BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Hungria

14 curiosidades sobre a Hungria

A Hungria é um país encantador, com muita cultura e história pra contar. Há pouco mais de um ano, antes de me mudar para Budapeste, eu mal sabia localizá-la geograficamente no Mapa Mundi. Hoje sou completamente apaixonada e posso dizer que venho aprendendo bastante desse lugar incrível. Sendo assim, vou listar 14 curiosidades sobre a Hungria que muitas vezes passam despercebidas aos olhos de um turista.

1. Nem todo mundo sabe, mas Budapeste na verdade é a junção de duas cidades as margens do Rio Danúbio. Buda que fica na margem direita e Peste que fica na margem esquerda. A Chain Bridge foi a primeira ponte permanente a ligar essas cidades, por isso ela se tornou um dos símbolos mais importantes.

2. A Chain bridge (Ponte de correntes) tem esse nome porque originalmente era feita de correntes de ferro. Na Segunda Guerra Mundial ela foi quase totalmente destruída, restando apenas as duas estruturas centrais. Ao ser reconstruída, decidiram não usar mais as correntes e sim algo mais resistente, para caso houvesse novos ataques.

3. Sabem o cubo mágico? Aquele famoso brinquedo que é um verdadeiro desafio de raciocínio? Também conhecido como Rubik cube, ele foi inventado pelo húngaro Ernő Rubik em 1974 que demorou 1 mês para resolvê-lo pela primeira vez. É muito comum achar o cubo mágico como souvenirs ou vê-los estampados em paredes de pubs.

4. O metrô da linha 1 de Budapeste é o segundo mais antigo da Europa continental, inaugurado em 1896, ficando atrás apenas para o de Londres.

5. Dentre as maiores atrações turísticas da Hungria, destacam-se os banhos termais e medicinais. Você pode encontrar imensos spas espalhados por todo país e principalmente na capital Budapeste, que leva o nome de “cidade dos spas” por oferecer inúmeras opções com os mais diversos preços. Mas esses banhos não se limitam somente à luz do dia, porque quando anoitece as termas se tornam grandes baladas, com direito a muitas luzes, drinks, DJ’s e música eletrônica. Você pode encontrar mais detalhes dessas festas clicando aqui.

6. Em Budapeste se encontra a maior e mais monumental sinagoga da Europa, Grande Sinagoga da Rua Dohany, com capacidade para mais de três mil pessoas no seu interior.

7. As linhas 2 e 4 do metrô passam por baixo do Rio Danúbio para chegar ao lado Buda. Isso quer dizer que eles são bem profundos, então não se assuste com as imensas e rápidas escadas rolantes.

8. A Hungria é famosa por seus diversos festivais de música. No verão, Budapeste se torna palco para um dos maiores e melhores festivais de música e cultura do mundo, o Sziget Festival (ou Festival da Ilha), que literalmente acontece em uma ilha no Rio Danúbio e há 25 anos reúne aproximadamente 500 mil pessoas de todos os lugares do mundo para mais de 1000 atrações durante 7 dias consecutivos.

9. Atualmente, a Hungria não mais possui costa marítima, portanto no verão, a principal atração é o Lago Balaton, considerado o maior da Europa Central e Oriental. E no inverno, por se tratar de um lago raso, ele congela e se transforma em uma pista de patinação.

10. Name Day – No calendário húngaro, cada dia do ano é relacionado a um ou vários nomes próprios. As pessoas que são registradas com um desses nomes comemoram esse dia como se fosse um aniversário. Alguns consideram mais importante o Name Day do que o próprio nascimento, porque assim fica oculto o fator “idade”. Geralmente é dado flores para as mulheres e uma bebida alcoólica para os homens. Por exemplo, no dia 10 de fevereiro se celebra o nome Elvira, então todas as Elviras ganham flores nesse dia.

11. Curiosamente, todos os prédios de Budapeste aparentam ter a mesma altura e isso não é por acaso. Existe uma lei que proíbe qualquer prédio de ser maior que 96 metros, a altura exata do Parlamento e da Basílica de São Estevão. E esse número também não é coincidência, 896 foi o ano em que os primeiros “magyares” (povo húngaro) chegaram nessa região.

12. Eu gosto de observar como as outras mulheres se arrumam nos países que visito e fico sempre comparando com os “padrões de beleza” do Brasil. Algo bem curioso que pude perceber em algumas húngaras é que elas usam cílios e unhas postiças enormes, bem exagerados mesmo. E também raspam as sobrancelhas e desenham com lápis preto bem fino.

13. Na Páscoa, eu lembro que passei a ver nos supermercados uns pequenos frascos de perfume e fiquei me perguntando pra que seria aquilo. Então descobri que existe uma tradição húngara bem interessante que no Domingo de Páscoa os homens e meninos borrifam perfume nas mulheres e meninas.

14. Algumas tradições de Natal na Hungria também são um tanto diferente das que conhecemos. A primeira delas é que quem dá os presentes é o Pequeno Jesus, não o Papai Noel, e isso acontece no dia 24 ao invés do dia 25. A segunda é que as crianças colocam as botas na janela na noite do dia 5 de dezembro, para que o Papai Noel venha colocar chocolates e pequenos presentes.

E você já conhece a Hungria ? Ou ficou com vontade de conhecer ? Comente aqui!

Leia sobre o mercado de trabalho em Budapeste!

Related posts

Custo de vida em Budapeste

Rafaela Baena

Nomes finlandeses: é homem ou mulher?

Maila-Kaarina Rantanen

10 Lendas Polonesas Parte 2

Gizelli Gliwic

3 comentários

Augusto Dezembro 10, 2017 at 4:41 am

Estive em Budapest em Fevereiro de 2015, mas não achei a cidade um espetáculo, menos ainda os húngaros um povo acolhedor e educado – bem ao contrário, achei-os rudes, desonestos e mal-humorados, com bem poucas exceções.
Minha dúvida mesmo é saber se você já está falando húngaro e em que nível de compreensão e desenvoltura.

Resposta
Liliane Oliveira Dezembro 10, 2017 at 2:52 pm

Olá Augusto,
A Yeda Maria parou de colaborar conosco, mas temos outra colunista na Hungria.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Fernando Ferreira Setembro 21, 2018 at 11:13 am

Eu acrescentaria um ítem para a língua magiar. Trata-se de uma língua única a nível mundial e não deixa de ser impressionante como se conseguiu impor e resistir durante mais de mil anos num local daqueles, isto é, rodeada de línguas eslavas, germânicas e latinas.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação