BrasileirasPeloMundo.com
Portugal Reconhecimento de Diplomas Pelo Mundo

Como validar o diploma de farmacêutico em Portugal

Como validar o diploma de farmacêutico em Portugal.

Quando eu comecei a pensar em validar meu diploma fora do país, me foi informado que existia apenas um método de fazer isso. Depois que me mudei descobri que existe outra forma, mais barata. Vamos falar detalhadamente das duas.

Antes de tudo, eu entrei em contato com a Ordem dos Farmacêuticos em Portugal. Enviei e-mail pedindo informações de como poderia estar inscrita na Ordem, para poder trabalhar, assim como é feito no Brasil, no Conselho Federal de Farmácia. Foi então que me informaram que era preciso ter o meu diploma brasileiro reconhecido por qualquer faculdade portuguesa que tivesse o curso de farmácia e que eu deveria entrar em contato com a faculdade do meu interesse para me informar sobre os requisitos de cada uma.

Eu demorei muito a entender que a maioria dos cursos de farmácia em Portugal são Mestrados Integrados. O ensino superior em Portugal é dividido em 3 ciclos. O 1º ciclo refere-se aos cursos de licenciatura; o 2º ciclo refere-se aos cursos de mestrado; e o 3º ciclo refere-se aos cursos de doutorado, ou doutoramento, como é chamado aqui. Os Mestrados Integrados são cursos onde se faz o 1º e 2º ciclos, ou seja, você sai licenciado e com mestrado.

Leia também: Tudo que você precisa fazer para morar em Portugal

1) Pedido direto de validação de diploma estrangeiro

Como eu tenho família no Porto, busquei diretamente a Universidade do Porto, mas indico ainda as Universidades de Lisboa e Coimbra para esse processo. Cada faculdade pede uma lista de documentos para que se inicie o processo. Deixo aqui os links de algumas, caso você tenha interesse:

Para o meu processo tive que reunir os seguintes documentos:

  1. Diploma de grau de licenciatura (como eu queria equivalência apenas da licenciatura);
  2. Plano de estudos do curso;
  3. Certidão dos exames das unidades curriculares do plano curricular, com as respectivas notas expressas em algarismos;
  4. Certidão dos programas e carga horária das unidades curriculares;
  5. Documento de identificação;
  6. Como minha faculdade no Brasil era privada, tive que enviar um comprovativo do registro de criação do curso pelo Ministério da Educação.

Para o item 1) é claro, é preciso que mandar a cópia do diploma. Os itens 2) e 3) foram resolvidos através do envio do ementário de todas as disciplinas do meu curso, que descrevia o conteúdo de cada uma, com carga horárias e programas. O item 4) eu comprovei com meu histórico, onde estavam as notas e período de realização de todas as disciplinas.

Depois de reunir todos os documentos, eles devem ser apostilados em cartório. Para mais informações sobre os apostilamentos acesse o site do CNJ. Lembrando ainda que todos os documentos devem estar na Língua Portuguesa, caso contrário, devem ser traduzidos.

Leia também: O que é a apostila de Haia, onde e como fazê-la

Enviei meus documentos para meu tio, que mora aqui no Porto, mas é possível que se mande diretamente para a faculdade, basta que você entre em contato por e-mail e veja como pode ser realizado o processo. Quando se dá entrada no processo, é preciso que se pague uma taxa que varia de acordo com a universidade escolhida (no meu caso foram 200 euros).

Em 30 dias a Universidade me mandou uma carta dizendo que eu precisava fazer algumas disciplinas para conseguir a equivalência. Eis que vem a parte difícil. Já conheci muitas pessoas aqui no mesmo processo, o que acontece é que eles dão pouquíssimas equivalências, menos de 50% na maioria dos casos. Só dos 3 primeiros anos de curso, entre 30 disciplinas, eles me pediram para fazer 18. Logo, prepare-se para perder um bom tempo estudando. A parte não tão ruim é que se você terminar os 3 primeiros anos você já é considerado farmacêutico licenciado e já pode trabalhar como ‘técnico’. Se terminar os 5, termina seu curso com diploma e mestrado.

Através desse processo, você deve pagar por disciplinas. Existe uma tabela de emolumentos para cada universidade, mas as disciplinas costumam sair por um preço alto (na Universidade do Porto, em 2018, o valor era de 450 euros por disciplina). Bem caro. E foi quando me mudei pra cá que descobri a segunda forma de validar o diploma.

2) Processo de seleção para estudantes internacionais

As universidade portuguesas, em sua maioria, têm processos seletivos para alunos que querem fazer seu curso superior aqui; elas têm aceitado provas de Enem para esses fins, além de avaliar seu desempenho no Ensino Médio. Então você pode concorrer a essas vagas, e caso passe, pode juntar todos aqueles documentos e pedir equivalência das suas disciplinas, mas nesse caso você se torna um aluno regular, e paga as mensalidades de acordo com a tabela de tarifas da faculdade, o que torna as coisas MUITO mais baratas.

O problema desse processo é que os alunos ordinários têm limites de matérias por ano, e isso pode atrapalhar quem tem um pouco mais de pressa. A verdade é que ainda assim acho que vale a pena, pois dificilmente você dará conta de fazer muitas disciplinas em simultâneo, ainda mais se tiver planos de trabalhar.

Aqui tem os links de alguns processos que ocorreram nesse ano. Vale lembrar que o ano escolar aqui começa em setembro, e esses processos começam a ocorrer por voltar de abril/maio para que se inicie o curso em setembro.

Leia também: O que não te contaram sobre a vida em Portugal

O processo é trabalhoso. Caso esteja mesmo decidido, prepare-se para perder algum tempo na universidade novamente. Esteja atento aos prazos e prepare os documentos com atenção. Depois é só aproveitar.

Related posts

A Brasilidade da informalidade

Ana Tavela

Por que escolhi Lisboa

Graziella Espósito

É tempo de feiras medievais em Portugal

Giselle Costa

11 comentários

Gianna Daniel Dal Toe Agosto 8, 2018 at 6:18 am

Post maravilhoso e muito bem explicado. Parabens Mariana pela sua coragem de se jogar sozinha nas dificuldades da vida. Gostaria muito de conversar com voce em privado. Se puder, me adicione no facebook: Gianna Daniel Dal Toé

Um beijo!

Resposta
Welington Braga Outubro 25, 2018 at 10:36 pm

Gostei bastante da informação. Então vale mais a pena eu me matricular e depois pedir equivalencia das disciplinas e depois cursar as que faltam?
Preciso enviar tbm a copia da monografia caso eu resolva reconhecer as habilitações?

Resposta
Liliane Oliveira Outubro 26, 2018 at 3:15 pm

Olá Welington,
A Mariana Romanholo, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Soraia P Pickler Novembro 18, 2018 at 12:14 pm

Mariana, as matérias que são necessárias para atualizar e validar nosso diploma, podem ser feitas a distância, o precisamos morar em Portugal?

Resposta
Liliane Oliveira Novembro 18, 2018 at 4:54 pm

Olá Soraia,
A Mariana Romanholo, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Roberta Dezembro 5, 2018 at 10:11 am

Olá Mariana, também me informei este ano sobre a inscrição na Ordem. A questão é que pelo Tratado da Amizade existem profissões cuja inscrição na Ordem é permitida automaticamente, sem a necessidade de realizar equivalência (médico, dentista, farmacêutico, enfermeiro…). O problema é que mesmo havendo essa abertura, no caso da Ordem dos Farmacêuticos, não estão permitindo fazer isso, vai entender. Soube de enfermeiros que simplesmente se inscreveram sem fazer equivalência (devido a essa norma), mas sempre farmacêutico sofre kkkkkk! Então por enquanto acho que não vale a pena fazer, no meu caso, até porque é um investimento alto de tempo de dinheiro.

Resposta
Elisa Junho 25, 2019 at 6:33 pm

Roberta estou em mesma situação que voce. So Jesus na nossas Vidas

Resposta
Liliane Oliveira Junho 26, 2019 at 1:25 pm

Olá Elisa,
A Mariana Romanholo, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Andre Julho 30, 2019 at 11:30 pm

Gostaria de entrar em contato para entender melhor e-mail [email protected] André firmino

Resposta
Liliane Oliveira Julho 31, 2019 at 1:59 pm

Olá Andre,
A Mariana Romanholo, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Tamires Outubro 17, 2019 at 10:28 pm

(Olá Mariana, também me informei este ano sobre a inscrição na Ordem. A questão é que pelo Tratado da Amizade existem profissões cuja inscrição na Ordem é permitida automaticamente, sem a necessidade de realizar equivalência (médico, dentista, farmacêutico, enfermeiro…). O problema é que mesmo havendo essa abertura, no caso da Ordem dos Farmacêuticos, não estão permitindo fazer isso, vai entender. Soube de enfermeiros que simplesmente se inscreveram sem fazer equivalência (devido a essa norma), mas sempre farmacêutico sofre kkkkkk! Então por enquanto acho que não vale a pena fazer, no meu caso, até porque é um investimento alto de tempo de dinheiro.).. OLÁ ROBERTA! BOA NOITE, ACABO DE LER O ARTIGO, SOU FARMAÊUTICA RECENTE EM PORTUGAL, E jÁ NÃO SEI MAIS O QUE FAZER SOBRE ISSO! SE JÁ CONSEGUIU, POR FAVOR ME RESPONDE AQUI! OBRIGADA. Meu email é [email protected]

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação