BrasileirasPeloMundo.com
Austrália Maternidade Pelo Mundo

Como foi a minha gravidez na Austrália

Engravidar é sempre uma grande mudança nas nossas vidas. O procedimento em cada país é diferente. Eu sou tia de 5 crianças incríveis (uma de 21 anos) então, sei como funciona no Brasil.  Hoje vou contar como foi a minha gravidez na Austrália.

A primeira grande diferença é como se descobre que está grávida. No Brasil, você faz o exame de farmácia e vai ao médico (normalmente seu ginecologista) para confirmar através de um exame de sangue. Na Austrália, o exame de farmácia é suficiente para determinar se você está, ou não, grávida. O médico (Clínico Geral), fará de novo o mesmo exame de farmácia para ter certeza. Assim que esteja confirmada a gravidez, começa o acompanhamento com o Clínico Geral.

Na primeira consulta, já é agendado um ultrassom para confirmar se a gravidez é viável ou não, ou seja, se está no útero. É o ultrassom de 6 – 8 semanas, aquele que o bebê parece um feijãozinho. Uma série de exames de sangue também são pedidos. Então, no retorno, o clínico explica quais as opções que farão toda diferença no pré-natal e parto.

arquivo pessoal
arquivo pessoal

Basicamente, é a hora de escolher: Público, Privado ou Family Birth Centre (Centro familiar de Nascimento), ou seja, você escolhe entre sistema público ou privado de saúde. Ainda tem a opção de parto em casa, mas esse é um assunto para outro post. Se escolhe público, será encaminhado para o hospital público mais próximo da sua casa e o acompanhamento da gravidez será feito por uma parteira com consultas a um obstetra, se necessário. Não se escolhe a parteira, nem o obstetra, você marca a consulta e quem estiver trabalhando, lhe atenderá. A grande vantagem do público é que, para quem é residente ou cidadão, é tudo de graça, pago pelo governo. Para estrangeiros, não (já explico).

Se escolher privado, precisa escolher o hospital e, aí, o clínico geral fornece uma lista de Obstetras (OB) que atendem naquele hospital e começa a caça pelo OB. Eu estava grávida de 8 semanas (2 meses) quando comecei a ligar. Primeiro, que é muito estranho porque ainda tem risco de perder até os 3 meses e você já tem que escolher hospital e o obstetra que fará seu parto. Liguei para 7, todos sem vaga. O oitavo tinha. Eu já estava suando, desesperada, achando que ia ter que mudar de hospital quando consegui uma consulta. Ufa!

Como mencionei acima, para residente ou cidadão australiano, sistema público de saúde é de graça (bem, para isso você paga imposto), e para estrangeiro, não. Essa foi uma das razões para nós termos escolhido particular. A outra, o público da nossa vizinhança não é bom e a terceira, como é minha primeira gravidez, eu queria que o acompanhamento fosse feito pelo mesmo médico, não um diferente a cada consulta. Porém mesmo se optar pelo sistema privado não significa que terá 100% dos custos cobertos pelo seguro. Descobri isso na minha primeira consulta na OB. Assim que agenda, a secretária manda uma lista com os gastos que terá. Outra diferença entre público e privado são os ultrassons. Minha OB tem um equipamento na sala dela, então em toda consulta vejo meu bebê. Público, não tem. Outra informação importante: a regra é que o parto será normal. Se a sua ideia é ter uma cesárea, vá para o privado. No público, cesárea só se for de emergência.

Aqui na Austrália, a maioria dos seguros privados de saúde funcionam com reembolso. Você paga, eles reembolsam. Nós fechamos um seguro mais top pensando em engravidar. Aliás, esse é um detalhe super importante: a maioria dos seguros tem carência de um ano a custos relacionados a gravidez, portanto, cheque antes para não morrer no prejuízo depois.

Se escolhe o Family Birth Centre, o acompanhamento é sempre feito por uma parteira. O Family Birth Centre é um local anexo ao hospital (aqui em Perth só um hospital tem) que parece uma casa, e a ideia é parto normal, sem anestesia, na banheira, mas sem ser em casa. E se precisar, é só correr para o hospital.

Na lista de gastos estão as consultas (mensais até 32 semana, aí passa a ser quinzenal e da 36 semana até o parto, semanais), o parto (normalmente coberto 100% pelo convênio, com exceção do anestesista que é sempre por fora) e um tal de birth plan (plano para o nascimento), que determinará como você espera que seja seu parto. Nunca tinha ouvido falar nisso, então achei super interessante. Você senta com sua OB e conversa sobre detalhes do parto, como se quer anestesia, ou não (Epidural), ou que tipo de medicamento você quer (pode ser só natural como água quente ou remédio mesmo), se quer cortar o cordão umbilical, se autoriza pessoas na sala de parto (estudantes, por exemplo).

Aos 3 meses de gravidez, é feito um ultrassom para verificar se o bebê tem Síndrome de Down; depois, com 20 semanas, o morfológico como conhecemos no Brasil, que é o mais importante. Mede os órgãos, vê se está tudo certo. Com 26-28 semanas, fazemos um exame de sangue para verificar diabetes gestacional, uma complicação na gestação que é tratada com alimentação. Basicamente, esse é o pré-natal.

Quem estará com você durante o parto são parteiras (hospital ou não hospital; público ou privado). O Obstetra acompanha, e intervém, se necessário.

Um detalhe importante sobre gravidez na Austrália: grávida aqui não tem preferência a nada. Filas, sentar no trem. Não tem estabilidade no emprego. Se o seu empregador quiser lhe mandar embora, pode sem cerimônia. O único benefício é garantir seu emprego por um ano de licença maternidade. A licença maternidade é paga pelo governo, só australianos têm direito e o valor não é seu salário integral. Porém, é muito comum você pedir para voltar para o trabalho, por meio período ao invés de integral, e eu conheço CEO de empresas que trabalham meio período.

A Austrália é um país muito bom para ter uma família, mas vale a pena pesquisar bastante e se programar para não acabar gastando muito.

Related posts

Residência permanente na Austrália : o que muda?

Aline Arruda

Mardi Gras: Como o Carnaval é celebrado em Sydney

Fabiana Marinelo

Celebrando as festas na Austrália

Aline Arruda

17 comentários

Juliana Julho 26, 2016 at 12:49 am

Aline,
Voce menciona que fecharam um seguro mais top por estarem pensando em engravidar. Qual o seguro que vcs fecharam?

Resposta
Aline Arruda Julho 26, 2016 at 7:57 am

Oi Juliana, fechamos BUPA e agora temos HBF. Nunca tive problema com BUPA, mas HBF é muito top. Recomendo :-).

Resposta
Juliana Julho 26, 2016 at 11:39 am

Super obrigada 🙂

Resposta
Lana Julho 28, 2016 at 4:53 am

Boa noite Aline,adorei seu relato e que bom que tudo ocorreu bem! 🙂

Gostaria de perguntar uma coisa : Vc disse no post que se a mulher quiser fazer parto cesareo tem que ter um plano particular, é só vc dizer que quer o parto cesareo e pronto que nem no Brasil? ou eles fazem de tudo para vocÊ acabar desistindo e fazer o parto normal? O PREÇO É Quanto + ou -?

Pergunto isso pq penso um dia em ter uma familia e conhecer meu amor austráliano, e tenho medo que seja muito burocrático optar pelo parto cesareo e ter que acabar vindo fazer o parto cesareo no Brasil que não tem muita complicação.

Sou a favor da Liberdade de escolha da mulher 🙂

Parabéns pelos textos,todos ótimos.

Se puder me responder,agradeço.Bjssss <3

Resposta
Aline Arruda Julho 28, 2016 at 9:07 am

Oi Lana, tudo bem?
No particular é igual ao Brasil. Você fala com o obstetra que você quer cesárea e marca o dia. No público eles só fazem de emergência, mas particular não.
O preço do que, do seguro ou do parto?

Fica tranquila, que você poederá sim escolher o que quiser, tendo seguro particular. E o lindo da Austrália: ninguém te julga por qualquer das decisões. Quer normal, lindo., Quer cesárea, lindo. Vão achar estranho você marcar a cesárea porque não é comum, mas você faz o que quer da sua vida.

Obrigada por acompanhar o blog, e manda todas as dúvidas que tiver 🙂
Beijos
Aline

Resposta
Lana Agosto 4, 2016 at 11:46 pm

Boa noite Aline, muito obrigada pela sua resposta,vc me deu uma luz *-*

Perguntei sobre o preço do parto, se for possivel dizer uma média de quanto é + ou – ? e o seguro tb se puder dizer.

Fiquei muito feliz em saber o que vc me disse..

Beijos e boa semana <3

Resposta
Aline Arruda Agosto 5, 2016 at 2:25 am

Oi Lana,
Que bom que consegui ajudar.
Olha, pelo que já ouvi, se você precisar pagar o parto custa mais ou menos uns $15mil (cesárea). Se tiver convênio não paga nada, esta tudo coberto.
COnvênio, varia de $100-$300 por mês dependendo da cobertura que você contrata.
Você pode fazer uma cotação nos sites dos seguros saúde:
– BUPA, HBF, NIB, Medibank são os mais populares.

Beijos e boa sorte
Aline

Resposta
Juliana Agosto 10, 2016 at 8:48 am

Oi Aline,
Vim te fazer mais uma perguntinha.
Voce comentou sobre o BUPA e o HBF, entrei em contato com ambos esta semana para fazer cotacoes e entender melhor sobre os planos, pois estou querendo engravidar ano que vem. Os precos que me passaram sao muito semelhantes e a cobertura tambem…Por que vc acha o HBF “mais top”?
Gostaria muito da sua opiniao pois sabe como eh, longe da familia, nao conheco muitas pessoas aqui, nao tenho muitas referencias, rola uma baaaaaaaita inseguranca….ainda mais em se tratando de gravidez e primeiro filho…estou com muito medo…rsrs…obrigada!

Resposta
Aline Arruda Agosto 10, 2016 at 9:09 am

OI Juliana, imagina. POde mandar quantas dúvidas precisar. Sem problema nenhum 🙂
Foi meio que por experiência mesmo. Elas são muito parecidas mesmo, e torci o pé e usei a BUPA. Usei com médicos, mas o HBF usei para uma cirurgia e o parto e a experiência foi incrível. Não tive nenhum problema, e o representante foi nos visitar no hospital, e já adicionou minha filha no seguro lá mesmo.
Uma coisa que a HBF tem de diferente se você vem para Perth é que eles são de WA (estado de Perth), então a cobertura aqui é melhor.
Mas eles são bem parecidos.
Só não esquece que independente do seguro que você fechar, terá carência de um ano.
Boa sorte, Abraços

Resposta
Amanda Julho 10, 2017 at 11:35 am

Aline, tudo bem?
Adorei seus relatos e estou começando agora a organizar minha visita definitiva para Austrália com meu marido e filho de 4 anos.
Nós já moramos 01 ano mas na época nao tinhamos filho.
Minha dúvida é sobre a carência dos planos particulares e a media de valores deles mensais.
Minha duvida é a seguinte: Se eu embarcar para Australia gravida do 2 filho eu posso fazer pelo plano ou tenho carencia de 01 ano como no brasil?
Agradeço a atenção.
Att,

Resposta
Aline Arruda Julho 10, 2017 at 12:40 pm

Oi Amanda, que legal!
Então, vc terá carência de um ano para parto no seguro saúde.
Boa sorte,
Aline

Resposta
Alana Setembro 11, 2017 at 4:23 am

Oi Aline, td bem? Esse plano privado q vc fala é só pra quem tem pelo menos a residência? Estudantes geralmente vão no público ou pagam por fora, é isso?
Bjs

Resposta
Aline Arruda Setembro 11, 2017 at 7:42 am

Oi Alana, não, plano privado é para quem paga um e tem cobertura para gravidez.
Estudante que não tem cobertura tem que pagar todo o serviço.
Para o visto de estudante é necessário contratar um plano de saúde, mas a diferença é ter incluso maternidade e gravidez.
Ficou claro?
Beijos

Resposta
Tatiana Setembro 13, 2017 at 9:12 pm

Oi Aline!! Td bem?!
Primeiramente, parabéns pelo post! Extremamente esclarecedor.
Estou com passagens compradas para o início de dezembro para Gold Coast, onde pretendo ficar até o fim de fevereiro do ano que vem, fazendo um curso de inglês de 10 semanas junto com meu marido.
E eis que, após 1 ano de tentativas de engravidar, acabo de pegar meu resultado: POSITIVO.
Bateu um mini desespero em saber que estarei fora do Brasil, grávida, durante o 2º trimestre de gestação. Mas ao mesmo tempo, não penso em abrir mão de um outro sonho que é estudar inglês fora….
Você sabe me dizer se é fácil, eu enquanto TURISTA, ter acesso a um obstetra particular para realizar os exames do 2º trimestre, que pelo que vi, me pareceram os mesmos realizados no Brasil? Sabe me informar quais são os valores?
Como irei com visto de turista, farei um seguro saúde para gestante, mas até onde sei, só poderei usá-lo para situações de emergência. Acredito que as consultas e exames terei que pagar mesmo…
Conhece algum caso parecido com o meu??? 😉
Obrigada!!
Vou aproveitar agora para fuçar seu site e pegar mais outras dicas!!!
Beijos!!!

Resposta
Aline Arruda Setembro 14, 2017 at 2:13 am

Oi Tatiana, tudo bem?
Parabéns, que noticia linda :-).
Olha, eu acredito que você pode consultar com obstetra particular sim, sem problema.
A média do valor da consulta com obstetra é $300 e exames, depende de cada um, pode variar entre $150-$600.
Quem pode te ajudar com isso é o segurio sa;ude. Liga para eles e pergunta certinho os valores. Eu fiz com obstetra o acompanhamento e a consulta custava $150-200 (se ela longa ou não) e os exames, o mais caro que tive que pagar foi $450, mas reembolsado pelo seguro.

Boa sorte, e parabéns 🙂
Beijos

Resposta
Juliana Cardoso Novembro 12, 2017 at 10:09 pm

Oi Aline, tudo bem?
gostei bastante do post e me trouxe uma dúvida pessoal.. meu namorado estuda em Perth e está pensando em renovar o visto por mais algum tempo quando acabar o ano letivo de 2017. Eu estou grávida de 6 meses e cogitamos deu ir praí pq já tenho inglês e bastante experiência profissional.. porém fiquei receosa quanto aos gastos do parto.. aqui tenho plano de saúde bom, emprego fixo.. iria com praticamente o pré-natal inteiro completo, falta mais 1 USG só e sei que ele não teria cidadania só por nascer ai.
Você tendo experiência, acha mais prudente eu ir grávida e tê-lo aí ou esperar ele nascer?

muito muito obrigada!!

Resposta
Aline Arruda Novembro 12, 2017 at 11:22 pm

Oi Juliana, tudo bem?
Parabéns pela gravidez. Olha, achoque você tem que considerar os cenários. Primeiro acho que você precisa ver com uma agência a possibilidade de você conseguir o visto estando grávida de 6 meses. Você viria no visto dele? Ee esta estudando inglês? Se o seu plano é vim no visto dele, vocês tem que ter morado juntos no Brasil para comprovar união estável. Mas uma agência te ajuda melhor nos detalhes.
Se você ainda não contratou plano de saúde aqui, terá a carência de 1 ano para qualquer serviço relacionado a gravidez, então terá que pagar todo parto, consultas, vacinas, etc.
Depois que o bebê nascer, com quem você vai deixar para procurar trabalho? Childcare custa caro, dá uma olhada no meu post sobre o assunto:https://fuilogoali.com/2016/07/21/australia-como-escolher-um-childcare-centre/. Escrevi um post no meu blog pessoal sobre criar filhos longe da familia, dá uma olhadinha. Você só tem direito a licença maternidade se tem residência ou cidadania.
No visto de estudante, com raras exceções, você consegue achar emprego em outras áreas (garçonete, por exemplo). Entende?
Pensa com carinho, coloca tudo no papel para não ter surpresas.
Qualquer dúvida que eu puder ajudar, me manda 🙂
Boa sorte.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação