Como abrir conta bancária na Hungria

1
464
Fonte: www.pixabay.com
Advertisement

Como abrir conta bancária na Hungria.

Por se tratar de uma cidade extremamente turística e movimentada, Budapeste é muito bem preparada quando o assunto é dinheiro. Com várias opções de bancos, você pode escolher o que mais se encaixa com suas necessidades e tem acesso a inúmeros caixas eletrônicos 24 horas espalhados por todos os lugares da cidade, principalmente no centro.

A moeda oficial da Hungria é o Forint e sua abreviação é huf ou ft.

Se desconsiderarmos o idioma, podemos dizer que não é uma tarefa difícil abrir uma conta bancária por aqui. A primeira e talvez mais importante informação que você precisa saber, é se o banco desejado tem alguma agência com funcionários que falem inglês. Caso contrário, você irá precisar de alguém que fale húngaro, porque são poucos os lugares que oferecem um serviço com atendimento em inglês.

Não pense que vai chegar na Hungria e conseguir se virar somente com o inglês. Às vezes até dá, mas a maioria do tempo encontrará problemas de comunicação se não souber uma única palavra em húngaro, seja no banco ou em qualquer outro serviço.

Lembro bem que quando fui abrir minha conta tinha apenas uma única pessoa responsável por atender todos os estrangeiros, inclusive até hoje continua assim.

Logo de cara, já gostei bastante do atendimento ao cliente do meu banco. O atendente era super simpático, me ajudou com toda a papelada, me tirou várias dúvidas, me indicou lugares pra conhecer e até me passou o seu contato para caso eu tivesse alguma dúvida ou precisasse de ajuda.

Eu escolhi o Budapest Bank, por ele ter parceria com o programa de intercâmbio, com o qual eu vim para Hungria. Assim, alguns serviços que falarei mais adiante, se tornaram mais vantajosos.

Como em todo e qualquer banco existe uma taxa mensal ou anual que varia de acordo com a instituição. Você paga algo em torno de 300 huf ou 1 € pela impressão do cartão, que demora entre 1 e 2 semanas pra chegar, e você geralmente tem que ir buscar na agência.

Os documentos necessários para a abertura da conta são basicamente:

– Cartão de endereço (Address card): É um cartão comprovando o seu endereço na Hungria, que você receberá depois de fechar um contrato de aluguel e validar tudo na imigração;

– Passaporte;

– Email e número de telefone húngaro para contato.

No ano de 2014 foi criada uma lei onde o cliente só pode retirar dinheiro gratuitamente 2 vezes ao mês, não excedendo um valor X que varia de banco pra banco. O OTP Bank por exemplo, um dos maiores bancos em Budapeste, tem um limite de 150.000 huf e a partir da terceira vez é cobrada uma taxa por cada saque excedente.

Caso você ainda não tenha o Address card, terá que pagar taxas em qualquer retirada de dinheiro. Mas assim que você puder apresentá-lo na agência, passará a fazer as duas retiradas mensais gratuitas.

Essa foi uma das vantagens proporcionadas pelo banco em parceria com o meu programa de intercâmbio, eu posso retirar dinheiro nos caixas eletrônicos quantas vezes quiser durante o mês, sem custos adicionais. Outra vantagem é justamente não ter que pagar taxas de mensalidade ou anuidade, que mesmo sendo baixas, quando se é intercambista, qualquer centavo economizado é uma vitória.

Leia também: como abrir conta bancária no exterior

Normalmente os cartões são apenas de débito, que descontam o valor da compra diretamente do seu saldo bancário. Para cartão de crédito, você deve fazer um outro plano especial ou pagar mais caro.

Não é muito comum para um húngaro ter um cartão de crédito, a menos que seja de uma classe social mais alta. Então se você quiser comprar algo no cartão, obrigatoriamente você tem que ter aquele valor disponível na sua conta.

Outra coisa bem interessante é que a maioria dos cartões possui PayPass, que permite fazer compras até um determinado valor sem precisar digitar senhas ou assinar papéis. Você apenas encosta o cartão no terminal e automaticamente o pagamento é feito. Para quem mora fora há muito tempo, já deve estar acostumado com essa tecnologia, mas para mim foi uma grande surpresa.

Por um lado é muito bom, pois nós sempre estamos buscando algo prático e que facilite nossa vida, você encosta o cartão na máquina por 1 segundo e já está pago. Mas por outro lado também ficamos bastante vulneráveis, imagina se perdermos o cartão e uma pessoa mal intencionada o encontra? Ela poderá muito bem fazer várias pequenas compras sem precisar digitar a senha. Pensando nisso, os valores limites para pagamento com PayPass geralmente são baixos. O meu, por exemplo, é 5.000 ft, ou seja, algo em torno de R$ 50,00.

Internet Banking

Apesar de possuírem aplicativos e sistemas bem modernos, eu fiquei bem surpresa porque aparentemente as pessoas não usam. Não sei se não precisam ou não sabem usar, mas no geral, percebo que os brasileiros recorrem muito mais ao e-bank do que os húngaros.

Até porque sem cartão de crédito, não existe fatura pra pagar, então imagino que se reduza pela metade a necessidade de um serviço de pagamento online.

Caso tenha mais alguma dúvida ou queira contar uma experiência, deixe seu comentário!

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns Yeda Maria pelo excelente trabalho elaborado, como também pelo ótimo texto. Realmente, você é uma paraibana arretada. Continue assim, com essa imensa vontade de vencer na vida através de mérito próprio. Conte sempre com a ajuda de sua familia para o que precisar. Nós amamos muito você e nos orgulhamos de sua pessoa.
    Beijos de tia MH e família.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.