BrasileirasPeloMundo.com
Austrália Comemorações Pelo Mundo

Celebrando as festas na Austrália

Celebrando as festas na Austrália.

A Austrália é um país multicultural. 35% da população de Perth é composta por imigrantes, por isso, são muitos os feriados celebrados: o Ano Novo chinês, o Dwali indiano, o Natal cristão… Com o clima é muito parecido com o do Brasil, as festas acontecem no verão. Só isso já é um choque para os europeus que imigraram para cá. Seria o mesmo que irmos para o Hemisfério Norte no período das festas e passar o Ano-Novo na neve. Eu já passei e foi muito estranho. Ano-Novo é na praia pulando sete ondinhas ou em uma festa vestido de branco, não cheia de roupa e tremendo de frio em Londres ou Nova Iorque (onde já passei essas datas).

Por essa razão, comemora-se o Natal em julho. Se eu morasse na Europa, adoraria comemorar as festas também em julho, no verão, pois é muito mais parecido com o que temos no Brasil e faz mais sentido para nós.

A primeira curiosidade é que já vi Papai Noel vestido de shorts, regata, chinelo. Achei fantástico! Nunca entendi muito bem porque no Brasil se comemora o Natal como se estivéssemos no frio. Ok, Santa Claus pode morar no Polo Norte, mas de passagem pelo calor tropical do Hemisfério Sul, ele poderia largar as botas e vestir chinelos, não? Aqui ele veste! Isso quando usa sapato, afinal, estamos na Austrália e se tem uma coisa que eles não usam aqui, é sapato.

Como a Mariana escreveu no seu post sobre Curiosidades sobre o Natal, os mercados são muito legais. Na cidade inteira tem feirinhas ao ar livre com presentes feito à mão pelos artesãos locais. Uma coisa mais linda – e especial – que a outra.

O Natal é comemorado no dia 25. Quem é religioso vai para igreja na missa dia 24, mas Natal mesmo, é dia 25. Meu trabalho fica aberto até às 6 da tarde do dia 24 para vocês terem uma ideia. Tem criança lá até esse horário! Eles trocam presentes na manhã e depois, tem um almoço com a família. A troca de presentes é só com a sua família mesmo, sem os agregados, tios, etc. Algumas famílias fazem um jantar dia 25 ainda e trocam presentes.

As comidas de Natal são comidas europeias que se come no frio. Aqui eles sempre fazem a tal da Pavlova, que parece um merengue de morango e é uma delícia! Ele tem esse nome em homenagem a bailarina russa Anna Pavlova.

Dia 26 é um dia muito esperado para os consumistas de plantão: o Boxing Day, o dia das mega promoções. As lojas e shoppings ficam lotados, filas e filas nas lojas de eletrônicos. É feriado nacional, assim como dia 25.

Ano-Novo

Minha data favorita do ano. Amo Ano-Novo! Aquela esperança que o próximo ano será diferente, aquela sensação que deu meia noite tudo começa de novo. Já passei a virada do ano em Perth e em Sidney. Vou falar sobre os dois.

Em Perth é muito tranquilo, sem grandes emoções. Em meu primeiro ano aqui, 2012, colocamos na cabeça (meu marido diria, você colocou ) que queria passar um Ano-Novo parecido com o do Brasil: fogos de artifício, vestindo branco e pulando as sete ondinhas. Foi muito difícil encontrar isso, porque australiano não liga para Ano Novo. Tem festas pela cidade que começam às 6 da tarde e acabam às 00h10.

Depois de muito procurar, achei uma queima de fogos em uma cidade ao sul de Perth, Rochingham. E lá fomos nós, saímos de casa às 18h achando que aproveitaríamos mais. Chegamos lá, era um parque de diversões com show de talentos e um outro nível do famoso BYO (bring your own – traga o seu) australiano: tinha gente com fogão, tapete e sofá esperando os fogos. Nem preciso dizer que foram as 6 horas mais longas da minha vida. Estávamos com um casal de amigos e tentamos até ir ao cinema ver “O Hobbit” para matar tempo. No final, a queima de fogos foi linda, quase 30 minutos. E as ondas? A foto abaixo dirá.

Arquivo Pessoal: Queima de fogos em Rockingham.

Em 2014, passamos aqui em Perth. Fizemos uma festa em casa com os amigos e andamos até a beira do rio para ver os fogos que o cassino faz. Foi legal, mas a empolgação das pessoas foi ímpar. Estávamos em uns 10 brasileiros, com champanhe e fizemos contagem regressiva. As pessoas sentadas, nem um “Feliz Ano Novo” elas falaram. Como bons brasileiros, fizemos nossa festa.

Em 2015 fomos para Sidney. Estava na nossa lista de lugares para conhecer (Bucket List) passar o Ano Novo lá. Eu estava grávida de 6 meses então ficar na multidão tendo que fazer xixi a cada 30 minutos não era uma opção. Procurei muito e achei um evento no zoo que é do outro lado da Harbour, no alto. Tudo era caríssimo, pagamos $300 por pessoa, chegamos cedo; para ir, foi tranquilo, sem trânsito. Tudo muito organizado.

No evento, podia-se ver alguns animais e vimos o ornitorrinco, que é meu animal australiano favorito. Às 9 da noite teve os fogos das crianças e foi legal. O pôr do sol é maravilhoso, vendo o Opera House e a Harbour Bridge no fundo. Finalmente, às 23h45 começou a contagem regressiva na ponte, lindo, lindo. Meia-noite em ponto começou a queima de fogos tão famosa. Ouvia a Rede Globo no fundo falando “já é ano novo em Sidney!”. Os fogos são sincronizados com uma música, que são as músicas mais populares do ano. Muito bonito, e quando eles soltam todos os fogos, com o Opera House e a Harbour Bridge junto, encheu meus olhos de lágrimas.

Queima de fogos em Sidney
Aquivo Pessoal: Queima de fogos em Sidney

Tudo lindo, mas em exatos 20 minutos…. acabou! Menos que Rockingham, e o Australia Day. Nisso, me decepcionei um pouco. E para ir embora do zoo…. foram uma hora e meia para sair do estacionamento. Todo mundo ao mesmo tempo, pensa.

A experiência foi linda, sonho realizado, mas uma vez na vida. Pelo menos, vivi o Ano-Novo em Sidney, um dos mais famosos do mundo.

Related posts

5 pontos negativos de Sydney

Lívia Campos

Kings Park, em Perth, na Austrália

Aline Arruda

Desfile de Loucos em San Miguel de Allende, no México

Simone Gonçalves

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação