BrasileirasPeloMundo.com
Lituânia

Bem-vindos a Vilnius na Lituânia

Bem-vindos a Vilnius na Lituânia.

Para quem já viajou, morou ou mora para fora do Brasil uma coisa é certa, tem brasileiro espalhado pelo mundo todo, e com a Lituânia, esse pequeno país do leste europeu, não poderia ser diferente.

Sou bióloga, casada, nascida em São Bernardo do Campo/SP, paulistana de coração, e tive a oportunidade de conhecer Vilnius, a capital da Lituânia, em 2013. Na época estava fazendo mestrado, que depois virou doutorado, e consegui uma bolsa para participar de um Congresso e um treinamento de duas semanas com um dos pesquisadores mais renomados da área da minha pesquisa.

A primeira impressão que tive foi simplesmente de amor, uma familiaridade tão grande, até parecia que eu já tinha morado em Vilnius em outras vidas. O tempo foi passando, terminei meu doutorado, e em 2017 surgiu a grande oportunidade de fazer um pós-doutorado na Lituânia.

Eu e meu marido nos mudamos no início de Janeiro, e desde que chegamos o amor por essa cidade só aumenta.

A Lituânia é um país bem pequeno (pelo menos para quem está acostumado com a grandeza do Brasil e vivia em uma cidade, um tanto quanto caótica, como São Paulo). O país tem cerca de 2,8 milhões de habitantes e Vilnius cerca de 600 mil habitantes.

Atualmente uma das grandes preocupações do governo é com a diminuição da população, a taxa de natalidade não é muito alta, e muitos jovens estão deixando o país para estudar e morar em outras cidade européias.

O país tem uma história repleta de guerras e ocupações por alemães e russos durante a primeira e segunda guerra mundial, e hoje em dia é possível sentir o patriotismo e o esforço em manter a identidade nacional. A Lituânia esteve sob o domínio da antiga União Soviética até 1990.

Leia também: mestrado em inglês na Polônia

Chegamos em Vilnius em Janeiro, durante o inverno, e vou dizer, estava frio viu! Saímos de 30 e poucos graus do verão brasileiro, para os -10°C do inverno lituano. A cidade estava coberta de neve, toda branquinha, e claro que os casacos que trouxemos (aqueles que nunca conseguimos usar no Brasil porque sempre estava muito quente) não foram suficientes para segurar o frio. A parte boa nisso, foi que chegamos durante as liquidações de inverno, então não precisamos gastar muito para ficarmos quentinhos.

As estações do ano são bem definidas, com invernos congelantes (experimentamos -22°C em fevereiro) e verões com temperaturas, em geral, mais amenas (por volta de 25°C), mas que em 2018 chegou à 32°C.

O que foi mais diferentes para nós dois foram as horas de luz solar, durante o verão o
sol pode nascer antes das 4h da manhã e se por quase 23h da noite, enquanto que no inverno ele nasce depois das 8h 30min e se põe antes das 16h.

Durante o verão é possível sentir a felicidade e o desejo de aproveitar cada segundo de sol e claridade, após o longo e gelado inverno.

Na primeira semana ficamos em um apartamento de um desses serviços de hospedagem on-line até conseguirmos alugar um lugar. Em uma semana já estávamos no nosso novo lar, mas encontrar um lugar não foi exatamente fácil. Nem eu e nem meu marido falamos lituano, e nem todos os lituanos falam inglês, então precisamos contar com a ajuda de alguns colegas de trabalho para completarmos a tarefa. E nem todos os proprietários queriam alugar o seu imóvel para estrangeiros, mas no fim conseguimos encontrar um casal de idosos extremamente simpáticos que toparam nos ter como inquilinos.

Os primeiros dias foram sem dúvida de reconhecimento da cidade, e Vilnius tem muito a nos proporcionar com relação a isso. A cidade, apesar de pequena, tem um centro (old town ou senamiestis) muito bonito, charmoso e cheio de surpresas. As ruas estreitas são um convite para explorar o lugar ainda mais, a chance de você se perder ali é grande, mas vale a pena, e essa é a graça da coisa.

Vilnius não dispõe de sistemas de metrô ou tram (os bondes, que são muito comuns em diversas cidade europeias), mas circular pela cidade de ônibus é bastante fácil. Você consegue encontrar quais linhas e os horários de cada ônibus em todos os pontos, e ainda é possível utilizar o aplicativo Trafi que mostra o horário exato e as rotas que você pode fazer para chegar ao seu destino.

Leia também: nova autorização para entrar na Europa

As passagens são relativamente baratas e há possibilidade de comprar bilhetes por um determinado período, deixando o transporte ainda mais barato.

Com relação a alimentação, a base da dieta lituana é batata e carne de porco. Você encontra muitas variações dessas combinações, como o tradicional cepelinei, e as bulviniai blynai ou panquecas de batata, servidos sempre com sour cream. Confesso que é uma comida pesada e gordurosa, mas estamos acostumados a comer feijoada, certo?

Um dos meus pratos típicos favoritos e que é muito refrescante durante o verão é a šaltibarščiai, ou sopa fria de beterraba, eu sei que pode soar bastante estranho, mas é uma delícia e consiste em: beterraba marinada, pepino, endro, ovo cozido, sour cream e batata cozida para acompanhar.

Enfim, esse foi apenas o primeiro post, com um sobrevoo bastante rápido por Vilnius. Nos próximos posts darei mais detalhes a respeito. E se tiverem dúvidas ou comentários é só comentar no post.

Related posts

Como ter permissão de residência lituana?

Carolina Romeiro

Como tirar visto para morar na Lituânia

Carolina Romeiro

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação