BrasileirasPeloMundo.com
África do Sul Dicas para abrir conta bancária pelo mundo

Como abrir conta bancária na África do Sul

E lá vou eu descrever mais uma aventura em solo sul-africano! É incrível como coisas cotidianas se transformam em pequenas conquistas quando se está no exterior, por não conhecermos como “a banda toca”. Quando imaginei que iria ficar felicíssima por abrir uma conta bancária na África do Sul? Ok, houve uma vez antes, quando consegui virar Itaú Personalitté estando fora do perfil, por conta do trabalho à época. E foi pelo fato de eu passar a ganhar mais pontos nas compras com cartão de crédito…  Alegria de pobre, diriam conterrâneos!

Principais bancos

Os mais conhecidos no país são ABSA, Standard Bank, FNB e Nedbank, todos originalmente sul-africanos. O nosso é o Standard, que tinha bastante presença no exterior, mas diminuiu consideravelmente nos últimos anos. Neste momento estão fechando também agências locais. Já vi brasileiros recomendando o FNB nos grupos de Facebook, mas não o visitei e tampouco o Nedbank, pois ambos não ficavam walking distance (perto o suficiente para ir a pé) de nossa casa.

Documentos

Como em outros serviços aqui, a lista vai depender bastante da pessoa que lhe atender. Os documentos solicitados ao meu esposo não foram os mesmos que pediram a uma amiga brasileira que possui o mesmo cargo. Talvez seja por ela ter chegado um ano depois, mas tenho minhas dúvidas.

Portanto, posso compartilhar nossa experiência, mas não significa que será a mesma para outras pessoas. Os requisitos podem ser encontrados online ou em algum folder, mas no atendimento presencial pedem mais isso, mais aquilo… E nunca de uma vez. Por isso, tivemos de fazer algumas visitas ao banco antes de conseguir ativar a conta.

Leia também: Vistos para a África do Sul

Isso posto, solicitaram passaporte, visto, comprovante de residência, carta da universidade confirmando o registro e comprovante salarial. Como meu esposo não tinha nenhuma conta de utilidades em seu nome, levamos cópia autenticada da conta de luz, contrato de aluguel e uma declaração juramentada do locador confirmando o nosso status de locatários. A carta da universidade informava que meu esposo era pós-doutorando e o período, já o comprovante salarial foi a carta que informava o valor da bolsa-auxílio.

Fui incluída como adicional, mas não funciona como um co-titular no Brasil. Eu diria que a situação é mais parecida com um adicional de cartão de crédito. Tenho cartão em meu nome, mas a maioria das coisas está no nome do meu esposo: acesso online, comprovantes e registro no celular. Toda vez que vou fazer uma compra online, por exemplo, o SMS com o código OTP (que é o equivalente ao token) vai para o celular dele, assim como qualquer outra informação da conta.

Opções de conta e tarifas

Há uma grande variedade, vou citar as principais de nosso banco. Lembrando que cobram tarifas para tudo.

  • Estudante: Se o contratante tiver até 24 anos e visto de estudante, é possível abri-la e as tarifas são bem mais em conta.
  • Check: é a mais próxima da conta corrente brasileira, e aí pode-se escolher o pacote de tarifas. Quanto maior o pacote de serviços inclusos, maior a tarifa mensal e menor o custo por serviço adicional. Nós optamos pelo mais básico: tarifa mensal de R 105 (aproximadamente R$ 29, taxa de 01/Set/19), sem limite para transferências eletrônicas, depósitos mensais no caixa eletrônico de até R 30.000, três saques em caixa eletrônico por mês, e sem tarifas para compras no débito e pela internet.
  • Savings: é mais parecida com uma conta salário ou poupança, mas a aprovação do novo cliente é mais rápida. Nossa amiga ficou por 2 semanas esperando para abrir conta por ter escolhido a check, e ela precisava receber o primeiro salário! Quando ela aceitou a savings foi aprovada na hora, e ambas possuem basicamente as mesmas funções. Há uma remuneração pelo saldo e não há tarifa mensal, mas praticamente qualquer transação é cobrada.

Curioso que também oferecem contas exclusivamente para muçulmanos, elas seguem a lei islâmica. A comunidade é bem representativa no país.

Uma boa dica: tome bastante cuidado com as tarifas adicionais! Por exemplo, uma transferência feita dentro do banco por um funcionário pode sair o triplo do preço de uma no caixa eletrônico, e de graça pela internet. Aprendemos no susto: fomos depositar um valor alto em nossa conta assim que chegamos. Como foi feito no caixa da agência, a tarifa cobrada foi equivalente a R$ 80! Porém, meu esposo havia perguntado antes se havia taxa e disseram que não. Por isso, conseguimos reclamar e obter um desconto: cobraram o equivalente a um depósito no caixa eletrônico, e aí saiu menos da metade do valor. Considerando que no Brasil não pagamos nada, ainda acho um roubo!

Uma forma de economizar com tarifas é pedir para sacar dinheiro no caixa do supermercado, quando for pagar suas compras. Nesse caso, conta como uma compra no cartão de débito e não como um saque, com isso, evita-se pagar tarifas adicionais.

Cartão de crédito

Acredito firmemente que a situação é diferente para estrangeiros que tenham emprego formal no país, mas estudantes e pós-docs (ao menos em nossa cidade) não têm aprovação de limite de crédito. Isso não é um grande empecilho para compras locais, pois o cartão de débito “funciona” como cartão de crédito para compras online e reserva de hotéis, inclusive permitindo parcelar.

A desvantagem é na hora de fazer compras internacionais, como passagens aéreas (em cias aéreas e sites que não sejam sul-africanos), e para locação de carros. Nesses casos, infelizmente, o crédito é imprescindível, e aí utilizamos nossos cartões do Brasil ou da Alemanha.

Leia também: Dirigir na África do Sul

Atendimento

O Brasil é um dos países com o melhor sistema bancário do mundo, portanto, é de se esperar que o serviço aqui seja inferior. Evite ao máximo ir a uma agência pois o atendimento é demorado, tanto pela tranquilidade dos atendentes quanto pelo sistema. Não tem ninguém entregando papelzinho no fim da fila para medirem o tempo médio de atendimento.

Não é possível estimar o tempo de espera para se abrir uma conta, o que é angustiante quando se aguarda o primeiro salário ou a ajuda de custo para recém-chegados. Esperamos o ABSA por duas semanas, pois o banco tinha trocado o sistema e não estavam conseguindo incluir cópia dos documentos de estrangeiros.

Desistimos e fomos para o Standard, que abriu nossa conta em três dias. Como citei anteriormente, já nossa amiga aguardou resposta do Standard por duas semanas até optar pela conta savings, enquanto abrimos uma check sem problemas.

Portanto, a regra de ouro é: paciência! Uma hora vai! Somos brasileiros e não desistimos nunca!

Related posts

Como abrir conta bancária na República Tcheca

Isadora Costa

Visto de trabalho para a África do Sul

Viviane Schäffner

Dez curiosidades sobre o Natal na África do Sul

Debora L. Juneck

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação