Dicas para fazer Mestrado em inglês na Polônia

0
40
Foto: pixabay.com
Advertisement

Dicas para fazer Mestrado em inglês na Polônia.

Cursar o mestrado na Polônia é algo único e nesse texto eu conto um pouco mais como as aulas funcionam, se você pode trabalhar durante os estudos e minha perspectiva sobre se essa oportunidade vale a pena ou não! Para saber aspectos gerais do mestrado em inglês na Polônia, consulte a primeira parte desse texto clicando aqui!

AULAS E EXAMES

As aulas são organizadas por disciplinas. Algumas você tem liberdade para escolher, mas sempre receberá um cronograma fixo com a grade de disciplinas semanais e deverá segui-lo. Cada semestre tem uma carga horária específica, vai depender da sua universidade organizar isso. No entanto, é natural o primeiro ano ser mais carregado do que o segundo, quando há a elaboração do projeto final. As aulas podem ser do tipo lecture (quando você é apenas um espectador) ou podem ser aulas práticas, nas quais muitos trabalhos são feitos. A avaliação de cada disciplina pode ser por exames ao final do semestre ou por trabalhos/projetos realizados durante as aulas.

POSSO TRABALHAR?

Poder, pode. A lei não determina nenhuma proibição quanto a isso. No entanto, há dois empecilhos a serem considerados: primeiro, a carga horária “espalhada” do mestrado. Mesmo que as empresas ofereçam oportunidades de emprego part-time de 30h, as aulas geralmente são espalhadas na semana, não há um turno fixo (ex.: aulas só de manhã ou à tarde), o que fica difícil encaixar um trabalho aí. Além disso, considere que no primeiro ano você vai passar muito de seu tempo fazendo trabalhos ou estudando.

Segundo: para trabalhar com o visto de estudante, a empresa que te contratar vai precisar emitir uma permissão de trabalho (work permit) para você. Emitir esse documento exige vários procedimentos ao empregador, o que lhe deixa em desvantagem em relação a outros candidatos.

No entanto, não perca a esperança, pois há muitas oportunidades para quem fala português/espanhol e no segundo ano sua carga horária é geralmente menor, o que te dá mais chances de trabalhar (como foi meu caso). Além disso, você pode solicitar sua Karta Pobytu (permissão para residencia temporária), o que isenta a necessidade de work permit.

Leia também: Emprego na Polônia, por onde começar?

VALE A PENA?

Se vale a pena ou não, sempre dependerá das suas expectativas. Se você quer fazer o mestrado para seguir na área acadêmica ou docência, sugiro pesquisar bem uma universidade polonesa que ofereça oportunidades de se envolver com pesquisa. Caso contrário, você pode se decepcionar. Se você busca o mestrado como forma de ter maior qualificação na área profissional que atua, acredito que existem muitos cursos bons que poderão atender as suas necessidades e, de quebra, te inserir no mercado europeu.

Leia também: Como obter a residência permanente na Polônia   

Deixo aqui um resumo de pontos positivos e negativos sobre o mestrado na Polônia:

Pontos positivos:

  • Baixo custo de vida e de estudos – O custo de vida é bem em conta, especialmente para estudantes. Estudantes têm direitos a vários descontos (50% no transporte público e nos trens intermunicipais!) e tem acesso a residências estudantis com custos inferiores.
  • Variedade de ofertas para mestrados profissionais – Se você buscar um mestrado como forma de se especializar na sua área profissional, acredito que aqui você pode encontrar bons cursos, focados em aspectos práticos da formação.
  • Diploma polonês dá acesso à permissão de trabalho – Estudantes com diploma emitido por universidades polonesas não precisam de permissão de trabalho (work permit) para trabalhar na Polônia, o que lhe facilita conseguir um emprego para permanecer (ou voltar) no país após a graduação;
  • Oportunidades do programa ERASMUS, sem necessidade de ser europeu – O ERASMUS é um programa incrível da União Europeia que, dentre várias outros projetos, permite a estudantes fazer programas de mobilidade acadêmica e estágios, todos custeados! Você pode passar até um ano estudando ou estagiando em outro país, ganhando uma bolsa considerável. Essas oportunidades, felizmente, são abertas também para estudantes não-europeus, contanto que estejam matriculados em uma universidade parceira do programa (que são quase todas). Foi através do ERASMUS que eu tive a chance de morar e trabalhar na Croácia durante 3 meses, uma das experiências mais incríveis que vivi!

Pontos negativos:

  • Falta de foco acadêmico – Como mencionei na parte 1, a Polônia talvez não seja o país mais atraente para quem deseja fazer um mestrado inteiramente acadêmico e voltado à produção científica;
  • Processos burocráticos em tudo e falta de estrutura para atendimento ao estrangeiro para determinados serviços – Enquanto muitas universidades europeias recebem estudantes internacionais há década, muitas universidades polonesas ainda estão se adaptando a isso e é comum processos super burocráticos (e manuais!) e falta de serviços em inglês, dentro do campus;
  • Nem todas universidades prezam pela qualidade de ensino e acabam oferecendo cursos sem a devida estrutura necessária (pesquise bem);
  • Poucas oportunidades disponíveis para obter bolsas de estudo;
  • Oportunidades limitadas de emprego durante o mestrado.

Importante ressaltar que mencionei apenas vantangens e desvantagens de estudar aqui. Certamente, é importante também considerar aspectos gerais de como é a vida na Polônia para avaliar se é o que você busca.

Por fim, ressalto que minha experiência como estudante foi, sem dúvida, porta de entrada para muitas oportunidades profissionais. Há dois anos eu planejava voltar pro Brasil logo após término do curso e, hoje, eu estou é sem data pra voltar, vivendo tudo que o país tem me proporcionado! Fácil nunca é, foram muitos dias difíceis, mas digo com toda certeza que a Polônia tem um potencial enorme e vai surpreender muitos ao longo dos próximos anos. Espero, então, que nós brasileiros sejamos parte disso!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.