BrasileirasPeloMundo.com
China Transporte de animais pelo mundo

Como levar pets para a China

Trazer um pet para a China não é impossível, não é absurdo e nem é tão difícil assim. Parece complicado, mas não é. Parece complicado porque muita coisa não é clara, porque há muita burocracia e porque escutamos muitas histórias horríveis sobre a China e sua relação com pets, especialmente com os cães. Muita coisa é só história de terror mesmo, muita coisa triste já aconteceu sim e, infelizmente, ainda acontece, é verdade, mas a relação chineses-pets tem mudado a passos largos.

Para trazer nossas criONÇAS aqui para Beijing, resolvemos fazer tudo por conta própria. Entramos no site do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA – para pesquisar quais os documentos necessários para a saída delas do Brasil – emissão do CVI, Certificado Veterinário Internacional ou CZI, Certificado Zoossanitário Internacional – e quais os documentos a China exigia para a entrada delas no país. Para a emissão do CZI, é necessário um atestado de saúde do pet feito por um veterinário que esteja inscrito no Conselho de Medicina Veterinária e no qual conste as determinações do MAPA – tem modelo na página do MAPA.

A China não exige, até o momento, a microchipagem de pets, nem a sorologia da raiva. Entretanto, se você pensa em adentrar algum país antes de chegar à China, é bom verificar junto ao MAPA ou à embaixada/consulado deste país se algum destes requisitos é exigido. A microchipagem eu aconselho a ser feita ainda no Brasil porque, além de ser uma identificação/segurança a mais do/para o pet, aqui na China, especificamente, ela é mais cara do que no Brasil. A sorologia da raiva não é exigida ainda para pets que estão apenas em trânsito por países da União Europeia (especificamente), mas, se você tiver tempo, faça ainda no Brasil. Como é um exame que tem que ser feito com muita antecedência, se programe, uma vez que o único laboratório que realiza este exame no Brasil fica na cidade de São Paulo.

Depois dos CZIs das nossas criONÇAS terem ficado prontos, decidimos fazer traduções juramentadas dos mesmos, uma vez que esta parte era a que mais gerava dúvidas. Não traduzimos para o mandarim, apenas do inglês para o português mesmo e deu tudo certo – descobrimos depois que nem precisava de tudo isso, mas tudo bem. O CZI do MAPA já sai em português/inglês e é suficiente.

A escolha da companhia aérea também é muito importante. Dentro do possível, tentamos optar por uma companhia aérea pet friendly, ou amiga dos animais. Ao comprar as passagens, já fizemos as reservas para elas, uma vez que poucos pets são permitidos na cabine por voo. Além disso, há que se cumprir as condições da companhia aérea sobre o tamanho da bolsa de transporte. Para tudo isso, recomendo anotar todo e qualquer protocolo fornecido. De verdade.

Chegar aqui foi a parte mais doída: a quarentena. Ficar sem nossas criONÇAS e imaginar elas lá sozinhas, doeu o coração de uma forma que nem sei dizer. Graças a Deus, elas ficaram o mínimo possível. Em Beijing, a quarentena pode durar de 7 a 30 dias; em Shangai, são mandatoriamente 7 dias. Então, de acordo com a disponibilidade de cada um, fica a dica. Nós não tivemos outra saída a não ser chegar por Beijing mesmo (dá para chegar por outras cidades, mas não tenho informações). Não sei sobre as condições da estação de quarentena de Shanghai ou Beijing, mas, definitivamente, não gostei da ideia de não poder visitar minhas criONÇAS quando eles estavam em quarentena. Confesso que achei absurdo. Enfim, vida que segue…

China e pets parecem não combinar, não é mesmo? Mas não, não é bem assim. Quando cheguei aqui, fiquei surpresa com a quantidade de pessoas com pets no condomínio e pela forma como receberam nossas criONÇAS. Tudo bem que os chineses manifestam amor pelos pets de outra forma, mas eles gostam, sim, dos filhotes deles. Confesso que fiquei bem surpresa – e, graças a Deus, que surpresa boa! E uma coisa muito engraçada aqui é a quantidade de poodles marrons que existem. Ainda não entendi o porquê da “preferência nacional” pela cor e por esta raça, já que a gente sempre acaba esbarrando em vários por aqui.

Em Beijing, e em algumas outras cidades da China, é necessário o registro do pet numa delegacia. Sem o registro, seu pet corre o sério risco de ser levado pela polícia. O registro inicial pode ser feito a qualquer época e, dentro dos oito grandes distritos de Beijing, custa RMB 1000 – algo em torno de R$ 500,00. Depois, a renovação é anual, ocorre durante todo o mês de maio e custa RBM 500 para os mesmos oito grandes distritos – fora destes distritos, os valores são menores. Se seu pet for castrado num hospital credenciado daqui, há desconto no registro inicial. Não é muito difícil fazer o registro. A maioria das delegacias solicita duas fotos do pet, seu passaporte, comprovante de endereço e o dinheiro. Você sai de lá com o fapiao (recibo) e espera que liguem para que vá buscar a carteirinha quando ela ficar pronta. E aqui a gente sempre tem que andar com a carteirinha do pet para mostrar que ele está cumprindo “seu dever”. Um detalhe importante é que a China permite a entrada de um pet por passaporte, mas apenas um pet pode ser registrado por endereço. Isso significa que quem tem dois doguinhos vai precisar “pegar emprestado” o endereço de algum amigo(a) por aqui – meu caso, né?

Frente da carteira de registro de cachorros de Beijing. Foto: arquivo pessoal

Então, se você pretende mudar do Brasil com seu filhote, seja aqui para a China ou para qualquer outro país, saiba que não é nada impossível de se fazer por conta própria, mas que atenção aos detalhes e à legislação do país de destino são essenciais. Afinal de contas, nada melhor do que ter aqueles lambeijos todos os dias e poder bater aquele papo com seu filhote peludo enquanto “ensaia” o novo idioma – sim, eu faço isso e amo.

Related posts

Custo de vida em Pequim

Júlia Rosa

Custo de vida na China

Christine Marote

Morando em Dongguan na China

Tati Klaus

14 comentários

Celi Pará Agosto 14, 2017 at 12:32 am

Oi Hellén,
Obrigada pelo post! Estou aflita com a história de viajar com minha York para China. Talvez tenhamos que viver por um tempo por Yantai, ao norte de Beijing. Poderia me dizer se vcs conseguiram levar suas crionças na cabine, ou tiveram que ir no compartimento de bagagens? Qual companhia aérea usaram?

beijo

Resposta
Héllen Moreira Agosto 18, 2017 at 1:52 am

Oi, Celi, tudo bem? Nós trouxemos nossas criONÇAS na cabine com a gente. 🙂 Procuramos muito até encontrarmos uma companhia aérea que saísse do Brasil com elas à bordo – não são todas que saem do Brasil com pets à bordo, fique atenta a este detalhe, por mais que seja uma companhia pet friendly – e achamos a United Airlines. O pessoal foi super tranquilo com elas, dos atendentes de balcão aos comissários e outros passageiros. Inclusive no trânsito nos USA, tudo correu bem tranquilamente, graças a Deus! Como falei, anote todos os protocolos que fornecerem a você durante a compra de passagens e demais ligações/troca de e-mail que tiver com a companhia aérea que escolher. Por ser uma yorkie, acho que você não terá problemas em conseguir levá-la na cabine – nossa Yorkie pesa 2,2kg e o limite era de 8kg se não me engano, contando com a bolsa de transporte. Espero que vocês consigam viajar juntas e welcome to China! 🙂

Resposta
ana sofia Agosto 17, 2017 at 4:14 pm

Sabe se é necessário pagar essa taxa na polícia também em Shenzhen? Não encontrei nada sobre no Google :/

Resposta
Héllen Moreira Agosto 18, 2017 at 2:07 am

Oi, Ana Sofia, tudo bem? Se não me engano, todo pet deve ser registrado junto à polícia local aqui na China, mesmo que esta norma não seja/esteja amplamente divulgada na cidade aonde você mora/vai morar. Eu acho que aqui em Beijing isso é amplamente divulgado por ser a capital política e administrativa da China – a “cidade modelo”, por assim dizer, e em outras cidades grandes, como Shanghai. Mas já li e soube que é sempre bom nos adiantarmos e fazermos o registro dos pets voluntariamente, mesmo que você não encontre este tipo de informação na net, por exemplo, para não termos problemas com a polícia, sabe? Melhor evitar qualquer situação assim e viver em paz com seu filhote! 🙂

Resposta
ana sofia bolina Agosto 17, 2017 at 4:14 pm

Sabe se é necessário pagar essa taxa na polícia também em Shenzhen? Não encontrei nada sobre no Google :/

Resposta
Antonia Samir Agosto 22, 2017 at 10:56 am

Hellen,

Vou trazer um pet de Beiijing para o Brasil. Você sabe me informar como devo proceder? É de pequeno porte e manso, obrigado

Resposta
Pamela Outubro 11, 2017 at 11:39 pm

Boa noite, estou com muito medo da quarentena, estou prestes a ir para shenzen e onde descubro quantos dias dura a quarentena?

Resposta
Liliane Oliveira Outubro 17, 2017 at 1:08 pm

Olá Pamela!
A Héllen Moreira parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na China.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Luciano Werk Dezembro 24, 2017 at 2:19 pm

Oi. Alguem me falou que em Guangzhou não existe necessidade de quarentena. Você sabe algo sobre isso? Estarei transportando um filhote para um cliente de Hong Kong (lá a quarentena é de 4 meses)

Resposta
Liliane Oliveira Dezembro 25, 2017 at 7:16 pm

Olá Luciano,
A Héllen Moreira parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na China, chamada Christine Marote.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Mariana Abril 20, 2019 at 5:21 pm

Vou para essa cidade na china hebei com a capital Shijiazhuang tentos dois cachorros e vou levar mais estou aflita com essa quarentena alguém pode me ajudar?

Resposta
Liliane Oliveira Abril 20, 2019 at 9:17 pm

Olá Mariana,
A Héllen Moreira parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na China que se chamam Ana Carolina Turci e Tamires Lietti que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Thamy Boze Stricker Janeiro 16, 2019 at 11:12 am

Olá, vou me mudar para Guangzhou em Março de 2019 e quero levar a minha gata. Alguem saberia dizer se é necessario traduzir o CVI para o Mandarim, ou se ingles é suficiente? essa traduçao precisa ser feita em algum órgão com algum registro oficial para ter validade? Guangzhou tem quarentena?

Resposta
Liliane Oliveira Janeiro 16, 2019 at 3:07 pm

Olá Thamy,
A Héllen Moreira parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação