BrasileirasPeloMundo.com
França Maternidade Pelo Mundo

Gravidez na França

Para compartilhar com vocês a experiência da gravidez na França, colhi algumas informações nos órgãos públicos e entrevistei a Lúcia, paraibana de 39 anos que mora em Nanterre, cidade dos arredores de Paris.

Conheci Lúcia em Paris há 16 anos e nos tornamos amigas desde então; eu estava presente no dia em que ela conheceu Arnaud, francês da região parisiense, e fico feliz de ter acompanhado essa história de amor que hoje tem 15 anos e gerou três filhos!

Lúcia sempre teve a vontade de ser mãe e foi a primeira do nosso grupo de amigas aqui da França a ter filhos. Tudo começou naquele dia, às vésperas do casamento, quando ela passou mal. Ela conta como foi a experiência:

 ”Na véspera do casamento tive um mal estar e fortes cólicas e decidimos que era melhor ir ao hospital; então fizeram um ultrassom e descobrimos que eu estava grávida de 2 meses… Fizemos a declaração da gravidez  à CAF, Caisse d’allocations familiales (órgão do governo de assistência à família), e à Securité Sociale (Segurança Social), assim foi possível fazer o pré-natal gratuitamente. Eu escolhi fazer o pré-natal com um ginecologista obstetra na maternidade do meu bairro, e fiz também a preparação do parto com a sage femme, enfermeira obstétrica.”

  • A declaração da gravidez (déclaration de grossesse) deve ser feita antes de completar o terceiro mês de gestação, o ginecologista obstetra fornece a atestação que deve ser enviada à CAF e a Securité Sociale, para garantir a cobertura integral da gravidez e do parto.
  •  Aqui na França você pode fazer o pré-natal na maternidade mais próxima da sua residência, que será aquela na qual você terá o parto, no consultório, ou na PMI (Centro de Proteção infantil e Materna) e esse acompanhamento poderá ser feito por um ginecologista obstetra e também por uma sage femme (enfermeira obstétrica).
  •  Existe também um curso de préparation à la naissance (preparação para o nascimento), que é gratuito, no qual a gestante recebe orientações e informações tanto sobre a gravidez e o parto quanto sobre o pós-parto.

França

“ Com 39 semanas senti contrações e a bolsa estourou, mas depois de 24 horas eu não tinha dilatação e constataram que meu bebê estava com pouco oxigênio e tive que fazer uma cesárea de urgência, o que me assustou porque eu só tinha sido preparada para o parto  normal.”

  •  Na França, o parto normal é estimulado e ocorre na maioria dos casos; de acordo com o ministério da saúde francês, somente uma em cada cinco mulheres faz  cesárea, sendo que apenas metade dessas são programadas e as outras ocorrem em urgência, somente após a tentativa do parto normal.

 “ Tivemos alta no quinto dia, e após uma semana, tive uma infecção e precisei tomar antibiótico, infelizmente por causa disso não pude mais amamentar a Clara e acabei sofrendo uma depressão pós-parto, mas tanto no hospital, quanto na PMI tive apoio psicológico ”

  “Tive dificuldades de engravidar novamente, então após 7 anos de tentativas, e com 34 anos de idade, minha ginecologista propôs um tratamento hormonal, e engravidei do meu segundo filho o Theo; dessa vez fiz acompanhamento em um consultório, com uma ginecologista. A bolsa estourou com 39 semanas mas o parto não evoluiu e tive que fazer novamente uma cesárea, mas dessa vez eu já estava preparada para isso.”

 “Peguei o Congé Parental por um ano, até conseguir vaga na creche”.

  •  A duração da licença maternidade na França é de 16 semanas, mas a partir do terceiro filho é de 26 semanas; se forem gêmeos, 34 semanas; se forem triplos ou mais (socorro!) é de 46 semanas. Existe uma forma da licença durar mais, chamada Congé Parental, na qual a família recebe uma ajuda financeira do Estado e pode suspender o contrato de trabalho (a empresa não poderá demitir); essa licença pode durar até três anos.
  •  A prefeitura de Paris recomenda fazer a pré-inscrição na creche no sexto mês de gravidez para garantir a vaga, mas existem outros modos de guarda para os pequenos até eles chegarem à idade de ir para escola; além das creches coletivas, tem as creches familiares, as halte-garderies (creche meio período), os jardins d’enfants (jardins de infância), os assistentes maternelles (profissionais treinadas para cuidar das crianças e vinculadas à prefeitura). Há também uma ajuda para quem emprega uma nourrice (babá), o que contarei com mais detalhes em outro artigo.

 “Cinco anos depois, com 39 anos, sem planejarmos engravidei do meu terceiro filho, Lucas. Descobrimos a gravidez nas primeiras semanas; tive uma gestação tranquila, fiz o acompanhamento com a mesma ginecologista e novamente foi cesariana.”

 “Quando o Lucas estava com 6 meses consegui, através da prefeitura, uma assistante maternelle para cuidar dele, enquanto eu faço um curso profissionalizante”.

 “Eu e meu marido viemos de uma família grande, quem sabe teremos mais um.”

A França e a Irlanda possuem as mais altas taxas de natalidade da Europa, com 2,01 filhos por mulher contra 1,58 filhos em média nos outros países europeus. Diversos fatores favorecem essa taxa, como a oferta de um sistema de saúde público de qualidade, medidas do governo como a “prime de naissance” ( ajuda para as primeiras despesas com o bebê, pouco mais de 900 euros,oferecidos somente uma vez e após o nascimento), o  “congé parental“, além da oferta de diferentes modos de guarda dos filhos, o que viabiliza o retorno ao trabalho e, claro, o sustento desses pequenos.

Related posts

Primavera francesa em Auvergne

Lilian Moritz

Benefícios concedidos aos cidadãos nacionais e estrangeiros na França

Carolina van Heesewijk

Filipinas – O desafio da gravidez e parto do outro lado do mundo

Danyella Proença

14 comentários

Camila Abril 3, 2016 at 6:28 pm

Como faço para falar com ela ! Estou gravida e penso em me mudar pra França !!! Queria umas dicas! Obrigada atualmente mora na Caralunha! Seu texto muito bom, rico em detalhes amei ! Parabéns!

Resposta
Anna Mendonça Abril 4, 2016 at 10:31 am

Olá Camila,
Obrigada , fico feliz que tenha gostado , no próximo artigo mais informações sobre o assunto serão abordadas , espero que ajude ! Abraços !

Resposta
Iva Abril 3, 2016 at 9:45 pm

Muito bom essa materia, super interessante.
Parabéns!

Resposta
Anna Mendonça Abril 4, 2016 at 10:11 am

Obrigada Iva que bom que gostou! Estou fazendo outra com mais detalhes sobre a maternidade na França, abraços!

Resposta
meg sa Abril 4, 2016 at 12:56 am

OI Anna , você poderia fazer um artigo falando sobre estudar na frança para quem tem idade apartir dos 30, conte como fez para se inscrever no CAP Petite Enfance suas experiências no curso e expectativas.
Obrigada.

Resposta
Anna Mendonça Abril 4, 2016 at 10:18 am

Olá Meg, obrigada pela sugestão , irei fazer um artigo posteriormente sobre o assunto, um site interessante com diversas formações em CAP à distância , ideal para quem trabalha e tem filhos é o cned.fr, abraços!

Resposta
Karla Agosto 15, 2016 at 2:05 pm

Olá, Anna!
Tudo bem?
Gostei muito das informações do artigo.
Fiquei pensando como é na França a recepção para terapias holísticas e ou alternativas e se há cursos nessa área aí para grávidas. Saberia me dizer?
Gratidão, Karla

Resposta
Pollyana Dezembro 7, 2016 at 10:08 am

Olá Anna!
Tudo bem?
Gostaria de uma informação,
Ultrassonografia (paga) só faz em hospitais?

Resposta
Viviane Ronsalez Maio 5, 2017 at 3:58 am

Oi tudo bem
Gostaria de saber se estes direitos se aplicam a quem não esta trabalhando?
E se essa ajuda do governo de 900 euros é para imigrantes tbm
Atenciosamentw

Resposta
Fabiana Maio 14, 2017 at 11:56 pm

Ola anna! Tudo bom? Estou com o visto para ir franca mas descobri que Estou gravida e vou para franca quando tiver o ok do medico mas acredito que sera apos 3 meses. Voce sabe me dizer se a declaracao de gravidez pode ser feita aqui do brasil? Meu marido é francês e estou bem perdida no timing das coisas… muito obrigado por qualquer ajuda!

Resposta
Larissa Maio 15, 2017 at 2:10 pm

Ola! Ana muito interessante mesmo . Mas meu caso é diferente aqui onde moro, estou grávida de 3 meses e não sou bem tratada me no hospital por não ter papel moro em Martinica a 2 anos e está sendo difícil para mim sou diabética e não tenho dinheiro para manter meus remédios eu sofro demais,vivo com o pai do meu bebe.o que posso fazer me dá uma luz

Resposta
Vanessa Julho 12, 2017 at 5:11 pm

Bia tarde, queria saber se na licença de maternidade continuou a receber ? E quanto ? Na França. Obrigada

Resposta
Angela Silva Setembro 16, 2017 at 2:04 am

Eu sou Angela Brasileira e tenho um filho Brasileiro e Frances Niklas tem 5 anos
E eu e seu Pai nao somos casados mas estamis junyos do nisso jeito brasil e frança
Mas agora eu decidir ir viver a Paris e orecido muito de ajuda??
Como faço com escola p meu filho tou com muito medo pos ele fala pirtugues mas sempre estamos a Paris… eu quero saber um curso de feances p mae de filho frances??

Resposta
Gravidez na França Fevereiro 11, 2018 at 9:12 am

[…] Saiba mais sobre gravidez na França no BPM. […]

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação