BrasileirasPeloMundo.com
China

Bem-vindos a Qingdao na China

Bem-vindos a Qingdao, na China

Sempre tive vontade de viver uma experiência no exterior. Morar em um país diferente sempre esteve nos meus sonhos, mas até então nunca havia surgido uma oportunidade.
Descendente de portugueses, quando foi o momento, dei entrada na papelada para o reconhecimento da nacionalidade portuguesa. Pensei então: agora estou pronta para uma aventura!

Eu e meu marido sempre conversamos sobre arriscar uma nova vida fora do Brasil, mas passava pela nossa cabeça Portugal (pelas óbvias facilidades como a língua, a minha dupla nacionalidade, a “curta” distância dos familiares, etc.) ou Canadá (o queridinho dos aspirantes a imigrantes). Mas qual não foi a minha surpresa quando recebi a notícia de que teríamos a possibilidade de nos mudarmos para a China.

A China não tinha passado pela minha cabeça sequer a turismo. Eu nunca imaginei viver em um país asiático. Nunca tive muita vontade de conhecer nem a turismo, pois morro de medo de avião, e uma viagem desse tamanho eu não teria coragem de encarar a passeio. Mas a vida não cansa de nos ensinar que quando dizemos “desta água não beberei” é aí que a gente bebe mesmo.

Agora surgem os primeiros desafios. Primeiro foi pensar se aceitaríamos ou não esta proposta. Depois as questões burocráticas. Comecei a imaginar a viagem. Eu com bebê de 1 ano e meio, cruzar o mundo… E agora? Era pegar ou largar.

Não vou dizer que não hesitei. Sim, eu hesitei. E muito. Mesmo pensando como poderia ser incrível esta mudança, dei graças a Deus quando meu marido recusou a primeira proposta, mas essa tranquilidade não durou muito tempo, pois novamente ele foi requisitado e desta vez a gente não pôde recusar.

Conversamos e concluímos que se era nosso sonho nos lançarmos no mundo, então não poderíamos perder essa chance. Era uma oportunidade pela empresa, não precisaríamos largar tudo, emprego, casa, como teríamos que fazer no caso de nos mudarmos para Portugal ou Canadá.

Encaramos como um intercâmbio cultural em família, um teste para medirmos a nossa capacidade de driblar eventuais dificuldades relacionadas a uma mudança deste porte, exercitar a adaptação às diferenças culturais, treinar nosso psicológico para viver longe da família e amigos.

E aqui estamos há 8 meses. Vivemos muito bem, nos sentimos relativamente adaptados, mas a língua ainda é um enorme desafio, mesmo já tendo aprendido o básico do básico da língua falada. Aqui não se fala muito o inglês, e quando há quem fale, não é muito bom e as dificuldades de comunicação são constantes.

A China é um país enorme, cada região tem suas características, sotaques e dialetos. Ao relatar sobre minha experiência aqui, na maioria das vezes estarei me referindo ao local onde moro, que provavelmente é bem diferente daqueles lugares exóticos que aparecem nas páginas de turismo. Eu não vivo numa cabana em uma região rural e arcaica, como já me perguntaram, tampouco num centro abarrotado de gente e sem espaço para caminhar na rua com uma horda de bicicletas desgovernadas.

O lugar onde eu vivo se chama Qingdao, capital da província de Shandong, localizada no leste da China. Aqui é considerada região norte do pais, e se encontra a 5 horas de trem bala de Beijing (Beijing significa capital do norte, em mandarim). Moro mais especificamente em Huangdao, distrito de Qingdao, uma espécie de Barra da Tijuca misturada com Niterói com relação ao Rio de Janeiro, só para dar uma noção para quem tem o Brasil como referência.

Huangdao é uma região enorme, bonita, moderna e ampla, cheia de lindos jardins e uma orla maravilhosa, cheia de parques e atividades de lazer, um local que há alguns anos era uma aldeia, e que após a construção da ponte Jiaozhou Bay Bridge, que por sinal é uma
das maiores pontes do mundo, senão a mais longa ponte sobre águas salgadas com extensão de quase 42 quilômetros, passou a se desenvolver muito rapidamente.

Esta ponte que liga Huangdao a Qingdao (chamamos assim, mas na verdade nos referimos à região central da cidade) não é a única forma de cruzar a baía, as regiões são conectadas também por um túnel submarino de aproximadamente 7 km.

Esta é a opção mais usada pelas pessoas que residem no distrito de Huangdao e trabalham em Qingdao e vice-versa, pois é a mais barata e o trajeto mais curto. Tanto a ponte quanto o túnel exigem o pagamento de pedágio.

Huangdao é também onde se encontra a famosa Universidade do Petróleo. Muitos estrangeiros residem aqui em razão de estudarem nesta universidade, angolanos, etíopes, venezuelanos, colombianos, argentinos, russos, árabes…, mas ainda assim, Huangdao preserva suas características chinesas e um jeito tranquilo de cidade do interior. Ao andar pelas ruas daqui eu não tenho, por exemplo, aquela sensação de densidade demográfica que sinto no Rio de Janeiro. Percebo uma tranquilidade no modo de vida das pessoas, e um ritmo mais desacelerado de viver.

A China me surpreendeu muito, a começar pela hospitalidade e gentileza das aeromoças da companhia aérea chinesa que fez o trajeto da Europa para cá, e continua me surpreendendo o tempo todo, na maioria das vezes de forma positiva. A qualidade de vida que minha família tem aqui é enorme se comparada à vida que tínhamos no Brasil, que não era ruim, mas é claro que nem tudo são flores.

Se adaptar a uma cultura tão diferente não é fácil e muitas vezes ficamos cansados da dificuldade de comunicação. Mas o balanço é seguramente positivo, e por mais que tenhamos projetado passar apenas um período aqui, acreditamos que se novas oportunidades surgirem, ficaremos numa grande dúvida sobre o que é melhor: voltar para o Brasil ou ficar e encarar mais desafios por algum período.

Related posts

China – Crianças – Onde Estudar

Christine Marote

Fisioterapeuta brasileira na China

Christine Marote

Escolas Internacionais na China

Ludmila Lima

16 comentários

Fred Calijorne Março 2, 2018 at 4:55 pm

Delicia de texto, Fefs. Curioso pelos demais. Beijo.

Resposta
Fernanda Gueiros Março 5, 2018 at 9:16 am

Obrigada Fred!
Mês que vem tem mais!

Resposta
Letícia Sonnewend Março 17, 2018 at 12:24 am

Olá Fernanda,
Meu marido a cada 03 meses vai a trabalho para essa cidade e fala muito bem!
Em junho será eu que vou passar uns 50 dias ai! Você acha que é possível nesse pouco período eu fazer algum tipo de trabalho voluntário?

Resposta
Fernanda Gueiros Março 19, 2018 at 4:26 pm

Olá Letícia!
Acredito ser possível sim.
😊

Resposta
Prisccila Abril 8, 2018 at 4:27 am

Oi!!! Estou indo para Qindao a trabalhar por 7 dias. Poderia sugerir lugares para comer? Estou bem preocupada com isso hehe obrigada. Adorei seu blog

Resposta
Fernanda Gueiros Abril 8, 2018 at 5:17 pm

Oi Prisccila!
Qingdao é uma cidade muito grande, seria legal você me dizer onde ficará hospedada para te indicar algo perto, se eu souber. Outra coisa também que é importante saber para poder te indicar é saber seu gosto. De qualquer forma, os grandes hotéis costumam ter comida internacional, o que pode facilitar pra você.
Abra, é boa viagem!

Resposta
Analu Abril 17, 2018 at 9:46 am

Olá! Recebi uma proposta de trabalho para ir pra Qingdao e estou pensando em aceitar. Como é morar aí? Tem outros brasileiros por aí?

Resposta
Fernanda Gueiros Abril 19, 2018 at 11:12 pm

Olá Analu,
Há muitos brasileiros aqui sim, principalmente em Huangdao. Existe um grupo de apoio no aplicativo WeChat, se precisar me mande um e-mail que eu te adiciono lá. Abraço!

Resposta
Glaucio Benchaya Maio 3, 2018 at 3:36 am

Boa noite Fernanda
Tenho muitos amigos chineses, tem um amigo que esta indo pra China e precisa de um interprete Portugues – Chines, para passar um dia visitando em empresa em quinhuangdao, teria alguma ideia ou conhece alguem que pode nos ajudar?
Obrigado
Glaucio

Resposta
Fernanda Gueiros Maio 4, 2018 at 2:45 am

Oi Glaucio!
Mande um e-mail para [email protected] e veja se ela pode te ajudar.
Abraço!

Resposta
lorine melo Agosto 10, 2018 at 7:48 pm

Oi Fernanda tudo bem?
Estou indo a trabalho para Qingdao e ficarei por ai uma semana, gostaria de saber como é o tempo no mês de outubro,e se consigo me virar com o inglês básico?

Resposta
Liliane Oliveira Agosto 11, 2018 at 11:28 pm

Olá Lorine,
A Fernanda Gueiros, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Mariana Agosto 16, 2018 at 1:16 pm

Oi Fernanda. Adorei o texto. Eu, meu esposo e minha bebê de 8 meses , estamos com planos de irmos morar um tempo em Qingdao, se der certo meu esposo vai a trabalho. Confesso que estou com bastante receio. Em relação a escolinha, como fez com teu bebê? As coisas que me preocupam são mais em relação a ela mesmo. Obrigada!

Resposta
Liliane Oliveira Agosto 16, 2018 at 6:44 pm

Olá Mariana,
A Fernanda Gueiros, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Claudio Dezembro 2, 2018 at 1:03 am

Ola,
Estarei em Qingdao entre dias 11 e 15 de dezembro.
Gostaria de saber se você presta serviços de interprete ou se pode me indicar alguém.
Obrigado
Cordialmente

Claudio
[email protected]

Resposta
Liliane Oliveira Dezembro 2, 2018 at 5:51 pm

Olá Claudio,
A Fernanda Gueiros, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação