BrasileirasPeloMundo.com
Brasil Brasileiras Pelo Mundo Divagações EUA Los Angeles

O meu sucesso não é o mesmo que o seu!

O meu sucesso não é o mesmo que o seu!

 Aos poucos a vida está voltando ao normal aqui nos Estados Unidos. As ruas estão mais barulhentas, os supermercados e restaurantes mais cheios, muitos reencontros e pequenas aglomerações. A pandemia ainda existe, mas o medo aos poucos vai embora já que mais da metade da população está vacinada.

Com a vida voltando ao normal, os problemas antigos também voltaram, consequentemente, o tempo fica mais escasso. De maio pra cá a sensação foi que o tempo sumiu! Quando piscamos já estávamos em julho.

É preciso cuidado nessas horas, é muita ansiedade para compensar “o tempo perdido” que a pandemia causou. O tempo extra durante a pandemia, para muitos, foi bem aproveitado, outros já não dirão o mesmo, mas, é certo que agora que é verão queremos aproveitar o calor e “compensar” o que não tivemos ao longo de mais de um ano fechados em nossas casas.

Aos poucos, retomamos a vida e nos damos conta de que precisamos voltar a produzir, voltar a exercer bem a nossa profissão, nosso trabalho e provar pra nós mesmo que nossa vida é um sucesso. 

A palavra sucesso em latim significa avanço, mover-se e acontecer

 Lindo, né? E faz sentido se você parar para pensar pois é originária de suceder (vir depois). Porém, desde o século XV a palavra foi virando sinônimo de resultado favorável.

 O clássico exemplo da família Doriana em que o pai de família é CEO ou exerce um cargo alto em uma multinacional, possuem carro e casa própria, fazem viagens internacionais, frequentam clubes e são muito felizes por causa disso.

 O que ninguém sabe é como essas pessoas realmente se sentem. Será que esse pai de família não sente a pressão em manter tudo isso. Hoje em dia, facilmente encontraremos versões distintas sobre o significado do sucesso.

Leia também: Como lidar com o confinamento?

Será que sucesso é o quanto de dinheiro fazemos ou a satisfação que sentimos ao exercer nossa profissão. E, deveria o sucesso ser medido apenas pelo nosso desempenho profissional? Será que o meu sucesso é o mesmo que o seu? 

 Antes de mais nada, não me parece uma boa ideia medir o sucesso ou coisas da vida já que é relativo e depende da realidade de cada pessoa.

 Mas, vivemos em um mundo competitivo em que foi preciso criar regras e formas de saber quem fez mais para merecer mais. Até aí, está tudo bem, se as pessoas que escolherem participar do jogo aceitarem as regras, para ser de uma grande empresa será necessário se sujeitar a certas pressões e comparações.

Meu ponto, então, faz sentido para quem vive no século XXI, a vida moderna, vem nos permitindo explorar mais, experimentar mais e escolher como queremos viver.

 Assim, aos poucos o conceito de sucesso vai voltando às raízes. E podendo ser definido mais ou menos assim: 

  • Sucesso é reflexo da satisfação que uma pessoa sente em viver
  • Sucesso é resultado de escolhas individuais—sem influência externa
  • Sucesso não se restringe à profissão 

 Se partíssemos dessa realidade penso que as pessoas precisariam bem menos de remédios controlados para aquietar a mente. Se a resposta para a pergunta “O que você faz?” fossem situações corriqueiras do dia a dia ou nossos hobbies, e não somente a nossa profissão, acredito que viveríamos em um mundo mais gostoso.

 Até porque, se você se lembrar do significado de sucesso que mencionei lá no começo—mover-se, você vai ver que nosso objetivo aqui enquanto vivemos é evoluir. É não estagnar ou estar sempre no mesmo lugar, e isso não significa melhorar de cargo, mas melhorarmos como pessoas.

 Por um bom tempo eu tinha vergonha de ir às festas de final de ano da empresa do meu marido pois eu não sabia o que responder o que eu fazia. Eu me sentia menor que todos ali, mesmo não sendo. O problema é que o meio nos faz sentir pressionados e parte daquele ambiente extremamente hostil.

 Então, ao que devemos nos apegar? Ao movimento—Onde eu estava, onde estou e para onde vou. E ficarmos bem com as escolhas e rumos que nossa vida levar, quanto mais diversos nossos caminhos forem, melhor! 

Se valorizarmos o que é nosso, nenhuma comparação ganha espaço. Eu sei que não se trata de uma transformação simples, mas nós que estamos fora do nosso país sabemos como é pesado provar que fizemos a escolha certa. Então, vamos de forma leve, acreditando que não temos que provar nada e que podemos apenas apreciar a caminhada.

Quer saber mais sobre o BPM? Siga-nos também no Instagram e no Facebook

Related posts

Resoluções de final de ano, como fazer?

Natália Baldochi

10 dicas para trabalhar em casa com filhos pequenos

Patrícia Penna

Brasil – Diferenças Culturais na Infância

Fabi Mesquita

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação