BrasileirasPeloMundo.com
Austrália Sistemas de Saúde Pelo Mundo

Sistema de Saúde na Austrália

Começamos a conhecer um pouco do sistema de saúde na Austrália antes de vim para cá. Como condição da maioria dos vistos, é necessário contratar um seguro saúde pelo período do visto. Ou seja, se você vem fazer inglês e fechou 6 meses com a escola, tem que fechar um seguro saúde por 6 meses. E se renova o visto, tem que renovar o seguro.

OSHC (Overseas Student Health Cover

Para estudantes, o seguro é o OSHC e é mais barato também para quem não é estudante. Tem várias companhias que oferecem, mas vale a pena pesquisar bastante e ver qual a cobertura de cada uma.

Se você não vem com visto de estudante, o seguro é mais caro. Porém a grande diferença é que ao invés de pagar pela duração do visto, há a possibilidade de pagar mensal, o que ajuda muito no orçamento. Quem vem com o visto de trabalho, ou quem esta em ‘pós study work’, um visto concedido para quem terminou os estudos e pode ficar mais um tempo trabalhando; que é o nosso caso, pode pagar mensal.

Para os Australianos ou residentes, existem dois tipos de seguro: privado e público, e pode-se optar. Se optam por seguro privado, paga-se menos imposto e vice-versa.

Público X Privado

O seguro público é o Medicare. A cobertura é grande, o melhor hospital da Western Austrália é público, o King Edward. De acordo com o problema de saúde que você tem, você é encaminhado para lá, independente de sua escolha. Por exemplo, se você engravida e sua gravidez é de risco, será encaminhada para o pré natal e parto lá no King Edward.

Já o privado, tem mil escolhas de seguradoras (Allianz, BUPA, HBF, etc).

No público, qualquer problema que você tem, qualquer dor, você marca no GP (General Practice), nosso Clínico Geral. Ele vai te ouvir, em geralmente 15 minutos, e acredite, dá tempo de te medicar e mandar fazer exames. Somente, se extremamente necessário, encaminhar para um especialista. O GP faz tudo. Desde check up, tirar sangue, colher urina, e se não faz, tem um laboratório perto que faz para ele e entrega em seu consultório.

A cobertura do público não é 100%. Os extras (dentista, oftalmologista, etc) são particulares. E muitos procedimentos tem fila de espera de até anos em alguns casos.

Eu já usei hospital aqui, público. Esperei um tempão, uma vez 2 horas, outra 3 horas. Fui bem atendida sim. Em uma das vezes eu torci meu pé, o hospital emprestou muletas. Assinei um termo me comprometendo a devolver quando não precisasse mais e estivesse boa.

No privado, não há espera. Bom, um pouco pode ter, mas nem se compara as horas do público.

No particular, você pode escolher o médico e ir direto em um especialista, se quiser. Nem todos particulares cobrem 100% das consultas, depende do plano que você contrata. Alguns falam que cobram “bulk bill”, que é o valor que o Medicare paga. Outros pagam um valor e você paga a diferença.

Importante ler as apólices e ver exatamente o que cada seguro cobre antes de fechar.

Outra diferença é que no público você fica em enfermarias ou quartos, podendo dividir com outras pessoas e não tem direito a acompanhante. No privado, você pode escolher um quarto com acompanhante.

Pagamento: No público, eles passam o seu Medicare e pronto. No privado, você paga e pede reembolso.

Já precisei usar um hospital no qual passei os meus dados quando dei entrada e eles mandaram a conta em casa algumas semanas depois.

Cobertura: Se você escolhe um seguro privado no Brasil é sinônimo do seguro pagando todas as despesas, se você for em hospital ou médicos cobertos pelo plano. Aqui não é assim. O seguro, paga uma parte e você paga o resto. Conversando com uma chefe sobre essas diferenças, ela disse que  antes costumava por aqui costumava ser como no Brasil; porém após alguns processos judiciais e fraudes tudo mudou e a seguradora comecou a dividir os custos com as pessoas.

Cirurgia: Ok, uma coisa super bizarra!  Precisei fazer uma mini cirurgia, fiquei no quarto até ter um médico disponível e as enfermeiras vieram falar comigo, me preparar para quando chegasse a hora. Meu marido estava comigo, e nos despedimos. Eu estava esperando eles me sedarem, mas nada. Fui acordada até o centro cirúrgico. Todos os médicos se apresentaram, eu deitei, esperei eles estarem prontos e ai me sedaram. Nunca tinha entrado em um centro cirúrgico antes acordada. Lembro de tudo! O atendimento foi fantástico. As enfermeiras, super cuidadosas e humanas. Não tenho do que reclamar.

Eu gosto muito de ter a minha GP e sempre falar com ela sobre o que preciso. Ela fica a 10 minutos da minha casa, atende na hora e faz praticamente tudo. Muito diferente do que eu estava acostumada no Brasil, mas toda adaptação leva tempo. E essa foi fácil.

Related posts

Sistema de saúde na Turquia

Cristhiane Mutlu

Dicas para viajar de carro pela Austrália

Juliana Letra

Sistema da Saúde Público na Nova Zelândia

Gabriela Nunes

27 comentários

Elias Janeiro 5, 2016 at 4:47 pm

Olá Aline! Interessante saber como funciona o sistema de saúde da Austrália. Mas, só por curiosidade, como é a política da Austrália na prevenção de doenças tropicais, como a dengue? Infelizmente no Brasil tá fora de controle, com o surto do “zika vírus” em todo o país. E os insetos e mosquitos incomodam bastante a população da Austrália? Para quem é alérgico a picada de insetos, a Austrália é um bom lugar pra viver, ou é um pesadelo?

Resposta
Aline Arruda Janeiro 7, 2016 at 6:04 am

Oi Elias,
Obrigada pelo elogio.
Bem, a Australia não é um país tropical, então não tem Dengue. Se o seu receio são animais, aqui o que não falta é bicho perigoso. Dá um google para ter uma ideia. Dá uma olhada nisso: http://www.buzzfeed.com/simoncrerar/pictures-that-prove-australia-is-the-craziest.
Aranhas perigosas no jardim (inclusive em grandes cidades), cobras venenosas nos parques, abelhas, e fora o grande tubarão branco nas praias. E a agua viva que mata em segundos.
Boa sorte,
Aline

Resposta
Elias Janeiro 7, 2016 at 5:06 pm

É Aline, eu já sabia que é comum os moradores receberem “visitas” indesejadas de aranhas (e que alguns australianos são amigos delas, rsrs)… mas nada que um inseticida não resolva, né? Agora cobras e jacarés realmente assustam. É muito comum eles invadirem as cidades? Você já enfrentou problemas com eles?

E só uma observação, quando eu perguntei dos mosquitos, tinha me referido ao pernilongo / carapanã / muriçoca (https://pt.wikipedia.org/wiki/Carapan%C3%A3). Esses que me incomodam muito, por ter pele sensível. Mas se a Austrália não é tropical (como eu achava), provavelmente não têm. Já bastam os animais perigosos que já existem na Austrália, o povo não merece sofrer mais, rsrs. Agradeço pelas suas informações mesmo assim!

Um abraço! 🙂

Resposta
Aline Arruda Janeiro 8, 2016 at 8:47 am

Elias, mosquito tem de monte. Pernilongo no verão é igual ou pior que no Brasil. Não acredito que tenha essa essa espécie de mosquito pq como a própria página que você mandou, eles são endêmicos do Brasil. MAs outros e outros perigos, certamente. Mosca então….. contamos 30 nas costas do meu marido uma vez rsrs.
Australiano não mata nenhum bicho, eles convivem com eles.
E sim, convivemos com os bichos. Tem uma aranha aqui venenosa que vive nos jardins. Já achamos um monte em casa. Ela é pequena e até bonita. Chama Red Back Spider. Cobras em casa nunca, mas moro perto da cidade. Tem um parque qaqui pertinho que tem uma das mais venenosas do mundo. O crocodilo só no NOrte (UFA).
Olha essa reportagem: Até os animais tropicais nadam até aqui hahahaha
http://www.abc.net.au/news/2016-01-07/venomous-yellow-bellied-sea-snakes-washed-ashore-nsw-south/7071256

Abraços
Aline

Resposta
Elias Janeiro 8, 2016 at 5:12 pm

G’day, Aline! Parece que a convivência entre humanos e animais na Austrália é bem harmoniosa, porque se fosse o contrário, não haveria tanta gente que mora ou tenha interesse em morar no país. Eu não sou uma pessoa medrosa, que entro em pânico ao ver insetos e aranhas, mas é sempre bom tomar cuidado com eles.

E também gostaria muito de trocar ideias com você sobre intercâmbio, ou sobre como é morar e trabalhar na Austrália. Temos em comum o fato de termos estudado Direito (vou me formar em breve), e também do desejo de mudar de carreira, caso isso seja possível (me identifiquei com o curso, mas não com a profissão), e vi que você também fez isso! Se puder compartilhar sua experiência, ficarei agradecido, pois não é fácil tomar a decisão de mudar de carreira e de país. Thank you!

Resposta
Aline Arruda Janeiro 10, 2016 at 1:09 am

Oi Elias, G’day :-).
Para ser sincera não temos muita opção, tem tanto bicho aqui… hehe

Sobre suas dúvidas, dá uma olhada nos meus outros posts no blog. Escrevi bastante sobre minha experiência :-). Se tiver mais dúvidas, só mandar.

Boa sorte,
Aline

Resposta
Aline Arruda Janeiro 15, 2016 at 2:16 am

Elias, para você hehe
https://au.news.yahoo.com/thewest/video/watch/30560736/pregnant-brown-snake-found-hiding-behind-fridge/#page1

Detalhe que a Brown Snake é uma das mais venenosas do mundo 🙂

Resposta
helia Tereza Mamede torres Fevereiro 21, 2016 at 4:50 am

Aline por favor entre em contacto com minha filha o nome dela é Jamile Hawkins

Aline Arruda Fevereiro 21, 2016 at 8:57 am

Sra Helia, entre em contato com a embaixada se estiver preocupada com sua filha.
[email protected]
+610262732372
Tem um número de emergência: +61427127001

Boa sorte, espero que esteja tudo bem com ela.
Abraços
Aline

Alicia Abril 1, 2016 at 6:53 pm

Olá Aline! Que bom que eu te achei ! Eu e meu marido estamos analisando as possibilidades de mudança de pais , Austrália está bem cotada e a cidade de Perth por enquanto nossa preferida ! Uma dúvida relacionada à saúde, eu faço acompanhamentos a cada 6 messes de glaucoma e nódulos na mama, é válido levar meu histórico de exames , ou como estamos falando de um lugar mais evoluído , é melhor começar do zero e contar sobre o histórico de acompanhamentos ? Desde de já agradeço

Resposta
Aline Arruda Abril 3, 2016 at 6:17 am

Oi alicia,
Que bacana, espero que dê certo o melhor para vcs.
Puxa, eu não me sinto capacitado para responder sua pergunta, me desculpe. A medicina no Brasil é referencia no mundo inteiro, então não sinta que talvez tenha um melhor tratamento aqui, viu? Eles são mais desencantados e não fazem os mil exames ué fazemos anualmente no Brasil, por exemplo.
Desculpe não conseguir ajudar mais.
Boa sorte,
Aline

Resposta
Alicia Junho 1, 2016 at 1:38 pm

Obrigada pelo retorno Aline,

Outra dúvida, estamos previstos ficar 2 a 3 anos, vamos com o seguro viagem nesse período, existe alguma empresa que você recomende ou não recomende para contratação? Já pesquisei um pouco sobre isso, mas talvez você tenha vivido algo com algum prestador específico.

Desde de já te agradeço o retorno

Resposta
Aline Arruda Junho 3, 2016 at 6:05 am

Oi Alicia,
eu vim com a BUPA e hoje tenho HBF porque o trabalho do meu marido tem convenio com eles.
N~ao tenho nada a falar de nenhum, s~ao os dois ‘otimos. Tenho alguns amigos que tem medibank e gostam também.
Obrigada,
Aline

Resposta
Alicia Junho 6, 2016 at 1:45 pm

Valeu Aline,

A agência ofereceu o Assist Card, conhece? Esses citados por você, a agência não trabalha.Vi o post que você trocou com Juliana, se puder indicar os caminhos que sugeriu para ela, com relação a moradia dos primeiros dias, vai me ajudar muito também, eu vou em outubro para Perth.A principio ficaremos nas acomodações da faculdade, eu e meu marido vamos estudar da Curtin.

Abraço

Aline Arruda Junho 7, 2016 at 4:57 am

Então, não conheço não.

Quanto a moradia, pelo que lembro, a Curtin tem essas acomodações, mas são dif;ices de conseguir. Como meu marido estudou lá, tentamos também.
Elas parecem ser bem bacanas, viu. E o mais legal é que vocês estarão cercados de estudantes também.
Os bairros na redondeza são Bentley, Como, Karawara, Wilson. Para você rer uma ideia. COnsegui ajudar mais a Juliana porque eu morei na escola de inglês :-).
Espero ter ajudado
Abraços

Juliana Abril 4, 2016 at 1:55 am

Oi Aline! Tudo bem? Nós nos falamos há algum tempo aqui pelo BPM, estou indo com meu marido para Perth agora em maio e vamos estudar na Milner! Falta tão pouco, e estou ficando ansiosa! Rsrs
Leio todos os seus posts, e queria aproveitar esse sobre sistema de saúde pra perguntar como funciona a venda de medicamentos aí. Estou fazendo a listinha dos remédios que vou levar ( neosaldina, dipirona, etc), e dentre eles estão os anticoncepcionais. Pedi uma receita pra minha ginecologista pra poder levar todas as caixas, mas pra garantir, vc sabe se eles são vendidos sem receita ( ou com receita brasileira) na farmácia? Vi que em Dublin só se vende com receita de médico de lá, mas não achei nada sobre a Austrália. ..
Bjs e muito obrigada! !
Juliana

Resposta
Aline Arruda Abril 4, 2016 at 5:14 am

Oi Juliana, ai que ansiedade :-).
Maio esta ai!
Não sei muito bem como funciona aqui anticoncepcional, mas acredito que você tenha que ir no GP (Clinico Geral) pedir receita. Você consegue entrar aqui com as suas pilulas e receita brasileira, mas não esquece de traduzir para inglês.
Dipirona não existe aqui, então traga do Brasil. Se estiver lacrado, sem problemas. Só não esquece de declarar quando chega.
Esta tudo certo então? Acomodação, escola?
Logo logo vc estará aqui. E vai chegar no outono, o tempo esta bem menos quente, começando muito devagar, a esfriar.
Beijos
Aline

Resposta
Juliana Abril 5, 2016 at 12:37 pm

Oi Aline! Puxa, obrigada pelo toque, principalmente da questão da tradução! E obrigada pela dica da dipirona tb, dessa eu não sabia! 🙂
Esta tudo certo, a gente vai ficar no studio da Milner num primeiro momento. Conseguimos ficar lá por 300 dólares a semana, pelo o que pude pesquisar sai mais em conta que os aptos. Claro, nao tem aquela cara de casa né rsrs mas tá bom! ! Alias, obrigada pela dica dos studios, não sabia da existência deles e a agência não tinha me oferecido essa opção, só falaram depois que perguntei!
Puxa, espero pegar um pouquinho de calor ainda antes da época daa chuvas! Estou super ansiosa com tudo!!
Beijos e boa semana!
Juliana

Resposta
Aline Arruda Abril 6, 2016 at 4:13 am

Juliana, imagina.
Fico muito feliz em ajudar, mesmo.
Menina, $300? Pagamos $375 em 2012! Olha como estavam caras as coisas quando chegamos. Esta fazendo um otimo negocio, a Amilner é super bem localizada e dá tempo de vcs procurarem um canto de vcs com calma.
Me manda um email quando chegarem, podemos marcar um café para nos conhecermos ([email protected]).
Boa sorte, curte a familia mais um pouquinho e venham com Deus.
Beijos

Resposta
Juliana Abril 6, 2016 at 4:23 pm

Aline, eu até fiquei surpresa quando falaram o valor, pq me lembrava do seu post sobre isso. Deram uma boa baixada!
Vou te escrever sim, vou ficar muito feliz em conhecer pessoalmente alguém que tanto me ajudou!
Beijos e fica com Deus tb!! 🙂
Juliana

Resposta
Fernanda Agosto 2, 2016 at 1:55 pm

Aline,

Muito interessante seu post. Eu fiquei com uma dúvida, estrangeiros podem usar o sistema público Australiano? O medicare? Eu vou com o Working Holiday, e ainda não sei como fazer com esta questão de planos de saúde.

Muito obrigada!

Resposta
Aline Arruda Agosto 3, 2016 at 9:29 am

Oi Fernanda, tudo bem?
Estrangeiro precisa ter seguro saúde, somente Residentes e Cidadão australiano tem direito ao medicare.
Você quer que eu quote para você seguro> Trabalhamos com uma apólice exclusiva para o WHV.
Me manda um email no [email protected] e eu vejo para você :-).
Abraços,
Aline

Resposta
Ivana Janeiro 18, 2017 at 9:02 pm

Oi ALINE!
Muito interessantes seus posts e de grande ajuda também!
Então, estou indo agora em março para Melbourne para 3 meses e vi o que você falou sobre as traduções das receitas dos medicamentos (anticoncepcionais, etc). A pergunta é têm que ser juramentadas essas traduções? Mas, se o médico der uma receita/declaração já em inglês, é suficiente?

Resposta
Aline Arruda Janeiro 18, 2017 at 11:48 pm

Oi Ivana, obrigada pro acompanhar o blog

As receitas em inglês são suficientes, não precisa ser juramentada não.

Boa viagem,
Aline

Resposta
Ivana Janeiro 19, 2017 at 12:13 pm

Oi Aline! Obrigada por responder! Então eu mesma posso traduzir num papel comum?

Resposta
Aline Arruda Janeiro 21, 2017 at 1:28 am

Ivana,
Não tenho certeza, melhor perguntar para algum agente. Acho que vc não conta, porque vc pode escrever qquer coisa. Tem que ter o carimbo do médico.

Resposta
vanessa marques gonçalves Dezembro 18, 2017 at 10:32 pm

Aline,

Obrigada pelas informações, foram bem úteis.

No meu caso, eu estou indo para a austrália no ano que vem e gostaria de saber se para fazer exames como: colonoscopia, é fácil e qual plano cobriria esse exame e tem proctologistas bons e acessíveis?? Se tiver que pagar, sabe qual valor aproximado para passar pela consulta?

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação