BrasileirasPeloMundo.com
Bélgica Culinária Pelo Mundo

5 pratos tradicionais da culinária belga

5 pratos tradicionais da culinária belga.

Se você ama comida, como eu, esse post é para você! Depois dos meus familiares e amigos, o que mais sinto falta do Brasil é a comida. Às vezes até sonho com um banquete com uma dúzia de pastéis e coxinhas. Pão de queijo, brigadeiro, tapioca… A lista é infinita e a saudade – e a fome – só aumentam! Por outro lado, a comida belga está cada vez mais me conquistando, principalmente porque quase todas as suas refeições acompanham a melhor coisa da vida: a batata. Seja frita, assada, purê, o que for – a batata é o arroz e feijão dos belgas.

Então, para que eu não morra de vontade sozinha enquanto muitas de vocês se esbanjam aí no Brasil comendo uma boa feijoada toda sexta-feira, compartilho aqui algumas das delícias que a Bélgica pode oferecer de melhor:

1. Stoofvlees 

Também conhecido como carbonnade ou beef stew nos menus em inglês, o stoofvlees nada mais é do que a famosa carne de panela, bem molinha e cozida com alguma cerveja local (ou, às vezes, cerveja caseira). Quando perguntei aos meus colegas de trabalho belgas qual é o prato mais tradicional da Bélgica (como o arroz e feijão é no Brasil), a resposta foi: carne e batata frita. Portanto, o stoofvlees é, sem dúvida, a opção ideal quando você vier visitar a Bélgica pela primeira vez. Em todos os restaurantes que já pedi este prato, é sempre uma porção bem servida em uma mini-panela de cerâmica para mantê-lo aquecido até o final. Os acompanhamentos são uma pequena salada (na maioria dos casos, salada de chicória – o que eu acho muito amarga, mas os belgas amam) e, é claro, batata frita e maionese. É uma delícia, e até dá para arriscar fazer em casa!

2. Moules-frites

Moules-frites (mexilhões e batatas fritas) é outra refeição bem famosa aqui na Bélgica. E sou suspeita para falar sobre, porque simplesmente amo este prato! Que, na verdade, não é um prato, e sim uma panela cheia de mexilhões cozidos. Sim, literalmente uma panela. Há alguns lugares que servem uma porção mais gourmet, mas se optar por um restaurante mais tradicional, será uma porção tão caprichada que dificilmente aguentará comer até o final.  Para não enjoar, você pode escolher um tempero diferente a cada vez que provar os mexilhões. Os sabores mais comuns são marinière (manteiga, cebolinha, salsa e vinho branco), natures (aipo, alho-poró e manteiga), à la crème (molho de vinho branco engrossado com farinha e creme de leite), à la bière (é o mesmo que o marinière, mas em vez de vinho branco, é feito com cerveja) e à l’ail (cozido ao alho).

Eu, pessoalmente, já vi alguns restaurantes oferecerem também o que em português seria “a gosto do chefe” – e também é sempre uma boa opção. Os belgas têm um jeito de usar os talheres para pegar o mexilhão e descartar a casca, sem sujar as mãos. Eu, claro, não nasci com essa habilidade e portanto faço uma meleca: meto a mão mesmo! No final, você ainda pode tomar o caldinho do sabor que escolheu. E advinha qual o acompanhamento? Isso aí, batata frita e maionese!

3. Vol-Au-Vent

Vol-Au-Vent é uma palavra francesa, que traduzida para o português significa “canapé”. Este é o nome da massa folheada em formato redondo, a qual os belgas recheiam com frango desfiado,  almôndegas de vitela e cogumelos misturados em um molho branco cremoso e muito gostoso. Na França, esta é uma refeição servida como uma entrada, mas aqui na Bélgica é mais comum encontrá-lo como prato principal e em porções maiores. Como acompanhamento, você pode escolher entre batata frita ou purê de batata. É bem gostoso, lembra muito um estrogonofe mais “refinado”. Não sou muito amiga de molho branco, mas se você curte, corra para experimentar essa receita!

Leia também: dez curiosidades sobre a Antuérpia

4. Stoemp

Ainda não tive a oportunidade de experimentar o Stoemp, mas já ouvi opiniões muito boas a respeito. Parte da cultura belga desde o século 19, este prato é a personificação do famoso “restô dontê”, que tanto ouvimos falar. Basicamente, você pode misturar todos os vegetais e legumes que encontrar na geladeira, como cebola, cenoura, alho-poró, espinafre, ervilhas e repolho, temperá-los com tomilho e noz-moscada, e misturar com o purê de batata. Por cima desse mix, é servido bacon frito, almôndegas ou linguiças. Prático, bom e barato!

Leia também: cidadania belga

5. Waterzooi

Perfeita para o inverno, esta receita surgiu na cidade de Gent, na Bélgica. Hoje em dia, o ingrediente principal mais comum é o frango, mas pode também ser feito com peixe – os belgas dizem que ambos são muito bons. É parecido com uma sopa cremosa, bem suculenta. A sua base é feita de gema de ovo, amido de milho, creme de leite e caldo de carne. Adicione a isso os vegetais e o frango no final, e voilà! Prontinho para ser servido com batatas fritas (que novidade!) ou com pão.

E aí, ficou com vontade? Agora já sabe, quando vier visitar esse pequeno país cheio de diversidades até nas suas comidas, terá muitos sabores novos para experimentar!

Related posts

Dez comidas típicas egípcias

Michelle Bastos

Gastronomia peruana

Jéssica Soares

A febre da cerveja artesanal na Bélgica

Marcela Vitarelli

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação