BrasileirasPeloMundo.com
Rússia Turismo Pelo Mundo

Dicas de turismo em São Petersburgo

Dicas de turismo em São Petersburgo.

São Petersburgo. Capital cultural. Segunda maior cidade. Veneza do Norte. A parte européia. Cidade internacional. E por aí vai. As denominações para descrever ou caracterizar a cidade de São Petersburgo são muitas, afinal a cidade mais bonita da Rússia merece (e precisa) ser destacada por suas mais diversas qualidades.

Apesar de ter, claramente, costumes e uma cultura russa muito forte, é possível observar a influência européia, tanto no quesito arquitetônico, como na imigração. Peter é uma das cidades mais procuradas por estudantes internacionais; é a cidade russa onde mais se fala inglês (melhor dizendo, onde menos ‘não se fala’), e algumas construções remontam a estilos europeus, como o Palácio de Verão.

O que fazer na Rússia depende muito da época do ano. Os invernos não são brincadeira, e qualquer programa ao ar livre, ou que dependa de navegação, fica mais complicado por causa do congelamento das águas e dos ventos congelantes.
Então, eu preparei um roteiro mais geral para fazer o ano todo, contanto que não esteja -30 graus, porque aí, eu não saio nem de casa. Vamos lá!

1) Tour pelas Igrejas

Antes que você pense que isso se refere a turismo religioso ou qualquer coisa do tipo, deixe-me esclarecer que não tem nada a ver. As Igrejas Ortodoxas são verdadeiros templos de riqueza, beleza e elegância nunca antes vistos nem na mais bela catedral brasileira. Um tour pelas igrejas mais importantes é obrigatório, tanto pela magnitude arquitetônica quanto pela história que esses templos carregam.

A Igreja mais famosa e, na minha opinião, a mais bonita é a Igreja do Sangue Derramado (Церковь Спаса на Крови), que recebeu esse nome por ter sido construída no local onde o Czar Alexandre II da Rússia foi assassinado, em 1881. Depois de ter se tornado depósito de batatas e de ter sido atingida por uma bomba (que nunca explodiu) na Segunda Guerra, a Igreja serve hoje apenas como museu.

O encanto já acontece do lado de fora. Cheia de cor, abóbadas e num estilo tipicamente russo, o grande monumento atrai olhares de todos os lados. Dentro, o fascínio é imediato. Rodeada de dourado, com mais de 600 mosaicos e um teto de cerca de 80 metros, é fácil passar horas admirando. A entrada custa 250 RUB para adultos e 150 para estudantes com a carteirinha ISIC. (1 RUB = R$ 0.052, aproximadamente. Câmbio de 09/02/2017)

Leia também:  Rússia – Custo de vida parte 1 e parte 2

Outra Igreja que deve ser acrescentada à lista é a Catedral de Nossa Senhora de Cazã. Localizada coração da cidade, seu exterior em nada se parece com a colorida e vibrante igreja mencionada acima. Na verdade, eu demorei a perceber que aquele prédio cinza e sem vida se tratava de uma Igreja. E só descobri quando, por acaso, entrei para me proteger do frio e me encantei com o que vi lá dentro. A predominância da cor dourada e a imensidão do lugar não deixam a desejar.

Essa igreja ainda funciona como templo religioso, portanto é uma boa oportunidade para ver a relação dos russos com a religião. No dia que eu fui, uma segunda-feira à tarde, a Igreja estava cheia e, em alguns locais, havia filas para beijar e tocar nos santos.

Não posso deixar de mencionar a Catedral de Santo Isaac, outro ponto de parada indispensável na sua visita à Peter. É a maior igreja ortodoxa de toda a cidade, chegando a 101 metros de altura, e tem o domo principal todo banhado a puro ouro.

2) Museu Hermitage (e Praça do Palácio)

Eu não tenho a mínimo paciência para museus. Com exceção do Louvre e do Museu do Prado, em Madrid, eu não tinha tido nenhum outro “bom momento” visitando museus. Achava tudo igual e ficava logo entediada. Até conhecer o Hermitage, um dos maiores museus de arte do mundo.

Com um acervo de mais de 3 milhões de peças de praticamente todas as épocas, estilos e culturas da história russa, européia, oriental e do norte da África, o museu é dividido em dez prédios situados ao longo do rio Neva. O principal é o antigo Palácio de Inverno, construído em 1762 para ser a principal residência de inverno dos czares russos.

O museu Hermitage abre de terça-feira a sábado, das 10h30 às 17h, e aos domingos, das 10h30 às 16h. A entrada é gratuita para estudantes. Para os adultos, o preço varia de acordo com o tipo de acesso adquirido.

Além disso, os prédios do museu ficam em volta da Praça do Palácio (Дворцовая площадь), a maior praça de toda a cidade, que é um local perfeito para as nossas fotos de turismo. Aproveite a visita para admirar a Coluna de Alexandre, feita de granito vermelho, com 47,5 metros de altura e cerca de 600 toneladas. O mais interessante é que a coluna não é fundida, colada ou enterrada, estando apenas apoiada no chão.

Leia também: 10 curiosidades sobre a Rússia

3) Passeio pela Nevsky Prospekt

A Nevsky é a principal e maior avenida de São Petersburgo, com 4,5 km de extensão, cortando praticamente todo o centro histórico da cidade. É a rua mais movimentada tanto de dia como de noite e, por não ser tão longa como muitos imaginam, merece uma caminhada (num dia não tão frio, claro) para que o visitante sinta de perto o verdadeiro espírito da cidade.

Nevsky Prospekt durante o dia. Photo: saintpetersburg.com

A rua é local de marcos conhecidos mundialmente, como a Casa Singer (ou a “Casa dos Livros”), oficialmente reconhecida como herança cultural da Rússia; a Livraria Nacional da Rússia; um monumento à Catarina, a Grande; sem mencionar as inúmeras igrejas e palácios antigos. À noite, jovens, estudantes e turistas ocupam a avenida à procura de bares, restaurante e pubs, e também as baladas das ruas transversais à Nevsky.

Tire umas horas da sua tarde para caminhar, admirando a beleza dos canais que cortam a avenida, a grande movimentação que independe da época do ano, ou as belíssimas decorações de Ano Novo.

4) Ilhas de Vasilievsky e Petrogradskaya

Eu gosto de turismo de movimento. De conhecer o máximo de lugares possíveis. Portanto, tente sair um pouco do “quadrado” e se aventure nas ilhas próximas ao centro da cidade.

Situada entre o Rio Neva e o Mar Báltico, a ilha de Vasilievsky abriga a sede da Universidade Estatal de São Petersburgo. Reza a lenda que a ilha foi arquitetada originalmente para ser como Veneza (Itália), com canais no lugar de ruas, por onde os cidadãos deveriam se locomover por barcos no verão, e trenós no inverno. O projeto não teve sucesso, mas vale a pena um passeio à ilha.

Belezas de inverno pela ilha Vasilievsky, em Peter. Photo: Priscilla Castro

Saindo do centro, você vai passar pela maravilhosa Ponte do Palácio, curtir a vista do Rio Neva, caminhar pelas ruas que deveriam ser canais e aproveitar a atmosfera estudantil, já que muitos dos dormitórios universitários estão localizados aqui, e a grande oferta de restaurantes e bares do lugar.

A ilha de Petrogradskaya, ao norte, também não é muito diferente no quesito “vida noturna”. Apesar de as melhores baladas estarem no centro, como tem muito estudante morando nessas duas ilhas, a oferta de bares e pubs é alta e, geralmente, encontra-se opções bem mais baratas.

5) Comida Georgiana

Apesar de haver pratos bacanas (estrogonofe, sopas, panquequinhas), a comida russa não é das minhas preferidas. Falta tempero. Falta gosto. Falta sabor.

Felizmente, a Rússia é permeada por restaurantes e cafés da região do Cáucaso, como Geórgia e Armênia, e essas são SEMPRE ótimas opções. Ao visitar qualquer cidade russa, não deixe de experimentar os maravilhosos pratos dos inúmeros estabelecimentos georgianos espalhados pela cidade.

Pizzas e pasteis diferentes, dumplings, espetinhos, muitas variedades de peixes, molhos e temperos são o melhor dessa culinária especial. Me conquistou desde a primeira tentativa e, hoje, tento ir pelo menos uma vez ao mês em um desses restaurantes. Ah, a maioria deles é um pouco acima do preço, mas vale a pena separar uma graninha a mais. Não deixe ainda de provar um bom vinho tinto georgiano. Não deixam a desejar.

Related posts

Guia de turismo em Copenhague

Camila Vicenci Witt

Destinos místicos no Oeste dos EUA

Alessandra Ferreira

Dicas de turismo na República Dominicana

Taiane Mazzé

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação