.
Aline Arruda, recomendo que você veja esse texto.

http://portalcontabilsc.com.br/noticias/brasil-tem-o-maior-nivel-de-encargos-e-direitos-trabalhistas-do-mundo/

Porém afirmo a você que esse custo adicional de 71,4% esta errado. De acordo com fontes, livros de Adalberto Chiavenato e matérias do jornalista Joelmir Beting, o Brasil tem uma carga tributária de aproximadamente 102%. É impossível competir com qualquer outro país.

Estou estudando me mudar pra outro país nos próximos anos, pois abrir empresa por aqui é quase suicídio. O nosso Brasil será a nova Síria, infelizmente os governos socialistas do PT e PSDB afundaram a economia.

Abraços

Eduardo Alves
São Paulo/SP

Resposta
Carlos Soares Outubro 25, 2016 at 11:20 am

Ola Aline. Eu gostaria que você me explicasse se aí o trabalhador precisa se preocupar com gastos com educação particular,plano de saúde, seguro do carro, segurança de condomínio enfim, tudo o que aqui no Brasil o Governo não nos concede e que somos obrigados a tirar do bolso. Aqui no Brasil precisamos estar sempre trabalhando porque tudo o que o governo deveria dar pro povo simplesmente não temos., e se quisermos algo de qualidade precisamos pagar por isso. Pra te dar um exemplo hoje nem sonho em sair da empresa onde trabalho porque tenho um bom plano de saúde e um filho de 2 anos pra criar e eu sei que se precisar de hospital público de qualidade não encontrarei.. Eu creio que aí o que mais seduza seja sim a qualidade de vida. Agora preciso que você me explique se essa mesma qualidade se aplica ao desempregado, ou seja se ele tem acesso a saúde boa qualidade, educação, segurança etc. Abraços!

Resposta
Aline Arruda Outubro 27, 2016 at 3:24 am

Oi Calor.
Depende! Se você é Australiano, tem residência ou cidadania tem opções de saúde e educação pública. Se é estrangeiro tem que pagar (e bem caro) por tudo.
Seguro de carro, claro que sim. A não ser que você queira arriscar bater no carro de outra pessoa e ter que pagar o conserto. Já quebraram o vidro do meu carro aqui e levaram as coisas que estavam dentro.
Segurança se tem sim, existe criminalidade também.
Eu sei, eu morei 30 anos da minha vida no Brasil e sei bem como é morar ai.
A qualidade de vida é o ponto alto, com certeza.
De novo, se você é australiano terá seguro desemprego sim. Estrangeiro não.
Abraços

Resposta
Carlos Soares Dezembro 24, 2016 at 9:22 am

Olá Aline! Realmente pesquisando a respeito de direitos sociais em vários Países desenvolvidos nos quais eu gostaria de morar, percebo que,tirando os escandinavos, a maioria não possua nem a metade do que temos no Brasil, mas eu creio também, e você pode me corrigir se eu estiver errado no caso da Austrália, é que como há menos benefícios sociais, consequentemente há menos gastos do Governo e assim menor necessidade de arrecadação e menos impostos. E creio que menor carga tributária renda mais consumo e economia mais aquecida e mais empregos, fazendo com que haja um número maior de empregados. Eu creio que essa seja a equação mais correta para um desenvolvimento mais sustentável. Garantir o presente em caso de desempregado e o futuro tranquilo acho que seja uma questão apenas de educação financeira de cada um, e sem interferência de Governo como no caso da Previdência Social. Gostaria de saber se é mais ou menos assim aí na Austrália.

Resposta
Aline Arruda Dezembro 29, 2016 at 8:04 am

Oi Carlos, tudo bem?
A carga tributária na Australia é bem pesada. Menos benefícios, significa também menos gasto para empresas. Não tem mais emprego, tinha mais demanda pois tem menos gente, mas isso foi antes da crise. Hoje mesmo estive no centro da cidade e tem muita loja fechando.
O Canadá é um pais que tem pouco benefício social e se paga 50% de imposto. A relação quanto se paga de imposto com benef;icios sociais custeados pelo governo é bem relativa.

Resposta
Luciana Fevereiro 14, 2017 at 1:46 pm

Aline,
Tudo bem?
Aqui no Brasil recebemos a aponsentadoria de acordo com a média das contribuições que fizemos durante a vida e ha um teto pelo INSS. Como isso funciona na Austrália.Vc continua contribuindo para a previdência aqui no Brasil?Muito obrigada, Luciana

Resposta
Aline Arruda Fevereiro 16, 2017 at 11:56 am

Oi Luciana, tudo bem?
Aqui é igual a privada no Brasil.: não tem um teto, e você contribui quanto quiser e receberá quanto contribuiu. A diferença é que se ao se aposentar quiser sacar tudo, pode. Ou pode receber por mês, sua escolha :-).
Eu contribui no Brasil até mudar a lei. Ai percebi que vou ficar contribuindo até completar 70 anos? Optei por não e o dinheiro que depostava lá, deposito aqui.

Abraços
Aline

Resposta
Rafael Março 24, 2017 at 5:45 am

Vc esqueceu de fala !
valor ,em dólar de um salário mínimo .
nos 2 país
É o valor de compra de cada

Resposta
Rafael Março 24, 2017 at 5:49 am

Quando fala os benefícios kkk fale o valor do salário mínimo nos 2 país
Eu garanto ! que eles vão pergunta kkk como os brasileiros conseguir viver kkkk

Resposta
Rafael Março 24, 2017 at 6:15 am

Cálculo por baixo kkk
Na Austrália o salário mínimo ( a baixo ) em dólar E de 9,50 a hora .
Aqui tem que trabalhar 220 horas por mês kkk vamos lá !
9.50 × 220 = 2090 dólar mês
Aqui não em 2015 e de 300 e pouco dólar por mês
2090 menos 300 = 1790 dólar
Agora colocando que o custo Brasil e outro salário kkk
Sobra 1490 dólar
Quem tá pagando mais ?

Resposta
Rafael Março 24, 2017 at 6:28 am

Confundi as horas kkkk essa hora e o máximo que pode trabalhar kkk
176 horas × 9.50 dólar = 1.672 Australia
Brasil mês em dólar em 2015 era de 300 dólar

Resposta
Aline Arruda Março 25, 2017 at 2:21 am

Rafael:
Se fosse tão simples assim essa conta que você fez….
MAs meu post não é sobre salários, sim sobre Direitos Trabalhistas. Eu não esqueci de falar de salário, eu não quis mesmo exatamente porque o buraco é beeeem mais embaixo e a conta bem mais complexa do que a que você fez ;-).
Obrigada pelos comentários e por acompanhar o blog.
Abraços

Resposta
G. Do Carmo Fevereiro 8, 2019 at 11:06 pm

Moro na Austrália há 30 anos nunca vi ninguém trabalhando 220 horas por mês. Pode até ser que temos menos benefícios, mais os direitos estão aí. Se o patrão não for com a sua cara e te demitir o sindicato entra em ação. Se você é residente permanente os seus direitos são os mesmos que o cidadão. Temos Saúde Universal.. Temos polícia de verdade. O empregador deve contribuir para o seu super fund, você tem a opção de fazer uma contribuição também. O salário mínimo por lei deve ser por volta de 10 a 16 dólares por hora. Muitas bares e restaurantes estão pagando o menor valor e entrando na moda ridícula dos EUA e fazendo a gorjeta ser parte do pagamento. 2 dias por semana de folga por lei. Há casos onde você faz um contrato com o empregador e então as suas condições podem ser diferentes. It’s o é devido ao partido liberal que há alguns anos atrás mudaram aei para beneficiar os empresários. Este ano terá eleições e acredito que haverá uma mudança. Há mais de 5 anos que não temos reajuste do salário mínimo. Os nossos bancos está sendo investigados pelo um inquérito do governo, os sindicatos estão retomando uma certa força pois os trabalhadores estão sendo explorados. Acredito que essa seja a grande diferença entre Austrália e Brasil. As coisas funcionam. Podemos ter menos benefícios, mas temos mais direitos e canais onde podemos recorrer a justiça e sermos atendidos. Nada leva 5, 10 anos para ser resolvido. Hoje muita coisa já mudou aqui. Quando mudei para a Austrália em 1988 todos habitante indefere te do seu estado, depois de 6 meses tinham direito ao Sisteme Universal de saúde. Acho que há um pouco de confusão no Brasil entre direito e benefícios!!!

Resposta
maria v. pereira Abril 28, 2017 at 3:18 pm

Só posso dizer, Empresário não sai perdendo com os benefícios pagos ao trabalhador. A questão é muito mais complexa.

Resposta
Julio Julho 23, 2017 at 5:51 am

Aline, gostaria de saber qual a fonte que você usou pra dizer que Seguro saúde, vale alimentação, vale restaurante e supermercado são direitos trabalhistas no Brasil. Não existe em nossa legislação obrigatoriedade do pagamento de tais verbas sendo consideradas estas, ou benefícios por liberalidade da empresa, ou previsão em convenção ou acordo coletivo. Férias de 20 dias úteis, se considerar o sábado como dia não trabalhado, da no mesmo que 30 dias corridos como no Brasil. “Outro benefício brasileiro que não existe é o 13º salário. Algumas empresas dão bônus por resultados. No Brasil algumas empresas oferecem 13º salário e bônus.” Aqui não há obrigatoriedade de conceder bônus por resultado, ou seja, também não está previsto em lei. Aqui não é comum pagar previdência privada, ou ‘Superannuation’, uma espécie de previdência, e o empregado paga pela sua previdência social, não há obrigatoriedade na lei de se pagar previdência privada. O fato de se trabalhar 1 ano para ter direito a 30 dias de férias é pela comprovação através de estudos que o empregado só consegue se “desligar” do trabalho após 10 dias de férias. Não consegui enxergar muita diferença em termos de, no Brasil, termos muito mais benefícios da legislação!

Resposta
Hosanna Agosto 25, 2017 at 7:06 pm

Olá. Vim aqui pra dizer que o 13º salário não é um bônus que a lei trabalhista brasileira oferece. Na verdade, o 13º é um reajuste salarial. Porque no Brasil os trabalhadores recebem o salário por mês, enquanto nos outros países se é pago por semana. Sendo q se tu parares para pensar, há meses do ano que não possuem apenas 30 dias ou 4 semanas. Agosto, por exemplo, tem 5 semanas, mas os trabalhadores não recebem um salário maior nesses meses. Se você fizer a conta da quantidade de semanas do ano onde o trabalhador trabalha mas não recebe o reajusto, isso dá 4 semanas no total, ou seja, 1 mês de trabalho. Por isso, há a lei do 13º salário. Não é um bônus, é direito do trabalhador por trabalhar 4 semanas e não receber dentro dos 12 meses do ano.

Resposta
Fran Novembro 5, 2017 at 3:36 pm

Caramba, nunca tinha parado pra pensar nisso. Sempre achei isso de 13º salário uma coisa muito estranha, mas agora fez todo o sentido!

Resposta
Rodrigo Maio 17, 2018 at 2:32 pm

falácia, no final o que importa é o quanto o empregador vai gastar com você, pesquise a época em que foi criado, varias empresas já davam gratificação natalina antes mesmo da criação, nada a ver com o que você falou ai, não sei de que fonte tu tirou isso ou só constatou ai por você mesmo.

Resposta
Jean Dezembro 2, 2018 at 6:11 am

Não é falácia, cara. É matemática simples: 52 semanas / 4 semanas = 13 salários
Na Austrália se paga por hora trabalhada, por isso não se usa o 13 salario. Entendeu?

Resposta
Ciro Camilo Dezembro 27, 2018 at 8:23 am

Ola pessoal….
Tem algo que me intriga muito….estamos comparando o que? Alguem conhece algum australiano, americano, alemao …paises de economia liberal, que tenham tentado entrar no Brasil, por conta das nossas leis trabalhistas ?….E o oposto? Milhoes de brasileiros saindo de nosso “protecionismo” de governos de vies esquerdista, fugindo para o mundo capitalista liberal…

Resposta
Ciro Camilo Dezembro 27, 2018 at 8:30 am

Sera que o empregador australiano é gente boa e o brasileiro é ruim? O que melhora as condicoes de vida das pessoas é o LIVRE MERCADO…..empresario é igual em todo o mundo

Resposta
Maykel Janeiro 31, 2019 at 10:15 pm

Acho que um questionamento valido, inclusive ja vi ate alguns videos a respeito, voce prefere que a empresa em que voe trabalha pague para o governo todas as taxas necessarias para ter um empregado, e o empregado receber estes beneficios do governo quando necessario (FGTS / INSS / Seguro desemprego), ou que a empresa pague tudo diretamente pra voce e voce gerencia o dinheiro.
Neste videos muitos questionam a eficiencia do governo em gerenciar o dinheiro, por exemplo a renda dos depositos no FGTS e muito inferior do que se recebecemos o valor da empresa e aplicassemos em alguma aplicacao financeira.
Ha, algo que nao esta na lista ai, e que percebo, moro no Canada, quando voce sai de ferias, aqui nao se tem aqueles 30% de compensasao. Feriados sao sempre na Segunda feira, nao existe os famosos feriadoes, e a lista vai indo.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação