BrasileirasPeloMundo.com
Turquia

Meu noivado turco no Brasil

Meu noivado turco no Brasil.

Uma das coisas que eu mais amo sobre a Turquia são as inúmeras tradições. Eu acredito que seja muito importante para o sentimento de identificação e pertencimento grupal todos esses rituais. Eu fui criada sem a presença de tradições muito bem estabelecidas. Então, os rituais como o Natal, festa de debutantes, dia das mães ou dos pais, e até mesmo aniversários nunca foram coisas muito celebradas pela minha família.

Ao morar na Turquia, foi invadida por inúmeros rituais, inúmeras datas comemorativas, variados ritos de passagem. A Turquia possui tradições milenares riquíssima que até hoje ainda são preservadas. Ao que se refere ao casamento, as coisas não poderiam ser diferentes! Quando meu noivo começou a me informar de todas as etapas que precedem o casamento turco, eu fiquei encantada com tanta simbologia e significados! São tantos rituais que seria impossível explicar cada um deles neste texto. Há uma postagem completa sobre eles no meu blog pessoal aqui. No entanto, acho importante falar que não há uma rigidez no seguimento dessas tradições. Alguns turcos seguem os rituais à risca, outros seguem apenas alguns ou aglomeram alguns passos em uma mesma etapa. Vou compartilhar com vocês como decidimos celebrar esse momento da nossa vida.

Surpreendentemente para mim, apesar do meu noivo ser um turco mais moderno, ele demonstrou o quanto era importante o seguimento das tradições turcas e participou ativamente de todos os processos envolvidos. O vestido, especialmente, foi escolhido por ele. Eu fui pedida em casamento na Turquia, mas falei que o meu desejo seria realizar essa cerimônia no Brasil para que toda a minha família pudesse participar. Então, trouxemos da Turquia todos os elementos necessários para esse ritual. A minha família se envolveu muito na preparação, principalmente as mulheres. Aprendemos até a dançar uma música turca para a noite do noivado, pois não há festa turca sem muita música e dança!

Leia também: Conheci um árabe na Internet. E agora?

Fizemos tudo com muito carinho porque eu queria que o meu noivo sentisse o quanto nós respeitávamos as suas tradições e seguimos tudo à risca, na medida do possível. Tivemos alguns ensaios antes para saber exatamente como se comportar durante os rituais e tudo deu certo no final. Toda a decoração foi inspirada na Turquia, desde as lembrancinhas, até o lokum ou manjar turco, servido como sobremesa.

Inicialmente, servi ao meu noivo um café turco salgado. Ele deveria beber esse café de muito bom grado, com um sorriso no rosto. Isso seria uma demonstração do quanto ele me amava e de como estaria disposto a suportar os momentos doces e “salgados” da vida ao meu lado.

A minha tia paterna foi escolhida para levar as alianças em uma bandeja junto com uma tesoura decorada. As alianças estavam unidas entre si através de uma fita vermelha. O meu pai colocou as alianças nos nossos dedos e o meu avô materno cortou a fita vermelha que unia as alianças, simbolizando que mesmo separados ainda estávamos ligados por um vínculo de amor.

Após esse primeiro momento, iniciou-se a minha “Festa da Henna”, minha parte favorita! Troquei de roupa e vesti um vestido com muitos bordados e detalhes em dourado. Cobri a minha cabeça com um lenço vermelho brilhante. O meu noivo também vestiu alguns acessórios tradicionais nesse momento. Uma tia materna abriu o ritual portando uma bandeja composta com velas e a henna já preparada em forma de creme. Eu e o meu noivo nos sentamos no centro do lugar e as mulheres da minha família enfeitadas com acessórios na cabeça, além de velas e alguns instrumentos nas mãos, se moveram ao som da música ao nosso redor. Esse momento deve ser de muita dor e tristeza para a noiva e sua família, pois significa uma despedida, uma vez que ela se unirá ao seu futuro marido muito brevemente.

No decorrer da música, a minha mãe (deveria ser a minha sogra segundo a tradição, mas ela não pôde estar presente) pediu que eu lhe mostrasse a minha mão. Eu estendi, então, a minha mão fechada, mas em seguida abri-a para que ela colocasse uma moeda de ouro no centro dela. Isso significa que eu aceitei o dote oferecido anteriormente pela família do meu noivo. Outra tia materna, então, colocou henna no centro das minhas duas mãos e cobriu-as com uma espécie de luvas vermelhas brilhantes. A mulher que coloca a henna na mão da noiva é muito importante, pois simboliza que assim como essa mulher tem um bom casamento e harmonia na sua casa, a noiva também terá, podendo se espelhar nessa pessoa.

Foto: acervo pessoal

A minha vó materna colocou henna também nas mãos do meu noivo e as cobriu com luvas brilhantes verdes. Após essa parte, nos levantamos e ficamos de frente um para o outro. O meu noivo levantou o véu vermelho que cobria o meu rosto e beijou a minha testa, simbolizando que me aceitava como a sua futura esposa. Fui informada que, antigamente, quando os casamentos eram arranjados, essa era a primeira vez que o noivo veria o rosto da sua noiva. A cerimônia foi, então, finalizada com um jantar e doces que trouxemos da Turquia.

Apesar de não ter crescido nessa cultura, acredito que participar desse momento foi tão especial para mim como foi para o meu noivo. Poder dividir esse rito de passagem com a minha família e proporcionar a eles esse contato com um país tão encantador como a Turquia realmente foi muito especial para nós. Em breve, realizaremos o casamento em terras turcas e espero voltar aqui para compartilhar novamente com vocês um pouquinho mais das tradições. Até lá!

Related posts

Uma nova jornada na Turquia

Regiane Legras

Relacionamento e Casamento na Turquia – Parte II

Rubiana Ozturk

Poligamia na Turquia

Rubiana Ozturk

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação