BrasileirasPeloMundo.com
EUA

Estados Unidos – De Nova York para Houston

Por Monica Bateman

Alguns dias antes de me mudar de Nova York para Houston, fiz uma visita à manicure do meu bairro.

Ao terminar, a manicure sugeriu que eu secasse minhas unhas em uma daquelas máquinas que soltam ar quente. O salão possui várias máquinas alinhadas, de forma que as clientes ficam uma de frente para a outra. Na minha frente estava uma senhora, provavelmente na faixa dos 50 anos, que, para minha surpresa, puxou conversa. Os nova-yorkinos não são como os brasileiros, que puxam conversa com todo mundo. No máximo você ganha um “Hi, how are you doing today?”, mas eles realmente não esperam que você conte como está sendo o seu dia.

Mas ela fez aquele típico comentário “O clima está ótimo hoje, não? Ensolarado, adoro dias assim” e o papo começou. Nova-yorkina “da gema”, ela começou a falar de como as obras do metro na 2ª Avenida estavam afetando o preço do apartamento dela (para baixo) e bla bla bla…tudo ia muito bem até que ela me perguntou “e você, onde mora?” Eu expliquei que morava ali pertinho, na 77 com a York, mas que em breve me mudaria.” Para onde?” ela me perguntou, curiosa…… Bem feliz da vida eu disse que estava de mudança para Houston, no Texas (afinal, Nova York pode ter o seu “glamour”, muitas atividades culturais, restaurantes maravilhosos, mas a vida de quem mora lá é bem diferente de quem vai fazer turismo, tudo é caro, vive-se num espaço minúsculo, os invernos são rigorosos, a cidade é barulhenta, e eu já não aguentava mais ficar lavando roupa na lavanderia coletiva do prédio!!!!).

Bem, sabe quando vemos em um gibi os olhos do personagem saltando pra fora (tonhonhoim!!!!)….pois é, foi assim que ela arregalou os olhos e disse “ Houston? Oh My God, how terrible!”.

Naquele momento cheguei a pensar que ela estava brincando…..dei um sorriso amarelo, fiquei com aquela cara de pastel, e quase borrei a unha que ainda não estava seca…..me senti pequena, afundando na cadeira lentamente e por alguns segundos pensei comigo, nossa, ela deve ter tido uma experiência muito ruim por lá. Houston na realidade deve ser um “mocó”…… parecia que eu tinha contado pra ela que estava trocando uma cobertura com vista para o Parque Ibirapuera por um puxadinho no Capão Redondo.

Mas e tudo aquilo que havia lido e pesquisado sobre a cidade?  Houston é a 4ª maior cidade dos EUA, atrás apenas de Nova York, Los Angeles e Chicago. Possui verões bem quentes (adoro!), daqueles de fritar ovo no asfalto, mas invernos em que muitos dias você pode sair na rua com uma camiseta de manga curta. Tem uma área médica excelente, com alguns dos melhores hospitais e centros de pesquisa médica do mundo e um custo de vida muito, mas muito mais baixo do que o de Nova York.

As grandes empresas de energia tem sua sede por estas bandas, além da indústria aeroespacial (quem não se lembra da famosa frase “Houston, we have a problem”). Houston recebe gente do mundo todo, é uma cidade cosmopolita.

Resolvi então saber o motivo, talvez ela saiba de algo que eu desconheça.  “Why is it so bad?” Perguntei. Ela respondeu, como se a reposta fosse óbvia, ” Well, it is Texas”!

Realmente o norte e o sul dos EUA tem características culturais bem distintas –  houve até uma guerra civil entre estas duas regiões, entre 1861 e 1865. Uma área é predominantemente Democrata e a outra Republicana . A religião está muito mais presente na vida dos sulistas e os que não frequentam uma igreja (como eu) são parte de uma minoria. Ok, Ok, Bush pai e Bush filho do Texas vieram, mas será que isso é motivo para esta senhora achar que Houston “is so bad”?

Houston tem estado na “boca do povo” ultimamente. A BBC fez um artigo chamado “10 reasons why so many people are moving to Texas”. Metade das cidades que mais crescem nos EUA está no Texas, existe uma boa oferta de emprego e por aqui pagamos menos impostos.

Mas voltando ao salão da manicure, eu perguntei, “a senhora morou lá?” Para minha surpresa, ela disse: “No, dear, I have never been there and have no intention to go”! Naquele dia fiquei pensando no que havia ocorrido, e como as vezes criamos estes preconceitos em nossas mentes, imaginando que lugares para onde nunca fomos, podem ser “assim ou assado”.

Para se viver fora de nosso país, sair de nossa zona de conforto, temos que ser abertos, flexíveis, adaptáveis. Aproveitar o que há de melhor em cada lugar e minimizar os pontos negativos.

Respeitar as diferenças, sempre. Conhecer novos lugares com o coração e mente abertos!

If you open your mind, all the thinks you will find, lining up to get loose” do musical Sussical, em homenagem ao escritor Dr. Seuss.

E foi desta forma que viemos para Houston, gostamos, e por aqui vamos ficando 😉

Monica mora em Houston, nos EUA, com o marido, a filha e a cachorra Labradoodle. É administradora de empresas, mas no momento atua como mãe em tempo integral e é autora do blog Discovering Houston.

 

Related posts

Road Trip nos EUA: dicas para pôr o pé na estrada

Selma Vital

Validação do diploma brasileiro nos EUA

Renata Salas Collazo

Visto para morar nos Estados Unidos

Ann Moeller

19 comentários

Tati Sato Julho 19, 2013 at 12:43 pm

Oi Mônica! Antes de tudo, bem-vinda ao grupo!!! Ótimo ter uma brasileira com experiência em Nova Iorque (<3) que more no Texas e já morou na China (ufa! Cansei! Haha)!

Bem, sua experiência lembrou-me um episódio de Sex and the City (que sou apaixonada): a Miranda (acho) saia com um cara que parecia perfeito… Até o momento que ele disse algo do tipo: sair de NY? Por nada do mundo!!!

Acho que, nesse caso, não é só o preconceito, mas o fato de que as pessoas de NY acreditam que a Big Apple seja o centro do universo. Acredito sim que exista uma idéia pré-concebida em relação aos lugares. Eu, particularmente, não tenho muita curiosidade em conhecer o Texas com seu sotaque puxado… Imagino o Estado como se fosse uma extensão da série Dallas ou como se todas as pessoas fossem iguais ao personagem de James Dean em Giants… Da mesma forma como muitos acreditam que vivo na praia, tomando cocktails e vendo o mar azul, aqui nas Filipinas. Só que não! 😉

Um beijo!

Resposta
Fernanda Julho 19, 2013 at 2:32 pm

Oi Monica,

Confesso que,como a Tati, eu também tenho uma visão bem estereotipada do Texas. Alias,adorei a lembrança de James Dean em Giants. É bem por aí para mim também hahahha. Todos muito republicanos, religiosos e tal. Acho muito importante escutar o outro lado da moeda e saber como as coisas realmente são aí em Houston. Parabéns pelo texto e seja bem-vinda!

Resposta
Ann Julho 19, 2013 at 2:59 pm

Monica, esteriotipos estao a nossa volta..como os brasileiros “tem” que gostar de futebol, o Texas lembra Dallas, como disse a Tati rs, se disser que nao imagino todos com chapeus de cowboys vou estar mentindo rsrs. Continue com o teu blog para nos ficarmos sabendo e aprendendo mais sobre Houston. E quanto a NY, eh um ego de um tamanho imensuravel rs, uma mistura de paulista e londrino junto porem elevado a enesima potencia imagino hahahah. Bem vinda ao grupo! 🙂 xx

Resposta
Cristiane Leme Julho 19, 2013 at 3:15 pm

Isso me lembra a minha própria história. Saí de uma cidade super cosmopolita (São Paulo) pra morar no interior da Dinamarca. Meus amigos de Copenhague chocaram quando eu disse que iria morar em Holstebro. “Jylland, aquele lugar de caipiras? Nem morto eu moraria lá”, foi o que muitos me disseram, justamente porque existe também essa rivalidade da Zelândia com Jutlândia – com a diferença de que os que comentaram isso conhecem a região, pois já estiveram por aqui algum dia, mas nunca moraram. Nunca tive preconceito, mas é bom a gente não criar muita expectativa nem se basear em opinião alheia, descobrindo com nossos próprios olhos o que é mudar para uma cidade menor. Pra muita gente, representa qualidade de vida. Pra outros, representa um desafio, como no meu caso. Mas como alguém disse por aí, a felicidade está onde a pomos. Espero que você esteja bem feliz aí em Houston, com um clima mais agradável pra você e descobrindo as dores e delícias de morar no sul, sob uma perspectiva sua e não de gente que nem nunca esteve aí!

Resposta
Tulia Lopes Julho 19, 2013 at 3:19 pm

Gostei Monica. Sei muito bem do que você está falando. Eu saí do Brasil há mais de 20 anos e me lembro muito bem quando, aqui pela Europa, encontrava com “alguns brasileiros” (normalmente do Rio, Sampa ou do Sul) e me perguntavam de onde eu era no Brasil; e eu dizia:
_ Sou de “Goiânia”!
Então a boca do interlocutor ficava entreaberta e o nariz empinava e a resposta era:
_ “Ah….”
🙂
T

Resposta
Ana Cristina Julho 19, 2013 at 9:22 pm

Moniquinha, achei seu texto divertidíssimo. Parecia que você estava ao meu lado contando a história.Bom, o que me fez pensar é que esse tipo de preconceito existe no mundo todo. Vai propor para um paulistano “da gema”se mudar para o Recife ( ainda se é a maior cidade do NE)? Ou um italiano de Milão ir morar na Sicília?? Acho que o preconceito e a mente fechada não é uma prerrogativa dos new yorkers, mas vem de dentro de cada um de nós.

Resposta
Ana Cristina Kolb Julho 20, 2013 at 12:17 pm

Bem vinda Monica, nosso grupo fica a cada dia mais rico! Que delicia! Eu ja frequentei NYU e fiz ferias curtas varias vezes em NYC ja fui pra Houston trabalhar e visitar amigos, naturalmente nao posso dizer que morei nem em um nem em outro local, mas passei alguns meses, mais de uma vez, as vezes semanas, é diferente, NYC é super interessante pra visitar, morar na minha fase de vida, com certeza nem pensar, talvez quando era jovem como estudante podia ser interessante, quando fui fazer um curso de verao na NYU AMEI a cidade, mas estava com um grupo de alunos do meu curso de Multimidia, meus professores eram super “cools” e saimos todas noites, fazendo programas, culturais, pub’s club’s incriveis, era super dinamico, muito aprendizado também, bem puxado! Se conseguiria viver assim no dia a dia? Com certeza nao! Tenho amigos até hoje desta experiencia e os adoro! Otimas lembranças! Houston, vivia em um condominio, com piscina, e todos os luxos que podiamos ter, super tranquilo, otimos restaurantes, parques de diversao, lugares lindos visitei por ai, e as pessoas que conheci foram super amaveis e gentis comigo, talvez por que estar em um meio de pessoas que moravam em Houston mas vieram de fora? talvez por ter alguns locais que nos apresentaram a outros? quem sabe? Em termos de qualidade de vida, sem duvida muito melhor que NYC, principalmente se penso em termos de vida de familia! De forma que é isto ai, a gente tem que definir as nossas prioridades e viver de acordo com elas, o que os outros pensam? rsrsrsrs problema deles, afinal o que “eles” teem que pensar sobre o que vc vive ou nao? que vivam a vida deles de acordo com seus valores, sejam felizes ou infelizes da sua forma, e deixem os outros viverem segunda sua escolhas e em paz! Eu particularmente sou alergica a este tipo de julgamento, este tipo de gente que tem problema de afirmaçao, como diz Caetano Veloso “é que Narciso acha feio tudo que nao é espelho”, rsrsrsr que tem em todo lugar mas que em NYC é parte da cultura de “bullying” da cidade! Muito tipico! rsrsrsrs Me lembrei também de um episodio de “Sex & the City” onde a Carry fala com o novo namorado escritor que a maior falta dele foi colocar que uma mulher de NYC poderia usar um certo tipo de elastico e que isto é forma de reconhecer pessoas de fora da cidade, como ser ou nao de NYC fosse algo fora de serie! rsrsrsr so rindo mesmo! Bem querida Monica, parabens pelo seu blog, vou seguir com prazer de descobrir o que Houston tem a nos apresentar! Eu como nao tenho preconceito com nada, tenho até uma simpatia em alguns pontos ao Sul dos USA, nao em termos de politica ou religiao, mas a cozinha, a natureza, o senso de humor, country music, entre outras coisitas mas, rsrsrs Louisiana que é “proximo”, Arizona, North & South Carolina sei que as culturas sao bem diversas, mas estao todos no sul do USA, enfim….. como sou mais roçeira que urbana, sou suspeita pra falar! rsrsrsrsr Namasté! e Seja muito feliz com sua familia em sua nova vida texana.

Resposta
Sil Poindexter Julho 20, 2013 at 9:35 pm

Muito lindo o texto Mônica, como disse a Ana Cristina aí em cima, parece que eu estava sentada do lado. E, na verdade, vivi uma tipo assim. Morávamos em Boston e tínhamos o trabalho dos sonhos. Meu marido em investimentos e eu em administração de hospital; muitos amigos, de varias partes do mundo. Boston é maravilhosa, cosmopolita, pequena em comparação com outras cidades. Num dos jantares que fazíamos, colocamos a questão para os nossos amigos, que iríamos mudar pra Houston; afinal estávamos planejando uma família, e como a família de meu marido era de lá, queríamos que nossos filhos tivessem a família por perto, já que a minha estava no Brasil. Todos ficaram perplexos, contra nossa decisão. Fiquei apreensiva, pq uma dessas já havia morado em Dallas, e a frustração da sua experiencia virou a minha. Mudamos, apreensiva, confusa e confesso que demorei adaptar. Agora sei que fizemos a melhor decisão. Nossos filhos tem a participação de avos e família todos os dias.

Resposta
Fernanda Franco Julho 23, 2013 at 11:13 pm

Monica, muito interessante o seu texto e esse lance de esteriotipo e mesmo complicado. A pior coisa e julgar sem ao menos conhecer o local ou ter tido alguma experiencia para sair fazendo statements, nao e nao? Fala serio. Eu, como uma boa mineira la do sul do estado adoraria conhecer o TExas. Alias, ainda e um dos meus sonhos. Depois que resolvi morar na Inglaterra, ainda nao tive oportunidade de ir aos EUA, mas, se for algum dia, com certeza quero conhecer a terra quente dos cowboys! Como eu amo um western!!!! Beijos F

Resposta
Daphne Julho 24, 2013 at 7:51 am

Bem vinda ,Monica! Achei super interessante seu texto. Eu nao conheço os EUA e sò agora comecei a ter curiosidade em conhecer a terra do “tio sam” ,como eles chamam, né? Cada matéria que encontro a respeito vou preenchendo meu conhecimento sobre a vida por a’ì.
Uma vez uma conhecida comentou “nao sei como a Daphne consegue viver na Italia, em meio àquelas cidades antigas e cheio de gente velha”. Realmente, as pessoas tem essa tendencia a julgar sem ao menos ter a experiencia de vivenciar ou, ao menos, se interessar em saber como realmente as coisas sao e estao fora da “bolha” em que vivem.
Aqui na Italia ainda tem preconceito entre norte e sul. E se voce se interessa em saber sobre uma ou outra regiao, tem que ter cuidado ao perguntar pois , sem esperar, o interlocutor pode receber a tua pergunta de forma a sentir-se ofendido! Justo porque ele pròprio sente preconceito com a outra parte e , vice-versa.
Vou visitar seu blog e acompanhar sua història!
Bjs e tudo de bom!
Daphne.

Resposta
Carol Julho 25, 2013 at 2:27 pm

ahahahah Monica, isso é tão igual ao que os hungaros fazem!
Todo mundo que já foi para Budapeste uma vez, diz que é maravilhosa, menos os hungaros que não moram lá. Pra hungaro do interior, Budapeste é horrivel e suja. Quando contamos a minha sogra que iriamos viver lá ela disse: -Meu Deus! Como vc vai viver lá com crianças? Vc não vai poder sair na rua!!! ahahahah
Budapeste é maravilhosa! Com parques incríveis pra crianças e é bem limpinha. Tudo preconceito. O mesmo se da pra alguem de Budapeste, que acha que no interior só tem caipiras… Ai ai… rsrsrs
Não da pra lutar contra, o melhor é não ouvir opiniões e criar as próprias. 🙂
Boa sorte no Texas!
Beijinhos!

Resposta
Christiane Fink Agosto 11, 2013 at 12:42 pm

Todo Pais tem o seu charme. Tem suas vantagens e desvantagens, exceto paises muito primitivos como alguns da Africa, arabes e asiaticos como a China comunista, cujo povo vive como “robos”. Ja tive a oportunidade de conhecer diversos paises. O melhor Pais, sem duvida, é aquele que nós temos liberdade e “educação” . Boa educação! Aquela que vem de berço, e não de uma faculdade. Até porque tem muitos idiotas com diplomas pindurados nas paredes, e jamais dizem “bom dia” para um serviçal de baixa renda. Tem muita gente que vive mudando de Pais também, para fugir dos “impostos”, ou por obrigatoriedade devido à sua profissão. Isso é muito comum. Só aqui no meu bairro, conheço tres familias assim. Vivem 6 meses num Pais, mais 6 meses em outro Pais… e assim por diante, para fugirem dos impostos. Mas quando essas familias tem “filhos”, e vivem mudando de Paises, ai a coisa piora. As crianças precisam mudar de colégios, aprendender novos idiomas. Isso muitas vezes da um nó na cabeça da criança, e ela começa ter sérios problemas no futuro de sua escolaridade, devido às grandes mudanças. Mas enfim… o melhor pais mesmo, é a casa da gente. o nosso lar! Eu sou de São Paulo, e adoro a minha cidade. Mas infelizmente com essa carência na falta da educação, violencia por toda parte, drogas, falta de respeito total, tanto do povo como das autoridades… fica dificil viver num lugar desses. São Paulo ja foi uma grande cidade. Mas hoje, eu não teria mais coragem de viver la, com a minha familia.

Resposta
Christiane Fink Agosto 11, 2013 at 1:15 pm

Os Estados Unidos é um pais muito legal, mas também muito castigado por terrorismo, queimadas, furacões, etc… Mas para viajar de férias é muito bom!

Resposta
Cristina Corey Julho 25, 2013 at 4:28 pm

Adorei conhecer o blog de voces. Sou tambem mais uma brasileira pelo mundo. Moro nos Estados Unidos e hoje tambem moro em Houston, porem ja morei noextremo norte, numa cidadezinha em Michigan por 4 anos, um ano em Florida e agora no Texas.
A diversidade dentro dos EU e tao grande qto no Brasil e junto com a diversidade vem de quebra o preconceito. Muito triste isso, mas expats, como somos chamados, tem a mente e o coracao mais abertos. Eu abandonei minha profissao depois de 17 anos sendo dentista buco maxilo e toda minha vida em Sao Paulo Capital para ir morar em Traverse City Michigan. Encarei preconceito e narizes tortos, mas ate hoje volto para rever amigos. Continuo achando o lugar uma perola nao descoberta e me sinto previlegiada de ter podido morar num lugar tao lindo.
Parabens pelo artigo muito bem escrito.

Resposta
monica okuno Setembro 6, 2013 at 2:15 am

adorei. eu era preconceituosa: nao gostava de americanos….gringos? aarrggghhhh…arrogantes, egocentricos e pessimos em geografia…
conhcei meu marido, logico , americano do norte de ny, morava em boston. nos apaixonamos e despencaram todos os rpeconceitos! depois de 10 anos vivendo em atlanta, GA, nos mudamos para a florida e ca estamos comprando terreno para construir uma casa no interior – mas praia – lol.Ufa….abaixo o desta agua nao beberei!
Viva o mundao grande e sem fronteiras!

Resposta
Daisy Couto Outubro 13, 2013 at 3:22 am

Oi Monica, adorei seu texto, acompanho seu blog!! Meu marido morou 6 meses em Houston, visitei a cidade algumas vezes, adorei!! Gostei tanto que pedimos transferência na empresa que ele trabalha. Estamos aguardando o processo, realmente escuto de algumas pessoas, que não conhecem a cidade, frases preconceituosas, acho muito engraçado. Não influencia em nada minha decisão de querer morar aí. Estou ansiosa e aberta para encarar as diferenças culturais. Vou parar de trabalhar pois meu diploma terá que passar por um longo, árduo e caro processo de validacão mas estou animada com as mudanças!! Serei mais uma brasileira pelo mundo!! Se soubesse me expressar tão bem montaria um blog pois amo!!! Valeu!!!

Resposta
Monica Bateman Novembro 15, 2013 at 3:22 am

Oi Daisy…..desculpe o atraso em responder hehe…mais de um mes…mas so hoje vi seu comentario. Voce ja se mudou?

Resposta
De Nova York para Houston | Discovering Houston Março 4, 2015 at 4:05 pm

[…] Nos próximos dias, o Discovering Houston vai replubicar alguns textos que foram originalmente publicados no Blog Brasileiras pelo Mundo. E pra começar, vamos voltar ha quase 2 anos quando escrevi sobre a reação das pessoas quando eu dizia que ia me mudar de Nova York para Houston. O texto foi publicado em 19 de julho de 2013, e o link para o texto original você encontra aqui.  […]

Resposta
Adriana Janeiro 31, 2017 at 12:20 pm

Oi bom dia! Meu nome é Adriana sou carioca, tenho experiência de trabalhar com unhas, a vida aqui nu Brasil está muito difícil, tem alguém aí, que foi embora pra nova York, pra trabalhar. Como está sendo essa experiência. ? Eu tenho vontade de seguir a minha carreira de manicure por lá, mais pra mi ir tenho ter conhecimento de alguém.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação