BrasileirasPeloMundo.com
Portugal Quanto custa

Custo do supermercado em Portugal

Custo do Supermercado em Portugal.

Todo mundo sabe que Portugal tem preços muito acessíveis, mas o que chama mais atenção são os  preços relacionados à alimentação, como mercado e restaurantes, por exemplo. Já falei um pouco do custo de vida para morar em Portugal (aqui) e só para você ter uma ideia,  por aqui, você encontra um bom almoço, com pãozinho de entrada, bebida e café por apenas 5€. Mas o que mais me chamou atenção quando eu cheguei era o valor dos produtos no supermercado. Por isso, neste post, vou contar um pouco do custo do supermercado para você ter uma ideia.

Os grandes supermercados aqui são: Continente, Pingo Doce, Jumbo e Lidl. As minhas compras são normalmente realizadas no Continente, e eu não vejo tantas diferenças em relação aos preços, de um supermercado para o outro. Mas às vezes, o Pingo Doce faz umas promoções, e por exemplo, retira o imposto dos produtos, e aí é lógico que vale a pena dar uma passada lá e conferir os preços. Aqui, promoções com preços muito inferiores são proibidas, principalmente pelas confusões nos supermercados quando isso acontece.

O Continente e o Pingo doce, que são os que eu mais frequento, te oferecem um cartão, com ele, você acumula um saldo que pode ser utilizado na próxima compra, abatendo no valor da compra. Então é uma regra, passar o seu cartão antes das compras, até mesmo porque muitos produtos só estão “em promoção” para quem ter o cartão do supermercado. De vez em quando, o Supermercado Continente faz promoções oferecendo 10% do valor das suas compras acumuladas no cartão, e depois na próxima compra, ao entregar o cartão, voilá, você terá um valor x para descontar nas compras.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar em Portugal

As  minhas compras normalmente faço online, e gasto 30 min. no máximo para fazer uma compra do mês. Nessas compras, peço de tudo, desde produtos de limpeza, até camarão. Ao finalizar as compras, escolho a data e a hora da entrega, e no dia da entrega, recebo uma mensagem de SMS, confirmando a hora exata da entrega. Sempre vem tudo certinho, caso falta algum produto, ou tenha sido trocado, eles me avisam antes por e-mail, e na hora da entrega, caso eu não esteja satisfeita com a troca, é só pedir para o entregador levar de volta, que recebo o valor (saldo) no cartão do supermercado. Vem sempre tudo certinho e eu nunca tive problemas.

Mas vamos lá, moro no Porto, e pode ser que de região para região as coisas mudem um pouco o preço, vá saber… mas aqui em casa são duas pessoas, e as compras de mês são básicas, em média o valor gira em torno dos 150€. Desse valor, não conto proteínas como queijos tipo camembert, gorgonzola e outros, os quais prefiro comprar no supermercado diretamente, e nem as carnes. As carnes são bem caras por aqui – a picanha por exemplo, chega a 31€, 1,5 kg, então, essas proteínas vamos comprando durante a semana, de acordo com a nossa necessidade e vontade.

O mais interessante é que como já falei (aqui), existem as marcas brancas no mercado. Ou seja, são as marcas do próprio supermercado. No Brasil isso não dá muito certo, esses produtos não são de qualidade e deixam muito a desejar. Por aqui não é desse jeito, esses produtos tem preços muito inferiores e são páreo duro com os produtos de “marca”. Um exemplo, é o leite condensado da Nestlé, que custa 1,99€, enquanto o da marca do mercado, fica no valor de 0,99€, independente de ser light ou não. Uma farinha de trigo de “marca” aqui, custa em torno de 0,79€, enquanto o da marca do supermercado, 0,39€. E podemos ver essa diferença de valores para tudo, desde produtos de higiene, biscoitos, bebidas, enfim. A única coisa que eu não compro a marca do supermercado (mas também nunca experimentei) são o sabão líquido para roupas, que 48 doses custa em torno de 12,99€ (enquanto a marca branca custa 4,29), e bebidas, porque do resto, quando possível e disponível, é tudo da marca do supermercado.

Leia também: 5 dicas de ouro para quem vai morar em Portugal

Falar do custo do supermercado é muito difícil, porque normalmente cada casal terá já uma rotina de compras, e isso custo dependerá de pessoa para pessoa, alguns são mais exigentes, outros nem tanto; as vezes dependendo da Região de Portugal, pode ser que esses valores saem mais caros ou não, então por este motivo, deixo aqui alguns valores de produtos que todo mundo consome (retirados do site do mercado Continente):

  • Açúcar – 1kg – 0,69€(marca branca)
  • Atum – 385g – 2,69€ (marca branca)
  • Azeite extra virgem – 500 ml – 3,39€ (marca branca)
  • Batata frita ondulada (tipo rufles) – 200g – 0,89€ (marca branca)
  • Café Delta – 220g – 2,99€
  • Arroz Parboilizado Caçarola – 1 kg – 1€
  • Arroz Risoto Caçarola – 500g – 0,89€
  • Leite em pó Molico – 400g – 4,39€
  • Feijão preto – 500g – 0,99€ (marca branca)
  • Polpa Tomate – 500g – 0,46€
  • Maionese Heinz – 480g – 2,29€

Limpeza 

  • Pasta de dente Colgate – 75 ml – 1,49€
  • Detergente manual – 500 ml – 1,39€ (marca branca)
  • Guardanapo – 100 und – 0,49€ (marca branca)
  • Detergente pastilha SUN (máquina louça) – 38 doses – 9,99€

O comum são as pessoas fazerem a conta básica, de pegar o valor total da compra em euro e multiplica-la por 4 – as compras darão um valor em torno de 600 reais, o que para duas pessoas, no Rio de Janeiro, por exemplo, dá uma compra super boa! Mas acredito que essa conta não deve ser feita. Devemos pensar pelo valor do salário mínimo português, que hoje é de 580€. Ou seja, em média, as compras de um casal, saem por volta de 25,9% desse valor.

Espero que esse texto tenha ajudado! Aguardo os comentários!

Related posts

Tipos de vistos para morar em Portugal

Lyria Reis

Como economizar em Sidney?

Evelyn Nigri

Mudança para outro país depois dos 50

Neide Figueira

2 comentários

Simone Maria Maio 24, 2018 at 5:18 am

Priscila, amei suas dicas. São detalhadas e ajudam em muito. Super obrigada.
Será que você poderia em uma outra oportunidade falar um pouco sobre os bairros de Porto? Como é dividida a cidade, por exemplo. Sou carioca mas moro fora do Brasil e para mim ainda não é simples entender como é a divisão do local aonde moro. No Rio sabíamos o que era fisicamente e financeiramente (até em termos de segurança), cada bairro, mas quando nos mudamos fica tudo muito novo e confuso.
Muito obrigada pelo seu blog.
Simone

Resposta
Liliane Oliveira Maio 30, 2018 at 1:36 pm

Olá Simone,
A Priscila Maranhão parou de colaborar conosco, mas temos uma nova colunista no Porto chamada Tamyris Almeida que fará uma publicação no mês de julho sobre o assunto.
Você pode entrar em contato com ela deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação